Carregando...
Jusbrasil
29 de julho de 2016

Página 1 de 315.289 121 88 62.848 251.393 825 19 resultados para "Art. 59 , Lei do Cheque" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação em Modelos e peças

TJ-RS - Recurso Cível 71005052410 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 28/05/2015

Ementa: EMBARGOS À EXECUÇÃO. CHEQUE. PRESCRIÇÃO. APRESENTAÇÃO DO CHEQUE EM PRAÇA DIVERSA. PRAZO DE 60 DIAS A CONTAR DA EMISSÃO. PRESCRIÇÃO INOCORRENTE. DISPOSIÇÃO DO ART. 59 DA LEI Nº 7.357/85. SENTENÇA CONFIRMADA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. RECURSO DESPROVIDO. (Recurso Cível Nº 71005052410, Primeira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Roberto Carvalho Fraga, Julgado em 26/05/2015).

TJ-DF - Apelação Cível do Juizado Especial ACJ 20150111133227 (TJ-DF)

Data de publicação: 03/11/2015

Ementa: DIREITO COMERCIAL. CHEQUE PRESCRITO. AÇÃO DE LOCUPLETAMENTO. ART. 59, DA LEI Nº 7.357 /85. DESNECESSIDADE DE DEMONSTRAR A CAUSA DEBENDI. TERCEIRO DE BOA-FÉ. PRELIMINARES REJEITADAS. SENTENÇA MANTIDA. 1.É a presente ação de enriquecimento ilícito em que o autor alega ter recebido um cheque como pagamento de honorários advocatícios de uma terceira pessoa e o mesmo teve sua compensação frustrada. 2.Preliminar de denunciação à lide: De acordo com o art. 10 da Lei 9.099 /95, não se admitirá, no processo, qualquer forma de intervenção de terceiro nem de assistência. Preliminar rejeitada. 3.Preliminar de ilegitimidade de parte: Não resta dúvida de que o recorrente é parte legítima para integrar o polo passivo da demanda, pois é fato incontroverso que ela assinou o cheque do Banco do Brasil 850675, de R$ 2.000,00, nominal ao autor. Preliminar rejeitada. 4.Preliminares de violação da coisa julgada e cerceamento de defesa: O v. acórdão de fls. 225 reconheceu tão somente que não havia elementos suficientes naquele momento inicial do processo para apurar a real complexidade da causa, devendo ser marcada audiência de instrução e julgamento, que ocorreu conforme termo de fls. 353. O juiz sentenciante não é obrigado a ouvir as testemunhas quando há desnecessidade diante dos fatos e provas até aquele momento. No caso dos autos, ficou devidamente fundamentado que não foram admitidas as testemunhas arroladas pela defesa porque buscavam provar a existência do golpe perpetrado em desfavor da ré, fato este irrelevante para fixação de sua responsabilidade perante o autor (terceiro de boa-fé). Preliminares rejeitadas. 5.Preliminar de incompetência do juizado pela complexidade da causa: Não há que se falar em complexidade da prova quando esta é irrelevante para comprovar fato oponível ao autor que é terceiro de boa-fé e portador do cheque. O que se pretende provar com elas são as insistentes, agressivas e ofensivas cobranças, que não são capazes de afastar a responsabilidade do emitente...

TJ-RS - Recurso Cível 71005035258 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 29/08/2014

Ementa: EMBARGOS À EXECUÇÃO. CHEQUES. PRESCRIÇÃO DA AÇÃO EXECUTIVA CONFIRMADA. INTERPRETAÇÃO DO ART. 59, CAPUT, DA LEI Nº 7.357/85. SUSPENSÃO DOS PRAZOS PROCESSUAIS DURANTE O RECESSO. 1. Prescrição reconhecida de ofício, nos termos do art. 219, § 5º, do CPC. 2. A suspensão dos prazos processuais, durante o recesso forense, não suspendem, nem interrompem a prescrição executória, cujo prazo é de direito material. 3. A ação executiva está aparelhada com cheque que foi emitido no dia 24/05/2013, sendo que a ação foi ajuizada somente em 17/01/2014, quando já havia transcorrido o prazo prescricional de 6 meses previsto no art. 59, caput, da lei nº 7.357/85. 4. A cártula bancária perdeu a natureza cambial e passou à condição de dívida líquida constante de instrumento particular podendo a parte credora, querendo, ajuizar ação de cobrança. SENTENÇA MANTIDA. RECURSO DESPROVIDO. (Recurso Cível Nº 71005035258, Primeira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Marlene Landvoigt, Julgado em 26/08/2014)

TJ-PE - Apelação APL 2913175 PE (TJ-PE)

Data de publicação: 26/11/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE EXECUÇÃO. CHEQUE. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. ART. 33 C/C 59 DA LEI Nº 7.357/85. PECULIARIDADES DO CASO. APELAÇÃO PROVIDA. DECISÃO UNÂNIME. 1. A ação de execução alicerçada em cheque tem prazo prescricional de seis meses, como estabelece o art. 59 da Lei nº 7.357/85, contado da expiração do prazo de apresentação, que pode ser de 30 (trinta) ou 60 (sessenta) dias, conforme o lugar da emissão, nos termos do art. 33 do mencionado diploma. 2. Aplicando ao caso o prazo prescricional de seis meses previsto no art. 59 da Lei nº 7.357/85, bem como o prazo de sessenta dias para apresentação da cártula, constato que o exequente teria até o dia 10-07-1998 para o ajuizamento da ação de execução, não havendo que se falar em extinção do processo executivo, já que distribuído o feito em data de 12-06-1998, antes, portanto, do prazo prescricional previsto na Lei do Cheque. 3. Recurso provido. Decisão Unânime.

Encontrado em: EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE EXECUÇÃO. CHEQUE. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. ART. 33 C/C 59 DA LEI... alicerçada em cheque tem prazo prescricional de seis meses, como estabelece o art. 59 da Lei nº 7... prescricional de seis meses previsto no art. 59 da Lei nº 7.357/85, bem como o prazo de sessenta...

TJ-RS - Recurso Cível 71005110549 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 26/11/2014

Ementa: EMBARGOS À EXECUÇÃO. CHEQUE. PRESCRIÇÃO DA AÇÃO EXECUTIVA AFASTADA. EXECUÇÃO DE TITULO EXTRAJUDICIAL APARELHADA COM CHEQUE QUE FOI EMITIDO NO DIA 05/05/2012, SENDO QUE A AÇÃO EXECUTIVA FOI AJUIZADA EM 17/12/2012, DISTRIBUÍDA EM 02/01/2013, QUANDO AINDA NÃO HAVIA TRANSCORRIDO O PRAZO PRESCRICIONAL DE 6 MESES PREVISTO NO ART. 59, CAPUT, DA LEI Nº 7.357 /85. INEXISTÊNCIA DE PROVA CONTRA A CERTEZA DO CRÉDITO ESTAMPADO NO CHEQUE. SENTENÇA REFORMADA. RECURSO PROVIDO. (Recurso Cível Nº 71005110549, Primeira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Roberto Carvalho Fraga, Julgado em 25/11/2014).

TJ-RS - Recurso Cível 71004339784 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 17/10/2013

Ementa: COBRANÇA. CHEQUE. PRESCRIÇÃO DA AÇÃO CAMBIAL (ART. 59 DA LEI 7.357 /85) E DA AÇÃO DE EN RIQUECIMENTO SEM CAUSA (ART. 61 DA LEI 7.357 /85). EMPRÉSTIMO DAS CÁRTULAS À TERCEIRA PESSOA. FATO ESCLARECIDO PELA REQUERIDA. DIREITO DO PORTADOR SOBRE OS TÍTULOS. AUSÊNCIA DE VÍCIO NA EMISSÃO DOS CHEQUES. PROCEDÊNCIA DA AÇÃO. SENTENÇA CONFIRMADA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. RECURSO IMPROVIDO. (Recurso Cível Nº 71004339784, Primeira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Vivian Cristina Angonese Spengler, Julgado em 15/10/2013)

TJ-RJ - APELACAO APL 01787588120098190001 RJ 0178758-81.2009.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 16/04/2014

Ementa: Apelação. Direito cambial e do consumidor. Protesto de cheque. Impossibilidade, quando, pelo decurso dos prazos dos arts. 33, 59 e 61 da Lei nº 7.357 /85 (" Lei do Cheque ") e do art. 206 , § 3º , VIII , do Código Civil de 2002 , o título já houver perdido o direito literal e autônomo que antes representava. Cobrança abusiva. Dano moral. 1. Como título cambial, é o cheque dotado de literalidade e abstração, bastantes até mesmo para ajuizamento de ação de execução, independentemente de prova acerca do substrato causal que presidiu à sua emissão. 2. Escoados os prazos dos arts. 33 e 59 da Lei do Cheque , o título perde a sua eficácia executiva, mas não o direito literal e autônomo, servindo ainda como único documento necessário à instrução, quer da ação de enriquecimento (art. 61 da lei especial), quer da ação monitória ou mesmo da cobrança pelo rito ordinário, observado então o prazo trienal do art. 206 , § 3º , inciso VIII , do Código Civil . 3. Exauridos, porém, esses prazos, ao credor só resta a ação fundada na relação causal, para cuja instrução o cheque não é bastante, servindo apenas como prova do inadimplemento da obrigação - prova, aliás, desnecessária, já que ao devedor é que incumbe demonstrar a quitação. A esta altura, não podendo o credor ajuizar a demanda com base exclusivamente no cheque, tampouco poderia levá-lo a protesto. Se a ação que restava ao credor era aquela fundada na relação causal, era o próprio instrumento contratual que deveria ter sido protestado, pois dele se origina a obrigação (art. 1º da Lei nº 9.492 /97 e Súmula 236-TJRJ). 4. O protesto indevido de cheque, porque já prescrito enquanto título de crédito, constitui forma de cobrança abusiva, configurando o constrangimento de que trata o caput do art. 42 do CDC , o que caracteriza o dano moral indenizável. 5. Precedentes do colegiado. 6. Provimento monocrático do recurso....

TJ-RJ - APELACAO APL 02176748720098190001 RJ 0217674-87.2009.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 01/04/2014

Ementa: Apelação. Direito cambial e do consumidor. Protesto de cheque. Impossibilidade, quando, pelo decurso dos prazos dos arts. 33, 59 e 61 da Lei nº 7.357 /85 (" Lei do Cheque ") e do art. 206 , § 3º , VIII , do Código Civil de 2002 , o título já houver perdido o direito literal e autônomo que antes representava. Cobrança abusiva. Dano moral. 1. Como título cambial, é o cheque dotado de literalidade e abstração, bastantes até mesmo para ajuizamento de ação de execução, independentemente de prova acerca do substrato causal que presidiu à sua emissão. 2. Escoados os prazos dos arts. 33 e 59 da Lei do Cheque , o título perde a sua eficácia executiva, mas não o direito literal e autônomo, servindo ainda como único documento necessário à instrução, quer da ação de enriquecimento (art. 61 da lei especial), quer da ação monitória ou mesmo da cobrança pelo rito ordinário, observado então o prazo trienal do art. 206 , § 3º , inciso VIII , do Código Civil . 3. Exauridos, porém, esses prazos, ao credor só resta a ação fundada na relação causal, para cuja instrução o cheque não é bastante, servindo apenas como prova do inadimplemento da obrigação - prova, aliás, desnecessária, já que ao devedor é que incumbe demonstrar a quitação. A esta altura, não podendo o credor ajuizar a demanda com base exclusivamente no cheque, tampouco poderia levá-lo a protesto. Se a ação que restava ao credor era aquela fundada na relação causal, era o próprio instrumento contratual que deveria ter sido protestado, pois dele se origina a obrigação (art. 1º da Lei nº 9.492 /97 e Súmula 236-TJRJ). 4. O protesto indevido de cheque, porque já prescrito enquanto título de crédito, constitui forma de cobrança abusiva, configurando o constrangimento de que trata o caput do art. 42 do CDC , o que caracteriza o dano moral indenizável. 5. Negativa de seguimento ao recurso.

TJ-MG - Agravo de Instrumento Cv AI 10084110023649001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 01/10/2013

Ementa: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. EXECÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. CHEQUE PRÉ-DATADO. CONTAGEM DO PRAZO PRESCRICIONAL. ART. 59 DA LEI Nº 7.357 /85. INÍCIO. DATA CONSIGNADA NA CÁRTULA. LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ. NÃO CONFIGURAÇÃO. RECURSO DESPROVIDO. - O prazo prescricional aplicável aos cheques é de 06 meses contados da expiração do prazo de apresentação, nos termos do art. 59 da Lei nº 7.357 /85. - O cômputo do prazo prescricional de cheque utilizado em sua forma atípica, ou seja, com data futura de apresentação (pré-datado), tem início a partir de 30 dias da data da avença expressamente consignada na cártula e não o dia da emissão do título. - Mostra-se descabida a condenação por litigância de má-fé desacompanhada dos pressupostos necessários a sua caracterização, segundo o art. 17 , do Código de Processo Civil . Vv. AGRAVO DE INSTRUMENTO - EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE - EXECUÇÃO FUNDADA EM CHEQUES "PÓS-DATADOS" - PRAZO PRESCRICIONAL - SEIS MESES, CONTADOS DA EXPIRAÇÃO DO PRAZO PARA A APRESENTAÇÃO - FLUIÇÃO DESTE ÚLTIMO, A PARTIR DA DATA DA EMISSÃO - PREVISÃO LEGISLATIVA EXPRESSA (LEI Nº 7.357 /85, ART. 33)- INVIABILIDADE DA CONSIDERAÇÃO DA DATA CONVENCIONADA PARA APRESENTAÇÃO - PRESCRIÇÃO CONFIGURADA - RECURSO PROVIDO. A Lei nº 7.357 /85, em seu art. 33, estabelece, de forma clara e indene de dúvida, que o marco inicial do prazo para a apresentação do título é a data de sua emissão, mostrando-se irrelevante, portanto, o fato de se tratar de cheque pré ou pós-datado. Se as partes, em documento apartado ou no próprio cheque, convencionaram outra data para a apresentação, tal fato não influi na contagem do prazo prescricional, que, rediga-se, é de 6 (seis) meses, contados da expiração do termo de apresentação do título, o qual, por sua vez, quando se trata de cheque sacado na praça de pagamento, é de 30 (trinta) dias, contados da data da emissão. Recurso provido....

TJ-RS - Apelação Cível AC 70055840193 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 14/04/2014

Ementa: DIREITO PRIVADO NÃO ESPECIFICADO. EMBARGOS À EXECUÇÃO. PRELIMINAR DE EXTINÇÃO DE CAUTELAR DE ARRESTO. QUESTÃO A SER DEDUZIDA NOS PRÓPRIOS AUTOS DA CAUTELAR. PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO DE COBRANÇA DE CHEQUES QUE INSTRUEM O FEITO EXECUTIVO. NÃO IMPLEMENTAÇÃO. AÇÃO AFORADA ANTES DO TRANSCURSO DO PRAZO DE SEIS MESES PREVISTO NO ART. 59 DA LEI Nº 7.357 /85. CHEQUES NOMINAIS A TERCEIROS NÃO ENDOSSADOS PARA O EXEQUENTE. ILEGITIMIDADE DESTE PARA A COBRANÇA (EXEGESE DO ART. 17 DA LEI DO CHEQUE ). REPETIÇÃO DO INDÉBITO EM DOBRO DOS VALORES. DESCABIMENTO. MERA READEQUAÇÃO DOS VALORES PERSEGUIDOS NA AÇÃO EXECUTIVA. DISTRIBUIÇÃO DOS ÔNUS SUCUMBENCIAIS PROCEDIDA NA ORIGEM EM CONFORMIDADE COM O DECAIMENTO DAS PARTES. PREFACIAL REJEITADA. NEGADO PROVIMENTO ÀS APELAÇÕES. (Apelação Cível Nº 70055840193, Décima Nona Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Mylene Maria Michel, Julgado em 08/04/2014)

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Seja notificado de toda novidade sobre
Art. 59 , Lei do Cheque Monitorar

×