Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
09 de fevereiro de 2016

Legislação direta

Artigo 928 da Lei nº 5.869 de 11 de Janeiro de 1973
Art. 928. Estando a petição inicial devidamente instruída, o juiz deferirá, sem ouvir o réu, a expedição do mandado liminar de manutenção ou de reintegração; no caso contrário, determinará que o autor justifique previamente o alegado, citando-se o réu para comparecer à audiência que for designada.
Parágrafo único. Contra as pessoas jurídicas de direito público não será deferida a manutenção ou a reintegração liminar sem prévia audiência dos respectivos representantes judiciais.

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL AgRg no AREsp 38991 MT 2011/0107180-0 (STJ)

Data de publicação: 26/08/2014

Ementa: AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. LIMINAR DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE. INSUFICIÊNCIA DE PROVAS. AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO PRÉVIA. NECESSIDADE DE REALIZAÇÃO. INCIDÊNCIA DA SEGUNDA PARTE DO ART. 928 DO CPC. 1. "Se a petição inicial não traz provas suficientes para justificar a expedição de mandado liminar de posse, deve o juiz cumprir o que dispõe a segunda parte do art. 928 do CPC e determinar a realização de audiência de justificação prévia com o fim de permitir ao autor a oportunidade de comprovar suas alegações" (REsp 900.534/RS, Relator o Ministro JOÃO OTÁVIO DE NORONHA, QUARTA TURMA, DJe de 14/12/2009). 2. Agravo regimental a que se nega provimento.

TJ-MG - Agravo de Instrumento Cv AI 10301130113469001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 14/04/2014

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE - LIMINAR. AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO PRÉVIA. NECESSIDADE DE REALIZAÇÃO. SEGUNDA PARTE DO ART. 928 DO CPC . Se a petição inicial não traz provas suficientes para justificar a concessão de liminar de reintegração de posse, deve o juiz determinar a realização de audiência de justificação, nos termos do art. 928 , do CPC , oportunizando ao autor a comprovação de suas alegações.

TJ-MS - Embargos de Declaração ED 14094643420158120000 MS 1409464-34.2015.8.12.0000 (TJ-MS)

Data de publicação: 13/11/2015

Ementa: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO – INTIMAÇÃO DO AGRAVADO PARA CONTRAMINUTA – DESNECESSÁRIA – DECISÃO LIMINAR INAUDITA ALTERA PARS – ART. 928 DO CPC – EMBARGOS CONHECIDOS E REJEITADOS. Não há nulidade que possa ser reconhecida. A decisão do juízo a quo foi proferida antes da citação, portanto, inaudita altera pars. Consequentemente, a rigor, desnecessária a intimação do agravado, ainda não citado, para apresentar contraminuta. Por isso, não foi determinada a intimação do agravante para informar endereço atualizado do agravado, nem realizada a intimação deste último por edital. A decisão liminar foi concedida nesta instância também inaudita altera pars, consoante autoriza o art. 928 do Código de Processo Civil, adotado na fundamentação do acórdão.

TJ-MG - Agravo de Instrumento-Cv AI 10027130092870001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 14/08/2014

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE - LIMINAR. AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO PRÉVIA. NECESSIDADE DE REALIZAÇÃO. SEGUNDA PARTE DO ART. 928 DO CPC - PRELIMINAR DE NULIDADE SUSCITADA DE OFÍCIO. - Se a petição inicial não traz provas suficientes para justificar a concessão de liminar de reintegração de posse, deve o juiz determinar a realização de audiência de justificação, nos termos do art. 928 , do CPC , oportunizando à parte autora a comprovação de suas alegações. - Não sendo a medida determinada em primeira instância, deve ser decretada a nulidade da decisão, para determinar a realização da audiência de justificação. AGRAVO DE INSTRUMENTO CV Nº 1.0027.13.009287-0/001 - COMARCA DE BETIM - AGRAVANTE (S): EDNELE LEMOS DE ARAUJO - AGRAVADO (A)(S): JURANI HENRIQUE DE OLIVEIRA

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70063894638 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 03/06/2015

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. ANTECIPAÇÃO DE TUTELA. MANUTENÇÃO DO INDEFERIMENTO. AUSÊNCIA DOS PRESSUPOSTOS AO DEFERIMENTO DA MEDIDA. AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO. DESNECESSIDADE. INTELIGÊNCIA DO ART. 928 DO CPC. Ausentes os pressupostos ao deferimento da medida antecipatória. Ao menos em um juízo de cognição sumária, tenho que não há nos autos elementos suficientes a conferir a existência do periculum in mora ao direito do autor. Descabida a realização de audiência de justificação tendo em vista a decisão nos autos da recuperação judicial na qual deferida liminar para manutenção de posse da agravada em todos os bens pertencentes à empresa . EXTINÇÃO DA RECONVENÇÃO. QUESTÃO QUE NÃO FOI OBJETO DA DECISÃO ORIGINÁRIA, NÃO CONHECIMENTO NO PONTO. AGRAVO DE INSTRUMENTO CONHECIDO EM PARTE, E NESTA DESPROVIDO. (Agravo de Instrumento Nº 70063894638, Décima Sétima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Giovanni Conti, Julgado em 28/05/2015).

TRF-4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO AG 50243866920144040000 5024386-69.2014.404.0000 (TRF-4)

Data de publicação: 26/02/2015

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. PEDIDO LIMINAR. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO. ART. 928 DO CPC . 1. Não se tratando de posse nova do demandado/agravado, resta afastada a incidência do disposto no artigo 928 do CPC , por força da disciplina constante do artigo 924 do diploma adjetivo civil. 2. Em que pese a possibilidade de existir perigo de dano com a manutenção de residências nas margens de linha férrea, o deferimento do pedido liminar certamente ocasionaria danos significativamente maiores, em especial porque implicaria a repentina desocupação de imóveis pelas famílias que os ocupam.

TJ-MG - Agravo de Instrumento Cv AI 10433130310272001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 28/04/2014

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO DE MANUTENÇÃO DE POSSE. REALIZAÇÃO DA AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO. AUSENCIA DE CITAÇÃO DO RÉU. ART. 928 DO CPC . NULIDADE RECONHECIDA. RECURSO PROVIDO. Uma vez designada a audiência de justificação prévia pelo magistrado de primeiro grau, por entender necessária para melhor elucidação da questão controvertida, também necessária se torna a citação do réu para comparecer à audiência, nos termos do artigo 928 , do CPC , sob pena de cerceamento do direito de defesa.

TJ-MG - Agravo de Instrumento Cv AI 10352130003408001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 25/06/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO - INTERDITO PROIBITÓRIO - DENEGAÇÃO DE LIMINAR - OBSERVÂNCIA DO ART. 928 DO CPC - PRUDENTE ARBÍTRIO DO MAGISTRADO. - A decisão que concede medida liminar em ação possessória, na esteira do entendimento deste Tribunal, só poderá ser reformada se flagrantemente ilegal, proferida com abuso de poder ou em desacordo com a prova dos autos, vez que afeta ao prudente arbítrio do Juiz. - Na hipótese, foi devidamente analisada a prova dos autos, entendendo o Juiz a quo estarem ausentes os requisitos para a concessão de liminar, pelo que deve ser mantida a decisão agravada. Recurso a que se nega provimento.

TJ-MG - Agravo de Instrumento-Cv AI 10231130291009001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 04/08/2014

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. LIMINAR INDEFERIDA DE PLANO. NÃO REALIZAÇÃO DE AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. INTELIGÊNCIA DO ART. 928 DO CPC . AGRAVO PROVIDO. 1 - Na hipótese de a inicial de ação possessória, com alegações congruentes à caracterização de força nova turbativa ou espoliativa, não se encontrar instruída de modo a ensejar o deferimento da liminar, o juiz determinará que o autor justifique previamente o alegado, citando-se o réu para comparecer à audiência que for designada. 2 - Não se trata, pois, de faculdade que ao juiz assista, mas de exigência legal expressa. AGRAVO DE INSTRUMENTO CV Nº 1.0231.13.029100-9/001 - COMARCA DE RIBEIRÃO DAS NEVES - AGRAVANTE (S): FABRÍCIA GOMES DOS SANTOS MUNIZ, MICHAEL JACKSON MUNIZ E SUA MULHER FABRÍCIA GOMES DOS SANTOS MUNIZ - AGRAVADO (A)(S): SOLANGE GRAZIELA DA SILVA

TJ-CE - Agravo de Instrumento AI 06281836520158060000 CE 0628183-65.2015.8.06.0000 (TJ-CE)

Data de publicação: 14/12/2015

Ementa: PROCESSO CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. LIMINAR DE MANUTENÇÃO DE POSSE. INSUFICIÊNCIA DE PROVAS. REQUISITOS DO ART. 927 NÃO ATENDIDOS. AUDIÊNCIA DE JUSTIFICAÇÃO PRÉVIA. INTELIGÊNCIA DO ART 928 DO CPC. AGRAVO DE INSTRUMENTO CONHECIDO E NÃO PROVIDO. DECISUM MANTIDO. 1.Para a interposição e consequente deferimento da liminar de manutenção de posse, deve haver a comprovação dos requisitos empreendidos no artigo 927 do CPC pelo autor, o que não ocorre na presente lide. 2.Se entender que a petição inicial não traz provas suficientes para justificar a expedição do mandado liminar de posse, deve o juiz cumprir o que dispõe a segunda parte do art. 928 do CPC e determinar a realização de audiência de justificação prévia com o fim de permitir ao autor a oportunidade de comprovar suas alegações. Uma vez não comprovada as suas alegações, o indeferimento do provimento liminar é medida que se impõe. 3.O título ou documento de aquisição de posse, por si só, não prova que o cessionário estivesse exercendo efetivamente a posse sobre o imóvel em litígio, ônus do qual a agravante não se desincumbiu de provar. 4.Agravo de instrumento conhecido e não provido. ACÓRDÃO ACORDA A 3ª CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ, por uma de suas turmas julgadoras, à unanimidade, em conhecer e negar provimento ao presente Agravo de Instrumento, nos termos do voto do relator, parte integrante deste. Fortaleza, 14 de dezembro de 2015.

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca

ou