Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
01 de novembro de 2014

TJ-SP - Agravo de Instrumento AI 990101565765 SP (TJ-SP)

Data de publicação: 14/10/2010

Ementa: A base de cálculo das custas finais corresponde ao valor do acordo celebrado entre as partes.

TJ-RS - Agravo de Instrumento AG 70051353142 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 09/11/2012

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RESPONSABILIDADE CIVIL. CUSTAS PROCESSUAIS. BASE DE CÁLCULO. VALOR DA CONDENAÇÃO. DANO MORAL. O cálculo das custas finais deve ser elaborado a partir do valor efetivo da condenação e não do montante meramente estimativo apontado na inicial. AGRAVO DE INSTRUMENTO PROVIDO, EM DECISÃO MONOCRÁTICA. (Agravo de Instrumento Nº 70051353142, Sexta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Artur Arnildo Ludwig, Julgado em 05/11/2012)

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70051353142 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 09/11/2012

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RESPONSABILIDADE CIVIL. CUSTAS PROCESSUAIS. BASE DE CÁLCULO. VALOR DA CONDENAÇÃO. DANO MORAL. O cálculo das custas finais deve ser elaborado a partir do valor efetivo da condenação e não do montante meramente estimativo apontado na inicial. AGRAVO DE INSTRUMENTO PROVIDO, EM DECISÃO MONOCRÁTICA. (Agravo de Instrumento Nº 70051353142, Sexta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Artur Arnildo Ludwig, Julgado em 05/11/2012)

TJ-SP - Agravo de Instrumento AI 851498120118260000 SP 0085149-81.2011.8.26.0000 (TJ-SP)

Data de publicação: 15/08/2011

Ementa: Agravo de instrumento - Acidente de trânsito - Ação de ressarcimento de danos materiais e morais - Homologação de acordo celebrado entre as partes - Base de cálculo das custas finais previstas no art. 4o , III , da Lei Estadual 11.608 /03 - Valor da avença - Precedente desta Col. Câmara - Recurso provido, com determinação.Dada a omissão legislativa, lícito concluir que as custas finais devem ser calculadas sobre o valor efetivamente satisfeito, seja na execução forçada, seja por força de acordo. Tal orientação fala de perto ao princípio maior, da acessibilidade ampla da jurisdição e, mesmo, com o da menor onerosidade do processo.

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO AgRg no Ag 1208487 MG 2009/0125988-5 (STJ)

Data de publicação: 15/12/2010

Ementa: CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO DE INSTRUMENTO. REPRESENTAÇÃO COMERCIAL. ANUÊNCIA TÁCITA. SÚMULA N. 7 -STJ. INCLUSÃO DO IPI. VALOR FINAL DO PRODUTO. BASE DE CÁLCULO. JUSTIÇA GRATUITA. DESNECESSIDADE DE PRÉVIO RECOLHIMENTO DE CUSTAS ANTERIORES. DESPROVIMENTO. I. "A pretensão de simples reexame de prova não enseja recurso especial" (Súmula n. 7 -STJ). II. Segundo o art. 32 , § 4º da Lei n. 8.420 /1992, o cálculo da comissão, em se tratando de representação comercial, deve ser o preço total do produto, incluídos os impostos. III. Estando o litigante sob o pálio da justiça gratuita, resta mitigada a regra que determina o prévio recolhimento das custas do processo anterior. IV. Agravo regimental improvido.

TJ-MG - Agravo de Instrumento Cv AI 10079940106739002 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 06/05/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. PEDIDO DE REDUÇÃO DAS CUSTAS FINAIS - CÁLCULO ELABORADO SEM DISCRIMINAÇÃO DOS VALORES PARA AS LIDES PRINCIPAL E SECUNDÁRIA - DETERMINAÇÃO PARA QUE NOVO CÁLCULO SEJA REALIZADO. - Apurando-se que a contadoria do juízo elaborou o cálculo das custas e despesas finais sem discriminar os valores devidos em relação às lides principal e secundária, deve ser dado provimento ao recurso para postergar o exame do pedido de redução do valor apontado e determinar nova realização do cálculo, com a devida discriminação.

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70048331508 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 20/04/2012

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. SEGUROS. AÇÃO DE COBRANÇA. BASE DE CÁLCULO DA CONTA DE CUSTAS FINAIS. Na hipótese de transação entre as partes litigantes, a base de cálculo para a conta de custas finais em aberto corresponderá ao valor do acordo celebrado, e não aquele inicialmente atribuído à causa, na petição inicial. AGRAVO PROVIDO, NOS TERMOS DO ART. 557 , § 1º-A , DO CPC . (Agravo de Instrumento Nº 70048331508, Quinta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Romeu Marques Ribeiro Filho, Julgado em 16/04/2012)

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70045521838 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 13/10/2011

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. INVENTÁRIO. GRATUIDADE JUDICIÁRIA. PAGAMENTO DE CUSTAS AO FINAL. CUSTAS PROCESSUAIS. TAXA JUDICIÁRIA. BASE DE CÁLCULO. EXCLUSÃO DA MEAÇÃO DO CÔNJUGE SUPÉRSTITE. 1. Em razão do valor atribuído ao acervo hereditário, incabível a concessão da assistência judiciária gratuita. No entanto, momentaneamente não tendo liquidez o patrimônio do Espólio, é possível que as custas sejam recolhidas ao final do processo. 2. A meação do cônjuge supérstite, por não ser objeto de transmissão em decorrência da abertura da sucessão e não se enquadrar no conceito de...

TJ-MG - Agravo de Instrumento Cv AI 10024113270227001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 03/05/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE CONVERSÃO DE SEPARAÇÃO EM DIVÓRCIO - CUSTAS PROCESSUAIS FINAIS - CÁLCULO QUE USA COMO REFERÊNCIA VALOR DOS BENS JÁ PARTILHADOS NA AÇÃO DE SEPARAÇÃO JUDICIAL - DESCABIMENTO - NOVO CÁLCULO - ÔNUS A SER SUPORTADO PELA AUTORA - RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. 1. É indevida a cobrança das custas finais, em ação de conversão de separação judicial em divórcio, calculadas com base no valor dos bens do casal, partilhados na anterior ação de separação, os quais sequer foram objeto de questionamento no feito. 2. As custas processuais devem ser suportadas pela autora, uma vez que não houve resistência por parte do varão com relação ao pedido de conversão da separação em divórcio. 3. Recurso parcialmente provido.

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70044754133 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 15/04/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. PROCESSUAL CIVIL. RECOLHIMENTO DAS CUSTAS AO FINAL DO PROCESSO. CÁLCULO COM BASE NO VALOR DA CONDENAÇÃO. HIPÓTESE EXPRESSAMENTE PREVISTA NA LEI Nº 8.121/85, QUE DISPÕE O REGIMENTO DE CUSTAS DO ESTADO. É sobre o valor da causa que se calculam as custas judiciais. Paralelamente, a Lei Processual Civil admite a atribuição do "valor de alçada" naqueles casos em que não há definição do conteúdo econômico buscado pela parte, por este não ser mensurável quando do ajuizamento da inicial. Contudo, havendo sentença definitiva, o conteúdo econômico passa a ser determinado. Em tal hipótese, a Lei de Regimento de Custas prevê a complementação das custas com base no valor determinado na condenação. NEGARAM PROVIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. UNÂNIME. (Agravo de Instrumento Nº 70044754133, Sexta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Luís Augusto Coelho Braga, Julgado em 11/04/2013)

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca