Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
08 de fevereiro de 2016

TJ-SP - Embargos de Declaração ED 7677955001 SP (TJ-SP)

Data de publicação: 23/09/2008

Ementa: Recurso - Embargos de declaração - Contradição - Critério para cálculo do reajuste salarial - Compensação da Lei municipal 12397/97 - Descabimento - Embargos acolhidos, sem efeito modificativo. .

TRT-10 - Recurso Ordinário RO 169201301610003 DF 00468-2013-006-10-00-0 RO (TRT-10)

Data de publicação: 29/11/2013

Ementa: TRABALHADOR ANISTIADO. REAJUSTES SALARIAIS. CRITÉRIOS NORMATIVOS OBSERVADOS. PRETENSÃO IMPROCEDENTE. Hipótese em que são postulados reajustes salariais com base no valor inicial de remuneração dos trabalhadores anistiados que não conseguiram comprovar as parcelas remuneratórias auferidas antes de suas dispensas, posteriormente revertidas pela Lei 8.878 /94. Reclamante que logrou comprovar o padrão remuneratório auferido ao tempo da dispensa legalmente revertida. Impossibilidade de adoção dos valores e critérios estabelecidos para cálculo remuneratório inicial dos trabalhadores cuja remuneração não foi demonstrada. Ausência de prova de prejuízo financeiro em razão do critério fixado no Decreto 6.657 /2008. Incidência da Súmula 339 da Excelsa Corte. Precedente desta Corte Regional. Pretensão improcedente. Recurso conhecido e desprovido. I -

TRT-10 - Recurso Ordinário RO 2375201201210001 DF 00468-2013-006-10-00-0 RO (TRT-10)

Data de publicação: 29/11/2013

Ementa: TRABALHADOR ANISTIADO. REAJUSTES SALARIAIS. CRITÉRIOS NORMATIVOS OBSERVADOS. PRETENSÃO IMPROCEDENTE. Hipótese em que são postulados reajustes salariais com base no valor inicial de remuneração dos trabalhadores anistiados que não conseguiram comprovar as parcelas remuneratórias auferidas antes de suas dispensas, posteriormente revertidas pela Lei 8.878 /94. Reclamante que logrou comprovar o padrão remuneratório auferido ao tempo da dispensa legalmente revertida. Impossibilidade de adoção dos valores e critérios estabelecidos para cálculo remuneratório inicial dos trabalhadores cuja remuneração não foi demonstrada. Ausência de prova de prejuízo financeiro em razão do critério fixado no Decreto 6.657 /2008. Incidência da Súmula 339 da Excelsa Corte. Precedente desta Corte Regional. Pretensão improcedente. Recurso conhecido e desprovido. I -

TRT-10 - Recurso Ordinário RO 468201300610000 DF 00468-2013-006-10-00-0 RO (TRT-10)

Data de publicação: 29/11/2013

Ementa: TRABALHADOR ANISTIADO. REAJUSTES SALARIAIS. CRITÉRIOS NORMATIVOS OBSERVADOS. PRETENSÃO IMPROCEDENTE. Hipótese em que são postulados reajustes salariais com base no valor inicial de remuneração dos trabalhadores anistiados que não conseguiram comprovar as parcelas remuneratórias auferidas antes de suas dispensas, posteriormente revertidas pela Lei 8.878 /94. Reclamante que logrou comprovar o padrão remuneratório auferido ao tempo da dispensa legalmente revertida. Impossibilidade de adoção dos valores e critérios estabelecidos para cálculo remuneratório inicial dos trabalhadores cuja remuneração não foi demonstrada. Ausência de prova de prejuízo financeiro em razão do critério fixado no Decreto 6.657 /2008. Incidência da Súmula 339 da Excelsa Corte. Precedente desta Corte Regional. Pretensão improcedente. Recurso conhecido e desprovido. I -

TST - RECURSO DE REVISTA RR 3249320125010073 (TST)

Data de publicação: 29/05/2015

Ementa: se destinou, portanto, à concessão de um reajuste salarial, de caráter geral, aos empregados da ativa. Como se extrai claramente das cláusulas normativas cuida-se de um piso mínimo fixado pela empresa para a remuneração de seus empregados, consideradas as especificidades das condições de trabalho - critério regional (microregião geográfica fixada pelo IBGE) e regime de trabalho (regime especial de campo, sobreaviso, turnos ininterruptos) - e nível salarial, este decorrente do enquadramento do empregado no novo plano de cargos instituído. Disto decorre, como claramente se extrai do parágrafo 2º , da cláusula 4ª da negociação originária da parcela (Termo Aditivo de 2005), seu caráter de variabilidade, porquanto seu pagamento encontra-se vinculado ao não atingimento, por cada empregado, do mínimo fixado pela empresa, considerado, exclusivamente, o somatório das seguintes parcelas fixas percebidas pelo empregado: salário básico (SB) + Vantagem Pessoal - Acordo Coletivo de Trabalho (VP-ACT) + Vantagem Pessoal - Subsidiária (VP-SUB). Nesta hipótese o trabalhador fará jus à percepção das diferenças para o atingimento do teto mínimo, a ser paga sob a rubrica "Complemento da RMNR", sem prejuízo, por evidente, de outras parcelas a ele devidas e pagas, por força de vantagem pessoal e direitos adquiridos. Ressalte-se que as parcelas denominadas Vantagem Pessoal - Acordo Coletivo de Trabalho (VP-ACT) e Vantagem Pessoal - Subsidiária (VP-SUB) correspondem, respectivamente, à incorporação, como vantagem pessoal, do adicional de periculosidade pago indistintamente pela empresa (inclusive para empregados que não laboravam em condições perigosas, nos termos da lei) e às vantagens pagas aos empregados originários de subsidiárias da empresa. A incorporação de tais parcelas a título de vantagem pessoal restou pactuada nos instrumentos normativos anteriores a 2007 e sua inclusão para efeito de cálculo da verba "Complemento da RMNR" evidencia a intenção da negociação coletiva em promover...

TRT-10 - Agravo de Petição AP 00572200901310007 DF 00572-2009-013-10-00-7 AP (TRT-10)

Data de publicação: 09/05/2014

Ementa: COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA. BASE DE CÁLCULO. GRATIFICAÇÃO SEMESTRAL. DUPLICIDADE. Não se sustenta a tese de bis in idem quando a gratificação semestral não compôs a base de cálculo da complementação de aposentadoria em duplicidade, apenas foi acrescido um quarto do seu valor às outras parcelas de natureza salarial percebidas e acrescidas de 25%. BASE DE CÁLCULOS. HORAS EXTRAS AUFERIDAS EM OUTRA RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. Os cálculos de liquidação devem observar estritamente os comandos do título executivo de modo a preservar o devido processo legal ( CF , art. 5º , XXXVI e LIV ). As horas extras pleiteadas em outra reclamação trabalhista não estão abarcadas na condenação formada nestes autos e assim, não podem compor a base para os cálculos da complementação de aposentadoria deferidas nestes autos. TETO LIMITADOR. Impossível a observância do teto limitador previsto no § 2º do art. 10 do Estatuto de 1967, pois tal pretensão foi expressamente rechaçada no título executivo. COMPLEMENTO DE APOSENTADORIA. ÍNDICES DE REAJUSTE. Hipótese em que foram utilizados os índices de reajuste utilizados pelo Banco do Brasil para atualizar a remuneração do pessoal da ativa, conforme o critério definido no art. 58 do Estatuto de 1967 e em estrito cumprimento da coisa julgada. Agravos conhecidos e não providos. I -

TRT-10 - Recurso Ordinário RO 251201000210002 DF 00251-2010-002-10-00-2 RO (TRT-10)

Data de publicação: 02/12/2011

Ementa: COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA. CRITÉRIO PARA ATUALIZAÇÃO DA BASE DE CÁLCULO DO BENEFÍCIO. APLICAÇÃO DOS PARÂMETROS PREVISTOS NO REGULAMENTO DA PREVI. Hipótese em que o Estatuto da PREVI estabelece duas regras distintas e excludentes para apuração do montante que determina o valor pago a título de complementação de aposentadoria, considerando, na primeira hipótese, a atualização da base de cálculo do benefício pelas tabelas de vencimentos e adicionais do empregador vigentes na data da aposentadoria ou, na segunda, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), ou outro índice determinado pelo Governo Federal para o reajuste geral de salários. Verificado que o Reclamante admite que as contribuições consideradas para o cálculo do seu benefício foram corrigidas pelos índices dos reajustes salariais e, ainda assim, busca a atualização monetária pelo IPC, não há como prosperar o recurso. A pretensão obreira implica a criação de regra nova, porque cumula as duas formas de atualização para cálculo do benefício de complementação aposentadoria, em nítido desvirtuamento das normas previstas no Regulamento. Recurso conhecido e desprovido. I -

TJ-MG - Apelação Cível AC 10024111740767001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 09/01/2013

Ementa: EMBARGOS A EXECUÇÃO DE SENTENÇA. URV. REAJUSTE DEVIDO. INCIDÊNCIA SOBRE O VENCIMENTO BÁSICO EXCLUIDAS AS VANTAGENS. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS: SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA INEXISTENTE. - Há excesso de execução se os cálculos apresentados pelo credor não obedecem ao comando judicial. - O cálculo realizado pela pericia judicial para apurar a diferença devida pela implementação da URV considerou apenas o vencimento básico do servidor, ou seja, excluiu as vantagens, pelo que deverá ser este o mesmo critério a ser utilizado para o cálculo dos valores cobrados. - A compensação dos honorários advocatícios é causa extintiva da obrigação, podendo ser alegada em embargos a execução, não havendo preclusão. Se não houve realmente sucumbência recíproca, já que alguns autores são vencedores e outros vencidos, é de ser indeferida. - Na verdade, "quando há pluralidade de autores em litisconsórcio ativo facultativo, como na hipótese dos autos em julgamento, visando à recomposição salarial por força de perdas ocorridas quando da conversão dos seus vencimentos (URV), em um determinado período, o fato da procedência limitada a apenas alguns dos autores não induz a reciprocidade sucumbencial em condições de autorizar a compensação das verbas honorárias." (Apelação cível nº 1.0024.08.217967-2/001, rel. Des. Armando Freire, j. 1º/3/2011, p. 29/4/2011).

TST - RECURSO DE REVISTA RR 9799420115030089 979-94.2011.5.03.0089 (TST)

Data de publicação: 27/09/2013

Ementa: RECURSOS DE REVISTA INTERPOSTOS POR AMBAS AS RECLAMADAS. IDENTIDADE DE MATÉRIAS. ANÁLISE CONJUNTA . COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO. COMPLÇÃO DE APOSENTADORIA. ENTIDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Compete à Justiça do Trabalho julgar pedido de diferenças de complção de aposentadoria formulado perante seu ex-empregador e a instituição de previdência privada por ele criada, quando essa suplementação tem origem no contrato de trabalho. Dessa forma, intactos os artigos 114 e 202 da Constituição Federal , bem como a divergência jurisprudencial colacionada, nos termos do artigo 896 , § 4º , da CLT e da Súmula nº 333 desta Corte. Contudo, apesar de ser esse o entendimento predominante nesta Corte sobre o tema, o excelso Supremo Tribunal Federal, por ocasião do julgamento dos Recursos Extraordinários n os 586453 e 583050, em sessão realizada em 20/2/2013, interpostos pela Fundação Petrobras de Seguridade Social (PETROS) e pelo Banco BANESPA S.A., respectivamente - processos julgados mediante o critério de repercussão geral, fixou o entendimento de que carece competência a esta Justiça especializada para processar e julgar as demandas que envolvam pedido de complementação de aposentadoria contra entidade de complementação de aposentadoria privada. Na mesma ocasião, em atenção ao princípio da segurança jurídica das decisões bem como da duração razoável do processo (artigo 5º , inciso LXXVIII , da CF/88 ), o Plenário daquela Corte também decidiu modular os efeitos da sua decisão, definindo que permanecerão tramitando perante esta Justiça do Trabalho todos os processos em que já houver sido prolatada sentença de mérito até a data daquela decisão, que, repita-se, ocorreu em 13/12/2010, devendo os demais serem remetidos à Justiça Comum, Juízo declarado competente para o julgamento de todos os outros casos similares. Recursos de revista não conhecidos . DIFERENÇAS DE COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA. PRESCRIÇÃO PARCIAL. Diante do novo posicionamento consolidado nesta Corte superior...

TST - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA AIRR 5737009520075090012 (TST)

Data de publicação: 16/10/2015

Ementa: adquirido. Nesse sentido, o teor da Súmula nº 51, item I, do TST, " as cláusulas regulamentares, que revoguem ou alterem vantagens deferidas anteriormente, só atingirão os trabalhadores admitidos após a revogação ou alteração do regulamento ". Agravo de instrumento desprovido. INTERSTÍCIOS. VERBA AGREGADA AO CONTRATO DE TRABALHO MEDIANTE ANOTAÇÃO NA CTPS DO TRABALHADOR. SUPRESSÃO POR MEIO DE NORMA COLETIVA. IMPOSSIBILIDADE. Ao contrário do alegado pela reclamada, as diferenças salarias decorrentes das promoções por interstícios vindicadas nesta demanda não decorre de previsão em normas convencionais, mas da "prática de implementação de reajustes de 12 a 16% a cada três ou quatro anos de trabalho, a qual integra o contrato de trabalho, por constituir vantagem praticada pelo banco reclamado" . Esclareceu a Corte regional que "as previsões das normas coletivas apresentadas nos autos não instituem o referido Plano de Carreira que previa os interstícios, mas fazem referência a continuidade de aplicação desse Plano anterior" . Além disso, há na CTPS do autor a anotação contendo esse direito, de forma que esse benefício é anterior à estipulação coletiva que suprimiu o interstício. Diante disto, conclui a Corte de origem que os interstícios integraram o contrato de trabalho do autor e que sua redução para 3% mediante a Circular nº 97/0493 caracteriza alteração prejudicial do contrato de trabalho. O fundamento adotado pelo Regional foi, portanto, a impossibilidade de alteração de benefício pago pelo reclamando que já havia aderido ao contrato de trabalho do reclamante. Desse modo, constata-se que a discussão não versa sobre a ultra atividade de normas coletivas, motivo pelo qual a indicação de ofensa aos artigos 611, 613, inciso II e 614, § 3º, da CLT e o conflito com a Súmula nº 277 do TST não alicerçam o recurso de revista. Agravo de instrumento desprovido. HORAS EXTRAS. INTEGRAÇÃO NA BASE DE CÁLCULO DA COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA. BANCO DO BRASIL. POSSIBILIDADE. HIPÓTESE...

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca

ou