Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
31 de julho de 2015

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 01488001720095010061 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 24/04/2014

Ementa: DIREITO DE IMAGEM. AUTORIZAÇÃO TÁCITA. Pelos elementos da reportagem, não se pode negar ter havido uma autorização tácita na utilização da imagem, tendo em vista a entrevista concedida, inclusive, por outros empregados da reclamada juntamente com o autor, que também figuram na imagem, com dados pessoais. A simples publicação da imagem não enseja a indenização pleiteada, a não ser que utilizada de forma indevida.

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 9011120105010051 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 07/03/2013

Ementa: ASSISTÊNCIA MÉDICA E ODONTOLÓGICA. DESCONTOS SALARIAIS. AUTORIZAÇÃO TÁCITA. A matéria encontra-se cristalizada na súmula nº 342, do egrégio TST. A posição jurisprudencial dominante, no entanto, não contempla a hipótese de autorização tácita, como pretendem as reclamadas.

TJ-RS - Recurso Cível 71004875241 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 03/09/2014

Ementa: RECURSO INOMINADO. COBRANÇA. COMISSÃO DE CORRETAGEM. ATUAÇÃO DO AUTOR COMO CORRETOR. AUTORIZAÇÃO TÁCITA DA VENDEDORA. SENTENÇA MANTIDA. Legitimidade ativa e interesse de agir: apesar de não ter nenhum documento assinado pela requerida dando poderes ao autor para vender seu imóvel, consta nos autos a autorização tácita, pois, de acordo com a prova testemunhal (fls. 53), resta inequívoco que o autor atuou como corretor e que a venda das terras foi realizada após a prestação dos seus serviços, os quais foram determinantes para a finalização do negócio. Legitimidade passiva: não há qualquer relevância a existência ou inexistência de relacionamento amoroso entre os requeridos para o objeto da ação. A legitimidade passiva da requerida se justifica pela própria venda da propriedade e recebimento do preço, fato incontroverso nos autos. Ademais, alguma relação há entre as partes, uma vez que o endereço indicado como residência de ambas é o mesmo (fls. 02), local onde não houve qualquer dificuldade para recebimento da citação, bem como, estão representados pelo mesmo procurador. Estranhamente, o requerido não indica qualquer outro endereço, a fim de demonstrar que as afirmações do autor a respeito de sua residência estão equivocadas. Valor da venda: duas testemunhas arroladas no feito noticiaram que a venda realizada foi no valor de R$ 130.000,00. Assim, corretamente arbitrado o montante de R$ 7.800,00 a título de corretagem, correspondente a 6% do valor da venda e incidente sobre o valor constante na escritura pública. RECURSO IMPROVIDO. (Recurso Cível Nº 71004875241, Quarta Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Glaucia Dipp Dreher, Julgado em 29/08/2014)

TJ-MG - Apelação Cível AC 10024060092921001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 19/04/2013

Ementa: AÇÃO DE COBRANÇA - ÔNUS DA PROVA - ARTIGO 333 DO CPC - CONSERTO DE CAMINHÕES DE TRANSPORTE DE LEITE - AUTORIZAÇÃO TÁCITA DA PROPRIETÁRIA - SERVIÇO EFETIVAMENTE PRESTADO - ENRIQUECIMENTO ILÍCITO - VEDAÇÃO. Constitui dever do autor comprovar nos autos os fatos constitutivos de seu direito e do réus os fatos impeditivos, modificativos ou extintivos no alegado na exordial, segundo determinação do artigo 333 , do Código de Processo Civil . Admitindo a ré, ao contestar a ação de cobrança em contrato de prestação de serviços, a existência do fato constitutivo da relação de direito material invocado pelo autor, a saber, o conserto de seus automóveis, cabe-lhe o efetivo pagamento, em razão da autorização tácita oriunda de negócios anteriores realizados entre as partes, buscando, principalmente evitar o enriquecimento ilícito da requerida.

TJ-RS - Recurso Cível 71004577565 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 08/05/2014

Ementa: RECURSO INOMINADO. DÉBITO EM CONTA. GUIA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. ALEGAÇÃO DE APOSENTADORIA. AUSÊNCIA DE PROVA DA COMUNICAÇÃO À RECORRIDA DE TAL SITUAÇÃO. DESCONTO QUE PERDUROU POR DEZ ANOS. AUTORIZAÇÃO TÁCITA. SENTENÇA MANTIDA. Em que pese sustente o autor estar aposentado desde 1995, não trouxe comprovação de que comunicou à recorrida tal fato, a fim de cessar os descontos efetuados em sua conta, para fins de recolhimento das contribuições à Previdência Social. Ademais, tendo estes persistido por mais de dez anos, não é verossímil a ausência de anuência do autor, pois esta foi concedida ainda que tacitamente. Recolhimento da GPS que restou demonstrada nos autos, não tendo a recorrida qualquer beneficio pelos descontos efetuados na conta do autor. Entendendo o recorrente que o recolhimento não era devido, deve buscar da autarquia previdenciária, destinatária dos descontos, a repetição. Sentença mantida. RECURSO DESPROVIDO. UNÂNIME. (Recurso Cível Nº 71004577565, Primeira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Pedro Luiz Pozza, Julgado em 06/05/2014)

TJ-RJ - APELAÇÃO APL 00159137920128190007 RJ 0015913-79.2012.8.19.0007 (TJ-RJ)

Data de publicação: 13/03/2015

Ementa: APELAÇÕES CÍVEIS. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. REPORTAGEM JORNALÍSTICA NARRANDO ENVOLVIMENTO DA AUTORA NA PRÁTICA DE CRIME. ALEGAÇÃO DE USO INDEVIDO DE IMAGEM. ENTREVISTA CONCEDIDA QUE CONFIGURA AUTORIZAÇÃO TÁCITA. DANO MORAL NÃO CONFIGURADO. REFORMA DA SENTENÇA. IMPROCEDÊNCIA. 1. Cinge-se a demanda acerca da existência de dano moral decorrente de matéria de reportagem do jornal televisivo da apelada que afirma ter sido a autora participante de um bando de malfeitores atuantes no tráfico de drogas. 2. A sentença acolheu em parte o pedido inicial para condenar a ré ao pagamento de indenização por dano moral no valor de R$ 25.000,00. 3. A liberdade de imprensa deve ser praticada por quem de direito, dentro dos limites externos, devendo-se conformar com outros direitos fundamentais também contidos em nível constitucional, cabendo analisar na presente hipótese se houve comprovação de abuso de direito por parte da empresa jornalística apelante capaz de gerar o dever de indenizar. 4. Sustenta a demandante que no dia 17/05/2012, ao assistir um programa na Rede Bandeirantes denominado "Boa Tarde Interior", deparou-se com noticia envolvendo seu nome, expondo de forma agressiva fatos relativos a processo criminal, relacionando-a a uma pretensa quadrilha de tráfico de drogas atuante na cidade de Barra Mansa. 5. É fato incontroverso que a ora apelada foi presa em flagrante com cinco quilos de droga armazenada em mochila debaixo de sua cama, figurando como acusada em processo criminal, tendo sido condenada. 6. Se algum dano foi causado a sua imagem, certamente ocorreu por sua culpa exclusiva ao ter se envolvido no evento narrado, tendo sido a recorrida condenada na esfera criminal, ainda que sob o regime aberto de cumprimento da pena. 7. Abuso do direito de informar não caracterizado. Precedentes do STJ e deste Tribunal. 8. Ausência do dever de indenizar. 9. Reforma da sentença para julgar improcedente o pedido autoral. Inversão do ônus sucumbencial. 10. Provimento do segundo recurso (ré), restando prejudicado o primeiro apelo (autora)....

TJ-RS - Recurso Cível 71004089017 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 16/12/2013

Ementa: CONSUMIDOR. ENERGIA. INCLUSÃO DE RUBRICA (CONTRIBUIÇÃO A HOSPITAL DE CARIDADE) EM CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA. CASO CONCRETO QUE EXIGE SOLUÇÃO POR EQUIDADE. AUTORIZAÇÃO TÁCITA DO CONSUMIDOR QUE, POR LONGO PERÍODO, PAGA NORMALMENTE AS FATURAS. REPETIÇÃO DESCABIDA. DANO MORAL NÃO CONFIGURADO. DIREITO AO CANCELAMENTO RECONHECIDO. RECURSO PROVIDO EM PARTE. (Recurso Cível Nº 71004089017, Terceira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Cleber Augusto Tonial, Julgado em 12/12/2013)

TJ-MS - Apelação APL 00039667120088120004 MS 0003966-71.2008.8.12.0004 (TJ-MS)

Data de publicação: 18/01/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER - ADJUDICAÇÃO COMPULSÓRIA - CONTRATO VERBAL - PRELIMINAR DE NULIDADE DE SENTENÇA AFASTADA - INÉPCIA DA INICIAL - OUTORGA UXÓRIA - DEMONSTRADA A AUTORIZAÇÃO TÁCITA - RECURSO NÃO PROVIDO O efeito devolutivo da apelação previsto no art. 515 , § 1º , do CPC proporciona ao Tribunal ad quem o conhecimento de todas as matérias discutidas no processo. Não é inepta a inicial que contém os fundamentos de fato e de direito e proporciona o pleno contraditório. Nos contratos verbais, a autorização do cônjuge sobre a venda do bem imóvel é baseada nos elementos probatórios existentes nos autos.

TJ-SP - Apelação APL 00527932220098260576 SP 0052793-22.2009.8.26.0576 (TJ-SP)

Data de publicação: 15/05/2013

Ementa: APELAÇÃO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AUTOMÓVEL SINISTRADO SEGURADORA NÃO EFETUOU O PAGAMENTO DO VALOR DO CONSERTO CLÁUSULA CONTRATUAL QUE DETERMINA QUE A SEGURADORA DEVE ENCAMINHAR O VEÍCULO PARA OFICINA QUE ESTEJA DE ACORDO COM OS SEUS INTERESSES AUSÊNCIA DE PROVAS NESSE SENTIDO SILÊNCIO DA RÉ DEVE SER INTERPRETADO COMO AUTORIZAÇÃO TÁCITA PARA INÍCIO DO CONSERTO NA OFICINA AUTORA. Recurso não provido.

TJ-RS - Apelação Cível AC 70043910140 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 14/09/2011

Ementa: NEGÓCIOS JURÍDICOS BANCÁRIOS. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. ALEGAÇÃO DE PRESCRIÇÃO AFASTADA. APLICAÇÃO DO ART. 2.028 DO NCCB. AUTORIZAÇÃO TÁCITA DO CORRENTISTA PARA APLICAÇÃO DE SEU DINHEIRO EM FUNDO DE AÇÕES. AUSÊNCIA DE ILÍCITO. APELAÇÃO PROVIDA. (Apelação Cível Nº 70043910140, Décima Sétima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Elaine Harzheim Macedo, Julgado em 08/09/2011)

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca