Carregando...
JusBrasil
29 de agosto de 2014

Página 1 de 21.062 292 24 6.668 13.850 244 1 resultados para "Perda total (roubo)" em Notícias em Artigos em Jurisprudência em Diários em Legislação em Modelos e peças

EM CASO DE ROUBO OU PERDA TOTAL, IPVA SERÁ DEVOLVIDO

Proprietários de carros roubados, furtados ou destruídos em acidentes terão direito a restituição de parte do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) pago. A restituição, prevista no projeto de lei 1.922/13, foi aprovada pela ...

Notícia Jurídica • Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Ja.. • 26/06/2013

TJ-MG - Apelação Cível AC 10701120244846001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 17/06/2014

Ementa: APELAÇÃO CIVEL. SEGURO DE VEÍCULO. ROUBO. PERDA TOTAL. CLÁUSULA LIMITADORA DE DIREITO. CDC . SALDO REMANESCENTE DEVIDO. TABELA FIPE. APURAÇÃO. VALOR COM BASE NA DATA DO SINISTRO. - É possível a adequação dos contratos de seguro aos ditames legais, de modo a viabilizar a decretação da nulidade das cláusulas que estabeleçam obrigações consideradas iníquas, abusivas, que coloquem o consumidor em desvantagem (art. 51 , do CDC ). - A apuração da indenização deve ser feita com base no valor do bem na época do sinistro, porque em tal momento é que houve a implementação do risco.

STJ - HABEAS CORPUS HC 168526 SP 2010/0063442-5 (STJ)

Data de publicação: 19/03/2012

Ementa: HABEAS CORPUS. EXECUÇÃO PENAL. FALTA DISCIPLINAR DE NATUREZA GRAVE (POSSE E UTILIZAÇÃO DE APARELHO CELULAR). HOMICÍDIO QUALIFICADO,HOMICÍDIO QUALIFICADO TENTADO, ROUBO MAJORADO E FORMAÇÃO DEQUADRILHA. INTERRUPÇÃO NA CONTAGEM DO LAPSO TEMPORAL PARA ACONCESSÃO DE PROGRESSÃO DE REGIME. ENTENDIMENTO DO TRIBUNAL A QUO EMCONSONÂNCIA COM A JURISPRUDÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL E DAQUINTA TURMA DESTA CORTE. ALTERAÇÃO DO PRAZO PARA LIVRAMENTOCONDICIONAL. IMPOSSIBILIDADE. SÚMULA N.º 441/STJ. INTERRUPÇÃO DOLAPSO TEMPORAL DO INDULTO TOTAL OU PARCIAL. AUSÊNCIA DE PREVISÃOLEGAL. ORDEM PARCIALMENTE CONCEDIDA. LEI N.º 12.433 /2011. NOVAREDAÇÃO AO ART. 127 DA LEI DE EXECUÇÕES PENAIS. PERDA DE ATÉ 1/3 (UMTERÇO) DOS DIAS REMIDOS. PRINCÍPIO DA RETROATIVIDADE DA LEI PENALMAIS BENÉFICA. APLICABILIDADE. WRIT CONCEDIDO, DE OFÍCIO, NESSEPONTO. 1. Consoante a orientação da Quinta Turma deste Superior Tribunalde Justiça, o cometimento de falta disciplinar de natureza gravepelo condenado acarreta o reinício do cômputo do interstícionecessário ao preenchimento do requisito objetivo para a concessãodo benefício da progressão de regime. 2. "A prática de falta grave acarreta a interrupção da contagem doprazo para a progressão do regime de cumprimento de pena. Inobstantea ausência de previsão legal expressa nesse sentido, não há que sefalar em violação do princípio da legalidade. Isso porque ainterrupção do prazo decorre de uma interpretação sistemática dasregras legais existentes" (HC 102.365/SP, 1.ª Turma, Rel. Min. LUIZFUX, DJe de 01/08/2011). 3. Nos termos da Súmula n.º 441: "[a] falta grave não interrompe oprazo para obtenção de livramento condicional."4. Só poderá ser interrompido o prazo para a aquisição do benefíciodo indulto , parcial ou total, se houver expressa previsão a respeitono decreto concessivo da benesse. Precedentes.5. A partir da vigência da Lei n.º 12.433 , de 29 de junho de 2011,que alterou a redação ao art. 127 da Lei de Execuções Penais, apenalidade consistente...

TJ-MG - Apelação Cível AC 10024100576172001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 15/03/2013

Ementa: AÇÃO DE INDENIZAÇÃO - CONTRATO DE SEGURO - SUB-ROGAÇÃO NO DIREITO DO SEGURADO - VEÍCULO DADO EM CONSIGNAÇÃO À REVENDEDORA - ROUBO - PERDA TOTAL - CONSIGNATÁRIA - DEVER DE RESTITUIR O BEM NÃO CUMPRIDO - CULPA - OCORRÊNCIA - PEDIDO PROCEDENTE. - No contrato estimatório, nos termos do art. 535 do Código Civil , ainda que não tenha a consignatária agido com culpa na ocorrência do roubo do veículo, que impossibilitou a restituição do bem ao consignante, cabe responder pelos prejuízos verificados. - Nos termos do art. 786 do Código Civil , paga a indenização securitária a seguradora sub-roga-se nos direitos e ações que competiam ao segurado.

TJ-DF - Apelacao Civel APC 20120110567823 DF 0015754-90.2012.8.07.0001 (TJ-DF)

Data de publicação: 26/11/2013

Ementa: CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. CONTRATO DE SEGURO. ROUBO DO VEÍCULO SEGURADO. RECUPERAÇÃO. DANOS. PERDA TOTAL. RECONHECIMENTO. RECUSA DA SEGURADORA. REPARAÇÃO DO VEÍCULO. PRETENSÃO INDENIZATÓRIA. PRAZO ÂNUO ( CC , ART. 206 , § 1O, II, B). TERMO INICIAL. DATA DO CONHECIMENTO DO FATO GERADOR DA PRETENSÃO. PEDIDO ADMINISTRATIVO. SUSPENSÃO DO PRAZO. REPARAÇÃO DO AUTOMÓVEL. ACEITAÇÃO PELA SEGURADA. TERMO DE QUITAÇÃO. SUBSCRIÇÃO. CIÊNCIA INEQUÍVOCA DA RECUSA AO PAGAMENTO DA INDENIZAÇÃO DERIVADA DE PERDA TOTAL. REINÍCIO DO PRAZO. IMPLEMENTO DA PRESCRIÇÃO. RECONHECIMENTO. 1. A AÇÃO DESTINADA À PERSEGUIÇÃO DA INDENIZAÇÃO DERIVADA DE CONTRATO DE SEGURO PELO SEGURADO PRESCREVE NO PRAZO DE 01 (HUM) ANO, CONTADO DO DIA EM QUE TEVE CONHECIMENTO DO FATO QUE DETERMINARA O SEU CABIMENTO OU DO SINISTRO QUE CONSUBSTANCIA-SE NO FATO GERADOR DA COBERTURA ALMEJADA ( CC , ART. 206 , § 1O, II, E SÚMULA 101 DO STJ). 2. O REQUERIMENTO ADMINISTRATIVO FORMULADO PELO SEGURADO RECLAMANDO O PAGAMENTO DA INDENIZAÇÃO AVENÇADA ENSEJA O SOBRESTAMENTO DO FLUXO DO PRAZO PRESCRICIONAL ATÉ A DATA EM QUE É COMUNICADO DO SEU INDEFERIMENTO, NÃO SE QUALIFICANDO A RECUSA DA SEGURADORA COMO FATO APTO A ENSEJAR A FLUIÇÃO DO PRAZO SOMENTE A PARTIR DA SUA MANIFESTAÇÃO (STJ, SÚMULA 229) NEM ESTANDO A RENOVAÇÃO DO PLEITO NA ESFERA ADMINISTRATIVA MUNICIADO DO ATRIBUTO DE ENSEJAR NOVA SUSPENSÃO DO INTERREGNO. 3. SUBTRAÍDO O VEÍCULO SEGURADO E TENDO SIDO POSTERIORMENTE RECUPERADO, O PEDIDO ADMINISTRATIVO FORMULADO PELA SEGURADA ALMEJANDO O RECONHECIMENTO, PELA SEGURADORA, DE QUE SOFRERA PERDA TOTAL E A FRUIÇÃO DA CORRESPONDENTE COBERTURA IMPLICA A SUSPENSÃO DO PRAZO PRESCRICIONAL, QUE, CONTUDO, VOLTA A FLUIR NO MOMENTO EM QUE A SEGURADA ACEITA O VEÍCULO APÓS TER SIDO REPARADO EM CONCESSIONÁRIA AUTORIZADA E FIRMA TERMO DE QUITAÇÃO DAS COBERTURAS, POIS A ASSIMILAÇÃO DO AUTOMÓVEL E A SUBSCRIÇÃO DO TERMO IMPLICAM INEXORAVELMENTE A NEGATIVA DE COBERTURA QUE HAVIA POSTULADO. 4. APERFEIÇOADO O PRAZO PRESCRICIONAL ÂNUO, OBSERVADA A FÓRMULA DE CONTAGEM QUE RESULTA NO SOBRESTAMENTO DO SEU FLUXO ENQUANTO A PRETENSÃO É EXAMINADA NA ESFERA EXTRAJUDICIAL, O DIREITO DE AÇÃO DO SEGURADO É FULMINADO ANTE O FATO DE QUE SUA INÉRCIA ENSEJARA A ATUAÇÃO DO TEMPO SOBRE O DIREITO SUBJETIVO QUE O ASSISTIA, INVIABILIZANDO SEU EXERCITAMENTO EM DECORRÊNCIA DE NÃO TER SIDO MANIFESTADO DENTRO DO PRAZO LEGALMENTE ASSINALADO, O QUE ALCANÇA TODAS AS PRETENSÕES ORIGINÁRIAS DO SEGURO CONVENCIONADO E DA NEGATIVA DE COBERTURA MANIFESTADA PELA SEGURADORA. 5. APELO CONHECIDO E DESPROVIDO. UNÂNIME....

TJ-RS - Apelação Cível AC 70054629241 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 23/09/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. DIREITO TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. IPVA. ISENÇÃO. VEÍCULO ROUBADO. DE ACORDO COM O ART. 4º, § 1º, DA LEI ESTADUAL Nº 8.115/85, COM A REDAÇÃO DA PELA LEI ESTADUAL Nº 10.869/96, A PERDA TOTAL DO VEÍCULO POR FURTO, ROUBO OU SINISTRO IMPORTA ISENÇÃO DO IPVA. PARA FINS TRIBUTÁRIOS É IRRELEVANTE A FALTA DE COMUNICAÇÃO OU BAIXA DO VEÍCULO NO ÓRGÃO DE TRÂNSITO COMPETENTE. MANUTENÇÃO DA SENTENÇA QUE EXTINGUIU A EXECUÇÃO FISCAL. À UNANIMIDADE, NEGARAM PROVIMENTO AO APELO. (Apelação Cível Nº 70054629241, Vigésima Primeira Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Francisco José Moesch, Julgado em 31/07/2013)

TJ-RS - Apelação Cível AC 70054651252 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 27/08/2013

Ementa: APELAÇÕES CÍVEIS. TRIBUTÁRIO. EMBARGOS À EXECUÇÃO. IPVA E ICMS. REDIRECIONAMENTO DA EXECUÇÃO CONTRA O SÓCIO. CABIMENTO. DISSOLUÇÃO IRREGULAR DA SOCIEDADE. COMPROVAÇÃO. VEÍCULO SINISTRADO. ISENÇÃO. DE ACORDO COM O ART. 4º, § 1º, DADA LEI ESTADUAL Nº 8.115/85, COM A REDAÇÃO DA PELA LEI ESTADUAL Nº 10.869/96, A PERDA TOTAL DO VEÍCULO POR FURTO, ROUBO OU SINISTRO IMPORTA ISENÇÃO DO IPVA. PARA FINS TRIBUTÁRIOS É IRRELEVANTE A FALTA DE COMUNICAÇÃO OU BAIXA DO VEÍCULO NO ÓRGÃO DE TRÂNSITO COMPETENTE. MULTA POR INFRAÇÃO FORMAL À LEGISLAÇÃO DO ICMS. INEXIGIBILIDADE. DESCABIMENTO. À UNANIMIDADE, NEGARAM PROVIMENTO AOS APELOS. (Apelação Cível Nº 70054651252, Vigésima Primeira Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Francisco José Moesch, Julgado em 31/07/2013)

TJ-SP - Apelação APL 9109559262006826 SP 9109559-26.2006.8.26.0000 (TJ-SP)

Data de publicação: 09/11/2011

Ementa: SEGURO FACULTATIVO DE VEÍCULO - ROUBO, COM POSTERIOR LOCALIZAÇÃO DO BEM - VALOR ORÇADO PARA SUA REPARAÇÃO QUE NÃO AUTORIZA O RECONHECIMENTO DA OCORRÊNCIA DE PERDA TOTAL - REEMBOLSO DE DESPESAS NÃO COBERTO PELA CONTRATAÇÃO - DEDUÇÃO DA FRANQUIA PREVISTA NA APÓLICE - DEMORA INJUSTIFICADA PARA O PAGAMENTO DA INDENIZAÇÃO - DANO MORAL CONFIGURADO - Na medida em que o valor do orçamento previsto para a reparação do veiculo segurado, que foi objeto de roubo e posterior localização, não alcança o percentual previsto na contratação para caracterizar a perda total, descabe o pagamento da indenização nos moldes pretendidos pela demandante - O reembolso de despesas suportadas pela autora com locomoção e obtenção de documentos,para atendimento às exigências da seguradora, bem como com a compra de novas placas e pneus para o veículo, não tem lugar na hipótese, eis que não contratada cobertura securitária neste sentido - Inafastável o desconto do valor da franquia, ante expressa disposição contratual neste sentido - Diante das peculiaridades do caso, a demora injustificada da seguradora para o pagamento da indenização à autora enseja a sua condenação ao pagamento de indenização por dano moral - Apelo parcialmente provido.

TJ-SP - Apelação APL 9142055742007826 SP 9142055-74.2007.8.26.0000 (TJ-SP)

Data de publicação: 12/12/2011

Ementa: Seguro de veículo. Indenização. Caminhão localizado após roubo, com a numeração do chassis raspada. Perda total considerada pela seguradora apenas após seis meses do sinistro, ante a conclusão da perícia policial. Pleito de danos morais e lucros cessantes. Procedência parcial apenas para considerar a última verba. 1. Não colhe guarida agravo retido interposto contra o indeferimento de produção de prova pericial e documental, ante o quadro probatório já instalado, apto à formação de segura convicção do magistrado sentenciante acerca dos fatos narrados pelas partes. 2. Incide em descumprimento do contrato a seguradora que aguarda demorada investigação policial para, só após essa conclusão, indenizar seu cliente pela perda total de seu veículo, que lhe acarretara, desde o sinistro, lucros cessantes. 3. O valor dos lucros cessantes restam bem apurados quando baseados em precisos depoimentos de funcionários da empresa segurada, em cotejo com os demais documentos constantes dos autos. 4. Recursos (apelo e agravo retido) improvidos.

TJ-DF - Ação Cí­vel do Juizado Especial ACJ 2332745020108070001 DF 0233274-50.2010.807.0001 (TJ-DF)

Data de publicação: 20/03/2012

Ementa: JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS. PROCESSUAL CIVIL. CIVIL. CONSUMIDOR. VEÍCULO FINANCIADO POR MEIO DE LEASING. OCORRÊNCIA DE ROUBO E POSTERIOR LOCALIZAÇÃO DO AUTOMÓVEL EM ESTADO DE PERDA TOTAL. OMISSÃO POR P ARTE DAS RECORRENTES EM PROCEDEREM A QUITAÇAO DO SALDO DEVEDOR EM FUNÇÃO DA IMPUTAÇAO RECIPROCA DE RESPONSABILIDADE. QUITAÇAO DE SALDO DEVEDOR DE FORMA SOLIDÁRIA. PRELIMINAR DE ILEGITIMIDADE PASSIVA AD CAUSAM DA PRIMEIRA RECORRENTE REJEITADA. FALTA DE ELEMENTOS PARA COMPROVAR A TESE DA SEGUNDA RECORRENTE. RECURSOS CONHECIDOS E IMPROVIDOS. SENTENÇA MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. 1.INCONTROVERSO VÍNCULO CONTRATUAL DO FINANCIAMENTO DE AUTOMÓVEL, ENTRE AUTOR E A FINANCIADORA AYMORÉ CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO. O ARRENDAMENTO NÃO FOI LIQUIDADO EM RAZÃO DA FALTA DE COBERTURA SECURITÁRIA DO VEÍCULO, POIS HOUVE ROUBO DO AUTOMÓVEL E VERIFICOU-SE A PERDA TOTAL DESTE. CONSTATADO EM CONTRATO DE SEGURO, FL. 106, QUE O PAGAMENTO DA INDENIZAÇÃO SERÁ SEMPRE EFETUADO PELA SEGURADORA DE FORMA INTEGRAL E DIRETAMENTE À FINANCEIRA. 2. NÃO PROSPERA A PRELIMINAR DE ILEGITIMIDADE PASSIVA AD CAUSAM DA PRIMEIRA RECORRENTE (FINANCIADORA), POIS A SEGURADORA SOMENTE PODERÁ REALIZAR O PAGAMENTO DIRETAMENTE À FINANCIADORA (POSSUIDORA DO DOMÍNIO DO AUTOMÓVEL), MEDIANTE A ENTREGA DE DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA EM PRAZO DETERMINADO, E ESTA ASSIM NÃO O FEZ, PORTANTO RESPONDE POR SUA NEGLIGÊNCIA E DESCASO COM O CONSUMIDOR. PORTANTO, É PATENTE A LEGITIMIDADE DE FIGURAR NO POLO PASSIVO DA LIDE A FINANCIADORA. QUEM AUFERE OS CÔMODOS, AUFERE OS INCÔMODOS DO NEGÓCIO ENTABULADO. PRELIMINAR REJEITADA. 3. A SEGUNDA RECORRENTE (SEGURADORA), TAMBÉM NÃO TROUXE ELEMENTOS CAPAZES DE ALTERAR O ENTENDIMENTO ANTERIORMENTE ESPOSADO, POIS EM NENHUM MOMENTO NOS AUTOS COMPROVOU A SUA TESE, DE QUE O VALOR DA REPARAÇÃO DO SINISTRO APRESENTA IMPORTÂNCIA MENOR DO QUE O SALDO DEVEDOR DO FINANCIAMENTO A SER QUITADO. A SIMPLES ALEGAÇÃO DE QUE O VALOR INDENIZATÓRIO DEVE RESPEITAR A TABELA FIPE NO MÊS DE LIQUIDAÇÃO DO SINISTRO, NÃO PROSPERA SEM PROVAS. 4.RECURSOS CONHECIDOS E IMPROVIDOS. SENTENÇA MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. CUSTAS E HONORÁRIOS PELOS RECORRENTES Á BASE DE 10% SOBRE O VALOR DA CONDENAÇÃO. A SÚMULA DE JULGAMENTO SERVIRÁ COMO ACÓRDÃO, NA FORMA DO ARTIGO 46 DA LEI 9.099 /95....

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/busca