Carregando...
Jusbrasil - Jurisprudência
29 de junho de 2016

Página 1 de 930.376 resultados

Legislação direta

Artigo 6 da Constituição Federal de 1988
Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição .
Art. 6o São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição .(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 26, de 2000)
Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 64, de 2010)
Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 90, de 2015)
Artigo 7 da Constituição Federal de 1988
Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos;
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;
III - fundo de garantia do tempo de serviço;
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;
IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim;
III - fundo de garantia do tempo de serviço;
V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho;
IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim;
V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho;
VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo;
VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável;
VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria;
VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria;
IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno;
X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;
XI - participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração, e, excepcionalmente, participação na gestão da empresa, conforme definido em lei;
XII - salário-família para os seus dependentes;
XII - salário-família para os seus dependentes;
XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei;(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998)
XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho; (vide Decreto-Lei nº 5.452, de 1943)
XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva;
XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos;
XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal; (Vide Del 5.452, art. 59 § 1º )
XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal;
XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cento e vinte dias;
XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei;
XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei;
XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos termos da lei;
XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta dias, nos termos da lei;
XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta dias, nos termos da lei;
XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança;
XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei;
XXIV - aposentadoria;
XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até seis anos de idade em creches e pré-escolas;
XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)
XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho;
XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)
XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho;
XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei;
XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;
XXIX - ação, quanto a créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo prescricional de:
a)
cinco anos para o trabalhador urbano, até o limite de dois anos após a extinção do contrato;
b)
até dois anos após a extinção do contrato, para o trabalhador rural;
XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho;(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
a) (Revogada). (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
a) (Revogada). (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
b) (Revogada). (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil;
XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência;
XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais respectivos;
XXXIII
proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre aos menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de quatorze anos, salvo na condição de aprendiz ;
XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998)
proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre aos menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de quatorze anos, salvo na condição de aprendiz ;
XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998)
XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso
Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VIII, XV, XVII, XVIII, XIX, XXI e XXIV, bem como a sua integração à previdência social.
Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias, principais e acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à previdência social. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 72, de 2013)

TRF-5 - Apelação Civel AC 386240 PE 2005.83.00.012877-4 (TRF-5)

Data de publicação: 27/10/2006

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. FGTS. LIBERAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE MORADIA PRÓPRIA, EM VIRTUDE DE SINISTRO E RISCO DE DESABAMENTO DE IMÓVEL QUE HOJE POSSUI. POSSIBILIDADE. UTILIZAÇÃO DO SALDO DA CONTA DO FUNDIÁRIA PARA A QUITAÇÃO DO DÉBITO DECORRENTE DE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO PELO SFH. POSSIBILIDADE. ART. 6º E 7º, "CAPUT", DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL . DIREITO SOCIAL. GARANTIA DA MELHORIA DE CONDIÇÃO SOCIAL DO TRABALHADOR. MELHOR INTERPRETAÇÃO DO ART. 20 , DA LEI Nº 8.036 /1990. 1. Sendo o direito à moradia assegurado pelo art. 6º , da CF/88 e garantida a melhoria da condições sociais do trabalhador (art. 7º "caput) e ainda, aplicando-se o disposto no art. 5º , da LICC , onde determina que na aplicação da lei, o juiz atenderá aos fins sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum, não há como denegar-se pedido de liberação do FGTS, para aquisição de residência, face a inexistência de dispositivo legal que autorize. 2. A utilização do saldo da conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para quitação do débito decorrente de financiamento imobiliário pelo SFH, vem solucionar o problema habitacional do trabalhador e se coaduna com a finalidade social do referido fundo, não encontrando óbice a liberação do saldo do FGTS por inadimplência da parte da autora, em razão do risco de desabamento do imóvel anteriormente adquirido. 3. A autora não fez uso do saldo de seu FGTS para adquirir o imóvel que encontra-se com risco de desabamento e interditado para sua moradia, sendo portanto, a primeira vez que o utiliza para tal fim. 4. O sinistro e risco de desabamento com a consequente interdição do imóvel que possui a autora, anulam à exegibilidade de liberação impostas pelo art. 20, VII e parágrafo 17 da Lei nº 8.036 /90 e autoriza à aquisição de moradia própria, interpretação esta que melhor atende a finalidade social do art. 20 , da Lei nº 8.036 /1990. 5. Apelação provida....

Encontrado em: /10/2006 CF-88 CF-88 Constituição Federal de 1988 ART- 6 ART- 7 (ART. 7, CAPUT) Constituição Federal... de 1988 LEG-FED LEI- 8036 ANO-1990 ART- 20 INC-7 PAR-17 PAR-3 LICC-42 LICC -42 Lei de Introdução... ANO-1990 ART- 35 INC-7 ART- 3 LEG-FED EMC-37 ANO-2000 LEG-FED EMC-26 ANO-2000 AGRESP 426352/RS (STJ...

TRF-5 - Apelação Civel AC 386240 PE 0012877-49.2005.4.05.8300 (TRF-5)

Data de publicação: 27/10/2006

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. FGTS. LIBERAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE MORADIA PRÓPRIA, EM VIRTUDE DE SINISTRO E RISCO DE DESABAMENTO DE IMÓVEL QUE HOJE POSSUI. POSSIBILIDADE. UTILIZAÇÃO DO SALDO DA CONTA DO FUNDIÁRIA PARA A QUITAÇÃO DO DÉBITO DECORRENTE DE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO PELO SFH. POSSIBILIDADE. ART. 6º E 7º, "CAPUT", DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL . DIREITO SOCIAL. GARANTIA DA MELHORIA DE CONDIÇÃO SOCIAL DO TRABALHADOR. MELHOR INTERPRETAÇÃO DO ART. 20 , DA LEI Nº 8.036 /1990. 1. Sendo o direito à moradia assegurado pelo art. 6º , da CF/88 e garantida a melhoria da condições sociais do trabalhador (art. 7º "caput) e ainda, aplicando-se o disposto no art. 5º , da LICC , onde determina que na aplicação da lei, o juiz atenderá aos fins sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum, não há como denegar-se pedido de liberação do FGTS, para aquisição de residência, face a inexistência de dispositivo legal que autorize. 2. A utilização do saldo da conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para quitação do débito decorrente de financiamento imobiliário pelo SFH, vem solucionar o problema habitacional do trabalhador e se coaduna com a finalidade social do referido fundo, não encontrando óbice a liberação do saldo do FGTS por inadimplência da parte da autora, em razão do risco de desabamento do imóvel anteriormente adquirido. 3. A autora não fez uso do saldo de seu FGTS para adquirir o imóvel que encontra-se com risco de desabamento e interditado para sua moradia, sendo portanto, a primeira vez que o utiliza para tal fim. 4. O sinistro e risco de desabamento com a consequente interdição do imóvel que possui a autora, anulam à exegibilidade de liberação impostas pelo art. 20, VII e parágrafo 17 da Lei nº 8.036 /90 e autoriza à aquisição de moradia própria, interpretação esta que melhor atende a finalidade social do art. 20 , da Lei nº 8.036 /1990. 5. Apelação provida....

Encontrado em: : 2006 - 27/10/2006 CF-88 Constituição Federal de 1988 ART- 6 ART- 7 (ART. 7, CAPUT) LEG-FED LEI- 8036... ANO-1990 ART- 20 INC-7 PAR-17 PAR-3 LICC-42 LEG-FED DEL- 4657 ANO-1942 ART- 5 Lei de Introdução... ao Código Civil LEG-FED DEC- 99684 ANO-1990 ART- 35 INC-7 ART- 3 LEG-FED EMC-37 ANO-2000 LEG-FED EMC-26...

TRF-5 - Apelação Civel AC 218514 PE 2000.05.00.028140-4 (TRF-5)

Data de publicação: 28/04/2003

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. FGTS. LIBERAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE MORADIA. POSSIBILIDADE. ART. 6º E 7º "CAPUT, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL . DIREITO SOCIAL. GARANTIA DA MELHORIA DE CONDIÇÃO SOCIAL DO TRABALHADOR. 1 - SENDO O DIREITO À MORADIA ASSEGURADO PELO ART. 6º DA CF/88 E GARANTIDA A MELHORIA DA CONDIÇÕES SOCIAIS DO TRABALHADOR (ART. 7º "CAPUT) E AINDA, APLICANDO-SE O DISPOSTO NO ART. 5º DA LICC ONDE DETERMINA QUE NA APLICAÇÃO DA LEI, O JUIZ ATENDERÁ AOS FINS SOCIAIS A QUE ELA SE DIRIGE E ÀS EXIGÊNCIAS DO BEM COMUM, NÃO HÁ COMO DENEGA-SE PEDIDO DE LIBERAÇÃO DO FGTS, PARA AQUISIÇÃO DE RESIDÊNCIA, FACE A INEXISTÊNCIA DE DISPOSITIVO LEGAL QUE AUTORIZE. 2 - APELAÇÃO IMPROVIDA

Encontrado em: Constituição Federal de 1988 ART- 6 ART- 7 ART. 7 , CAPUT Constituição Federal de 1988 LICC-42 LICC -42... Lei de Introdução ao Código Civil LEG-FED DEL- 4657 ANO-1942 ART- 5 Lei de Introdução ao Código... 218514 PE 2000.05.00.028140-4 (TRF-5) Desembargador Federal Petrucio Ferreira

TRF-5 - Apelação Civel AC 218514 PE 0028140-68.2000.4.05.0000 (TRF-5)

Data de publicação: 28/04/2003

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. FGTS. LIBERAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE MORADIA. POSSIBILIDADE. ART. 6º E 7º "CAPUT, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL . DIREITO SOCIAL. GARANTIA DA MELHORIA DE CONDIÇÃO SOCIAL DO TRABALHADOR. 1 - SENDO O DIREITO À MORADIA ASSEGURADO PELO ART. 6º DA CF/88 E GARANTIDA A MELHORIA DA CONDIÇÕES SOCIAIS DO TRABALHADOR (ART. 7º "CAPUT) E AINDA, APLICANDO-SE O DISPOSTO NO ART. 5º DA LICC ONDE DETERMINA QUE NA APLICAÇÃO DA LEI, O JUIZ ATENDERÁ AOS FINS SOCIAIS A QUE ELA SE DIRIGE E ÀS EXIGÊNCIAS DO BEM COMUM, NÃO HÁ COMO DENEGA-SE PEDIDO DE LIBERAÇÃO DO FGTS, PARA AQUISIÇÃO DE RESIDÊNCIA, FACE A INEXISTÊNCIA DE DISPOSITIVO LEGAL QUE AUTORIZE. 2 - APELAÇÃO IMPROVIDA

Encontrado em: Constituição Federal de 1988 ART- 6 ART- 7 (CAPUT) LICC-42 LEG-FED DEL- 4657 ANO-1942 ART- 5 Lei... Apelação Civel AC 218514 PE 0028140-68.2000.4.05.0000 (TRF-5) Desembargador Federal Petrucio

STF - RECLAMAÇÃO Rcl 4645 ES (STF)

Data de publicação: 24/02/2012

Ementa: EMENTA PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO – RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL - ADC nº 4/DF- MC e ADI nº 1.717/DF - AUSÊNCIA DE IDENTIDADE – TENTATIVA DE CONVERTER A RECLAMAÇÃO EM ESPÉCIE RECURSAL – RECLAMAÇÃO IMPROCEDENTE. 1 - O STF, no julgamento da ADI nº 1.717/DF , não analisou todas as peculiaridades inerentes ao regime jurídico aplicado, restringindo-se o âmbito de discussão à matéria disposta no art. 58, caput e §§ 1º, 2º, 4º, 5º, 6º, 7º e 8º, ou seja, não se decidiu a respeito da natureza dos bens que constituem o patrimônio dos conselhos de fiscalização profissional, bem como sobre serem penhoráveis ou não. 2- A matéria tratada no caso sob exame não encontra identidade com as situações debatidas na ADC nº 4/DF- MC e na ADI nº 1.717/DF . É impertinente o ajuizamento da reclamação, cuja admissibilidade somente é possível em três hipóteses: (i) para a preservação da esfera de competência desta Suprema Corte; (ii) para garantir a autoridade das suas decisões, nos termos do art. 102 , inciso I , alínea l , da Constituição Federal ; e (iii) para garantir a correta aplicação de súmula vinculante (art. 103-A , § 4º , CF ). 3 – O objetivo do reclamante é fazer com que o STF se pronuncie sobre a matéria de fundo – submissão ou não ao regime de precatórios das execuções contra os conselhos de fiscalização do exercício de profissões regulamentadas –, utilizando a presente ação constitucional como meio de saltar graus jurisdicionais, o que é vedado pela jurisprudência do STF. Reclamação denegada, prejudicado o exame do agravo regimental.

Encontrado em: Nº 0098.1997.005.17.00-6). JAYME JOSÉ GONÇALVES DE CARVALHO. CARLOS ALBERTO DE SOUZA ROCHA RECLAMAÇÃO

TST - ARR 9371220105090025 (TST)

Data de publicação: 19/06/2015

Ementa: de no mínimo 50% que o inciso XVI do artigo 7º da Constituição assegura a todos os trabalhadores urbanos e rurais deste país. Além disso, o disposto no acordo coletivo ora em análise afronta também o patamar mínimo constitucional e legalmente assegurado a todos os trabalhadores brasileiros, ao desconsiderar a flagrante e induvidosa natureza salarial do pagamento correspondente às horas in itinere, que são, obrigatoriamente, tempo à disposição do empregador e de efetivo serviço, conforme os termos dos artigos 4º e 58, § 2º, da Consolidação das Leis do Trabalho e do próprio item V da Súmula nº 90 desta Corte. Recurso de revista não conhecido. HORAS EXTRAORDINÁRIAS. TRABALHADOR RURAL. LAVOURA DE CANA DE AÇÚCAR. TRABALHO POR PRODUÇÃO. REMUNERAÇÃO INTEGRAL DAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS. NÃO INCIDÊNCIA DA SÚMULA Nº 340 DO TST. ORIENTAÇÃO JURISPRUDENCIAL Nº 235 DA SBDI-1 DO TST, PARTE FINAL. A jurisprudência desta Corte superior, consolidada na Súmula nº 340 e na Orientação Jurisprudencial nº 235 da SBDI-1, é no sentido de que o empregado sujeito a controle de horário, remunerado à base de comissões, tem direito apenas ao adicional de horas extras, e o empregado que recebe por produção e trabalha em sobrejornada faz jus à percepção apenas do adicional de horas extras. Contudo, esse entendimento jurisprudencial não se aplica ao trabalhador rural braçal que se ativa nas lavouras de cana de açúcar e recebe salário por produção, o qual faz jus à percepção de horas extraordinárias integrais quando a sua jornada exceder os limites previstos na Constituição Federal de 1988, e não apenas ao adicional. Em função da peculiaridade do trabalho no campo em lavouras de cana, atividade extremamente árdua, que provoca excepcional desgaste físico ao empregado, buscou-se resguardar a dignidade do trabalhador e do ser humano, bem como a sua saúde, objeto de proteção na ordem constitucional brasileira (artigos 5º e 7º), e privilegiar a isonomia (artigo 5º, caput, da Constituição Federal...

Encontrado em: 2ª Turma DEJT 19/06/2015 - 19/6/2015 ARR 9371220105090025 (TST) José Roberto Freire Pimenta

STF - AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO ARE 646236 PR (STF)

Data de publicação: 19/06/2012

Ementa: Ementa: AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO. PENAL E PROCESSO PENAL MILITAR. FURTO SIMPLES. ART. 240 , CPM . PRESCRIÇÃO. QUESTÃO QUE DEMANDA ANÁLISE DE DISPOSITIVOS DE ÍNDOLE INFRACONSTITUCIONAL. AUSÊNCIA DO NECESSÁRIO PREQUESTIONAMENTO. OFENSA REFLEXA AO TEXTO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL . REEXAME DO CONJUNTO FÁTICO-PROBATÓRIO JÁ CARREADO AOS AUTOS. IMPOSSIBILIDADE. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 279 /STF. 1. O requisito do prequestionamento é indispensável, por isso que inviável a apreciação, em sede de recurso extraordinário, de matéria sobre a qual não se pronunciou o Tribunal de origem, incidindo o óbice da Súmula 282 do Supremo Tribunal Federal. 2. A violação indireta ou reflexa das regras constitucionais não enseja recurso extraordinário. Precedentes: AI n. 738.145 - AgR, Rel. Min. CELSO DE MELLO, 2ª Turma, DJ 25.02.11; AI n. 482.317 -AgR, Rel. Min. ELLEN GRACIE, 2ª Turma DJ 15.03.11; AI n. 646.103 -AgR, Rel. Ministra CÁRMEN LÚCIA, 1ª Turma, DJ 18.03.11. 3. A alegação de ofensa aos postulados da legalidade, do devido processo legal, da ampla defesa, da motivação dos atos decisórios, do contraditório, dos limites da coisa julgada e da prestação jurisdicional, se ocorrente, seria indireta ou reflexa. Precedentes: AI n. 803.857 -AgR, Rel. Min. CELSO DE MELLO, 2ª Turma, DJ 17.03.11; AI n. 812.678 -AgR, Rel. Min. ELLEN GRACIE, 2ª Turma, DJ 08.02.11; AI n. 513.804 -AgR, Rel. Min. JOAQUIM BARBOSA, 1ª Turma, DJ 01.02.11 . 4. A Súmula 279 /STF dispõe verbis: Para simples reexame de prova não cabe recurso extraordinário. 5. É que o recurso extraordinário não se presta ao exame de questões que demandam revolvimento do contexto fático-probatório dos autos, adstringindo-se à análise da violação direta da ordem constitucional. 6. Deveras, não ocorre a prescrição da pretensão punitiva se aplicada a pena de 1 (um) ano e o fato foi praticado em 28/03/2007, tendo a causa interruptiva, pelo recebimento da denúncia, ocorrido em 13/11/2008, pois não se verifica o transcurso...

Encontrado em: /2012 CPM-1969 DEL-001001 ANO-1969 ART-00125 INC-00006 ART-00129 ART-00240 "CAPUT" CÓDIGO PENAL MILITAR... - STF CPM-1969 DEL- 001001 ANO-1969 ART- 00125 INC-00006 ART- 00129 ART- 00240 "CAPUT" CÓDIGO PENAL.../07/2012, MJC. Primeira Turma ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-120 DIVULG 19-06-2012 PUBLIC 20-06-2012 - 19/6...

TST - RECURSO DE REVISTA RR 235002520085150147 23500-25.2008.5.15.0147 (TST)

Data de publicação: 21/10/2011

Ementa: RECURSO DE REVISTA DO RECLAMADO. NULIDADE DO ACÓRDÃO REGIONAL POR NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. O Tribunal Regional entregou completamente a prestação jurisdicional, fundamentando seu convencimento na aplicação da Súmula nº 331 desta Corte. Não está o julgador obrigado a analisar os aspectos suscitados pelo recorrente que considera irrelevantes ao deslinde da controvérsia. Cite-se, por oportuno, decisão do Supremo Tribunal Federal: - O que a Constituição exige, no artigo 93 , IX , é que a decisão judicial seja fundamentada; não que a fundamentação seja correta na solução das questões de fato ou de direito da lide: declinados nos julgados as premissas, corretamente assentadas ou não, mas coerentes com o dispositivo do acórdão, está satisfeita a exigência constitucional. (RTJ 150/269, Relator Ministro Sepúlveda Pertence)-. Recurso de revista não conhecido. RECONHECIMENTO DO VÍNCULO EMPREGATÍCIO. ILEGITIMIDADE DE PARTE. RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA. SÚMULA 331 DO TST. O Tribunal Regional invocou expressamente a Súmula nº 331 do TST para reconhecer a responsabilidade solidária do recorrente, salientando que a contratação interposta não encontra respaldo no ordenamento vigente, com exceção dos permissivos constantes das Leis 6.019 /74 (trabalho temporário) e 7.102 /83 (vigilância). No entanto, nos termos do inciso IV da referida orientação sumular, a responsabilização do recorrente deve ser apenas subsidiária. Recurso de revista conhecido e provido. MULTA ( PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 538 DO CPC ) E MULTA (CAPUT DO ART. 18 DO CPC ) APLICADAS CUMULATIVAMENTE EM SEDE DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CONSIDERADOS PROTELATÓRIOS. 1. A imposição da multa aplicada nos embargos declaratórios reside no poder discricionário do juízo, à luz dos arts. 535 e 538 , parágrafo único , do CPC , e sua aplicação, ante o caráter protelatório dos embargos de declaração. 2. A multa do caput do art. 18 do CPC refere-se à litigância de má-fé, especificada nos sete incisos do artigo 17 do CPC...

TST - RECURSO DE REVISTA RR 3249320125010073 (TST)

Data de publicação: 29/05/2015

Ementa: - 2007, com efeitos retroativos a janeiro/2007, e ratificada a implantação da RMNR, a partir de 10 de julho de 2007 (cláusula 11ª). No acordo coletivo de trabalho subsequente (200712009), com vigência a partir de 1 0 setembro de 2007, foi estabelecimento o reajustamento da verba RMNR, no percentual de 6,5%, consoante termos da cláusula 35ª, verbis "Cláusula 35ª - Remuneração Mínima por Nível e Regime - RMNR A Companhia praticará para todos os empregados a Remuneração Mínima por Nível e Regime - RMNR, levando em conta o conceito de remuneração regional, a partir do agrupamento de cidades onde a Petrobras atua, considerando, ainda, o conceito de microrregião geográfica utilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Parágrafo 1º - A RMNR consiste no estabelecimento de um valor mínimo, por nível e região, de forma equalizar os valores a serem percebidos pelos empregados, visando o aperfeiçoamento da isonomia prevista na Constituição Federal . Parágrafo 2º - Os valores relativos à já mencionada RMNR estão definidos em tabelas da Companhia e serão reajustados em 6,5% (seis vírgula cinco por cento) a partir de 01/09/2007. Parágrafo 3º - Será paga sob o título de"Complemento da RMNR"a diferença resultante entre a"Remuneração Mínima por Nível e Regime"de que trata o caput é o Salário Básico (SB), a Vantagem Pessoal - Acordo Coletivo de Trabalho (VP-ACT) e a Vantagem Pessoal - Subsidiária (VP-SUB), sem prejuízo de eventuais outras parcelas pagas, podendo resultar em valor superior a RMNR. Parágrafo 4º - O mesmo procedimento, definido no parágrafo antecedente, aplica-se aos empregados que laboram em regime e/ou condições especiais de trabalho em relação às vantagens devidas em decorrência destes." O procedimento foi renovado nos instrumentos normativos subsequentes, implicando no reajustamento da parcela nos percentuais de 7,81% (2009), 9,36% (2010 e 2011). Do teor das cláusulas normativas constata-se que a implantação da parcela denominada RMNR não...

TJ-PI - Mandado de Segurança MS 201100010027027 PI (TJ-PI)

Data de publicação: 08/03/2012

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE .FORNECIMENTO DE FÁRMACO PELO SUS. SOLIDARIEDADE DOS ENTES FEDERATIVOS. PRELIMINARES DE INCOMPETENCIA ABSOLUTA DO JUÍZO E ILEGITI-MIDADE PASSIVA REJEITADAS (SÚMULAS 02 e 06 DO TJ/PI). CONCESSAO DE LIMINAR CONTRA A FAZENDA PÚ-BLICA. POSSIBILIDADE. MEDICAMENTOS ESPECIAIS. FORNECIMENTO GRATUITO. PORTADORES DE MOLÉSTIA GRAVE. DIREITO À VIDA E À SAÚDE. DIREITO PÚBLICO SUBJETIVO DO CIDADAO (ADOLESCENTE). DEVER CONSTI-TUCIONAL DO ESTADO (ART. 5º , CAPUT § 2º C/C ART. 6º E ARTS. 196 E 227 DA CARTA MAGNA ; ARTS 4º , 7º E 11º DO ECA E 2º DA LEI 8.080/90). INAPLICABILIDADE DA “TEORIA DA RESERVA DO POSSÍVEL”. PREVALÊNCIA DO PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA (SÚMULA Nº 01 DO TJ/PI). INEXISTÊNCIA DE AFRONTA AO PRIN-CÍPIO DA SEPARAÇAO DOS PODERES (ART. 2º, DA CONS-TITUIÇAO FEDERAL). RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO À UNANIMIDADE. 1.Resta pacificado na jurisprudência pátria que em se tratando de pedido de fornecimento de alimento/medicamento imprescin-dível à saúde de pessoa/adolescente hipossuficiente portadora de doença considerada grave, tal como no caso em apreço, a ação poderá ser proposta contra quaisquer dos entes federativos, quais sejam: União, Estado e Município, sendo ambos soli-dariamente responsáveis. A saúde de toda a população brasileira é direito individual assegurado constitucionalmente (arts. 5º , caput, 196 e 227 do CF ) e através do Estatuto da Criança e do Adolescente (arts. 4º, 7º e 11), sendo a mesma implda através do Sistema Único de Saúde – SUS, prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, da Administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público (art. 4º da Lei nº 8.080 /90). (Súmulas nºs 02 e 06 do TJPI);3.A vedação à antecipação de tutela contra a Fazenda Pública (Lei nº 9.494 /97) não é aplicável quando a cognição exauriente antes da concessão da tutela põe em perigo a vida ou a integri-dade física da parte e, conseqüentemente, coloca...

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×