Carregando...
Jusbrasil
27 de agosto de 2016

Página 1 de 2.271.912 4.092 887 868.728 1.396.532 1.777 200 resultados para "DECLARACAO PUBLICA DE TESTEMUNHAS" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação em Modelos e peças

STJ - RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA RMS 31295 SP 2010/0005683-3 (STJ)

Data de publicação: 14/05/2013

Ementa: PROCESSO PENAL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA. ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA. DECLARAÇÃO DE HIPOSSUFICIÊNCIA. INDEFERIMENTO DO MAGISTRADO. AUSÊNCIA DE PAGAMENTO ANTECIPADO DE DESPESA COM OFICIAL DE JUSTIÇA. NÃO INTIMAÇÃO DAS TESTEMUNHAS. MANDADO DE SEGURANÇA. VIA INADEQUADA. SÚMULA 267 DO STF. AÇÃO PENAL PÚBLICA. PAGAMENTO PRÉVIO DE DESPESAS PROCESSUAIS. IMPOSSIBILIDADE. ART. 804 DO CPP . CERCEAMENTO DE DEFESA. EXISTÊNCIA. PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. RECONHECIMENTO. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. ORDEM CONCEDIDA DE OFÍCIO. 1. A utilização do writ contra ato judicial deve-se dar de forma excepcional, quando inexistentes meios aptos a fim de se evitar a lesão, ou mesmo sua ameaça, a direito líquido e certo. Incidência da Súmula n.º 267 do Supremo Tribunal Federal. 2. In casu, após o decisum que negou a gratuidade da justiça, com a consequente não intimação das testemunhas pela ausência de pagamento das despesas processuais, a defesa não manejou o recurso cabível. 3. Ausente o direito líquido e certo, inviável a análise do requestado em sede de mandamus extraordinário. 4. Flagrante ilegalidade existe no caso, eis que, interpretando o artigo 804 do Código de Processo Penal , esta Corte já decidiu que, em se tratando de ação penal pública, somente se admite a exigência do pagamento de custas processuais, inclusive despesas com oficial de justiça, após condenação definitiva. Nos mesmos moldes a Lei estadual paulista n.º 11.608 /03. 5. Diante da reprimenda outrora aplicada, o lapso prescricional é de 4 (quatro) anos, ex vi do artigo 109 , V , do Código Penal , verificando-se, assim, a incidência da prescrição, haja vista o intervalo entre o recebimento da exordial acusatória (30.7.2007) e a presente data (18.4.2013), não tendo ocorrido outros marcos interruptivos. 6. Recurso ordinário em mandado de segurança a que se nega provimento; e ordem concedida de ofício para anular a ação penal, a partir da decisão que declarou...

STF - INQUÉRITO Inq 3556 DF (STF)

Data de publicação: 13/10/2014

Ementa: Inquérito. Denúncia que imputa ao acusado a prática do crime de lesão corporal em ambiente doméstico – CP, art. 129, § 9º. Resposta do acusado acompanhada de novos documentos. Manifestação ministerial pela rejeição da inicial acusatória, por ausência de justa causa (art. 5º da Lei n. 8.038). Irrelevância da retratação da ofendida. Crime de ação penal pública incondicionada, que independe de representação da ofendida (ADIn 4.424). Ausência de outras provas que corroborem as declarações iniciais da vítima. Incongruência dos fatos relatados à autoridade policial com as conclusões do laudo de exame de corpo de delito. Testemunha presencial que negou ter havido qualquer agressão. Manifesta ausência de justa causa. Pedido de rejeição da denúncia formulado pelo Procurador-Geral da República. Denúncia rejeitada. Vista à Procuradoria-Geral da República, para examinar o cabimento de produzir novas provas que perfaçam a justa causa. 1. A persecução penal em relação aos delitos de lesão corporal leve e culposa praticados em ambientes domésticos contra a mulher dá-se por intermédio de ação penal pública, conforme decidiu esta Corte no julgamento da ADIn 4.424, o que torna sem valia a retratação da vítima, que, in casu, deve ser considerada apenas com valor probatório. 2. In casu: - o Ministério Público Federal ofereceu denúncia por supostas agressões do denunciado contra sua esposa, praticadas em ambiente familiar, a configurar o delito tipificado no art. 129, § 9º, do Código Penal; - intimado, na forma do art. 4º da Lei n. 8.038/90, o denunciado apresentou novos documentos com o escopo de demonstrar que: (a) não foi ouvido na fase inquisitorial, ficando impossibilitado de apresentar sua versão dos fatos; (b) há incongruência entre as conclusões do laudo pericial e a descrição fática apresentada pela ofendida à autoridade policial; e (c) inexistiu a agressão, conforme comprovado em declaração de testemunha presencial; 3. Instado a manifestar-se, com fundamento no art. 5º da Lei...

Encontrado em: 14-10-2014 - 13/10/2014 AGUARDANDO INDEXAÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. PROCURADOR

TRF-5 - AC Apelação Civel AC 200981000069850 (TRF-5)

Data de publicação: 30/05/2014

Ementa: ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. CONCURSO PÚBLICO. PRELIMINARES. MATÉRIA DE ORDEM PÚBLICA DEDUZIDA E NÃO APRECIADA. AUSÊNCIA DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. PRECLUSÃO. NÃO OCORRÊNCIA. CONTRADITA DE TESTEMUNHAS. MOMENTO OPORTUNO. PRECLUSÃO. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E ATRIBUIÇÃO DE NOTAS. MÉRITO ADMINISTRATIVO. VEDAÇÃO À INGERÊNCIA DO PODER JUDICIÁRIO. AUSÊNCIA DE OFENSA A PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS. 1. Não obstante a preliminar de litisconsórcio passivo necessário não tenha sido apreciada pelo Juízo a quo, apesar de suscitada, e ainda que não tenha havido a oposição de embargos de declaração, não há que se falar em preclusão por tratar-se de matéria de ordem pública. 2. Quanto à preliminar de suspeição dos depoimentos prestados em juízo, a teor do disposto no parágrafo 1º do art. 414 do CPC , ressalte-se que o momento oportuno para a realização de contradita à testemunha dá-se após a qualificação da mesma, antes de se iniciar o seu depoimento, tendo se operado a preclusão diante do silêncio da parte interessada. 3. A jurisprudência pátria firmou o entendimento de que não cabe ao Poder Judiciário interferir em critérios de formulação, avaliação e atribuição de notas em concurso público, a menos que seja constatada através de prova cabal a ocorrência de ilegalidade objetiva no processo seletivo, assim entendida como sendo aquela que é perceptível de plano e sem indagações de ordem subjetiva. 4. Não restou demonstrada a existência de qualquer ilegalidade ou ofensa a qualquer dos princípios da Administração Pública na condução do concurso público estabelecido pelo Edital 409/2008. 5. Apelação desprovida.

STJ - HABEAS CORPUS HC 266260 MT 2013/0067904-6 (STJ)

Data de publicação: 19/12/2013

Ementa: PENAL E PROCESSUAL PENAL. HABEAS CORPUS SUBSTITUTIVO DE RECURSO ORDINÁRIO. UTILIZAÇÃO DO REMÉDIO CONSTITUCIONAL COMO SUCEDÂNEO DE RECURSO. NÃO CONHECIMENTO DO WRIT. PRECEDENTES DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL E DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. CRIME DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES (ART. 33 , CAPUT, DA LEI 11.343 /2006). VEDAÇÃO À LIBERDADE PROVISÓRIA. ART. 44 DA LEI 11.343 /2006. DECLARAÇÃO DE SUA INCONSTITUCIONALIDADE, PELO STF. FUNDAMENTO SUPERADO. ALEGAÇÃO DE AUSÊNCIA DE DADOS CONCRETOS E DOS REQUISITOS DO ART. 312 DO CPP , PARA A DECRETAÇÃO DA PRISÃO PREVENTIVA. REITERAÇÃO DELITIVA. NECESSIDADE DA CUSTÓDIA, PARA GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. APONTADO EXCESSO DE PRAZO NÃO IMPUTÁVEL AO JUDICIÁRIO OU AO MINISTÉRIO PÚBLICO. NÚMERO EXCESSIVO DE TESTEMUNHAS ARROLADAS PELA DEFESA. DIFICULDADE DE SUA LOCALIZAÇÃO E COMPARECIMENTO, EM JUÍZO, RESULTANDO EM CONSIDERÁVEL ATRASO NA INSTRUÇÃO CRIMINAL, EM VIRTUDE DE REITERADOS ADIAMENTOS DA AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO E JULGAMENTO. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 64/STJ. INSTRUÇÃO CRIMINAL CONCLUÍDA. FASE DE APRESENTAÇÃO DE MEMORIAIS. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 52/STJ. CONSTRANGIMENTO ILEGAL NÃO EVIDENCIADO. PRECEDENTES DO STJ. HABEAS CORPUS NÃO CONHECIDO. I. Dispõe o art. 5º , LXVIII , da Constituição Federal que será concedido habeas corpus "sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder", não cabendo a sua utilização como substituto de recurso ordinário, tampouco de recurso especial, nem como sucedâneo da revisão criminal. II. A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, ao julgar os HCs 109.956/PR (DJe de 11/09/2012) e 104.045/RJ (DJe de 06/09/2012), considerou inadequado o writ, para substituir recursos especial e ordinário ou revisão criminal, reafirmando que o remédio constitucional não pode ser utilizado, indistintamente, sob pena de banalizar o seu precípuo objetivo e desordenar a lógica recursal. III. O Superior Tribunal de Justiça também tem reforçado...

TJ-RS - Embargos de Declaração ED 70057660433 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 17/02/2014

Ementa: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. TENTATIVA DE HOMICÍDIO. SENTENÇA DE PRONÚNCIA LASTREADA EXCLUSIVAMENTE EM DEPOIMENTOS COLHIDOS NO INQUÉRITO POLICIAL E EM DEPOIMENTO DE TESTEMUNHA QUE NÃO RECONHECEU O RÉU. DESPRONÚNCIA. AUSÊNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO EM AUDIÊNCIA. ARTIGO 212 DO CÓDIGO DE PROCESSO PENAL . NULIDADE RECONHECIDA E SUPERADA. INOCORRÊNCIA DE OMISSÃO. PREQUESTIONAMENTO. Inexistentes as alegadas omissões no acórdão, impõe-se desacolher os embargos declaratórios, os quais buscam a rediscussão do mérito. Incabível o recurso interposto, à medida que devidamente analisado o processo com a exposição clara dos fundamentos que levaram à despronúncia do acusado. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO DESACOLHIDOS. (Embargos de Declaração Nº 70057660433, Terceira Câmara Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Diogenes Vicente Hassan Ribeiro, Julgado em 19/12/2013)

Encontrado em: Terceira Câmara Criminal Diário da Justiça do dia 17/02/2014 - 17/2/2014 Embargos de Declaração ED

TJ-PE - Embargos de Declaração ED 3278860 PE (TJ-PE)

Data de publicação: 26/11/2014

Ementa: PROCESSUAL PENAL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA. APRECIAÇÃO DE TODAS AS QUESTÕES NECESSÁRIAS AO DESLINDE DA CAUSA. MEDIDA CAUTELAR DE AFASTAMENTO DE CARGO DE VEREADOR. DECISÃO FUNDADA EM FATOS CONCRETOS, CONSUBSTANCIADOS NA REITERAÇÃO DELITIVA E AMEAÇA A TESTEMUNHAS DO PROCESSO. RISCO À ORDEM PÚBLICA. CONTRADIÇÃO. INOCORRÊNCIA. REEXAME DE MATÉRIA DECIDIDA. IMPOSSIBILIDADE. EMBARGOS REJEITADOS, POR MAIORIA DE VOTOS. I - Inadmissível o acolhimento dos embargos declaratórios quando o decisum embargado não se mostra omisso, obscuro, contraditório ou ambíguo, sendo defeso, nessa via recursal, reexaminar a matéria decidida no acórdão increpado. II - Embargos rejeitados. Decisão por maioria.

Encontrado em: PENAL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA. APRECIAÇÃO DE TODAS AS QUESTÕES NECESSÁRIAS... CONCRETOS, CONSUBSTANCIADOS NA REITERAÇÃO DELITIVA E AMEAÇA A TESTEMUNHAS DO PROCESSO. RISCO À ORDEM... PÚBLICA. CONTRADIÇÃO. INOCORRÊNCIA. REEXAME DE MATÉRIA DECIDIDA. IMPOSSIBILIDADE. EMBARGOS

TJ-DF - Embargos de Declaracao no(a) Apelacao Criminal EMD1 20110910022802 DF 0002376-77.2011.8.07.0009 (TJ-DF)

Data de publicação: 20/08/2014

Ementa: PENAL E PROCESSUAL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. ALEGAÇÃO DE OMISSÃO NA APRECIAÇÃO DO FATO DA JUNTADA DE FOTOGRAFIAS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO ANTES DO JULGAMENTO. OMISSÃO EM NÃO APRECIAR CERCEAMENTO DE DEFESA PELO INDEFERIMENTO DE OITIVA DE NOVAS TESTEMUNHAS. IMPROCEDÊNCIA DAS ALEGAÇÕES. 1 Alega-se que o acórdão é omisso porque não teria se manifestado acerca da legalidade de provas fotográficas juntadas pelo Ministério Público antes do julgamento, nem sobre a negativa das diligências requeridas a destempo com foco no princípio da razoabilidade. 2 Como a defesa não questionou nas suas razões de recurso a legalidade da juntada de fotografias pelo Ministério Público e deferida pelo Juiz Presidente do Tribunal do Júri, a Turma não poderia aprecá-la, e isso não pode configuar omissão. Também não há omissão na ausência de apreciação de tese, uma vez que o Juiz não está obrigado a responder a todos os questionamentos formulados pelas partes, como se fosse órgão consultivo, cabendo-lhe apenas decidir a lide e expor os fundamentos de sua convicção íntima. 3 Embargos desprovidos.

Encontrado em: EMENTA. Embargos de Declaracao no(a) Apelacao Criminal EMD1 20110910022802 DF 0002376

TJ-RS - Recurso Cível 71004140760 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 03/04/2013

Ementa: ACIDENTE DE TRÂNSITO. COLSIAÕ EM VEÍCULO ESTACIONADO. TESTEMUNHA QUE IDENTIFICOU O VEÍCULO CAUSADOR DO SINISTRO. DECLARAÇÃO A OFICIALA DE JUSTIÇA, COM FÉ PÚBLICA, ASSUMINDO A RESPONSABILIDADE PELO ACIDENTE. VALORES ADEQUADOS AOS DANOS APRESENTADOS NAS FOTOS ACOSTADAS AOS AUTOS. SENTENÇA CONFIRMADA. RECURSO IMPROVIDO. (Recurso Cível Nº 71004140760, Terceira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Carlos Eduardo Richinitti, Julgado em 28/03/2013)

TRF-1 - APELAÇÃO CIVEL AC 00382949220094019199 (TRF-1)

Data de publicação: 12/02/2015

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. PREVIDENCIÁRIO. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. TRABALHADOR (A) RURAL. PROVA DOCUMENTAL CORROBORADA POR TESTEMUNHAS. REQUISITOS LEGAIS. CONCESSÃO DEVIDA. PROCURAÇÃO. OUTORGANTE ANALFABETA. FALTA DO INSTRUMENTO PÚBLICO. ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA. DECLARAÇÃO DE POBREZA. PRESUNÇÃO IURIS TANTUM. SUPRIMENTO PELO REGISTRO DA ATA DA AUDIÊNCIA. SENTENÇA ANULADA. (9) 1. Inválida a procuração particular outorgada por terceiro-substabelecente, mas que no caso dos autos restou suprida por ser a parte autora beneficiária da assistência judiciária gratuita e o mandato a advogado de sua escolha poder ser extraído de registro em ata de audiência - restrito, entretanto, exclusivamente aos atos compreendidos pela cláusula ad judicia. Aplicação do art. 16 da Lei n. 1.060 , de 05.2.1950. (AC 0034963-05.2009.4.01.9199 / MG, Rel. DESEMBARGADOR FEDERAL KASSIO NUNES MARQUES, PRIMEIRA TURMA, e-DJF1 p.94 de 12/07/2012) 2. A declaração de insuficiência de recursos é documento hábil para o deferimento do beneficio da assistência judiciária gratuita, mormente quando não impugnada pela parte contrária, a quem cumpre o ônus da prova capaz de desconstituir o direito postulado. Incompatibilidade entre o texto legal e o preceito constitucional. Inexistência. (AgRg no AI-136.910, Ministro Maurício Corrêa, DJ de 22/9/1995.) 3. Apelação a que se dá provimento para anular a r. sentença, determinando o retorno dos autos ao Juízo de origem para o regular processamento do feito.

TJ-PE - Habeas Corpus HC 3514841 PE (TJ-PE)

Data de publicação: 31/10/2014

Ementa: HABEAS CORPUS. PRISÃO PREVENTIVA. BONS PREDICADOS DO PACIENTE. IRRELEVÂNCIA (SÚMULA 86 DO TJPE). EXCESSO DE PRAZO NÃO CARACTERIZADO. PROCESSO EM ANDAMENTO REGULAR. NECESSIDADE DE GARANTIR A ORDEM PÚBLICA (ART. 312 DO CPP). GRAVIDADE CONCRETA DO DELITO. EVIDÊNCIA NOS DEPOIMENTOS DAS TESTEMUNHAS, BEM COMO NAS DECLARAÇÕES DA VÍTIMA E DO PRÓPRIO PACIENTE. DECRETO CONSTRITIVO IDONEAMENTE FUNDAMENTADO. INEXISTÊNCIA DE COAÇÃO ILEGAL. 1. A primariedade, os bons antecedentes e a residência fixa do paciente, não bastam para a concessão de liberdade provisória (Súmula 86 do TJPE). 2. Quanto ao alegado excesso de prazo, o feito está tramitando na conformidade do que é possível, e nada sugere a existência de desídia ou incúria do juiz processante, nem tampouco inércia da secretaria da vara, sendo o lapso temporal ainda aceitável (Súmula 84 do TJPE). 3. Em suma, considerando o regular andamento do processo, e tendo em vista que a autoridade coatora fundamentou o decreto preventivo na gravidade concreta do delito, visando a resguardar a ordem pública, não há falar em constrangimento ilegal por excesso de prazo ou por falta de fundamentação no decisum acautelatório, sendo irrelevante, in casu, os atributos pessoais do paciente. 4. Ordem denegada. Decisão unânime.

Encontrado em: ). GRAVIDADE CONCRETA DO DELITO. EVIDÊNCIA NOS DEPOIMENTOS DAS TESTEMUNHAS, BEM COMO NAS DECLARAÇÕES DA VÍTIMA.... PROCESSO EM ANDAMENTO REGULAR. NECESSIDADE DE GARANTIR A ORDEM PÚBLICA (ART. 312 DO CPP a resguardar a ordem pública, não há falar em constrangimento ilegal por excesso de prazo ou por falta...

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Seja notificado de toda novidade sobre
DECLARACAO PUBLICA DE TESTEMUNHAS Monitorar

×