Carregando...
JusBrasil
01 de agosto de 2014

Página 1 de 35.017 20 3 12.563 22.410 20 1 resultados para "Indeferimento de Seguro-desemprego" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação em Modelos e peças

TST - RECURSO DE REVISTA RR 1072002920105230009 107200-29.2010.5.23.0009 (TST)

Data de publicação: 05/07/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO. DANOS MORAIS. DANO PÓS-CONTRATUAL. INDEFERIMENTO DO SEGURO DESEMPREGO. MARÇO INICIAL. ACTIO NATA . Decisão Regional em que adotado o entendimento de que, no caso, inexiste qualquer fato a excluir a incidência da regra da contagem da prescrição a partir da rescisão contratual. Violação do art. 7º , XXIX , da CRFB , nos moldes do art. 896 da CLT , a ensejar o provimento do agravo de instrumento, nos termos do artigo 3º da Resolução Administrativa nº 928/2003. Agravo de instrumento conhecido e provido. RECURSO DE REVISTA. PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO. DANOS MORAIS. DANO PÓS-CONTRATUAL. INDEFERIMENTO DO SEGURO DESEMPREGO. MARÇO INICIAL. ACTIO NATA . 1. A teor do acórdão regional, o fato de a Autora sequer saber indicar se o erro que a impediu de receber o seguro desemprego é de responsabilidade da empresa reclamada ou do Ministério do Trabalho, impede que seja afastada a incidência da regra da contagem da prescrição a partir da rescisão contratual. 2 . Em se tratando de dano pós-contratual, o março prescricional desloca-se daquele previsto na regra do art. 7º , XXIX , da Constituição da República, qual seja, dois anos após a extinção do contrato de trabalho, contando-se, pois, da data em que a compensação/reparação da lesão torna-se exigível e, por conseguinte, exercitável a ação judicial (actio nata). Assim, a despeito do prazo prescricional aplicável, que não se discute no caso em apreço, não se pode afastar o quanto dispõe o art. 189 do CCB, segundo o qual, - violado o direito, nasce para o titular a pretensão -. 3 . Indubitável, no caso, que a pretensão indenizatória somente se tornou exercitável quando do indeferimento do benefício do seguro desemprego. A responsabilidade pelo suposto erro, que culminou na alegada lesão, é mérito da lide e, ao contrário do que decidido no TRT de origem, não é capaz de influenciar na definição do março inicial da prescrição, mormente na hipótese, em que tanto a empresa, quanto a União, figuram no polo passivo da reclamatória trabalhista. Violado o art. 7º , XXIX , da CRFB , porquanto mal aplicado à espécie. Recurso de revista conhecido e provido....

TRF-5 - Agravo de Instrumento AGTR 101914 PB 0098809-34.2009.4.05.0000 (TRF-5)

Data de publicação: 08/04/2010

Ementa: ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL. MANDADO DE SEGURNAÇA. DECADÊNCIA. PRAZO 120 DIAS. TERMO INICIAL. CIÊNCIA DO ATO. NÃO CONFIGURADA. INDEFERIMENTO DE SEGURO-DESEMPREGO. NULIDADE DO ATO DE CONTRATAÇÃO. AUSÊNCIA DE CONCURSO PÚBLICO. ART. 37 DA CF . 1. O direito público subjetivo de impetrar mandado de segurança é atingido pela decadência após o decurso do prazo de 120 (cento e vinte) dias, contados da ciência, pelo interessado, do ato impugnado (art. 18 , da Lei nº 1.533 /51). Precedente: STJ. RESP. 328843/RJ, Min. GILSON DIPP, T-5 - Quinta Turma, decisão unânime, DJ 08.04.2002. 2. No presente caso, o indeferimento da concessão do benefício do seguro-desemprego por decisão administrativa ocorreu em 29.05.2009, conforme documentos anexados aos autos, o prazo decadencial para a interposição de Mandado de Segurança começou a ser contado a partir desta data, assim, tendo o writ sido ajuizado em 04.09.2009, não restou configurada a decadência. 3. Quanto à concessão do seguro-desemprego, percebe-se que a demissão da Agravada decorreu de determinação judicial advinda de Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho. Naqueles autos, o magistrado trabalhista entendeu não estarem configurados os requisitos constitucionais para a contratação de servidores sem concurso público. 4. A Constituição Federal prevê que a não observância dos requisitos estabelecidos no art. 37 para a contratação de servidor sem concurso público implicará na nulidade do ato. 5. Assim, tendo em conta a inválida contratação de servidor, sem a realização de concurso público, o contrato de trabalho da Agravante não produz efeito jurídico algum, exceto o direito ao recebimento do salário correspondente ao serviço efetivamente prestado. Precedente desta Corte: AC 456931, Primeira Turma, Relator Des. Francisco Cavalcanti, DJ 29/05/2009, p. 257. 6. Agravo de Instrumento improvido.

TST 15/05/2014 - Pág. 1388 - Tribunal Superior do Trabalho

CONTRA ATO DE DELEGADO DO TRABALHO. INDEFERIMENTO DE SEGURO-DESEMPREGO . Esta Quarta Turma negou... DE DELEGADO DO TRABALHO. INDEFERIMENTO DE SEGURO-DESEMPREGO. Trata-se de mandado de segurança... do Trabalho que indefere o ...

Diário • Tribunal Superior do Trabalho

TST 04/07/2013 - Pág. 156 - Tribunal Superior do Trabalho

-CONTRATUAL. INDEFERIMENTO DO SEGURO DESEMPREGO. MARCO INICIAL. ACTIO NATA. Decisão Regional em que adotado.... INDENIZAÇÃO. DANOS MORAIS. DANO PÓS-CONTRATUAL. INDEFERIMENTO DO SEGURO DESEMPREGO. MARCO INICIAL... ...

Diário • Tribunal Superior do Trabalho

TJ-MG - Apelação Cível AC 10035110002009001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 14/08/2013

Ementa: RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. DANO. LIAME DE CAUSALIDADE. DESEMPENHO DE ATIVIDADES ESTATAIS. NECESSIDADE. SEGURO DESEMPREGO. INDEFERIMENTO. NÃO PREENCHIMENTO DOS REQUISITOS LEGAIS. -Não há falar no acionamento da responsabilidade objetiva da Administração Pública, estabelecida pelo art. 37 , parágrafo 6º , da Constituição Federal , se não há qualquer liame de causalidade entre o prejuízo supostamente experimentado e as atividades estatais. -A despeito do eventual desencontro de informações nos cadastros do INSS e do Estado de Minas Gerais acerca da situação funcional da requerente, não há falar na responsabilidade estatal no caso de indeferimento do seguro desemprego pela Autarquia federal, quando, pela prova documental carreada aos autos, não se vislumbra qualquer ilegalidade na medida.

TST 29/11/2012 - Pág. 1408 - Tribunal Superior do Trabalho

DO TRABALHO. MANDADO DE SEGURANÇA CONTRA ATO DE DELEGADO DO TRABALHO. INDEFERIMENTO DE SEGURO-DESEMPREGO... indenização pelo não fornecimento das guias de seguro-desemprego. A conclusão a que chegou a Corte Regional... de Delegado do ...

Diário • Tribunal Superior do Trabalho

TRT-2 - RECURSO ORDINÁRIO RECORD 2355200738102006 SP 02355-2007-381-02-00-6 (TRT-2)

Data de publicação: 13/06/2008

Ementa: SEGURO-DESEMPREGO. INDENIZAÇAO. ABANDONO DE EMPREGO. INDEFERIMENTO. O seguro-desemprego é devido apenas nos casos de dispensa sem justa causa ou indireta (art. 2º , I , da Lei 7.998 /90), de forma que, reconhecido o abandono de emprego,o reclamante não faz jus ao pagamento da indenização postulada. Recurso Ordinário não provido, neste aspecto.

Encontrado em: Número: 20080463783 12ª TURMA 13/06/2008 - 13/6/2008 SEGURO DESEMPREGO, Geral RECORRENTE

TRT-2 - RECURSO ORDINÁRIO RO 2355200738102006 SP 02355-2007-381-02-00-6 (TRT-2)

Data de publicação: 13/06/2008

Ementa: SEGURO-DESEMPREGO. INDENIZAÇAO. ABANDONO DE EMPREGO. INDEFERIMENTO. O seguro-desemprego é devido apenas nos casos de dispensa sem justa causa ou indireta (art. 2º , I , da Lei 7.998 /90), de forma que, reconhecido o abandono de emprego,o reclamante não faz jus ao pagamento da indenização postulada. Recurso Ordinário não provido, neste aspecto.

Encontrado em: Número: 20080463783 12ª TURMA 13/06/2008 - 13/6/2008 SEGURO DESEMPREGO, Geral RECORRENTE

TRT-10 - Recurso Ordinário RO 2108200910310006 DF 02108-2009-103-10-00-6 RO (TRT-10)

Data de publicação: 29/06/2012

Ementa: 1. SEGURO-DESEMPREGO. INDEFERIMENTO. CULPA DO EMPREGADOR. NÃO COMPROVAÇÃO. Não demonstrada, pelo autor, a culpa do empregador pelo indeferimento do seguro-desemprego, não há razão para imputar ao reclamado a obrigação de pagar a indenização correspondente. 2. "MULTA - ARTIGO 477 § 8º DA CLT - PARCELAS RESCISÓRIAS - CONTROVÉRSIA - A multa prevista no § 8º do artigo 477 da CLT refere-se a qualquer atraso no pagamento de parcelas rescisórias e incide em todas as hipóteses em que desrespeitados os prazos previstos no seu § 6º, ainda que haja controvérsia sobre a existência de vínculo empregatício ou sobre a modalidade de rescisão. O reconhecimento judicial do direito às parcelas rescisórias ou a declaração da existência do vínculo em Juízo não elide o pagamento da multa pois o chamamento da controvérsia ao judiciário não pode ser causa impeditiva do cumprimento da lei" (Verbete nº 29 da Primeira Turma do TRT da 10ª Região). Recurso conhecido e parcialmente provido. I -

TRF-5 - Apelação Civel AC 411665 SE 0000607-09.2004.4.05.8500 (TRF-5)

Data de publicação: 18/03/2010

Ementa: ADMINISTRATIVO. RESPONSABILIDADE OBJETIVA DO ESTADO. NEGATIVA DE PAGAMENTO DE SEGURO DESEMPREGO. REGISTRO DE APOSENTADORIA VINCULADA AO NÚMERO DO PIS DO REQUERENTE. EQUÍVOCO DECORRENTE DE CONDUTA IMPUTÁVEL AO INSS. DANOS MORAIS CONFIGURADOS. 1. Não se conhece de recurso interposto pelo INSS, sob pena de afronta ao princípio da congruência recursal. É que, a despeito de a pretensão autoral deduzida, e efetivamente julgada, versar sobre a concessão de seguro desemprego e indenização por danos morais, a autarquia ré, em suas razões de recurso, limita-se a sustentar argumentos relativos ao benefício de aposentadoria por tempo de contribuição, mostrando-se evidente a dissociação entre o que foi decidido e apelado. 2. Hipótese em que o indeferimento do seguro desemprego decorreu da constatação pelo Ministério do Trabalho, após consulta ao CNIS, de benefício previdenciário vinculado ao PIS da postulante, por ter sido este cadastrado em duplicidade pelo INSS e relacionando indevidamente a nome de terceira pessoa, esta sim titular de uma aposentadoria por invalidez. 3. É certo que, por força do disposto no art. 3º , inciso III , da Lei n. 7.998 /1990, a percepção de benefício previdenciário consiste em fato impeditivo à liberação do seguro desemprego. Ocorre que, no caso, a conduta apontada como lesiva não consiste no indeferimento do seguro desemprego por parte do Ministério do Trabalho, mas no erro cometido pelo INSS quando do lançamento do número do PIS da autora no CNIS, fato determinante para a constatação da suposta irregularidade que deu ensejo à negativa de liberação do pagamento do benefício. 4. Não há como se negar que a não liberação de valor referente a seguro desemprego, verba de caráter alimentar e indispensável ao sustento e sobrevivência do trabalhador dispensado sem justa causa, consiste em evento capaz de gerar transtornos e abalos psicológicos que ultrapassam as raias do mero aborrecimento, configurando danos morais a serem reparados. Precedente desta E. Primeira Turma (AC 480443/PB. Relator: Desembargador Federal Francisco Cavalcanti. DJE: 27.11.2009). 5. A postulante logrou comprovar que a frustração e os transtornos causados pela negativa de concessão do benefício interferiram intensamente em seu comportamento psicológico, causando-lhe aflições, angústias e desequilíbrio em seu bem estar. 6. Em face das especificidades do caso apresentado, mormente o período de mais de quatro meses em que a autora se viu privada do recebimento das parcelas de seu seguro desemprego, o valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), mostra-se razoável e proporcional à repercussão do evento danoso, sendo suficiente à reparação dos danos efetivamente sofridos. 7. Mantidos os honorários advocatícios, fixados em R$ 1.000,00, que atende aos critérios instituídos nos parágrafos 3º e 4º , do art. 20 do CPC . 8. Apelação do INSS não conhecida. Apelações da União improvida. Apelação da parte autora provida....

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/busca