Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
28 de novembro de 2014

TST - RECURSO DE REVISTA RR 2907420105090006 290-74.2010.5.09.0006 (TST)

Data de publicação: 20/09/2013

Ementa: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. POSSIBILIDADE. Embora não haja previsão expressa na CLT acerca do formalismo inerente ao contrato de experiência, a jurisprudência assentou-se no entendimento da necessidade de certa formalidade para a configuração válida dessa modalidade de contrato de trabalho, seja por meio de anotação na CTPS, seja por contrato escrito. Entretanto, não se exige formalidade alguma para a prorrogação desse tipo de contrato de trabalho, podendo ocorrer de forma tácita ou expressa, uma única vez, desde que não ultrapassado o prazo de 90 dias. Esse entendimento é resultado de interpretação lógico-sistemática dos artigos 445 , parágrafo único , e 451 da CLT . Ademais, dispõe a Súmula nº 188 desta Corte, in verbis : -CONTRATO DE TRABALHO. EXPERIÊNCIA. PROROGAÇÃO O contrato de experiência pode ser prorrogado, respeitado o limite máximo de 90 (noventa) dias. - No caso dos autos, é incontroverso que a reclamante foi contratada nessa modalidade, por meio de contrato escrito, no qual se previa sua prorrogação automática, ao término do prazo de 45 dias. Nesse contexto, havendo sido o contrato de experiência celebrado por meio de contrato escrito, no qual foi prevista a prorrogação tácita, de modo que sua vigência não ultrapassasse 90 dias, não se configura sua invalidade. Recurso de revista conhecido e provido. ESTABILIDADE DA GESTANTE. CONCEPÇÃO NO CURSO DO CONTRATO DE EXPERIÊNCIA . O artigo 10, inciso II, alínea b, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias veda a dispensa arbitrária da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. O citado dispositivo da Constituição Federal foi interpretado pela jurisprudência desta Corte, consoante o disposto na Súmula nº 244, item I, do TST, segundo o qual: -O desconhecimento do estado gravídico pelo empregador não afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da estabilidade (art. 10, inciso II, alínea 'b', do ADCT)- . É condição essencial para...

TST - RECURSO DE REVISTA RR 2598004620095020044 259800-46.2009.5.02.0044 (TST)

Data de publicação: 23/08/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - PRORROGAÇÃO TÁCITA. Ante a razoabilidade da tese de violação ao artigo 451 da Consolidação das Leis do Trabalho , recomendável o processamento do recurso de revista, para exame da matéria veiculada em suas razões. Agravo provido. RECURSO DE REVISTA. CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - PRORROGAÇÃO TÁCITA. No presente caso, o contrato firmado com o reclamante não excedeu noventa dias, uma vez que foi prevista a duração de quarenta e cinco dias e , automaticamente, prorrogado por igual período. Não existe , na legislação trabalhista , qualquer exigência quanto à forma como a prorrogação do contrato de trabalho por prazo determinado ocorrerá. A exigência é, tão somente , quanto a uma única prorrogação e que seja respeitado o prazo máximo de 90 dias do contrato de experiência, como ocorreu no caso. Nesse contexto, não há como reconhecer a nulidade do contrato temporário em face da prorrogação tácita, uma vez que não há amparo normativo nesse sentido. Recurso de revista conhecido e provido. MULTA POR EMBARGOS DE DECLARAÇÃO PROTELATÓRIOS (arguição de violação do artigo 538 , parágrafo único , do Código de Processo Civil ). Não demonstrada a violação à literalidade de dispositivo de lei federal, não há que se determinar o seguimento do recurso de revista com fundamento na alínea c do artigo 896 da CLT . Recurso de revista não conhecido . AGRAVO DE INSTRUMENTO

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 11101220105010008 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 17/10/2012

Ementa: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. VALIDADE. Não há qualquer óbice para que o contrato por prazo determinado, incluído o contrato de experiência, seja prorrogado tacitamente, pelo que se depreende da análise do artigo 451 da Consolidação das Leis Trabalhistas .

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 00003532720135010262 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 13/02/2014

Ementa: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. VALIDADE. Desde que o contrato de experiência obedeça ao limite de 90 dias ( parágrafo único do artigo 445 da CLT ) e não seja prorrogado mais de uma vez (artigo 451 da CLT ), mantém as mesmas características, não se transformando em prazo indeterminado. Assim, por não haver exigência legal para que a prorrogação seja avençada de forma expressa e formal, pode-se concluir que dispensa qualquer cumprimento de formalidades tal como anotação na CTPS. , seja porque não comprovado vício de vontade no acerto do Termo de Prorrogação, seja porque a prorrogação pode se operar de forma tácita, não exigindo formalidade para sua efetivação, tem-se como válida a prorrogação do contrato de experiência, com término em 31/08/2012. Recurso provido.

TRT-3 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00434201210403009 0000434-42.2012.5.03.0104 (TRT-3)

Data de publicação: 12/12/2012

Ementa: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. IMPOSSIBILIDADE. Como a celebração do contrato de experiência deve ser feita por escrito não é cabível sua prorrogação tácita tendo em vista o princípio da continuidade da relação de emprego. Ausente a formalização da prorrogação do contrato de experiência, conclui-se pela indeterminação do contrato de trabalho.

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 15489220115010011 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 05/03/2013

Ementa: RECURSO ORDINÁRIO. CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. INADMISSIBILIDADE. O contrato de experiência é excepcional e, portanto, todos os seus elementos devem ficar expressos. A figura da prorrogação tácita não pode ser admitida. Uma vez que o trabalhador continue em atividade após encerrado o período originalmente previsto, convola-se o ajuste em contrato por tempo indeterminado

TRT-1 - Recurso Ordinário RO 11054520105010022 RJ (TRT-1)

Data de publicação: 15/08/2012

Ementa: RECURSO ORDINÁRIO. CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. INADMISSIBILIDADE. O contrato de experiência é excepcional e, portanto, todos os seus elementos devem ficar expressos. A figura da prorrogação tácita não pode ser admitida. Uma vez que o trabalhador continue em atividade após encerrado o período originalmente previsto, convola-se o ajuste em contrato por tempo indeterminado.

TRT-3 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00333201104803003 0000333-13.2011.5.03.0048 (TRT-3)

Data de publicação: 24/10/2012

Ementa: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. O ordenamento justrabalhista admite o contrato por prazo determinado apenas em situações excepcionais, permitida a sua prorrogação nos termos do art. 451 da CLT , de forma expressa ou tácita, mas esta última possibilidade deve constar expressamente dos termos da avença, sob pena de ser necessária manifestação expressa das partes nessa direção, inclusive para precisar o tempo da prorrogação.

TRT-3 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 02257201109303005 0002257-21.2011.5.03.0093 (TRT-3)

Data de publicação: 24/08/2012

Ementa: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. O contrato de experiência, conforme legislado, não é passível de contratação tácita, devendo, obrigatoriamente, haver um mínimo de formalização de seus termos para que seja válido. Da mesma forma, deve ser operada a prorrogação de seu prazo. Ausente o novo prazo para o termo do contrato de trabalho, com anuência expressa do reclamante, desconfigura-se a modalidade contratual, tornando o contrato por prazo indeterminado.

TST - RECURSO DE REVISTA RR 788009820055010071 78800-98.2005.5.01.0071 (TST)

Data de publicação: 19/06/2009

Ementa: RECURSO DE REVISTA. CONTRATO DE EXPERIÊNCIA. PRORROGAÇÃO TÁCITA. INEXISTÊNCIA DE CLÁUSULA DE PRORROGAÇÃO AUTOMÁTICA . - Embora haja previsão na legislação trabalhista de prorrogação do contrato de experiência, a prorrogação tácita do contrato de trabalho não pode ser presumida, pois é necessário que se conclua, por manifestação de ambas as partes (empregado e empresa), o desejo de prosseguir no ajuste pré-determinado -.(TST-RR-1881/2005-065-02-00.3, 6 ª Turma, Rel. Min. Aloysio Corrêa da Veiga, DEJT 12.12.2008). Consignado pela Corte Regional que não houve ajuste expresso das partes no sentido de efetivamente prorrogar o contrato de trabalho, tampouco existiu cláusula prevendo a prorrogação automática do contrato, o elastecimento tácito do pacto laboral não pode ser presumido, ante a ausência de manifestação das partes da intenção de continuar o ajuste pré-determinado. Recurso de revista conhecido e não-provido.

1 2 3 4 5 145 146 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca