Carregando...
Jusbrasil - Jurisprudência
25 de maio de 2016

TJ-PE - Agravo AGV 3359980 PE (TJ-PE)

Data de publicação: 26/11/2014

Ementa: Processual Civil e Civil - Execução Fiscal - Contrato de Promessa de Compra e Venda de Imóvel - Matéria Já Submetida ao artigo 543-C do CPC (Recursos Repetitivos) - Legitimidade Passiva do Possuidor (promitente comprador) e do Proprietário (promitente vendedor) - Penhora de Dinheiro - Oferecimento de Imóvel em Substituição - Recusa Fundada na Inobservância da Ordem Legal - Possibilidade - Decisão Agravada Confirmada Pelos Seus Próprios Fundamentos - Recurso de Agravo a que se nega Provimento à Unanimidade de Votos. 1- Conforme as próprias alegações do recorrente, não houve a efetiva transferência de propriedade do imóvel em tela, havendo apenas a comprovação da promessa de compra e venda do mesmo e, em tais casos, é pacífica a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, inclusive em sede de "recursos repetitivos", baseada no artigo 34, do CTN que tanto o promitente comprador do imóvel quanto seu proprietário/promitente vendedor são contribuintes responsáveis pelo pagamento do IPTU, podendo a autoridade administrativa optar por um ou por outro visando a facilitar o procedimento de arrecadação; 2 - Com relação ao pedido de substituição do valor penhorado pelo imóvel ofertado, entendo que o mesmo não se enquadra nas hipóteses aceitáveis para as exceções de pré-executividade, entretanto, diante do pronunciamento, na mesma decisão ora recorrida, do magistrado a quo sobre tal pedido, tenho que realmente só restou ao ora recorrente, a presente via para questioná-la, razão pela qual passo a analisá-la a seguir. 3 - Também quanto a esta questão, tenho que a decisão não merece ser alterada, vez que a pretensão da parte agravante em substituir a penhora do dinheiro por um imóvel encontra-se em dissonância com art. 11 da Lei nº 6.830/80, que dá preferência àquele como forma de garantir a execução, em decorrência direta da ordem de enumeração dos seus incisos. 4 - Nesse passo, nem a Fazenda Pública nem o Juízo estão obrigados a aceitar a substituição do bem penhorado...

Encontrado em: Ementa: Processual Civil e Civil - Execução Fiscal - Contrato de Promessa de Compra e Venda... transferência de propriedade do imóvel em tela, havendo apenas a comprovação da promessa de compra... de Imóvel - Matéria Já Submetida ao artigo 543-C do CPC (Recursos Repetitivos) - Legitimidade Passiva...

STJ - RECURSO ESPECIAL REsp 860763 PB 2006/0127383-0 (STJ)

Data de publicação: 01/04/2008

Ementa: PROCESSO CIVIL - EMBARGOS DECLARATÓRIOS - VIOLAÇÃO AO ART. 535 DO CPC - NÃO-OCORRÊNCIA - AUSÊNCIA DE PREQUESTIONAMENTO - SÚMULAS 282/STF E 211/STJ - EXECUÇÃO DE CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL - PENHORA SOBRE BEM DO PRÓPRIO EXEQÜENTE - DETERMINAÇÃO DE NOVA CONSTRIÇÃO - POSSIBILIDADE. - Não há ofensa ao Art. 535 do CPC se, embora rejeitando os embargos de declaração, o acórdão recorrido examinou, motivadamente, todas as questões pertinentes. Mesmo para fins de prequestionamento, o acolhimento de embargos declaratórios pressupõe a existência de vício catalogado no Art. 535 do CPC . - Falta prequestionamento quando o dispositivo legal supostamente violado não foi discutido na formação do acórdão recorrido. - Não há nulidade na penhora de bem prometido à venda. A questão é de palavras: a penhora não incide sobre a propriedade, mas os direitos relativos à promessa. - A circunstância de a exeqüente ser proprietária do bem prometido à venda é irrelevante. A execução resolve-se com a sub-rogação, por efeito de confusão entre os promitentes.

TJ-DF - Apelação Cí­vel APL 731619820058070001 DF 0073161-98.2005.807.0001 (TJ-DF)

Data de publicação: 25/08/2010

Ementa: AGRAVO INTERNO EM APELAÇÃO CÍVEL. EMBARGOS À EXECUÇÃO DE CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. JULGAMENTO SIMULTÂNEO ÀS AÇÕES DE REVISÃO DE CONTRATO E CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO. EXTINÇÃO DA EXECUÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. 1. ESTANDO A APELAÇÃO EM MANIFESTO CONFRONTO COM SÚMULA OU JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, APLICA-SE O DISPOSTO NO ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL . 2. NOS CASOS EM QUE A AÇÃO REVISIONAL, A CONSIGNATÓRIA E OS EMBARGOS À EXECUÇÃO SÃO JULGADOS SIMULTANEAMENTE E NÃO HÁ, EM QUALQUER DAS AÇÕES, ACOLHIMENTO DAS PRETENSÕES AUTORAIS, OU SEJA, NÃO SE LOGRA MODIFICAR OS CRITÉRIOS DE CÁLCULO DO DÉBITO OU AS CONDIÇÕES CONTRATADAS, NÃO HÁ COMO SE ACOLHER TESE DE ILIQUIDEZ, INCERTEZA OU INEXIGIBILIDADE DO TÍTULO EXECUTADO. PROSSEGUE-SE, POR CONSEGUINTE, COM A EXECUÇÃO EXTRAJUDICIAL DO CONTRATO IMPUGNADO SEM ÊXITO. 3. AGRAVO INTERNO CONHECIDO E NÃO PROVIDO.

STJ - RECURSO ESPECIAL REsp 860763 PB 2006/0127383-0 (STJ)

Data de publicação: 01/04/2008

Ementa: PROCESSO CIVIL - EMBARGOS DECLARATÓRIOS - VIOLAÇÃO AO ART. 535 DO CPC - NÃO-OCORRÊNCIA - AUSÊNCIA DE PREQUESTIONAMENTO - SÚMULAS 282/STF E 211/STJ - EXECUÇÃO DE CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL - PENHORA SOBRE BEM DO PRÓPRIO EXEQÜENTE - DETERMINAÇÃO DE NOVA CONSTRIÇÃO - POSSIBILIDADE. - Não há ofensa ao Art. 535 do CPC se, embora rejeitando os embargos de declaração, o acórdão recorrido examinou, motivadamente, todas as questões pertinentes. Mesmo para fins de prequestionamento, o acolhimento de embargos declaratórios pressupõe a existência de vício catalogado no Art. 535 do CPC . - Falta prequestionamento quando o dispositivo legal supostamente violado não foi discutido na formação do acórdão recorrido. - Não há nulidade na penhora de bem prometido à venda. A questão é de palavras: a penhora não incide sobre a propriedade, mas os direitos relativos à promessa. - A circunstância de a exeqüente ser proprietária do bem prometido à venda é irrelevante. A execução resolve-se com a sub-rogação, por efeito de confusão entre os promitentes.

TJ-RS - Apelação Cível AC 70067868810 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 03/03/2016

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. EMBARGOS À EXECUÇÃO. CONTRATO PARTICULAR DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. SUSPENSÃO DA EXECUÇÃO. AUSÊNCIA DE LIQUIDEZ DO TÍTULO. SUSPENSÃO DA EXECUÇÃO: Descabido o pedido de suspensão da execução, quando a ação revisional foi julgada improcedente em instancia recursal, tendo-se em mente que o recurso especial eventualmente interposto não possui efeito suspensivo. AUSÊNCIA DE LIQUIDEZ DO TÍTULO: Execução baseada em Contrato de Compra e Venda, modo pelo qual estão presentes os requisitos do título executivo extrajudicial. Não há falar em incerteza e/ou iliquidez, uma vez que o título contém todos os elementos necessários para aferição da dívida, além de ter sido julgada improcedente a ação revisional pertinente ao contrato em cobrança judicial. NEGARAM PROVIMENTO AO APELO. (Apelação Cível Nº 70067868810, Décima Nona Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Eduardo João Lima Costa, Julgado em 25/02/2016).

TJ-RS - Apelação Cível AC 70056581606 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 18/05/2015

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. EMBARGOS À EXECUÇÃO. COMISSÃO DE CORRETAGEM. CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. INEXISTÊNCIA DE VINCULAÇÃO DA IMOBILIÁRIA CONTRATADA COM A OUTRA TRANSAÇÃO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL QUE OCORREU COM OUTRA IMOBILIÁRIA. ATRASO NO PAGAMENTO PELOS COMPRADORES QUE GEROUI ADITAMENTO DO CONTRATO E PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE PAGAMENTO. COMISSÃO DEVIDA. Houve a aproximação das partes e intermediação da venda do imóvel dos apelantes pela apelada, o que resta comprovado pelo contrato de promessa de compra e venda de imóvel bem como pelo aditamento, com formalização através de escritura pública que possibilitou seu registro no Registro de Imóveis. Não há como negar que houve demora no pagamento contratado, o que se comprova pelo aditamento ao contrato de promessa de compra e venda. A função primordial do corretor, que é a de aproximação das partes, ocorreu, ainda que tenha ocorrido demora no cumprimento das cláusulas contratadas, e a negociação cumpriu o seu papel. APELO DESPROVIDO. (Apelação Cível Nº 70056581606, Décima Quinta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Munira Hanna, Julgado em 13/05/2015).

TJ-RS - Recurso Cível 71005364641 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 04/09/2015

Ementa: RECURSO INOMINADO. EXECUÇÃO DE CHEQUE. TÍTULO EMITIDO ENTRE AS PARTES. POSSIBILIDADE DE DISCUSSÃO DA CAUSA DEBENDI. PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. COMISSÃO DE CORRETAGEM. VENDA NÃO CONCRETIZADA. CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA ASSINADO. PAGAMENTO DE SINAL. INTERMEDIAÇÃO PERFECTIBILIZADA. COMISSÃO DEVIDA. Embora o negócio concretizado não tenha sido o mesmo que aquele intermediado pela exeqüente (fls. 8/13 e 34/35), restou demonstrado nos autos que a recorrida exerceu a função para a qual foi contratada, haja vista a elaboração e assinatura do contrato de promessa de compra e venda, bem como o pagamento de sinal. Logo, subsiste o dever da recorrente ao pagamento de comissão de corretagem, causa debendi do título executado, o que impõe a manutenção da decisão que julgou procedente a execução e improcedente os embargos à ela opostos. SENTENÇA MANTIDA. RECURSO IMPROVIDO. (Recurso Cível Nº 71005364641, Primeira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Fabiana Zilles, Julgado em 02/09/2015).

TJ-MG - Apelação Cível AC 10446100002331001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 08/03/2016

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL - EMBARGOS DE TERCEIRO - PENHORA SOBRE IMÓVEL OBJETO DE CONTRATO PARTICULAR DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA - ALEGAÇÃO DE AUSÊNCIA DE REGISTRO - COMPRA DO IMÓVEL ANTERIOR AO AJUIZAMENTO DA AÇÃO DE EXECUÇÃO E DA PENHORA DO BEM. - Nos termos do Artigo 1.046 do CPC , quem não sendo parte no processo, sofrer turbação ou esbulho na posse de seus bens por ato de apreensão judicial, em casos como o de penhora, depósito, arresto, sequestro, alienação judicial, arrecadação, arrolamento, inventário, partilha, poderá requerer lhes sejam manutenidos ou restituídos por meio de embargos. - Conforme estabelecido pela súmula 84 do STJ, é admissível a oposição de embargos de terceiro fundados em alegação de posse advinda do compromisso de compra e venda de imóvel, ainda que desprovido de registro. - Considerando que o Embargante deu azo à efetivação da contrição ao deixar de anotar o competente compromisso de compra e venda, para prévio conhecimento dos credores, as custas processuais deverão ser repartidas ao meio e cada parte arcará com os honorários de seus respectivos advogados (Art. 21 do CPC e Súmula n.º 306 do STJ).

TJ-RS - Apelação Cível AC 70049588502 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 03/03/2015

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. PROMESSA DE COMPRA E VENDA. EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL. EMBARGOS DO DEVEDOR. ESCRITURA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. LITISPENDÊNCIA AFASTADA. PRESCRIÇÃO. TERMO INICIAL DO PRAZO. VENCIMENTO DO CONTRATO. Para configurar a litispendência, prevista no art. 301 , §§ 1º e seguintes do Código de Processo Civil , mister a existência da tríplice identidade de partes, pedido e causa de pedir entre duas demandas, o que não se verifica no caso dos autos. O vencimento antecipado das prestações, não implica em alteração do termo inicial do prazo prescricional, o qual continua sendo a data final prevista no Contrato, ou seja, 20/09/2011. Assim, não há falar em prescrição, porquanto a propositura da execução ocorreu antes mesmo de alcançada a data prevista para pagamento da última prestação. APELAÇÃO DESPROVIDA. UNÂNIME. (Apelação Cível Nº 70049588502, Décima Oitava Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Elaine Maria Canto da Fonseca, Julgado em 26/02/2015).

TJ-RS - Agravo AGV 70061552600 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 13/10/2014

Ementa: AGRAVO INTERNO. PROMESSA DE COMPRA E VENDA. EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL. APLICAÇÃO DO ART. 557 DO CPC. Ao relator é facultado decidir negando seguimento ao recurso quando se afigurar manifestamente inadmissível, improcedente ou prejudicado, ou a pretensão deduzida se confrontar com súmula ou jurisprudência predominante do respectivo tribunal, do Supremo Tribunal Federal ou de Superior Tribunal de Justiça; ou provê-lo quando, ao contrário, a decisão recorrida estiver em confronto com súmula ou jurisprudência dominante daqueles tribunais superiores. - Não merece provimento agravo interno que ataca decisão do relator em adequada aplicação da regra contida no art. 557 do CPC. RECURSO DESPROVIDO. (Agravo Nº 70061552600, Décima Oitava Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: João Moreno Pomar, Julgado em 09/10/2014).

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×