Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
29 de agosto de 2014

Página 1 de 9.372 resultados

TJ-RJ - APELACAO APL 28117620108190001 RJ 0002811-76.2010.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 01/10/2010

Ementa: DIREITO CIVIL.ANULAÇÃO DE TERMO DE ADESÃO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE. DECADÊNCIA CONFIGURADA. ART. 178 , § 9 , V DO CC/16 . Autor aduz ser nulo o negócio jurídico firmado em 14.03.96, alegando ter sido coagido a assiná-lo. Se o vício alegado é de coação, erro ou dolo, a hipótese é de anulação e não nulidade do ato jurídico.Assim, o prazo para obter-se a anulação era de 4 anos a contar, no caso em tela, do ato jurídico, nos termos do art. 178 , § 9º , V , do CC/1916 .Subscrito o ato aos 14.03.96 e proposta a ação apenas aos 08.01.10, de há muito se operou a decadência, que, cumpre lembrar, não se suspende e nem se interrompe.Recurso ao qual se nega provimento.

TJ-RJ - APELACAO APL 19922 RJ 2009.001.19922 (TJ-RJ)

Data de publicação: 05/06/2009

Ementa: AGRAVO INTERNO. DECISÃO QUE NEGOU SEGUIMENTO AO APELO INTERPOSTO PELO ORA AGRAVANTE. AÇÃO ORDINÁRIA. ANULAÇÃO DE TERMO DE ADESÃO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL ULTRAPASSADO. DECADÊNCIA CONFIGURADA. DICÇÃO DO ARTIGO 178 , § 9º , V , DO CC/1916 . MANUTENÇÃO DA DECISÃO. A hipótese em tela cuida de ato jurídico anulável e não nulo, uma vez que o autor/agravante sustenta a ocorrência de vício de vontade, consubstanciado na coação. Logo, o prazo decadencial é de 04 (quatro) anos, em consonância ao art. 178 , § 9º , V do CC/1916 . Como se verifica, o ajuizamento da presente ação se deu mais de 10 (dez) anos após a adesão do autor/agravante ao termo de adesão destacado na inicial. Decadência que se confirma. Decisão monocrática que se mantém.RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

Encontrado em: . ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL

TJ-RJ - APELACAO APL 24153 RJ 2009.001.24153 (TJ-RJ)

Data de publicação: 05/06/2009

Ementa: AGRAVO INTERNO. DECISÃO QUE NEGOU SEGUIMENTO AO APELO INTERPOSTO PELO ORA AGRAVANTE. AÇÃO ORDINÁRIA. ANULAÇÃO DE TERMO DE ADESÃO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL ULTRAPASSADO. DECADÊNCIA CONFIGURADA. DICÇÃO DO ARTIGO 178 , § 9º , V , DO CC/1916 . MANUTENÇÃO DA DECISÃO. A hipótese em tela cuida de ato jurídico anulável e não nulo, uma vez que o autor/agravante sustenta a ocorrência de vício de vontade, consubstanciado na coação. Logo, o prazo decadencial é de 04 (quatro) anos, em consonância ao art. 178 , § 9º , V do CC/1916 . Como se verifica, o ajuizamento da presente ação se deu mais de 10 (dez) anos após a adesão do autor/agravante ao termo de adesão destacado na inicial. Decadência que se confirma. Decisão monocrática que se mantém.RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

Encontrado em: . ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL

TJ-RJ - APELACAO APL 3931178620088190001 RJ 0393117-86.2008.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 08/02/2010

Ementa: AGRAVO INTERNO. DECISÃO QUE NEGOU SEGUIMENTO AO APELO INTERPOSTO PELA ORA AGRAVANTE. AÇÃO ORDINÁRIA. PREVI BANERJ. ANULAÇÃO DE TERMO DE ADESÃO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL ULTRAPASSADO. DECADÊNCIA CONFIGURADA. DICÇÃO DO ARTIGO 178 , § 9º , V , DO CC/1916 . MANUTENÇÃO DA DECISÃO. A hipótese em tela cuida de ato jurídico anulável e não nulo, uma vez que a autora/agravante sustenta a ocorrência de vício de vontade, consubstanciado na coação. Logo, o prazo decadencial é de 04 (quatro) anos, em consonância ao art. 178 , § 9º , V do CC/1916 . Como se verifica, o ajuizamento da presente ação se deu 10 (dez) anos após a adesão da autora/agravante ao termo destacado na inicial. Portaria nº 089/2004 que não se aplica à espécie, visto que se destina a quem se aposentou por invalidez com início da licença médica após a liquidação da Previ-Banerj, o que não é o caso dos autos. Decadência que se confirma. Decisão monocrática mantida. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

TJ-RJ - APELACAO APL 3879100920088190001 RJ 0387910-09.2008.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 09/09/2010

Ementa: Civil. Previ-Banerj. Vício de consentimento. Anulabilidade. Decadência. Hipótese que versa sobre ato jurídico anulável, e não nulo, uma vez que a autora sustenta a ocorrência de vício de vontade consubstanciado na coação. Prazo decadencial de 04 anos, na forma do artigo 178 , § 9º , V do Código Civil de 1916 . No caso dos autos, o ajuizamento da ação se deu dez anos após a rescisão do contrato de trabalho. Decisão mantida. Recurso desprovido.

TJ-RJ - APELACAO APL 29968 RJ 2009.001.29968 (TJ-RJ)

Data de publicação: 03/07/2009

Ementa: AGRAVO INTERNO. DECISÃO QUE NEGOU SEGUIMENTO AO APELO INTERPOSTO PELO ORA AGRAVANTE. AÇÃO ORDINÁRIA. PREVI BANERJ. ANULAÇÃO DA RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL ULTRAPASSADO. DECADÊNCIA CONFIGURADA. DICÇÃO DO ARTIGO 178 , § 9º , V , DO CC/1916 . MANUTENÇÃO DA DECISÃO. A hipótese em tela cuida de ato jurídico anulável e não nulo, uma vez que o autor/agravante sustenta a ocorrência de vício de vontade, consubstanciado na coação. Logo, o prazo decadencial é de 04 (quatro) anos, em consonância ao art. 178 , § 9º , V do CC/1916 . Como se verifica, o ajuizamento da presente ação se deu mais de 12 (doze) anos após a adesão do autor/agravante à Rescisão do Contrato de Trabalho destacado na inicial. Decadência que se confirma. Decisão monocrática mantida.RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

Encontrado em: DA RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO

TJ-RJ - APELACAO APL 24668 RJ 2009.001.24668 (TJ-RJ)

Data de publicação: 16/06/2009

Ementa: AGRAVO INTERNO. DECISÃO QUE NEGOU SEGUIMENTO AO APELO INTERPOSTO PELO ORA AGRAVANTE. AÇÃO ORDINÁRIA. PREVI BANERJ. ANULAÇÃO DE TERMO DE ADESÃO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO DECADENCIAL ULTRAPASSADO. DECADÊNCIA CONFIGURADA. DICÇÃO DO ARTIGO 178 , § 9º , V , DO CC/1916 . MANUTENÇÃO DA DECISÃO. A hipótese em tela cuida de ato jurídico anulável e não nulo, uma vez que o autor/agravante sustenta a ocorrência de vício de vontade, consubstanciado na coação. Logo, o prazo decadencial é de 04 (quatro) anos, em consonância ao art. 178 , § 9º , V do CC/1916 . Como se verifica, o ajuizamento da presente ação se deu quase 10 (dez) anos após a adesão do autor/agravante ao termo de adesão destacado na inicial. Decadência que se confirma. Decisão monocrática mantida.RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

Encontrado em: DE TERMO DE ADESÃO. ATO JURÍDICO ANULÁVEL E NÃO NULO. ALEGAÇÃO DE VÍCIO DE VONTADE (COAÇÃO). LAPSO

TJ-RJ - APELACAO APL 189729820098190001 RJ 0018972-98.2009.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 18/01/2010

Ementa: DECISÃO SINGULAR. Ação Ordinária. PREVI BANERJ. Contribuições para complementação de aposentadoria. Termo de adesão firmado com quitação de direitos e com recebimento das contribuições. Alegação de vício de vontade. Coação. Decadência. Ato jurídico anulável e não nulo. Prazo decadencial de 04 (quatro) anos, em consonância com o disposto no artigo 178 , § 9º , inciso V do Código Civil de 1916 . Correta a sentença. Negativa de seguimento ao recurso, nos termos do caput do artigo 557 do CPC .

TJ-RJ - APELACAO APL 3915667120088190001 RJ 0391566-71.2008.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 18/01/2010

Ementa: DECISÃO SINGULAR. Ação Ordinária. PREVI BANERJ. Contribuições para complementação de aposentadoria. Termo de adesão firmado com quitação de direitos e com recebimento das contribuições. Alegação de vício de vontade. Coação. Decadência. Ato jurídico anulável e não nulo. Prazo decadencial de 04 (quatro) anos, em consonância com o disposto no artigo 178 , § 9º , inciso V do Código Civil de 1916 . Correta a sentença. Negativa de seguimento ao recurso, nos termos do caput do artigo 557 do CPC .

TJ-RJ - APELACAO APL 4075214520088190001 RJ 0407521-45.2008.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 18/01/2010

Ementa: DECISÃO SINGULAR. Ação Ordinária. PREVI BANERJ. Contribuições para complementação de aposentadoria. Termo de adesão firmado com quitação de direitos e com recebimento das contribuições. Alegação de vício de vontade. Coação. Decadência. Ato jurídico anulável e não nulo. Prazo decadencial de 04 (quatro) anos, em consonância com o disposto no artigo 178 , § 9º , inciso V do Código Civil de 1916 . Correta a sentença. Negativa de seguimento ao recurso, nos termos do caput do artigo 557 do CPC .

1 2 3 4 5 937 938 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca