Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
01 de outubro de 2014

Página 1 de 807 resultados

TJ-PE - Embargos de Declaração ED 279216901 PE 0018193-98.2012.8.17.0000 (TJ-PE)

Data de publicação: 18/10/2012

Ementa: ADMINISTRATIVO. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NA POLÍCIA MILITAR. EXAME DE SAÚDE. INAPTIDÃO. ARRITMIA CARDÍACA. TRANSTORNO DE CONDUÇÃO. OMISSÃO. EFEITOS INFRINGENTES. CONJUNTO COMPROBATÓRIO. IMPOSSIBILIDADE DE DIAGNÓSTICO EM UM ÚNICO EXAME. PRECEDENTES. EMBARGOS ACOLHIDOS EM SEUS EFEITOS INFRINGENCIAIS. DECISÃO UNÂNIME. 1.Impende que se reconheça a necessidade de revisão do Acórdão vergastado para fins de aclarar os termos em que foi redigido, dado os vícios apontados pelo embargante. 2.Houve omissão no julgado quanto ao conjunto comprobatório que aponta inexistência de alterações na área cardiovascular que contra-indiquem atividades físicas e/ou competitivas (fls. 81-82), relativamente à candidata, bem como resultado de teste ergométrico acostado às fls. 63-64 apresentando as seguintes conclusões: Comportamento fisiológico do segmento ST no esforço. Ausência de arritmias. Resposta pressórica fisiológica. Resposta cronotrópica fisiológica. Nenhum sintoma clínico observado. ECG Basal: RCR sinusal com DCRD. Conclusões Finais: Teste Ergométrico atingindo FC SUBMÁXIMA preconizada. Sem manifestações clínicas ou eletrocardiográficas sugestivas de resposta isquêmica ao exercício. Curva pressórica normal. (fls. 64). 3.Uma vez admitido o omisso por meio dos presentes aclaratórios, não se sustenta a eliminação da candidata ante parecer da Comissão de Saúde que assim concluiu: "inapta, de acordo com o item do edital VIII - 04", sem qualquer alusão à causa direta da inaptidão, nem tampouco especificação da enfermidade de ordem cardíaca supostamente existente e que, nos moldes da Portaria do Comando Geral da PMPE nº 044/94, fosse impeditiva do acesso à Polícia Militar do Estado, considerado o contexto comprobatório contido nos autos favoráveis à aptidão da ora embargada, ofertando-se, assim, os efeitos infringentes demandados. Precedentes. 4.Aclaratórios providos à unanimidade com atribuição de efeitos infringentes.

TJ-SP - Apelação APL 01328201420068260053 SP 0132820-14.2006.8.26.0053 (TJ-SP)

Data de publicação: 13/06/2014

Ementa: ACIDENTE DO TRABALHO AUXÍLIO-ACIDENTE BANCÁRIO LER/DORT, SÍNDROME DO PÂNICO E ARRITMIA CARDÍACA CONVERSÃO DO JULGAMENTO EM DILIGÊNCIA DESNECESSIDADE - LAUDO MÉDICO PERICIAL CONCLUSIVO - AUSÊNCIA DE INCAPACIDADE LABORATIVA E DE NEXO CAUSAL BENEFÍCIO INDEVIDO. Para a concessão do benefício acidentário é imprescindível a existência do nexo causal com o trabalho e a efetiva incapacidade profissional. A ausência de qualquer destes requisitos desautoriza o deferimento da reparação. Preliminar rejeitada. Recurso desprovido.

TJ-RS - Apelação e Reexame Necessário REEX 70052856739 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 06/05/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. REEXAME NECESSÁRIO CONHECIDO DE OFÍCIO. DIREITO PÚBLICO NÃO ESPECIFICADO. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS. PATOLOGIAS: ARRITMIA CARDÍACA, SÍNCOPE DE ORIGEM VASODEPRESSORA, HIPERTENSÃO ARTERIAL, DISLIPIDEMIA, ARTEROSCLEROSE CAROTÍDEA IMPORTANTE E DEPRESSÃO. CHAMAMENTO AO PROCESSO DA UNIÃO. DESNECESSIDADE EM VISTA DA SOLIDARIEDADE. DEVER DO DEMANDADO. NECESSIDADE E CARÊNCIA COMPROVADAS. A NÃO INCLUSÃO DE MEDICAMENTO EM LISTAGEM NÃO É ÓBICE À SUA CONCESSÃO. AUSÊNCIA DE CONHECIMENTO TÉCNICO DO JUDICIÁRIO PARA A ALTERAÇÃO DA PRESCRIÇÃO MÉDICA. PAGAMENTO DE DESPESAS PROCESSUAIS. POSSIBILIDADE. APELAÇÃO DESPROVIDA. SENTENÇA CONFIRMADA EM REEXAME NECESSÁRIO, CONHECIDO DE OFÍCIO. (Apelação e Reexame Necessário Nº 70052856739, Primeira Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Luiz Felipe Silveira Difini, Julgado em 24/04/2013)

TRF-2 - APELAÇÃO CIVEL AC 200451010225228 RJ 2004.51.01.022522-8 (TRF-2)

Data de publicação: 08/02/2011

Ementa: ADMINISTRATIVO – MILITAR TEMPORÁRIO – ARRITMIA CARDÍACA/HIPERTENSÃO - REINTEGRAÇÃO/REFORMA - IMPOSSIBILIDADE – AUSÊNCIA DE INCAPACIDADE ABSOLUTA – REINTEGRAÇÃO PRETÉRITA – SEDE DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA – PROVISORIEDADE - INEXISTÊNCIA DE ESTABILIDADE - LICENCIAMENTO – LEGALIDADE –MANUTENÇÃO DO DECISUM DE PISO. -Objetivando sua reforma em razão de alegada incapacidade, face à arritmia cardíaca e hipertensão, ajuizou o ora apelante o presente feito, julgado improcedente, por entender o Magistrado de piso pela legalidade do ato de licenciamento, dada sua flagrante capacidade para a atividade militar, nos termos da Inspeção de Saúde a que submetido, bem como do laudo do vistor judicial, estando o mesmo desempenhando atividade laboral como Auxiliar de Expedição, como ali consta. -Irresignado, recorre, renovando, aduzindo, em suma que, (a) “Se de um lado o laudo pericial informa a capacidade para o serviço do Exército, por outro lado também afirma que poderia exercer atividade laborativa, "desde que mantenha tratamento e acompanhamento regular... fls. 181 - 3".Como relatado anteriormente, um individuo com as patologias apresentadas não teria êxito em qualquer seleção pública, por questões de natureza, exclusivamente médicas, fato que se contrapõe a suposta aptidão ao serviço militar.”; (b) “O ato que licenciou o recorrente pela segunda vez, o fez ao arrepio da decisão que concedia a reintegração ao cargo ocupado. (...).Como consectário lógico, o 2º licenciamento ocorreu quando o recorrente já tinha alcançado o lapso temporal de 10 (dez) anos, o que, põe por terra todo e qualquer juízo de valor em contrário, independentemente estar ou não apto para o exercício da função militar.”. -Improsperável o recurso.Destarte, a meu juízo, a decisão primária, cuja fundamentação, ora se incorpora, bem dirimiu a questão, quer quanto a ausência de supedâneo legal, dada a ausência de incapacidade laborativa absoluta, quer pela circunstância da efemeridade da decisão jurisdicional, o que conduz, como corolário, à manutenção do decisum. -Recurso desprovido....

TJ-PE - Agravo de Instrumento AG 185315 PE 001200900646895 (TJ-PE)

Data de publicação: 23/07/2009

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. ADMINISTRATIVO. CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE SOLDADOS DA PMPE/BMPE/2006. EXAME DE SAÚDE. AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA. AUSÊNCIA DE CARACTERIZAÇÃO, NESTA SEDE DE COGNIÇÃO SUMÁRIA, DE CAUSA INCAPACITANTE AO EXERCÍCIO DO CARGO, NOS TERMOS DOS EXAMES E LAUDOS MÉDICOS CARREADOS. 1.Afastada a preliminar arguida pelo Estado agravante, posto ser pacífica a jurisprudência quanto à desnecessidade de citação dos demais candidatos, eis que se cuida de fase apenas eliminatória REsp 556864/SE"> REsp 556864/SE) . 2.Encontra-se configurada a verossimilhança necessária à manutenção da antecipação da tutela que assegurou ao agravado o retorno ao certame, nos termos da avaliação cardiológica (composta por ECG de repouso e teste ergométrico), realizada no dia 20.01.2009 - no dia da divulgação do resultado preliminar [atualizado] do exame de saúde - que indica a higidez arterial do candidato ( cf . fl. 86). 3.As conclusões e comentários subscritos pelo médico responsável pela avaliação cardiológica realizada em 20.01.2009 coincidem com as conclusões lançadas em análise anterior (datada de 15.01.2009 e apresentada pelo candidato por ocasião da etapa do exame de saúde), nos seguintes termos: "Teste Ergométrico eficaz e máximo NÃO revelando alterações clínicas ou eletrocardiográficas compatíveis com resposta isquêmica do miocárdio. Comportamento normal da PA ao esforço. Ausência de arritmias."( cf . fls. 75/84). 4.O periculum in mora é clamoroso, porquanto a não-participação do agravado nas atividades do Curso de Formação de Soldados implicaria, em concreto, no exaurimento do próprio resultado útil da prestação jurisdicional. 5.A decisão vergastada não impede a realização da fase de investigação social, que deverá ser efetuada. 6.Agravo de instrumento a que se nega provimento, mantendo-se a decisão agravada.

TJ-RS - Apelação e Reexame Necessário REEX 70053158549 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 06/05/2013

Ementa: APELAÇÕES CÍVEIS. REEXAME NECESSÁRIO CONHECIDO EX OFFICIO. DIREITO PÚBLICO NÃO ESPECIFICADO. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO. PATOLOGIA: ARRITMIA CARDÍACA NÃO ESPECIFICADA (CID I 49.9). DEVER DO DEMANDADO DE FORNECIMENTO. LEGITIMIDADE DO ESTADO. NECESSIDADE E CARÊNCIA COMPROVADAS. A NÃO INCLUSÃO DE MEDICAMENTO EM LISTAGEM NÃO É ÓBICE À SUA CONCESSÃO. AUSÊNCIA DE CONHECIMENTO TÉCNICO DO PODER JUDICIÁRIO PARA ALTERAR A PRESCRIÇÃO MÉDICA. BENEFÍCIO DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA. COMPROVAÇÃO DA NECESSIDADE. PAGAMENTO DE DESPESAS PROCESSUAIS. POSSIBILIDADE. CUSTAS PROCESSUAIS. AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. VERBA HONORÁRIA MAJORADA. APELAÇÃO DO ESTADO PARCIALMENTE CONHECIDA E DESPROVIDA. APELAÇÃO DA PARTE AUTORA PROVIDA. SENTENÇA CONFIRMADA, NO MAIS, EM REEXAME NECESSÁRIO CONHECIDO EX OFFICIO. (Apelação e Reexame Necessário Nº 70053158549, Primeira Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Luiz Felipe Silveira Difini, Julgado em 24/04/2013)

TJ-PE - Agravo Regimental AGR 184886 PE 01848862 (TJ-PE)

Data de publicação: 12/05/2009

Ementa: de arritmias e aptidão cardiorrespiratória excelente. EXAME NORMAL.", que se coadunou como parecer cardiológico (fl. 58) subscrito pelo médico que assistiu ao agravante, que asseverou:"Paciente assintomático; sem co-morbidades; exame cardiológico normal; ECG, RSR, BRD incompleto; teste ergométrico e ecocardiograma normais. Conclusão:" APTO "para a atividade profissional proposta.". 4.Malgrado as conclusões do exame apresentado pelo agravante lhe serem favoráveis e não constatarem moléstias ou distúrbios de ordem cardiovascular, a Comissão de Saúde o eliminou do certame, mediante parecer (fl. 40) que concluiu que o candidato era "inapto, de acordo com o item do edital VIII.04", sem qualquer alusão à causa direta da inaptidão, nem tampouco especificação da enfermidade de ordem cardíaca apresentada pelo agravante e que, nos moldes da Portaria do Comando Geral da PMPE nº 044/94, fosse impeditiva do acesso à Polícia Militar do Estado. 5.Da literalidade do Anexo Único do instrumento convocatório do certame em tela, infere-se que o item 4 do inciso VIII refere-se às "arritmias cardíacas e transtornos de condução", moléstia esta atribuída ao agravante pelo subscritor do resultado da avaliação de saúde, sem, contudo, explicitar quais os fundamentos para tal conclusão, ou seja, sem especificar em que se baseia tal afirmação, já que o exame ergométrico por ele apresentado não foi indicativo de disfunções cardiovasculares. 6.Se por um lado, a Administração Pública, no exercício do seu poder discricionário pode eleger os requisitos necessários ao ingresso no serviço público, que se ajustem com a conveniência e oportunidade administrativas, por outro viés faz-se mister ressaltarmos que todo ato administrativo há de ser motivado, sendo certo, outrossim, que tal motivação necessariamente tem de corresponder a uma finalidade pública e real. 7.A eliminação em apreço foi implda sem que tenha sido dado ao candidato/agravante a oportunidade de ter ciência dos reais motivos que a ela deram ensejo, o que implicou óbice intransponível a que ele pudesse se insurgir administrativamen...

TJ-RJ - APELAÇÃO CRIMINAL APR 00027636520118190007 RJ 0002763-65.2011.8.19.0007 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/09/2014

Ementa: Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Primeira Turma Recursal Apelação nº 0002763-65.2011.8.19.0007 Apelante: Mônica Letícia Marques Haritoff Apelado: Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro Relator: Juiz FÁBIO UCHÔA PINTO DE MIRANDA MONTENEGRO Art. 129 caput do CP. Processo com adiamento de AIJ a pedido da Defesa, que alega ter exame médico marcado. Nova AIJ designada, com pedido reiterado de exame da Apelante, que não é confirmado pelo OJA. Réu que abusa do direito postulatório. Não há que se falar em cerceamento de Defesa. Afastadas todas as preliminares arguídas. Correta decretação da Revelia. Prova oral que se mostra suficientemente segura para o Juízo de reprovação. Sentença que condena a Apelante no crime de lesão corporal leve, à pena de 03 (três) meses de detenção, em regime aberto e, substituída por pena pecuniária no valor de R$678,00 (seiscentos e setenta e oito reais) à entidade Assistencial Fundação do RIM, com advertência do § 4º do artigo 44, do Código Penal. Pena devidamente aplicada. Não provimento do Recurso. V O T O Trata-se de Recurso de Apelação interposto por Mônica Letícia Marques Haritooff em face da sentença de fls. 857/865, do Juizado Especial Criminal e Violência Doméstica Familiar e da Mulher da Comarca de Barra Mansa, que julgou procedente a pretensão punitiva estatal, condenando a Apelante como incurso no Art. 129 caput do Código Penal, à pena privativa de liberdade total de 03 (três) meses de detenção, em regime aberto, substituindo a pena privativa de liberdade em restritiva de direitos, ou seja, prestação pecuniária, com a advertência do § 4º do artigo 44, do Código Penal. Aduz a Apelante às fls. 913/941, que a sentença deve ser reformada, por ser a medida de extrema violência, uma vez que Apelante foi acometida por uma enfermidade no coração arritmia cardíaca, e como o tratamento químico de saúde da Apelante no Hospital Casa de Saúde Santa Maria, não teve muito sucesso, pois a pressão arterial da Apelante estava...

TJ-SC - Mandado de Segurança MS 20120161965 SC 2012.016196-5 (Decisão Monocrática) (TJ-SC)

Data de publicação: 28/07/2013

Encontrado em: que concluiu pela ausência de arritmias, negativo para isquemia do miocárdio e boa aptidão física

TJ-RS - Inteiro Teor. Apelação Cível: AC 70053523783 RS

Data de publicação: 17/06/2013

Decisão: . Ausência de arritmias. Comentários do ECG durante a fase de recuperação: Ausência de alterações... e cronotrópica adequadas. Ausência de arritmias. Teste ergométrico sem alterações significativas... máxima prevista. Comentários do ECG de repouso: Ausência de alterações significativas da repolarização...

1 2 3 4 5 80 81 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca