Carregando...
JusBrasil
28 de julho de 2014

Página 1 de 121.879 364 20 20.058 100.339 1.120 resultados para "GUARDA PROVISÓRIA OU DEFINITIVA" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação

Projeto garante guarda provisória ou definitiva para mais de 80% das crianças acolhidas no Abrigo Crisálida

que viviam no local obtiveram guarda provisória e/ou definitiva junto a um ambiente familiar. No início

Notícia Jurídica • Ministério Público do Estado do Mato Grosso • 11/12/2012

TJ-MG - Apelação Cível AC 10024095935037001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 16/12/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO CAUTELAR INOMINADA. GUARDA PROVISÓRIA. SENTENÇA DEFINITIVA EM PROCESSO PRINCIPAL. PERDA DE OBJETO. RECURSO PREJUDICADO. 1. A ação cautelar visa garantir a prova ou a eventual futura execução. Assim, tem natureza puramente processual sendo, portanto, medida transitória. 2. Julgada a pretensão veiculada na ação principal, que abrange a cautelar, a respectiva sentença gera perda de objeto da ação cautelar. 3. Apelação cível conhecida e declarada prejudicada.

TJ-MG - 100000950687480001 MG 1.0000.09.506874-8/000(1) (TJ-MG)

Data de publicação: 14/04/2010

Ementa: MANDADO DE SEGURANÇA. CRIANÇA RECÉM NASCIDA. TRANSFERÊNCIA A CASAL ""AMIGO"". ARREPENDIMENTO DA MÃE. EXISTÊNCIA DE DOIS CASAIS INTERESSADOS NA ADOÇÃO. INTERESSE DA AVÓ MATERNA EM ""CRIAR"" O BEBÊ. LITÍGIOS. BUSCA E APREENSÃO. GUARDAS PROVISÓRIA E DEFINITIVA. PODER FAMILIAR. IMPETRAÇÃO DE WRIT PELA AVÓ MATERNA. PRETENSÃO MANDAMENTAL À GUARDA DA MENOR. ALEGADO DIREITO DE PREFERÊNCIA NO JULGAMENTO. CASO DE DENEGAÇÃO DA SEGURANÇA. Em sede de várias ações envolvendo busca e apreensão, recuperação de guarda, guarda provisória, adoção da neta da impetrante, ainda recém-nascida, em que participam dos litígios a mãe biológica do bebê, o Ministério Público, 2 (dois) casais interessados na adoção, além da impetrante, que é avó materna da criança, não há que se reconhecer o alegado ""direito líquido e certo"" desta ""de criar e ter junto de si a neta"", agora, via presente writ, de forma prematura, sem que isto represente uma espécie de atropelo na análise e no julgamento cauteloso dos processos pela autoridade apontada como coatora, no caso, a Juíza de Direito. A alegada demora na apreciação e no julgamento da pretensão liminar deduzida por uma das partes envolvidas, no caso a impetrante, diante de vários processos que abarcam questões extremamente complexas e que veiculam agravos de instrumento ainda pendentes de julgamento, não respalda, por si só, o uso do presente mandado de segurança, inclusive, porque a autoridade impetrada justifica satisfatoriamente sua conduta. Outrossim, não cabe o uso do mandado de segurança como alternativa processual para ""pressionar"" a julgadora da instância de origem a antecipar o julgamento de determinado processo dentre os existentes ou a garantir a pretensa preferência no julgamento, ainda mais sem que tenha havido qualquer pronunciamento em qualquer dos processos em relação à guarda ou à adoção da criança ou mesmo em relação ao poder familiar envolvido. V.V.

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70058935719 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 27/05/2014

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. BUSCA E APREENSÃO DE MENOR. DESCABIMENTO. Não tendo vindo aos autos comprovação de que os agravantes têm a guarda provisória ou definitiva da infante, não cabe o deferimento liminar de busca e apreensão, sobretudo porque, segundo eles, ela está com a mãe que, em tese, é quem detém o poder familiar. Ademais, não há qualquer indicativo de que a menina esteja em situação de risco ou vulnerabilidade na companhia materna. Assim, antes da adoção da drástica medida, recomenda-se que venham aos autos maiores elementos de prova, como contestação e eventual estudo social. NEGARAM PROVIMENTO. UNÂNIME. (Agravo de Instrumento Nº 70058935719, Oitava Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Luiz Felipe Brasil Santos, Julgado em 22/05/2014)

TJ-DF - Diversos do Juizado Especial DVJ 20130020235150 DF 0023515-44.2013.8.07.0000 (TJ-DF)

Data de publicação: 24/02/2014

Ementa: JUIZADO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. FAZENDA PÚBLICA. AGRAVO DE INSTRUMENTO. ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS DA TUTELA. REQUISITOS (ART. 273 , CPC ). AUSENCIA. RECURSO NAO PROVIDO. - A CONCESSÃO DE LIMINAR EM SEDE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO PRESSUPÕE A EXISTÊNCIA DOS REQUISITOS DA ANTECIPAÇÃO DA TUTELA, OS QUAIS ESTÃO ELENCADOS NO ART. 273 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL . - O PEDIDO DE GUARDA PROVISÓRIA DE MENOR, DISSOCIADO DE FORMULAÇÃO DE PEDIDO EXPRESSO DA PRETENSÃO DE ADOÇÃO, CONFERE À DECISÃO A LIMITAÇÃO COM QUE FOI REQUERIDA. - O DEFERIMENTO DE LICENÇA MATERNIDADE AOS SERVIDORES PÚBLICOS DO DISTRITO FEDERAL, NA FORMA DO ART. 26 DA LEI COMPLEMENTAR 790/2008, PRESSUPÕE QUE A GUARDA PROVISÓRIA OU DEFINITIVA SEJA REALIZADA NO BOJO DO PROCESSO DE ADOÇÃO. - AUSENTE A VEROSSIMILHANÇA DO DIREITO ALEGADO, REJEITA-SE A ALEGAÇÃO DE INCORREÇÃO OU DESCONFORMIDADE DA DECISÃO COM O DIREITO VIGENTE. - RECURSO CONHECIDO E NÃO PROVIDO.

Encontrado em: -MATERNIDADE, SERVIDOR PÚBLICO, INOCORRÊNCIA, DEMONSTRAÇÃO, VEROSSIMILHANÇA, ALEGAÇÃO, INEXISTÊNCIA, PEDIDO, GUARDA

TJ-SC - Apelação Cível AC 20130299315 SC 2013.029931-5 (Acórdão) (TJ-SC)

Data de publicação: 08/07/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE ALIMENTOS CUMULADA COM PEDIDO DE ALIMENTOS PROVISIONAIS, GUARDA E REGULAMENTAÇÃO AFORADA PELA GENITORA, EM FAVOR DE MENOR (16 MESES) CONTRA GENITOR (POLICIAL MILITAR). PEDIDO PARA FIXAÇÃO DE VERBA ALIMENTAR NO IMPORTE DE R$ 900,00 (NOVECENTOS REAIS); GUARDA PROVISÓRIA E DEFINITIVA A SEU FAVOR. SENTENÇA DE PARCIAL PROCEDÊNCIA QUE CONCEDEU A GUARDA DEFINITIVA EM PROL DA DEMANDANTE; FIXOU A VISITAÇÃO DO DEMANDADO EM FORMA LIVRE E FIXOU A PENSÃO ALIMENTÍCIA EM 15% (QUINZE POR CENTO) SOBRE OS VENCIMENTOS DO DEMANDADO ATÉ MARÇO DE 2013, E 22% (VINTE E DOIS POR CENTO) APÓS ESSA DATA. IRRESIGNAÇÃO DO DEMANDANDO. REQUERIMENTO PARA MINORAR O PERCENTUAL DE 22% (VINTE E DOIS POR CENTO) PARA 20% (VINTE POR CENTO), SOB O ARGUMENTO DE QUE CONTRAIU DÍVIDAS APÓS A SEPARAÇÃO. SENTENÇA MANTIDA. POSSIBILIDADE DO DEMANDADO EM ARCAR COM A PENSÃO FIXADA. NECESSIDADE DO MENOR, EM FASE DE DESENVOLVIMENTO, DEVIDAMENTE COMPROVADA. RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO.

TJ-SC - Apelação Cível AC 20090153786 SC 2009.015378-6 (Acórdão) (TJ-SC)

Data de publicação: 29/08/2012

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE DESTITUIÇÃO DO PODER FAMILIAR CONTRA AMBOS OS GENITORES. QUATRO FILHOS, SENDO TRÊS MENINOS E UMA MENINA. SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA. INSURGÊNCIA RECURSAL DO PAI. MENORES DESABRIGADOS E CONFERIDOS À GUARDA DO IRMÃO MAIS VELHO. POSTERIOR RETORNO DO EXERCÍCIO DA GUARDA DE FATO PELO GENITOR QUANTO AOS TRÊS MENINOS. PERMANÊNCIA DA MENINA COM O IRMÃO PRIMOGÊNITO E A FAMÍLIA DESTE. MENINA BEM INSERIDA NO AMBIENTE FAMILIAR EM QUE SE ENCONTRA. MENINOS IGUALMENTE BEM ASSISTIDOS JUNTO AO GENITOR. CONDUTAS AUTORIZADORAS DA DESTITUIÇÃO DO PODER FAMILIAR ATRIBUÍDAS, PREPONDERANTEMENTE, À MÃE. GENITOR QUE JAMAIS DESISTIU DE RESTITUIR A GUARDA DOS FILHOS. MELHOR INTERESSE DAS CRIANÇAS PRESERVADOS JUNTO AO PAI. MENINA, PORÉM, QUE DEVE TER A GUARDA PROVISÓRIA TORNADA DEFINITIVA NOS AUTOS PRÓPRIOS. SENTENÇA MANTIDA QUANTO À DESTITUIÇÃO DO PODER FAMILIAR MATERNO. RESTITUIÇÃO, CONTUDO, DO PODER FAMILIAR PATERNO. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO.

DJGO 27/03/2014 - Pág. 953 - Seção III - Diário de Justiça do Estado de Goiás

A CONVERSãO DA GUARDA PROVISORIA EM DEFINITIVA. POIS BEM. POR PRIMEIRO, é CONVENIENTE LEMBRAR...,JUIZ SUBTITUTO. NR. PROTOCOLO : 471216-75.2011.8.09.0120 AUTOS NR. : 291 NATUREZA : GUARDA MARQUES DESPACHO : PROTOCOLO Nº: ...

Diário • Diário de Justiça do Estado de Goiás

DJGO 15/09/2011 - Pág. 535 - Seção III - Diário de Justiça do Estado de Goiás

MENCIONADOS A F.111 NOTADAMENTE SE A GUARDA PROVISORIA OU DEFINITIVA FOI CONCEDIDA A REQUERENTE MARIA

Diário • Diário de Justiça do Estado de Goiás

TRF-2 - APELAÇÃO CIVEL AC 182334 98.02.39038-0 (TRF-2)

Data de publicação: 28/08/2002

Ementa: ADMINISTRATIVO. PENSÃO ESTATUTÁRIA. . DEPENDENTE. MENOR. GUARDA PROVISÓRIA OU DEFINITIVA. IRELEVÂNCIA. LEIS 8.069 /90 E 8112 /90. O direito à pensão estatutária, com fulcro no art. 217 , II , b , da Lei 8.112 /90, é conferido ao menor sob guarda ou tutela até os 21 anos de idade. Não estabeleceu o legislador, quanto à produção dos respectivos efeitos, distinção entre guarda provisória e definitiva, pelo que não o poderia fazer o intérprete. Desta maneira, cumpre reconhecer o direito do menor à pensão deixada por seu avô, ex-servidor público federal, revelando-se ilegal a exigência administrativa de apresentação do Termo de Guarda Definitiva. Remessa Necessária, como se consignada fosse, e Apelo improvidos.

Encontrado em: ,DEPENDENTE ,NETO ,MENOR IMPTBERE ,REPRESENTANTE LEGAL ,ASSIST-NCIA MATERIAL ,GUARDA DE MENOR

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/busca