Carregando...
Jusbrasil - Jurisprudência
26 de julho de 2016

TJ-SP - Apelação APL 91227934120078260000 SP 9122793-41.2007.8.26.0000 (TJ-SP)

Data de publicação: 25/02/2013

Ementa: ISS. COOPERATIVA DE PROFESSORES E TRADUTORES. Mandado de Segurança - Cooperativa Profissionais de prestação de serviços - ISS Incidência Direito líquido e certo Ausência de demonstração: Se a cooperativa impetrante não instrui a inicial com prova documental de que os serviços tributados consubstanciam-se em atos cooperados, permanece íntegra a cobrança de ISS que se pretendia desconstituir por meio da estreita via do mandado de segurança. RECURSO NÃO PROVIDO.

TST - RECURSO ORDINARIO EM ACAO CIVIL PUBLICA ROACP 4922294019985235555 492229-40.1998.5.23.5555 (TST)

Data de publicação: 27/10/2000

Ementa: COOPERATIVA DE PROFESSORES - AÇÃO CIVIL PÚBLICA - MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO - POSSIBILIDADE DA AÇÃO - O Ministério Público do Trabalho ajuizou Ação Civil Pública com vistas a impedir que determinada cooperativa de professores contratasse pessoal sem assegurar o vínculo trabalhista.O TRT não admitiu a Ação, entendendo que se buscava, no caso, a defesa de interesses individuais.Dando parecer em recurso da Procuradoria Regional, o Subprocurador-Geral do Trabalho entendeu que, efetivamente, neste caso, a situação era relacionada a direitos individuais.A rigor, em face da indivisibilidade do Ministério Público, parecer contrário da Subprocuradoria implica verdadeira desistência do Recurso do procurador regional. Mas, optou-se por se negar provimento ao Recurso.

TJ-RS - Agravo de Instrumento AI 70062802293 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 03/12/2014

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. ENSINO PARTICULAR. AÇÃO MONITÓRIA. PESSOA JURÍDICA. COOPROGRAN. BENEFÍCIO DA JUSTIÇA GRATUITA. É possível o deferimento do benefício da gratuidade da justiça à pessoa jurídica, desde que comprovada por documentos idôneos a efetiva necessidade. Súmula 481, do STJ. No caso concreto, trata-se de cooperativa de professores mantenedora do Colégio Mesquita, cujo balancete analítico apresentou déficit. Deferimento do benefício. AGRAVO PROVIDO, EM DECISÃO MONOCRÁTICA. (Agravo de Instrumento Nº 70062802293, Quinta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jorge André Pereira Gailhard, Julgado em 01/12/2014).

TJ-SP - Apelação APL 00018283820098260318 SP 0001828-38.2009.8.26.0318 (TJ-SP)

Data de publicação: 30/09/2015

Ementa: IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA – Fornecimento de mão-de-obra de profissionais docentes para a rede de ensino do Município de Leme, em caráter de substituição dos professores temporariamente afastados – Contratação direta por dispensa de licitação, seguida de adjudicação do objeto de concorrência pública à COOPROL (Cooperativa de Professores de Leme) – Irregularidades na contratação da cooperativa, criada açodadamente com a finalidade exclusiva de atender a situação emergencial – Afronta aos princípios que regem a Administração Pública, prescindindo para a caracterização dos atos ímprobos elemento volitivo extremado ou arquitetado – Aplicação das penalidades previstas no artigo 12 , inciso III , da Lei nº 8.429 /1992 – Apelação parcialmente provida para o fim de determinar a suspensão dos direitos políticos por três anos e a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.

TJ-DF - Apelação Cível APC 20120111919256 (TJ-DF)

Data de publicação: 09/06/2015

Ementa: DIREITO CIVIL. PROFESSOR. COOPERATIVA. EXCLUSÃO INDEVIDA. RESPONSABILIDADE. PERDA DE UMA CHANCE REAL. I - Evidente a probabilidade de que se não tivesse sido excluída dos quadros da cooperativa a apelante teria continuado a trabalhar e, em contrapartida, perceber remuneração mensal durante o período em que esteve indevidamente afastada. Trata-se, portanto, de chance real, não de mera esperança. II - O valor da indenização pela perda de uma chance não tem qualquer relação com os prejuízos sofridos pela parte. A indenização deve corresponder à própria chance, que o magistrado apreciará in concreto, e não ao lucro ou perda que dela era objeto. III - Deu-se provimento ao recurso.

TST - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA AIRR 1328002420075020015 132800-24.2007.5.02.0015 (TST)

Data de publicação: 21/06/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. VÍNCULO EMPREGATÍCIO. COOPERATIVA. PROFESSORA DE ENTIDADE DE ENSINO. SIMULAÇÃO E FRAUDE. TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA TAMBÉM CONFIGURADA. RECONHECIMENTO, PELA INSTÂNCIA ORDINÁRIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO, DO VÍNCULO EMPREGATÍCIO, CORRIGINDO A IRREGULARIDADE E RESTAURANDO O IMPÉRIO DA CONSTITUIÇÃO E DA CLT . DECISÃO DENEGATÓRIA. MANUTENÇÃO . O Direito do Trabalho, classicamente e em sua matriz constitucional de 1988, é ramo jurídico de inclusão social e econômica, concretizador de direitos sociais e individuais fundamentais do ser humano (art. 7º , CF ). Volta-se a construir uma sociedade livre, justa e solidária (art. 3º , I , CF ), erradicando a pobreza e a marginalização e reduzindo as desigualdades sociais e regionais (art. 3º , IV , CF ). Instrumento maior de valorização do trabalho e especialmente do emprego (art. 1º , IV , art. 170 , caput e VIII, CF ) e veículo mais pronunciado de garantia de segurança, bem-estar, desenvolvimento, igualdade e justiça às pessoas na sociedade econômica (Preâmbulo da Constituição ), o Direito do Trabalho não absorve fórmulas diversas de precarização do labor, como a parassubordinação e a informalidade. Registre-se que a subordinação enfatizada pela CLT (arts. 2º e 3º) não se circunscreve à dimensão tradicional, subjetiva, com profundas, intensas e irreprimíveis ordens do tomador ao obreiro. Pode a subordinação ser do tipo objetivo, em face da realização, pelo trabalhador, dos objetivos sociais da empresa. Ou pode ser simplesmente do tipo estrutural, harmonizando-se o obreiro à organização, dinâmica e cultura do empreendimento que lhe capta os serviços. Presente qualquer das dimensões da subordinação (subjetiva, objetiva ou estrutural), considera-se configurado esse elemento fático-jurídico da relação de emprego. No caso concreto , o TRT consigna que a segunda Reclamada, sob o manto de uma cooperativa, agiu de maneira a dissimular o vínculo empregatício existente entre a Reclamante e a primeira...

TJ-MG - Apelação Cível AC 10024082462557001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 07/02/2014

Ementa: APELAÇÃO - AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO AO CARGO DE PROFESSOR - COOPERATIVA DOS PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO - DELIBERAÇÃO DA ASSEMBLÉIA - AUSÊNCIA DE VÍCIOS DO EDITAL DE CONVOCAÇÃO - MATÉRIA DE NATUREZA INTERNA - NÃO APROVAÇÃO DAS CONTAS DO EXERCÍCIO EM QUE ESTEVE À FRENTE DA DIRETORIA - RECURSO IMPROVIDO. Improcede pedido de reintegração ao cargo de professor se o afastamento deu-se por razão plausível e a assembléia realizou-se regularmente. v.v.: AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE COOPERADO - DIRETOR PRESIDENTE E PROFESSOR - EXCLUSÃO TEMPORÁRIA EM RAZÃO DE CONTAS NÃO APROVADAS - DELIBERAÇÃO DA ASSEMBLÉIA - EDITAL DE CONVOCAÇÃO NÃO ESPECÍFICO - INOBSERVÂNCIA AO DEVIDO PROCESSO LEGAL E AO CONTRADITÓRIO - CERCEAMENTO DE DEFESA - RECURSO PROVIDO. Não pode ser considerada regular a decisão emanada por assembléia para afastamento de membro cooperado se não constou do edital de convocação a possibilidade de haver penalização de gestor em razão de contas não aprovadas. A convocação para assuntos diversos não pode servir de justificativa para decisão de exclusão de cooperado, mesmo que temporária, já que tal medida somente é lícita se observados o devido processo legal e o contraditório.

TRT-4 - Recurso Ordinário RO 1906200740104003 RS 01906-2007-401-04-00-3 (TRT-4)

Data de publicação: 30/04/2009

Ementa: PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIAO 055 CERTIDAO DE JULGAMENTO Processo TRT 01906-2007-401-04-00-3 (RO) PARTES: Saber - Cooperativa de Professores do Estado do Rio Grande do Sul (RECTE), Qi Escolas e Faculdades Ltda. (RECTE), Os Mesmos (RECDO), Candido Luiz Teles da Rosa (RECDO) CERTIFICO e dou fé que, em sessão realizada nesta data pela Egrégia 1a. Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4a. Região, sob a Presidência da Exma. Desembargadora ANA LUIZA HEINECK KRUSE, presentes os Exmos. Desembargadores IONE SALIN GONÇALVES e JOSÉ FELIPE LEDUR e o (a) Exmo (a). Procurador (a) do Trabalho, PAULO EDUARDO PINTO DE QUEIROZ, sendo relatora a Exma. Desembargadora ANA LUIZA HEINECK KRUSE, por unanimidade, negar provimento ao recurso da primeira reclamada. Por unanimidade, negar provimento ao recurso da segunda reclamada, mantendo-se a sentença por seus próprios fundamentos. Sustentou oralmente as razões da recorrente-ré (...)

TRT-4 - Recurso Ordinário RO 1494006320085040231 RS 0149400-63.2008.5.04.0231 (TRT-4)

Data de publicação: 05/05/2010

Ementa: COOPERATIVA DE TRABALHO. VÍNCULO DE EMPREGO. PROFESSOR. Contratação de trabalhador por meio de cooperativa que, na realidade, serviu como intermediadora de serviço. Atividade como professor estritamente ligada aos objetivos da reclamada. Trabalho prestado de forma não eventual, pessoal e subordinada, nos moldes dos arts. 2º e 3º da CLT . Vínculo de emprego caracterizado. Sentença mantida. (...)

TST - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA AIRR 47195920105070000 4719-59.2010.5.07.0000 (TST)

Data de publicação: 21/10/2011

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA - MUNICÍPIO DE IBIAPINA - CONTRATAÇÃO, POR INTERMÉDIO DE COOPERATIVA FORNECEDORA DE MÃO DE OBRA, DE PESSOAL PARA TRABALHAR NA FUNÇÃO DE PROFESSOR - TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA - INEXISTÊNCIA DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS LIGADOS À ATIVIDADE-FIM DO TOMADOR DOS SERVIÇOS - RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NÃO DECORRENTE DO MERO INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS POR PARTE DO PRESTADOR DOS SERVIÇOS - CONDUTA ILÍCITA E CULPOSA DO ADMINISTRADOR PÚBLICO - FUNDAMENTOS DA RESPONSABILIZAÇÃO IMPOSTA AO RECORRENTE - ARTS. 37 , II E § 2º , DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL , 186 E 927 DO CÓDIGO CIVIL - VIOLAÇÃO - OFENSA À DECISÃO PROFERIDA NA ADC Nº 16/STF - INEXISTÊNCIA. O STF, ao julgar a ADC nº 16, considerou o art. 71 da Lei nº 8.666 /93 constitucional, de forma a vedar a responsabilização da Administração Pública pelos encargos trabalhistas devidos pelo prestador dos serviços, nos casos de mero inadimplemento das obrigações trabalhistas por parte do vencedor de certame licitatório. Entretanto, ao examinar a referida ação, firmou o STF o entendimento de que, nos casos em que restar demonstrada a culpa in vigilando da Administração Pública, viável se torna a sua responsabilização pelos encargos devidos ao trabalhador, tendo em vista que, nessa situação, responderá pela sua própria incúria. Na hipótese dos autos, entretanto, o Tribunal de origem consignou que o recorrente, por intermédio de cooperativa que se destinava unicamente ao fornecimento de mão de obra à outra parte da avença, contratava pessoal para o exercício da função de professor, deixando clara a inexistência de qualquer dos elementos que caracteriza o fenômeno cooperado, quais sejam, o trabalho autônomo e a dupla condição do cooperado (associado da entidade em exame e beneficiário dos serviços prestados pela cooperativa). Percebe-se, assim, que a mencionada responsabilidade não decorre do mero inadimplemento das obrigações laborais por parte do prestador...

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×