Carregando...
JusBrasil
28 de agosto de 2014

Página 1 de 7.297 24 1 3.754 3.456 64 resultados para "ABONO PECUNIÁRIO DE FÉRIAS (ART. 143 DA CLT)" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação

TST - RECURSO DE REVISTA RR 1014008320115130002 (TST)

Data de publicação: 09/05/2014

Ementa: RECURSO DE REVISTA. INCIDÊNCIA DO TERÇO CONSTITUCIONAL SOBRE O ABONO PECUNIÁRIO DE FÉRIAS . ART. 143 DA CLT . 1. Nos termos da jurisprudência sedimentada na Súmula nº 328 do TST, o cálculo do terço constitucional relativo às férias deve considerar o valor dos trinta dias de férias, gozadas ou convertidas em abono pecuniário. 2. Logo, o valor do abono pecuniário a que alude o art. 143 da CLT deverá ser considerado em relação ao valor global das férias, sob pena de -bis in idem-, se calculado o terço sobre o valor global e, novamente, sobre o valor do abono. Até porque, se ocorreu a venda dos dias correspondentes, sua natureza é indenizatória; sendo que o terço constitucional objetiva proporcionar o gozo das férias, e, não, remunerar a prestação de trabalho em parte das férias. 3. Desse modo, merece reforma a decisão do Tribunal Regional que, apesar de constatar o pagamento do terço constitucional sobre os 30 dias de férias, determina, em acréscimo, o pagamento do terço constitucional também sobre o abono pecuniário. Precedentes do TST. 4. Violação, que se reconhece, do art. 143 da Consolidação das Leis do Trabalho . Recurso de revista conhecido e provido.

TST - RECURSO DE REVISTA RR 4149520115120052 414-95.2011.5.12.0052 (TST)

Data de publicação: 23/08/2013

Ementa: RECURSO DE REVISTA - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - FÉRIAS - ABONO PECUNIÁRIO - ART. 143 DA CLT - TERÇO CONSTITUCIONAL - DIFERENÇAS - INEXISTÊNCIA. Em conformidade com os arts. 7º , XVII , da Constituição Federal e 143 da CLT , uma vez constatado o pagamento do terço constitucional sobre os trinta dias de férias, resulta indevido o pagamento do terço constitucional novamente sobre o abono pecuniário de férias, sob pena de bis in idem . Recurso de revista conhecido e provido .

TST - EMBARGO EM RECURSO DE REVISTA E-RR 5858005620075120026 585800-56.2007.5.12.0026 (TST)

Data de publicação: 02/03/2012

Ementa: RECURSO DE EMBARGOS INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI 11.496 /2007. FÉRIAS. ACRÉSCIMO DE 1/3 SOBRE O ABONO PECUNIÁRIO. INTERPRETAÇÃO DO ART. 143 DA CLT . A Colenda Turma decidiu que o abono pecuniário não deve sofrer o reflexo do terço constitucional, que compõe a remuneração das férias, pois há de equivaler à remuneração do trabalho nos dez dias a que de fato corresponde. Em rigor, o art. 143 da CLT comporta interpretação - a um só tempo sistemática e histórica - na direção de não permitir que a vontade constitucional eleve, por via oblíqua, o valor do abono pecuniário, quando em verdade a intenção do constituinte fora a de evitar que o abono pecuniário fosse necessário para o empregado financiar o seu lazer em meio às férias. Acresceu à remuneração das férias o valor equivalente ao antigo abono, mas o abono subsistiu na ordem jurídica infraconstitucional. Prevalece, por conseguinte, o entendimento sufragado pelo acórdão turmário, qual seja, o de que o abono pecuniário previsto no art. 143 da CLT deve equivaler à remuneração do trabalho nos dias a que ele corresponde, sem o acréscimo ou o reflexo de 1/3 que incide sobre a remuneração de todo o período de férias (inclusive sobre os dias de férias convertidos em pecúnia). Embargos conhecidos e não providos.

TRF-3 - REEXAME NECESSÁRIO CÍVEL REO 2518 SP 0002518-84.2008.4.03.6103 (TRF-3)

Data de publicação: 10/10/2013

Ementa: TRIBUTÁRIO. IMPOSTO DE RENDA. ABONO PECUNIÁRIO DE FÉRIAS. ART. 143 , CLT . 1. Não incide o imposto de renda sobre o abono pecuniário relativo à venda permitida de um terço do período de férias previsto no artigo 143 da Consolidação das Leis do Trabalho . 2. Ressalte-se ser prescindível indagar-se da comprovação da efetiva necessidade de serviço, porquanto a regra de não-incidência tem por base o caráter indenizatório da referida verba. 3. Honorários advocatícios mantidos em 10% sobre o valor da condenação, vez que condizentes com os balizamentos traçados pela sentença, nos termos do artigo 20 , § 3º , do Código de Processo Civil .

TRT-4 - Recurso Ordinário RO 00006921420115040701 RS 0000692-14.2011.5.04.0701 (TRT-4)

Data de publicação: 13/03/2014

Ementa: CONVERSÃO DE PARTE DAS FÉRIAS EM ABONO PECUNIÁRIO (ART. 143 DA CLT). FACULDADE DO EMPREGADO. ÔNUS DA PROVA DE QUE SOLICITADA A CONVERSÃO PELO EMPREGADO ATRIBUÍDO AO EMPREGADOR. A conversão de parte das férias em abono pecuniário é uma faculdade do empregado (caput do art. 143 da CLT). É do empregador o ônus de provar que o empregado solicitou a conversão de parte das férias em abono pecuniário, do qual não se desincumbindo faz presumir que a conversão decorreu de ato unilateral do empregador. 

Encontrado em: o reclamado ao pagamento da dobra de 10 dias de férias (salário mais 1/3 de 10 dias) referente

TRT-3 - AGRAVO DE PETICAO AP 01332201004203007 0001332-18.2010.5.03.0042 (TRT-3)

Data de publicação: 29/10/2012

Ementa: FÉRIAS - ABONO PECUNIÁRIO PREVISTO NO ART. 143 DA CLT - REFLEXO. Havendo condenação ao pagamento de horas extras com reflexos sobre férias + 1/3, por certo que estes abrangem o abono pecuniário de que trata o art. 143 da CLT . Primeiro porque na ocasião do pagamento da parcela não foram consideradas as horas extras reconhecidas nesta ação, sendo, portanto, devidas tais diferenças. Segundo porque o abono de férias, não obstante a sua natureza indenizatória, nada mais é que o resultado da conversão pecuniária do valor correspondente a um terço do período de férias, devendo, portanto, sofrer os mesmos reflexos.

TRF-3 - APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO APELREEX 4886 SP 0004886-41.2009.4.03.6100 (TRF-3)

Data de publicação: 10/10/2013

Ementa: PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. IMPOSTO DE RENDA. ABONO PECUNIÁRIO DE FÉRIAS. ART. 143 , CLT . UNIÃO FEDERAL. 1. O Pleno do STF ao apreciar o RE 566621 de Relatoria da Min. Ellen Gracie, na sistemática do artigo 543-B do CPC reconheceu "a inconstitucionalidade art. 4º , segunda parte, da LC 118 /05, considerando-se válida a aplicação do novo prazo de 5 anos tão-somente às ações ajuizadas após o decurso da vacatio legis de 120 dias, ou seja, a partir de 9 de junho de 2005". 2. Superada a questão relativa à aplicabilidade da LC 118 /05. Às ações ajuizadas anteriormente à sua vigência, aplica-se o prazo decenal, e às posteriores a 09/06/2005, o prazo quinquenal. 3. In casu, o ajuizamento da ação ocorreu posteriormente à vigência da Lei Complementar 118 /2005 e, portanto, aplicável à hipótese a prescrição qüinqüenal. 4. Não incide o imposto de renda sobre o abono pecuniário relativo à venda permitida de um terço do período de férias previsto no artigo 143 da Consolidação das Leis do Trabalho . 5. Ressalte-se ser prescindível indagar-se da comprovação da efetiva necessidade de serviço, porquanto a regra de não-incidência tem por base o caráter indenizatório da referida verba.

TRT-4 - Recurso Ordinário RO 00001202120115040002 RS 0000120-21.2011.5.04.0002 (TRT-4)

Data de publicação: 17/10/2012

Ementa: CONVERSÃO DE 1/3 PARCIAL DAS FÉRIAS EM ABONO PECUNIÁRIO. ART. 143 DA CLT . DIREITO POTESTATIVO DO EMPREGADO. Constitui ônus da empregadora demonstrar que o empregado exercitou o direito potestativo de que trata o art. 143 da CLT a fim de afastar a alegação do obreiro de que era obrigado a alienar parte do período de repouso, por se tratar de fato impeditivo do direito alegado pelo autor, na forma dos arts. 818 da CLT e 333 , II , do CPC .

Encontrado em: de condenar a reclamada ao pagamento, de forma dobrada, de 10 dias de férias relativamente ao ano de 2005... em que comprovadamente a reclamante gozou férias, vencido o Exmo. Desembargador Marçal Henri dos Santos Figueiredo no

TRF-3 - APELAÇÃO CÍVEL AC 2716 SP 0002716-24.2008.4.03.6103 (TRF-3)

Data de publicação: 10/10/2013

Ementa: PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. IMPOSTO DE RENDA. ABONO PECUNIÁRIO DE FÉRIAS. ART. 143 , CLT . UNIÃO FEDERAL. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. CONDENAÇÃO. ARTIGO 19 , § 1º , DA LEI Nº 10.522 /2002. INAPLICABILIDADE. 1. O Pleno do STF ao apreciar o RE 566621 de Relatoria da Min. Ellen Gracie, na sistemática do artigo 543-B do CPC reconheceu "a inconstitucionalidade art. 4º , segunda parte, da LC 118 /05, considerando-se válida a aplicação do novo prazo de 5 anos tão-somente às ações ajuizadas após o decurso da vacatio legis de 120 dias, ou seja, a partir de 9 de junho de 2005". 2. Superada a questão relativa à aplicabilidade da LC 118 /05. Às ações ajuizadas anteriormente à sua vigência, aplica-se o prazo decenal, e às posteriores a 09/06/2005, o prazo quinquenal. 3. In casu, o ajuizamento da ação ocorreu posteriormente à vigência da Lei Complementar 118 /2005 e, portanto, aplicável à hipótese a prescrição qüinqüenal. 4. Não incide o imposto de renda sobre o abono pecuniário relativo à venda permitida de um terço do período de férias previsto no artigo 143 da Consolidação das Leis do Trabalho . 5. Ressalte-se ser prescindível indagar-se da comprovação da efetiva necessidade de serviço, porquanto a regra de não-incidência tem por base o caráter indenizatório da referida verba. 6. O cabimento da aplicação do art. 19 , § 1º da Lei 10.522 /02 e da não condenação da Fazenda Nacional no pagamento de honorários advocatícios somente advém quando não houver nenhuma forma de contestação, onde nenhum item seja debatido e não houver nenhuma questão a ser decidida pelo julgador. 7. Assim, o reconhecimento da não condenação decorre do único e exclusivo reconhecimento do direito pleiteado pelo demandante, sem apresentação de nenhuma outra forma de insurgência, o que não ocorreu no caso em exame. 8. Por fundamento diverso do aduzido pela apelante (art. 19 , § 1º , da Lei nº 10.522 /2002), deve ser afastada sua condenação em honorários advocatícios em razão do reconhecimento da prescrição qüinqüenal e, por conseguinte, a ocorrência de sucumbência recíproca, nos termos do artigo 21 do Código de Processo Civil , observando-se o fato de o autor ser beneficiário da justiça gratuita....

TRT-10 - Recurso Ordinário RO 01917201210110003 DF 01917-2012-101-10-00-3 RO (TRT-10)

Data de publicação: 30/05/2014

Ementa: HORAS EXTRAS. A teor da Súmula nº 338, I, do Colendo TST, a não apresentação injustificada dos controles de frequência gera presunção relativa de veracidade da jornada de trabalho descrita na exordial. FÉRIAS. CONVERSÃO EM ABONO PECUNIÁRIO. O gozo de trinta dias de férias é objeto de proteção constitucional e pertinência com a saúde e segurança do trabalho. A opção pela conversão de dez dias em abono pecuniário ( CLT , art. 143 )é direito potestativo do trabalhador e não pode ser imposta pela empregador. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. O procedimento reiterado da reclamada de pressionar e ofender os empregados que não alcançam metas é comportamento que não pode ser admitido como estratégia de estímulo à produtividade, pois fere os direitos de personalidade do trabalhador. Recurso parcialmente conhecido e não provido. I -

1 2 3 4 5 729 730 Próxima

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/busca