Carregando...
Jusbrasil
25 de julho de 2016

Página 1 de 379.390 1.102 322 182.753 192.840 2.447 37 resultados para "Período máximo de férias" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação em Modelos e peças

TJ-SE - APELAÇAO CÍVEL AC 2009207566 SE (TJ-SE)

Data de publicação: 22/09/2009

Ementa: APELAÇAO CÍVEL. AÇAO DE COBRANÇA. MUNICÍPIO DE RIBEIRÓPOLIS. PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO. PERÍODO MÁXIMO DE FÉRIAS. INCIDÊNCIA DO TERÇO CONSTITUCIONAL SOBRE TODO O PERÍODO DE 45 DIAS PREVISTO NA LEGISLAÇAO MUNICIPAL DE REGÊNCIA. ARTIGO 47, 2º, I, DO PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇAGISTÉRIO PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÓPOLIS. APELO CONHECIDO E IMPROVIDO. - In casu, restou comprovado nos autos que os Autores tem direito a 45 dias. - Os Demandantes são professores e como tal possuem legislação própria para reger suas relação com o Município de Ribeirópolis. Logo, não deve ser aplicado o Estatuto dos Funcionários Públicos de Ribeirópolis n casos de conflito com o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, afinal este é Especial em relação àquele.

TJ-SE - APELAÇAO CÍVEL AC 2009206469 SE (TJ-SE)

Data de publicação: 23/06/2009

Ementa: Apelação Cível. Ação de Cobrança. Município de Ribeirópolis. Professores da Rede Municipal de Ensino. Período máximo de férias. Incidência do terço constitucional sobre todo o período de 45 dias previsto na legislação municipal de regência. Compatibilidade da referida legislação com o art. 7º XVII da Constituição Federal , Lei Federal nº 9424 /96 e Resolução nº 03 de 08 de outubro de 1997 emanada do Conselho Nacional de Educação. Inaplicabilidade da Consolidação das Leis do Trabalho e da Lei Federal nº 8112/96. Relação estatutária própria mantida entre os litigantes. I-O ordenamento em vir ampara o pleito das recorridas concernente ao pagamento do adicional de um terço pelo período de férias a incidir sobre os 45 dias de ócio remunerado. Precedente do STF. II- No caso em tela improcedentes as assertivas quanto à aplicabilidade da CLT e da Lei Federal nº 8112/96 alusiva aos servidores públicos federais, tendo em vista a específica relação estatutária mantida entre as requerentes e o ente público demandado.Recurso conhecido e improvido. Decisão unânime.

TJ-SE - APELAÇÃO CÍVEL AC 2008208268 SE (TJ-SE)

Data de publicação: 22/09/2008

Ementa: Apelação Cível.Ação de Cobrança.Município de Ribeirópolis. Professores da Rede Municipal de Ensino.Período máximo de férias.Incidência do terço constitucional sobre todo o período de 45 dias previsto na legislação municipal de regência.Compatibilidade da referida legislação com o art. 7º inciso XVII da Constituição Federal de 1988, Lei Federal nº 9424 /96 e Resolução nº 03 de 08 de outubro de 1997 emanada do Conselho Nacional de Educação. Inaplicabilidade da Consolidação das Leis do Trabalho e da Lei Federal nº 8112/96.Relação estatutária própria mantida entre os litigantes. I-O ordenamento em vigor ampara o pleito da recorrida concernente ao pagamento do adicional de um terço pelo período de férias a incidir sobre os 45 dias de ócio remunerado. II- No caso em tela improcedentes as assertivas quanto à aplicabilidade da CLT e da Lei Federal nº 8112/96 alusiva aos servidores públicos federais, tendo em vista a específica relação estatutária mantida entre as requerentes e o ente público demandado. III- Contudo improcede o pedido da demandante Marilene Menezes da Silva referente às férias de 2002, porquanto as provas colacionadas autos demonstram que a referida servidora somente iniciou o seu respectivo período aquisitivo a partir de abril do mesmo ano, razão pela qual somente teria direito ao benefício pleiteado a partir de abril de 2003. IV- Recurso conhecido e provido em parte.Precedentes jurisprudenciais. Decisão unânime.

STF - AG.REG. EM MANDADO DE SEGURANÇA MS 31371 DF (STF)

Data de publicação: 25/10/2013

Ementa: MANDADO DE SEGURANÇA – MINISTRO APOSENTADO DO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO – FÉRIAS NÃO GOZADAS POR NECESSIDADE DE SERVIÇO MOTIVADA POR EXCLUSIVO INTERESSE DO PODER PÚBLICO – EXERCÍCIO, NO CASO, POR MINISTRO DO TCU, DE FUNÇÕES INERENTES À ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR DA CORTE DE CONTAS – SUPERVENIÊNCIA DE SUA APOSENTADORIA – DELIBERAÇÃO DO TCU QUE IMPÕE LIMITAÇÃO DO PAGAMENTO DE FÉRIAS NÃO USUFRUÍDAS POR IMPERIOSA NECESSIDADE DO SERVIÇO AO PERÍODO MÁXIMO DE 02 (DOIS) MESES ( LOMAN , ART. 67, § 1º) – INAPLICABILIDADE AO CASO DESSA RESTRIÇÃO DE ORDEM TEMPORAL, SOB PENA DE, NEGADA A REPARAÇÃO INDENIZATÓRIA DO DANO INFLIGIDO AO AGENTE ESTATAL, CONFIGURAR-SE INADMISSÍVEL ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA DO PODER PÚBLICO – PRECEDENTES – SEGURANÇA CONCEDIDA – AGRAVO REGIMENTAL IMPROVIDO.

Encontrado em: ); RTJ 177/772, RTJ 187/398, RTJ 190/415. (FÉRIAS NÃO GOZADAS, CONVERSÃO, PECÚNIA) RE 324880 AgR (1ªT... RG. (FÉRIAS NÃO USUFRUÍDAS, TERÇO ADICIONAL) RE 570908 (TP). - Decisão monocrática citada PÚBLICO. POSSIBILIDADE, ADIAMENTO, FÉRIAS, HIPÓTESE, NECESSIDADE, PRESERVAÇÃO, PRINCÍPIO

DJSE 25/01/2010 - Pág. 16 - Diário de Justiça do Estado de Sergipe

DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO - PERÍODO MÁXIMO DE FÉRIAS - INCIDÊNCIA DO TERÇO CONSTITUCIONAL... SOBRE TODO O PERÍODO DE 45 DIAS PREVISTO NA LEGISLAÇÃO MUNICIPAL - JULGAMENTO EXTRA PETITA - INOCORRÊNCIA

Diário • Diário de Justiça do Estado de Sergipe

DJSE 28/09/2009 - Pág. 34 - Diário de Justiça do Estado de Sergipe

DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO. PERÍODO MÁXIMO DE FÉRIAS. INCIDÊNCIA DO TERÇO CONSTITUCIONAL... SOBRE TODO O PERÍODO DE 45 DIAS PREVISTO NA LEGISLAÇÃO MUNICIPAL DE REGÊNCIA. ARTIGO 47, § 2º, I, DO PLANO... DE FÉRIAS, TENDO ...

Diário • Diário de Justiça do Estado de Sergipe

DJSE 01/07/2009 - Pág. 15 - Diário de Justiça do Estado de Sergipe

. PERÍODO MÁXIMO DE FÉRIAS. INCIDÊNCIA DO TERÇO CONSTITUCIONAL SOBRE TODO O PERÍODO DE 45 DIAS... EM VIGOR AMPARA O PLEITO DAS RECORRIDAS CONCERNENTE AO PAGAMENTO DO ADICIONAL DE UM TERÇO PELO PERÍODO... DE ...

Diário • Diário de Justiça do Estado de Sergipe

DJSE 30/09/2008 - Pág. 14 - Diário de Justiça do Estado de Sergipe

. PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO.PERÍODO MÁXIMO DE FÉRIAS.INCIDÊNCIA DO TERÇO CONSTITUCIONAL... DO ADICIONAL DE UM TERÇO PELO PERÍODO DE FÉRIAS A INCIDIR SOBRE OS 45 DIAS DE ÓCIO REMUNERADO.II- NO CASO... SOBRE ...

Diário • Diário de Justiça do Estado de Sergipe

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 00009581620145010301 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 02/12/2015

Ementa: JUSTA CAUSA. IMEDIATIDADE. Comprovado nos autos que o reclamante cometeu falta grave, fato descoberto no seu período de férias, e foi a ele aplicada a penalidade máxima assim que retornou dessas férias, vislumbra-se a imediatidade da punição, devendo, portanto, ser mantida a justa causa aplicada. 1.RELATÓRIO Trata-se de recurso ordinário interposto por OPUS DEI DISTRIBUIDORA, RECARGA E REPRESENTAÇÕES DE CARTÕES TELEFÔNICOS, LIVROS, JORNAIS E REVISTAS LTDA às fls. 109/137, nos autos do processo em que contende com MAIKE COSTA MOURA em face da sentença de fls. 94/96 proferida pelo MMº. Juiz CÉLIO BAPTISTA BITTENCOURT, da 1ª Vara do Trabalho de PETRÓPOLIS/RJ, que julgou procedente em parte o pedido. A sentença foi complementada pela de decisão de fls. 107/107 verso que não acolheu os embargos de declaração da ré e aplicou-lhe a multa de R$300,00 em prol do reclamante de acordo com o disposto no art. 538 § único do CPC . A parte ré pugna pela reforma da sentença, alegando que o autor foi demitido por justa causa, razão pela qual não são devidas as verbas rescisórias vindicadas na petição inicial. Aduz que o autor se apropriava indevidamente de pagamentos que eram destinados a ré, o que foi descoberto durante as férias do trabalhador. Como o autor já havia recebido outras três penalidades disciplinares anteriormente, no dia de seu retorno ao trabalho foi confrontado por empregados da empresa e admitiu a conduta indevida, razão pela qual foi demitido no primeiro dia após o retorno de suas férias. Esclarece que ao auto, segundo o aviso de notificação de férias, gozou o período de 16/5/ a 14/6/2014 e foi demitido em 16/6/2014. Logo, que retornou de férias, havendo, portanto, a imediatidade da punição. Diz que o autor praticou ato de improbidade, incontinência de conduta ou mau procedimento, negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador e desídia no desempenho das respectivas funções, todas essas hipóteses previstas no art. 482 da CLT . Pugna...

TJ-AP - APELAÇÃO APL 171497020088030001 AP (TJ-AP)

Data de publicação: 02/08/2011

Ementa: CIVIL E PROCESSO CIVIL - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE EM GRAU MÁXIMO, FATO NAO COMPROVADO PELA AUTORA - REFLEXO DO PAGAMENTO NO GRAU MÁXIMO (20%) AOS PERÍODOS DE FÉRIAS E 13º SALÁRIO DA AUTORA - IMPOSSIBILIDADE - APELO NAO PROVIDO. 1) A apelante não logrou provar que exercia função em local sob a influência de agentes nocivos à saúde, capazes de comprovar a insalubridade a garantir o pagamento em grau máximo de 20% de seus vencimentos; 2) Não tem a autora o direito ao reflexo no pagamento sobre férias e 13º pois teve sua pretensão principal rechaçada. 3) Apelação a que se nega provimento.

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Seja notificado de toda novidade sobre
Período máximo de férias Monitorar

×