Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
24 de julho de 2014

Página 1 de 2.165 resultados

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA 310548 AMS 29738 SP 2007.61.00.029738-7 (TRF-3)

Data de publicação: 12/02/2009

Ementa: TRIBUTÁRIO. AGRAVO RETIDO NÃO CONHECIDO. IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. ADESÃO A PLANO DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA. VERBAS INDENIZATÓRIAS. FÉRIAS EM DOBRO, INDENIZADAS VENCIDAS E RESPECTIVOS TERÇOS CONSTITUCIONAIS. SÚMULA 125/STJ. GRATIFICAÇÃO SEMANAL. GRATIFICAÇÃO ESPECIAL NÃO AJUSTADA. GRATIFICAÇÃO FUNÇÃO. GRATIFICAÇÃO ESPECIAL - PDV. I - Agravo retido não conhecido, uma vez que não foi reiterada sua apreciação no recurso de apelação. II - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de "gratificação semanal, gratificação especial não ajustada, gratificação função e gratificação especial - PDV", bem como férias vencidas e férias em dobro, não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. III - Agravo retido não conhecido. Remessa oficial e apelação improvidas.

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA AMS 5284 SP 2003.61.00.005284-1 (TRF-3)

Data de publicação: 29/07/2010

Ementa: TRIBUTÁRIO. RECURSO REPETITIVO. REAPRECIAÇÃO DA MATÉRIA. ART. 543-C , § 7º , II , DO CPC . IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO. FÉRIAS EM DOBRO, INDENIZADAS VENCIDAS E RESPECTIVO TERÇO CONSTITUCIONAL. SÚMULA 125 /STJ. INDENIZAÇÃO LIBERAL. I - Reapreciação da matéria, nos termos do artigo 543-C , § 7º , II , do Código de Processo Civil . II - Não obstante o que restou decidido no julgamento do REsp n.pelo Superior Tribunal de Justiça, cumpre observar que o Impetrante não interpôs, no momento oportuno, agravo de instrumento da decisão que não recebeu a apelação por ele interposta com o objetivo de afastar a incidência do Imposto de Renda sobre as férias proporcionais e respectivo terço constitucional. Portanto, consumada a preclusão, inviável a apreciação da questão por esta Corte. III - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de férias vencidas não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. IV - Insere-se no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" a verba recebida a título de "indenização liberal", por constituir mera liberalidade do empregador. V - Precedentes desta Corte e do Egrégio Superior Tribunal de Justiça. VI - Remessa oficial e apelação parcialmente provida.

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA 308045 AMS 615 SP 2007.61.19.000615-4 (TRF-3)

Data de publicação: 12/02/2009

Ementa: TRIBUTÁRIO. AGRAVO RETIDO PROVIDO. SENTENÇA ULTRA PETITA. PRELIMINAR ACOLHIDA. RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO. IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. VERBAS INDENIZATÓRIAS. FÉRIAS EM DOBRO, INDENIZADAS VENCIDAS E PROPORCIONAIS. RESPECTIVOS TERÇOS CONSTITUCIONAIS. SÚMULA 125/STJ. "PRÊMIOS DIVERSOS". I - Agravo retido interposto com o intuito de evitar a preclusão acerca da matéria debatida. Questão que se imbrica com o mérito. Agravo retido provido. II - Decisão monocrática na qual se afastou a incidência do Imposto de Renda sobre a verba relativa ao aviso prévio. Sentença ultra petita. Preliminar acolhida. III - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de férias vencidas e férias em dobro, não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. IV - Em relação às férias indenizadas proporcionais e respectivo adicional, deve ser acolhido o entendimento do Egrégio Superior Tribunal de Justiça, no sentido de que não devam ser tributadas. V - Insere-se no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" a verba recebida a título de "prêmios diversos", por constituir mera liberalidade do empregador. VI - Precedentes desta Corte e do Egrégio Superior Tribunal de Justiça. VII - Agravo retido provido. Preliminar argüida acolhida. Remessa oficial e apelação parcialmente providas.

TRF-3 - APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO 1382364 APELREE 24414 SP 2007.61.00.024414-0 (TRF-3)

Data de publicação: 14/05/2009

Ementa: TRIBUTÁRIO. IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. VERBAS INDENIZAT�"RIAS. FGTS. FÉRIAS EM DOBRO E INDENIZADAS VENCIDAS. RESPECTIVOS TERÇOS CONSTITUCIONAIS. SÚMULA 125/STJ. JUROS DE MORA SOBRE PAGAMENTO DE VERBAS DECORRENTES DE DECISÃO JUDICIAL. RESTITUIÇÃO. CABIMENTO. CORREÇÃO MONETÁRIA. TAXA SELIC. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. I - A verba referente ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (Lei nº 8.036 /90 e Decreto nº 99.684 /90)- possui, efetivamente, caráter ressarcitório do dano experimentado pelo sujeito com a perda do emprego. II - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de férias vencidas e férias em dobro, não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. III - A verba recebida a título de juros de mora provenientes de pagamento de verbas rescisórias, em decorrência de decisão judicial, possui natureza indenizatória. IV - A condenação da União à restituição do referido tributo, pago a maior, não afasta a verificação dos valores a serem restituídos em comparação às informações constantes na Declaração de Ajuste Anual da parte autora, a fim de serem compensadas eventuais diferenças pagas administrativamente, constatação que pode ser efetuada pela Apelada por ocasião da apresentação dos cálculos de liquidação. V - A correção monetária das importâncias recolhidas indevidamente há de ser feita em consonância com a Resolução n. 561/07, do Conselho da Justiça Federal. VI - Os juros moratórios de 1% (um por cento) ao mês (art. 161 , CTN ), são aplicáveis tão somente aos valores cuja decisão tenha transitado em julgado até dezembro de 1995. A partir de 1º de janeiro de 1996, incidem juros de mora equivalentes à Taxa SELIC, como estabelecido no art. 39 , § 4º , da Lei n. 9.250 /95, excluindo-se qualquer outro índice, seja a título de juros ou correção monetária. VII - Honorários advocatícios mantidos, tal como fixados, à luz dos critérios apontados nas alíneas a a c , do § 3º , do art. 20 , do Código de Processo Civil . VIII - Precedentes desta Corte e do Egrégio Superior Tribunal de Justiça. IX - Remessa oficial e apelação da União, conhecida parcialmente, improvidas. Apelação do Autor provida....

TRF-3 - APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO APELREE 19942 SP 2004.61.00.019942-0 (TRF-3)

Data de publicação: 20/08/2009

Ementa: PROCESSO CIVIL. REEXAME NECESSÁRIO. DESCABIMENTO. AUSÊNCIA DE DOCUMENTOS ESSENCIAIS. PRELIMINAR PARCIALMENTE ACOLHIDA. SENTENÇA ULTRA PETITA. TRIBUTÁRIO. RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO. IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. VERBAS INDENIZATÓRIAS. AVISO PRÉVIO. FÉRIAS EM DOBRO. FÉRIAS INDENIZADAS VENCIDAS. RESPECTIVOS TERÇOS CONSTITUCIONAIS. SÚMULA 125/STJ. TERMO DE TRANSAÇÃO EXTRAJUDICIAL. "INDENIZAÇÃO I". "INDENIZAÇÃO V". "INDENIZAÇÃO ESPECIAL - CLÁUSULA 50". TAXA SELIC. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA. I - Não sujeição da sentença ao reexame necessário, consoante o disposto no art. 475 , inciso I e § 2º, do Código de Processo Civil , com a redação dada pela Lei n. 10.352 /01, porquanto o valor do direito controvertido, atualizado até a data do julgamento em grau recursal, não excede a sessenta salários mínimos. II - No tocante às verbas denominadas "indenização I", "indenização V" e "indenização especial - cláusula 50", a Autora não acostou documentos comprobatórios suficientes a comprovar seu direito, tais como, adesão e regulamento de plano de demissão voluntária ou cópia do mencionado acordo coletivo de trabalho n. TST-DC-810.905/2001-3. Ressalto que somente foram juntados aos autos o termo de rescisão do contrato de trabalho, bem como o termo de transação extrajudicial. Preliminar parcialmente acolhida. III - Decisão monocrática que não se ateve aos limites do pedido. Configuração de sentença ultra petita. IV - A verba recebida a título de aviso prévio, seja qual for o montante, não pode ser considerada "acréscimo patrimonial", estando alijada da hipótese de incidência do Imposto sobre a Renda. V - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de férias em dobro, férias indenizadas vencidas, não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. VI - Inserem-se no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de "indenização I", "indenização V" e "indenização especial - cláusula 50", por constituirem meras liberalidades do empregador. VII - Os juros moratórios de 1% (um por cento) ao mês (art. 161 , CTN ), são aplicáveis tão somente aos valores cuja decisão tenha transitado em julgado até dezembro de 1995. A partir de 1º de janeiro de 1996, incidem juros de mora equivalentes à Taxa SELIC, como estabelecido no art. 39 , § 4º , da Lei n. 9.250 /95, excluindo-se qualquer outro índice, seja a título de juros ou correção monetária. VIII - Diante da sucumbência recíproca, cada litigante deverá arcar com o pagamento da verba honorária de seus patronos, como disposto no art. 21 , caput, do Código de Processo Civil . IX - Precedentes desta Corte e do Egrégio Superior Tribunal de Justiça. X - Sentença ultra petita. Preliminar arguida parcialmente acolhida. Apelação parcialmente provida....

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA 309549 AMS 32998 SP 2007.61.00.032998-4 (TRF-3)

Data de publicação: 12/02/2009

Ementa: TRIBUTÁRIO. REEXAME NECESSÁRIO. CABIMENTO. APELAÇÃO. ART. 557 DO CPC . INAPLICABILIDADE. PRELIMINAR REJEITADA. IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO. VERBAS INDENIZATÓRIAS. FÉRIAS EM DOBRO, INDENIZADAS VENCIDAS E PROPORCIONAIS. RESPECTIVOS TERÇOS CONSTITUCIONAIS. SÚMULA 125/STJ. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO. I - Sujeição da sentença ao reexame necessário, consoante o disposto no art. 12 , parágrafo único , da Lei n. 1.533 /51, não se lhe aplicando a exceção prevista no § 2º , do art. 475 , do Código de Processo Civil . II - Inaplicabilidade do art. 557 , do Código de Processo Civil , tendo em vista que a matéria discutida, a despeito de pacificada nas Cortes Superiores, ainda não foi objeto de súmula vinculante. Preliminar rejeitada. III - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de férias vencidas e férias em dobro, não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. IV - Em relação às férias indenizadas proporcionais e respectivo adicional, deve ser acolhido o entendimento do Egrégio Superior Tribunal de Justiça, no sentido de que não devam ser tributadas. V - No que tange ao décimo terceiro salário, pacificado o entendimento de que sua natureza é salarial e não indenizatória, incidindo, pois, o Imposto sobre a Renda. VI - Preliminar argüida em contra-razões rejeitada. Apelação do Impetrante parcialmente provida. Remessa oficial, tida por ocorrida, e apelação da Impetrada improvidas.

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA 276656 AMS 5284 SP 2003.61.00.005284-1 (TRF-3)

Data de publicação: 27/11/2006

Ementa: TRIBUTÁRIO. IMPOSTO SOBRE A RENDA. INCIDÊNCIA. RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO. VERBAS INDENIZATÓRIAS. INDENIZAÇÃO POR LIBERALIDADE. FÉRIAS EM DOBRO, INDENIZADAS VENCIDAS E PROPORCIONAIS E RESPECTIVOS TERÇOS CONSTITUCIONAIS. SÚMULA 125/STJ. I - Não se inserem no conceito de "renda ou proventos de qualquer natureza" as verbas recebidas a título de "indenização por liberalidade", férias indenizadas vencidas e férias em dobro, não gozadas por necessidade de serviço, em razão de seu caráter indenizatório. Dispensável a comprovação do indeferimento do gozo de férias por necessidade de serviço. Súmula 125 do Superior Tribunal de Justiça. II - No tocante às férias proporcionais e respectivo terço constitucional, no momento da rescisão contratual, ainda não havia sido completado o período aquisitivo, devendo ser tributadas, por ostentarem natureza salarial. Precedentes da 6ª Turma. III - Remessa oficial e Apelação improvidas.

TJ-RJ - APELACAO / REEXAME NECESSARIO REEX 00010471020108190016 RJ 0001047-10.2010.8.19.0016 (TJ-RJ)

Data de publicação: 07/04/2014

Ementa: DMINISTRATIVO. SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL. CARGO EM COMISSÃO.NATUREZA ESTATUTÁRIA EXERCÍCIO NO PERÍODO DE MARÇO DE 2005 A JANEIRO DE 2009. FÉRIAS VENCIDAS E NÃO GOZADAS. DIREITO À INDENIZAÇÃO PELO PERÍODO NÃO GOZADO COM PAGAMENTO DO TERÇO CONSTITUCIONAL. NÃO CABIMENTO DE PAGAMENTO EM DOBRO COM BASE NO ART. 137 DA CLT . HONORÁRIOS FIXADOS CORRETAMENTE. Nos termos do art. 39 , § º combinado com o inciso XVII do art. 7º , ambos das Constituição da Republica Federativa do Brasil , é direito do servidor público, ainda que de cargo comissionado, o gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal. Não comprovando o ente público que a ex-servidora gozou as respectivas férias e percebeu o terço constitucional, correta a sentença que o condena a indenizá-la. É descabido o pagamento em dobro previsto no art. 137 da CLT , dada a natureza estatutária do vínculo jurídico-administrativo na espécie, cujo estatuto não contempla tal possibilidade. Honorários advocatícios adequadamente fixados. Precedentes do STJ e do TJERJ. Recurso provido para excluir o pagamento em dobro das férias. na forma do art. 557 , § 1-A do Código de Processo Civil .

TRF-3 - APELAÇÃO CÍVEL AMS 29910 SP 0029910-08.2008.4.03.6100 (TRF-3)

Data de publicação: 25/07/2013

Ementa: TRIBUTÁRIO - IMPOSTO DE RENDA - RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. 1. Não se conhece do agravo se a parte não requerer expressamente, nas razões ou na resposta da apelação, sua apreciação pelo tribunal, nos exatos termos do artigo 523 , § 1º , do Código de Processo Civil . 2. O Superior Tribunal de Justiça posicionou-se no sentido de que as verbas concedidas ao empregado por mera liberalidade do empregador quando da rescisão unilateral de seu contrato de trabalho implicam acréscimo patrimonial, por não possuírem caráter indenizatório sujeitando-se, assim, à incidência do imposto de renda. 3. Referido recurso foi julgado sob o regime do art. 543-C e da Resolução STJ n. 08/2008, que disciplinam o regramento dos recursos repetitivos. 4. Pacífico o entendimento de terem caráter indenizatório as férias indenizadas - vencidas, em dobro ou proporcionais - e os respectivos terços constitucionais convertidos em pecúnia e pagos ao empregado por ocasião da rescisão do contrato de trabalho. 5. Ressalte-se ser prescindível indagar-se da comprovação da efetiva necessidade de serviço, porquanto a regra de não-incidência tem por base o caráter indenizatório das referidas verbas.

STJ - RECURSO ESPECIAL REsp 898180 SP 2006/0238649-1 (STJ)

Data de publicação: 16/02/2007

Ementa: PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. FÉRIAS VENCIDAS INDENIZADAS. FALTA DE INTERESSE DE AGIR DA PARTE AUTORA. IMPOSTO DE RENDA. DEMISSÃO SEM JUSTA CAUSA. VERBAS RECEBIDAS POR LIBERALIDADE DO EMPREGADOR. FÉRIAS NÃO GOZADAS. ARTIGO 43 DO CTN . ALCANCE. 1. Prevaleceu na Seção de Direito Público desta Corte o entendimento de que as verbas recebidas, por liberalidade do empregador, em virtude da rescisão do contrato de trabalho têm natureza remuneratória, erigindo em acréscimo patrimonial passível de tributação pelo Imposto de Renda, na forma do artigo 43 do CTN . Precedente: EREsp 775.701/SP, Relator para o acórdão o Min. Luiz Fux, DJU de 1º.08.06. 2. Constata-se o interesse de agir da parte autora apenas quanto às férias proporcionais, pois, no tocante às férias vencidas indenizadas, o acórdão recorrido entendeu que não deveria incidir Imposto de Renda. Quanto ao recurso da Fazenda Nacional, que também se insurge relativamente às férias vencidas, o recurso merece ser conhecido. 3. Os valores percebidos a título de férias não gozadas, sejam simples, em dobro ou proporcionais, e respectivo terço constitucional possuem nítido caráter indenizatório, não incidindo Imposto de Renda. 4. Recurso especial da Fazenda Nacional provido em parte. Recurso especial de Marcos Antonio de Oliveira conhecido em parte e provido

Encontrado em: /12/2007 VERBAS DE RESCISÃO DE CONTRATO - INCIDÊNCIA DE IMPOSTO DE RENDA STJ - ERESP 775701 -SP FÉRIAS NÃO

1 2 3 4 5 216 217 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca