Carregando...
Jusbrasil - Jurisprudência
30 de setembro de 2016

Página 1 de 163.993 resultados

TJ-DF - Apelação Cí­vel APL 1478089320078070001 DF 0147808-93.2007.807.0001 (TJ-DF)

Data de publicação: 15/09/2009

Ementa: CIVIL. PROCESSUAL CIVIL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIÇOS MÉDICOS PRESTADOS. QUITAÇÃO. AUSÊNCIA DE PROVAS. NEGATIVA DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ÔNUS DA PROVA DE QUEM ALEGA. INTELIGÊNCIA E APLICAÇÃO DO ARTIGO 333 , II DO CPC . NÃO PAGAMENTO. CONFIGURAÇÃO DE ENRIQUECIMENTO ILÍCITO. VEDAÇÃO LEGAL DOS ARTIGOS 884/886 DO CCB/02. POSSIBILIDADE FACE AO ENTENDIMENTO JURISPRUDENCIAL. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. HAVENDO PROVAS DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS E SEUS ANEXOS BEM COMO AS RESPECTIVAS PLANILHAS REMETIDAS AO BENEFICIÁRIO CONTRATADO, ENCONTRAM-SE COMPROVADOS OS SERVIÇOS CONTRATADOS. O ÔNUS NEGATIVO DA PROVA COMPETE A QUEM ALEGA. INTELIGÊNCIA DO ART. 333 , II DO CPC . NÃO PROVANDO OS FATOS IMPEDITIVOS, MODIFICATIVOS E EXTINTIVOS DO DIREITO DO AUTOR, IMPÕE-SE A PROCEDÊNCIA DO PEDIDO DE COBRANÇA, SOB PENA DE ENRIQUECIMENTO ILÍCITO, CONSOANTE DICÇÃO DOS ARTIGOS 884/886 DO NCCB/02. A PROVA DA QUITAÇÃO SE FAZ ATRAVÉS DE DOCUMENTOS E OUTRO MEIO IDÔNEO. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. UNÂNIME.

Encontrado em: PÚBLICO, INOCORRÊNCIA, PROVA, QUITAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO, INADIMPLÊNCIA, DESCABIMENTO, ENRIQUECIMENTO

TJ-RS - Recurso Cível 71005129853 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 27/10/2014

Ementa: RECURSO INOMINADO. RESPONSABILIDADE CIVIL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. ALEGAÇÃO DE SITUAÇÃO VEXATORIA EM RAZÃO DE SUPOSTA NEGATIVA DE CRÉDITO. AGIR LICITO DO COMERCIANTE. DANOS MORAIS NÃO CONFIGURADOS. Alegou a parte autora que se dirigiu até o estabelecimento da recorrida para obter cartão da loja e realizar compras. Referiu que a atendente informou que a proposta do cartão havia sido negada porque existente restrição no nome do autor. Relatou que se dirigiu ao Serasa e constatou ausência de restrição de crédito no seu nome. Retornou à loja da recorrida, sendo novamente negado o crédito. A recorrida, por sua vez, informou desconhecer os fatos narrados pelo autor. Sustentou que o abalo e a suposta situação vexatória não restaram comprovados, ônus que lhe competia, a teor do art. 333, I do CPC. Com efeito, a negativa de crédito, configura exercício regular de direito da loja demandada que não esta compelida a concedê-lo quando não atendidos requisitos internos. Em situação similar, já se decidiu: RECURSO INOMINADO CONSUMIDOR. NEGATIVA DE CRÉDITO. RESTRIÇÃO INTERNA. LIBERDADE DA LOJA EM CONTRATAR. LIVRE EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. AUSÊNCIA DE PROVA MÍNIMA DA NARRATIVA INICIAL. DANOS MORAIS INOCORRENTES. 1. As lojas atuantes no comércio possuem a liberdade de contratar. Assim, não havendo lei que obrigue um estabelecimento comercial a conceder linhas de créditos aos consumidores, eventual negativa por restrições internas trata-se de um exercício regular de... seu direito. 2. Não há que se falar em conduta ilícita quando o próprio autor informa em seu depoimento pessoal que a atendente, quando lhe informou que o crédito não havia sido aprovado, foi bem educada e não houve ofensas, presumindo-se, então, que não houve constrangimento pelo agir da preposta do réu no momento dos fatos. 3. A narrativa da inicial é fantasiosa e não se coaduna com a prova oral colhida nos autos. Incumbia ao autor provar as suas alegações, nos termos do artigo 333, inciso I, do CPC...

TJ-RJ - APELAÇÃO APL 00067244020138190008 RJ 0006724-40.2013.8.19.0008 (TJ-RJ)

Data de publicação: 22/12/2014

Ementa: APELAÇÃO. TELEFONIA FIXA. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER C/C INDENIZATÓRIA. RITO SUMÁRIO. AUTORA IDOSA QUE DEPENDE DA LINHA TELEFÔNICA. SERVIÇO QUE FOI INDEVIDAMENTE SUSPENSO EM 08/03/2013 E APÓS 10 DIAS AINDA NÃO HAVIA SIDO RESTABELECIDO E A DESPEITO DE INÚMERAS RECLAMAÇÕES, NÃO FOI REPARADO PELA CONCESSIONÁRIA. REPARO DA LINHA TELEFÔNICA REALIZADO NO CURSO DA DEMANDA, EM 15/03/2013, ANTES DA CITAÇÃO, COM ALTERAÇÃO DO NÚMERO DA LINHA E APRESENTANDO DEFEITO, O QUE TORNA A LINHA IMPRESTÁVEL AO FIM A QUE SE DESTINA. AUTORA QUE PRETENDE RESSARCIMENTO POR DANOS MORAIS. SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA PARA CONDENAR A RÉ A PAGAR À AUTORA A QUANTIA DE R$5.000,00 A TÍTULO DE DANOS MORAIS, COM JUROS A CONTAR DO EVENTO DANOSO E CORREÇÃO MONETÁRIA A CONTAR DA SENTENÇA E AO PAGAMENTO DE 10% SOBRE O VALOR DA CONDENAÇÃO A TÍTULO DE HONORÁRIOS DE SUCUMBÊNCIA. APELAÇÃO DA CONCESSIONÁRIA RÉ ALEGA QUE NÃO HÁ O QUE SER INDENIZADO A TÍTULO DE DANOS MORAIS, ALEGA TAMBÉM, QUE NÃO HOUVE A PRÁTICA DE NENHUM ATO ILÍCITO, NEM DEFEITO NO SERVIÇO PRESTADO. PRETENDE A EXCLUSÃO OU A REDUÇÃO DA VERBA FIXADA A TÍTULO DE DANOS MORAIS. NÃO ASSISTE RAZÃO À APELANTE. AUTORA QUE NÃO LOGROU ÊXITO EM SOLUCIONAR O PROBLEMA ADMINISTRATIVAMENTE, INDICANDO 03 (TRÊS) NÚMEROS DE PROTOCOLOS FEITOS JUNTO À CENTRAL DE ATENDIMENTO DA RÉ. CONCESSIONÁRIA QUE NÃO SE DESINCUMBIU DO ÔNUS QUE LHE COMPETIA, A TEOR DO ART. 333 , II DO CPC , DEIXANDO DE COMPROVAR A REGULARIDADE DO FORNECIMENTO DO SERVIÇO. NECESSIDADE DE JUDICIALIZAÇÃO PARA O REPARO DA LINHA TELEFÔNICA. RESTABELECIMENTO DO SERVIÇO DE FORMA EQUIVOCADA, COM NÚMERO DE LINHA TELEFÔNICA DEFEITUOSO E DIVERSO DO QUE A AUTORA POSSUÍA HÁ MAIS DE DEZ ANOS. DEFEITO QUE SÓ FOI SANADO EM 27/05/2013. DANO MORAL CONFIGURADO. VERBA COMPENSATÓRIA FIXADA PELA SENTENÇA QUE MERECE SER MANTIDA EM R$ 5.000,00, EM OBSERVÂNCIA AOS PRINCÍPIOS DA RAZOABILIDADE E DA PROPORCIONALIDADE. PRECEDENTES JURISPRUDENCIAIS. NEGATIVA DE PROVIMENTO À APELAÇÃO DA CONCESSIONÁRIA RÉ. Vistos, relatados...

TJ-RJ - RECURSO INOMINADO RI 00701413720148190038 RJ 0070141-37.2014.8.19.0038 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/08/2015

Ementa: de realizar o negócio jurídico. Assim, considerando-se também a norma do art. 30 do CDC, de que a oferta integra o contrato, a negativa da ré implica evidente violação contratual. Deste modo, violou a ré os arts. 30 e inc. III do art. 6º, do CDC. Restaram violados também a transparência e boa-fé objetiva que deve haver nos contratos, à luz do art. 422, do CC/2002, considerando-se também a complexidade que envolve o contrato em comento, o qual deve ser rescindido, com a correspondente devolução dos valores pagos. Com efeito, a matéria encontra-se pacificada na jurisprudência deste Conselho Recursal, que reiteradamente vem reconhecendo a nulidade do contrato, pois os consumidores, ao contratarem com a ré, não pretendiam simplesmente se associar a ela, mas sim obter financiamento para realizar o "sonho da casa própria", não havendo nos autos comprovação de que a autora/recorrida tenha recebido informação clara e adequada sobre a forma e prazo de liberação do crédito e entrega do imóvel. Ao contrário, é bastante verossímil a alegação do consumidor quanto à promessa de prepostos dos réus, de imediata imissão na posse do imóvel. Entendo, portanto, que deve ser declarada a rescisão do contrato e que o valor pago (fl. 14) deve ser restituído, já que a ré não chegou a prestar qualquer serviço para a autora, contudo, na forma simples, eis que se trata de descumprimento contratual, e não da hipótese de cobrança indevida prevista no parágrafo único do art. 42, CDC. Nesse passo, tendo em vista os danos comprovados e não refutados pela ré, exsurge o dever de indenizar. Note-se que a parte ré não trouxe aos autos qualquer prova relativa a alguma excludente de responsabilidade disposta nos incisos do parágrafo do art. 14 do CDC. Faz-se necessário salientar que o ônus de desconstituir o alegado pela parte autora competia à parte ré, uma vez que se aplica à hipótese a inversão ope legis consubstanciada no parágrafo 3º do artigo 14 da lei em comento, onde a inversão do ônus probatório...

TJ-MS - Apelacao Civel AC 8663 MS 2002.008663-0 (TJ-MS)

Data de publicação: 15/12/2006

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL - COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA - DIREITO DE FRUIÇÃO - COMPENSAÇÃO PELO INADIMPLEMENTO - IMPOSSIBILIDADE DE CUMULAÇÃO COM CLÁUSULA PENAL - FIXAÇÃO DE PERCENTUAL RAZOÁVEL - 0,5% MENSAL A TÍTULO DE FRUIÇÃO - EXISTÊNCIA DE IRREGULARIDADE NA CONSTRUÇÃO - PROVA DOS EFEITOS DO FATO CONSIDERADO NEGATIVO - POSSIBILIDADE - ÔNUS QUE COMPETE A QUEM ALEGA - RECURSO IMPROVIDO.

TJ-PR - Agravo de Instrumento AI 760721 PR 0076072-1 (TJ-PR)

Data de publicação: 23/06/1999

Ementa: LITISPENDÊNCIA - PRESSUPOSTO PROCESSUAL NEGATIVO - ÔNUS DA PROVA - COMPETE A QUEM ALEGA - DECISÃO REFORMADA - AGRAVO DE INSTRUMENTO - RECURSO PROVIDO. A litispendência constitui pressuposto processual negativo e incumbe a quem alega prová-la. Não pode ocorrer inversão do ônus da prova determinando que os autores comprovem a litispendência argüida pelo réu.

Encontrado em: DE INSTRUMENTO, LITISPENDENCIA - AUSENCIA, PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS, PROVA - ONUS, REU, CABIMENTO

TJ-PR - Agravo de Instrumento AI 760721 PR Agravo de Instrumento 0076072-1 (TJ-PR)

Data de publicação: 02/08/1999

Ementa: LITISPENDÊNCIA - PRESSUPOSTO PROCESSUAL NEGATIVO - ÔNUS DA PROVA - COMPETE A QUEM ALEGA - DECISÃO REFORMADA - AGRAVO DE INSTRUMENTO - RECURSO PROVIDO. A litispendência constitui pressuposto processual negativo e incumbe a quem alega prová-la. Não pode ocorrer inversão do ônus da prova determinando que os autores comprovem a litispendência argüida pelo réu.

Encontrado em: : 5442 - 2/8/1999 AGRAVO DE INSTRUMENTO, LITISPENDENCIA - AUSENCIA, PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS, PROVA... - ONUS, REU, CABIMENTO. Agravo de Instrumento AI 760721 PR Agravo de Instrumento 0076072-1 (TJ

TJ-MG - Apelação Cível AC 10701110026781001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 11/10/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO. PROVA NEGATIVA. ÔNUS DA COMPROVAÇÃO DA LICITUDE DA COBRANÇA COMPETE AO RÉU. SENTENÇA MANTIDA. I - Se o autor alega a inexistência de débito, por se tratar de prova de fato negativo, compete ao réu, suposto credor, o ônus de provar a licitude da cobrança. II - Ausente prova contundente de fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito do autor, nos termos do art. 333 , II , do CPC , impõe-se a procedência do pleito autoral.

TJ-MG - Apelação Cível AC 10145110376954001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 22/02/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO. PROVA NEGATIVA. ÔNUS DA COMPROVAÇÃO DA LICITUDE DA COBRANÇA COMPETE AO RÉU. SENTENÇA MANTIDA. I - Se o autor alega a inexistência de débito, por se tratar de prova de fato negativo, compete ao réu, suposto credor, o ônus de provar a licitude da cobrança. II - Ausente prova contundente de fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito do autor, nos termos do art. 333 , II , do CPC , impõe-se a procedência do pleito autoral.

TJ-MG - Apelação Cível AC 10702100177600001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 22/02/2013

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO. PROVA NEGATIVA. ÔNUS DA COMPROVAÇÃO DA LICITUDE DA COBRANÇA COMPETE AO RÉU. SENTENÇA MANTIDA. I - Se o autor alega a inexistência de débito, por se tratar de prova de fato negativo, compete ao réu, suposto credor, o ônus de provar a licitude da cobrança. II - Ausente prova contundente de fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito do autor, nos termos do art. 333 , II , do CPC , impõe-se a procedência do pleito autoral.

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×