Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
03 de março de 2015

TJ-MG - Apelação Criminal APR 10084100025638001 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 10/01/2014

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL. DESACATO. PALAVRA SEGURA DOS OFENDIDOS. PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DAS DECLARAÇÕES DE SERVIDORES PÚBLICOS. ÂNIMO DE OFENDER CARACTERIZADO. ABSOLVIÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. DOSIMETRIA PENAL. PERSONALIDADE E CONDUTA SOCIAL. VALORAÇÃO NEGATIVA SEM MAIOR FUNDAMENTAÇÃO. APELO PARCIALMENTE PROVIDO. 1- A palavra dos servidores públicos goza de presunção de veracidade e legitimidade, e somente deve ser infirmada quando presente prova segura a contrariá-la, o que não acontece na espécie. 2- Devidamente atestado o ânimo do condenado em ofender o prestígio e o respeito dos agentes penitenciários, no exercício de suas funções, mediante uso de palavras de baixo calão, responde o acusado pelo delito de desacato. 3- Constatando-se que as circunstâncias judiciais relativas à personalidade e conduta social do réu foram valoradas negativamente sem justificativa plausível, sendo a pena aplicada com certa exasperação, impõe-se a sua redução, atento aos contornos da prática ilícita. 4- Apelo parcialmente provido para minorar a pena aplicada.

TJ-RJ - APELACAO APL 00408729420078190038 RJ 0040872-94.2007.8.19.0038 (TJ-RJ)

Data de publicação: 14/03/2014

Ementa: EMENTA: APELAÇÃO ¿ ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR PRATICADO PELO BISAVÔ CONTRA VÍTIMA MENOR DE 14 ANOS DE IDADE ¿ ART. 214 C/C ART. 224 ¿a¿, NA FORMA DO ART. 14 , II , TODOS DO CP ¿ CONDENAÇÃO DEVIDAMENTE FUNDAMENTADA PELAS PROVAS TRAZIDAS AOS AUTOS ¿ OFENDIDA COM 11 ANOS À ÉPOCA DOS FATOS, QUE OCORRERAM EM 2006 ¿ A VÍTIMA SER MENOR DE 14 ANOS DE IDADE É ELEMENTO OBJETIVO DO TIPO PENAL ¿ PRESUNÇÃO ABSOLUTA DE VULNERABILIDADE ¿ PALAVRA DA VÍTIMA QUE MERECE INTEIRA CREDIBILIDADE PORQUE APOIADA EM OUTROS ELEMENTOS DE PROVA A DAR-LHES VERACIDADE ¿ RÉU CONDENADO A 04 ANOS DE RECLUSÃO, EM REGIME INICIALMENTE FECHADO, SENDO-LHE CONCEDIDO O SURSIS, PELO PRAZO DE 06 ANOS, NOS TERMOS DO ARTIGO 77 , § 2º , DO CP (RÉU MAIOR DE 70 ANOS) ¿ REFORMA, PARCIAL, DA SENTENÇA, PARA, DE OFÍCIO, REDUZIR O PRAZO DA SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA PARA O MÍNIMO LEGAL, OU SEJA, 04 ANOS, BEM COMO PARA ESTABELECER A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE POR APENAS UM ANO, MANTENDO-SE AS DEMAIS CONDIÇÕES IMPOSTAS PELO JUÍZO DE PRIMEIRO GRAU. O apelante foi condenado à pena de 04 anos de reclusão, em regime inicial fechado, pois, no ano de 2006, constrangeu a vítima Hayane Cristine de Oliveira (onze anos de idade), mediante violência presumida, a praticar ato libidinoso diverso da conjunção carnal. Materialidade e autoria comprovadas, estando a sentença condenatória devidamente fundamentada nas provas trazidas aos autos. A prova oral produzida em Juízo, sob o manto do contraditório e da ampla defesa, bem como o relatório psicossocial de avaliação, são firmes no sentido de apontar o réu como o autor do crime narrado na denúncia. A vítima Hayane, prestou declarações, em Juízo, quando contava com 15 anos de idade, descrevendo minuciosamente todo o enredo criminoso, não pairando qualquer dúvida acerca da autoria. Além disso, temos o depoimento de Waldeci, irmão da vítima, que presenciou o cenário criminoso. O pai de Hayane, de igual forma, corrobora a denúncia. Acrescente-se, ainda, que o estudo psicossocial realizado pela equipe técnica do ¿Programa Sentinela¿ constatou que existem indícios de abuso sexual perpetrado contra a criança pelo Sr. Sinésio Brum de Souza Guerra. Desta feita, correta a condenação pela prática do crime de atentado violento ao pudor, eis que robustamente comprovadas autoria e materialidade, ficando a tese defensiva totalmente divorciada do contexto probatório. Quanto ao regime prisional e à dosimetria da pena, nenhum reparo há de ser feito. Quanto ao sursis, há de ser reduzido o seu prazo para o mínimo legal, previsto no artigo 77 , § 2º , do CP , isto é, 04 anos, bem como para estabelecer a prestação de serviços à comunidade por apenas 01 ano (ARTIGO 78 , § 1º , do CP ), mantendo-se as demais condições impostas pelo Juízo de primeiro grau. DESPROVIMENTO DO RECURSO E, DE OFÍCIO, REDUZIR O PRAZO DO SURSIS, PARA 04 ANOS, NOS TERMOS DO ARTIGO 77 , § 2º , DO CP , E REDUZIR A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE PARA 01 ANO (ARTIGO 78 , § 1º , DO CP )....

TJ-SC - Apelação Criminal (Réu Preso) APR 241958 SC 2006.024195-8 (TJ-SC)

Data de publicação: 08/08/2006

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL - CRIME CONTRA OS COSTUMES - ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR - VIOLÊNCIA PRESUMIDA - AUTORIA E MATERIALIDADE INCONTESTES - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DAS PALAVRAS DOS OFENDIDOS NÃO ILIDIDA - PALAVRAS DAS VÍTIMAS CORROBORADAS PELAS DEMAIS PROVAS E INDÍCIOS AMEALHADOS DURANTE A INSTRUÇÃO CRIMINAL - LASTRO PROBATÓRIO SUFICIENTE PARA EMBASAR UMA CONDENAÇÃO - RECURSO DESPROVIDO. Os crimes sexuais muitas vezes não deixam vestígios, sendo dispensável a prova pericial para atestar a materialidade delitiva, a qual pode ser plenamente suprida por outros meios probatórios, como ouvida de testemunhas e depoimento pessoal das vítimas. As declarações da vítima, sempre que firmes, coerentes e com apoio nos autos, são bastante para embasar um decreto condenatório.

TJ-SC - Apelacao Criminal (Reu Preso) APR 199790 SC 2006.019979-0 (TJ-SC)

Data de publicação: 11/07/2006

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL - CRIME CONTRA OS COSTUMES - ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR - ALEGADO CERCEAMENTO DE DEFESA - TESTEMUNHAS DA ACUSAÇÃO PRESTAM DEPOIMENTO NA AUSÊNCIA DO RÉU - APLICAÇÃO DO DISPOSTO NO ART. 217 DO CÓDIGO DE PROCESSO PENAL - NULIDADE RECHAÇADA - VIOLÊNCIA PRESUMIDA - VÍTIMAS COM 9 E 10 ANOS - CONTINUIDADE DELITIVA - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DAS PALAVRAS DOS OFENDIDOS NÃO ELIDIDA - LASTRO PROBATÓRIO SUFICIENTE PARA EMBASAR UMA CONDENAÇÃO - RECURSO DESPROVIDO. Nos crimes contra os costumes, geralmente cometidos na clandestinidade, as declarações da vítima, sempre que firmes, coerentes e com apoio nos autos, são bastantes para embasar um decreto condenatório.

TJ-DF - APELAÇÃO CRIMINAL APR 1308793 DF (TJ-DF)

Data de publicação: 22/09/1993

Ementa: PENAL: ESTUPRO - GRAVE AMEAÇA - MULHER GRÁVIDA - ARDIL E FRAUDE - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DA PALAVRA DA OFENDIDA. CONFIGURA-SE O CRIME DE ESTUPRO O ATO PRATICADO POR AGENTE QUE MEDIANTE ARDIL E GRAVE AMEAÇA, CONSTRANGE MULHER EM ADIANTADO ESTADO DE GRAVIDEZ, A COM ELE MANTER RELAÇÕES SEXUAIS. O ENGODO DA VÍTIMA MEDIANTE A PROMESSA DE DOAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E SUA AMEAÇA COM UM CASSETE, SÃO SUFICIENTES A LHE SUBJULGAR A VONTADE, POIS O MEIO MATERIAL UTILIZADO É HÁBIL A COMPROMETER A SUA VIDA E A DE SEU FILHO, MORMENTE QUANDO O CRIME É PRATICADO EM LOCAL ERMO. NOS CRIMES DE ESTUPRO, QUE GERALMENTE SÃO PRATICADOS EM LOCAL ISOLADO E NA AUSÊNCIA DE TESTEMUNHAS, A PALAVRAS DA VÍTIMA TEM FORTE PREPONDERÂNCIA, MÁXIME SE CORROBORADA PELAS DEMAIS PROVAS COLHIDAS A CURSO DA INSTRUÇÃO. RECURSO PROVIDO, PARA CONDENAR ACUSADO.

TJ-DF - APELAÇÃO CRIMINAL APR 130870419938070000 DF 0013087-04.1993.807.0000 (TJ-DF)

Data de publicação: 22/09/1993

Ementa: PENAL: ESTUPRO - GRAVE AMEAÇA - MULHER GRÁVIDA - ARDIL E FRAUDE - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DA PALAVRA DA OFENDIDA. CONFIGURA-SE O CRIME DE ESTUPRO O ATO PRATICADO POR AGENTE QUE MEDIANTE ARDIL E GRAVE AMEAÇA, CONSTRANGE MULHER EM ADIANTADO ESTADO DE GRAVIDEZ, A COM ELE MANTER RELAÇÕES SEXUAIS. O ENGODO DA VÍTIMA MEDIANTE A PROMESSA DE DOAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E SUA AMEAÇA COM UM CASSETE, SÃO SUFICIENTES A LHE SUBJULGAR A VONTADE, POIS O MEIO MATERIAL UTILIZADO É HÁBIL A COMPROMETER A SUA VIDA E A DE SEU FILHO, MORMENTE QUANDO O CRIME É PRATICADO EM LOCAL ERMO. NOS CRIMES DE ESTUPRO, QUE GERALMENTE SÃO PRATICADOS EM LOCAL ISOLADO E NA AUSÊNCIA DE TESTEMUNHAS, A PALAVRAS DA VÍTIMA TEM FORTE PREPONDERÂNCIA, MÁXIME SE CORROBORADA PELAS DEMAIS PROVAS COLHIDAS A CURSO DA INSTRUÇÃO. RECURSO PROVIDO, PARA CONDENAR ACUSADO.

Encontrado em: , MULHER; PRESUNÇÃO, VERACIDADE, VÍTIMA. APELAÇÃO CRIMINAL APR 130870419938070000 DF 0013087-04.1993.807.0000 (TJ-DF) P. A. ROSA DE FARIAS

TJ-DF - APELAÇÃO CRIMINAL ACR 130870419938070000 DF 0013087-04.1993.807.0000 (TJ-DF)

Data de publicação: 22/09/1993

Ementa: PENAL: ESTUPRO - GRAVE AMEAÇA - MULHER GRÁVIDA - ARDIL E FRAUDE - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DA PALAVRA DA OFENDIDA. CONFIGURA-SE O CRIME DE ESTUPRO O ATO PRATICADO POR AGENTE QUE MEDIANTE ARDIL E GRAVE AMEAÇA, CONSTRANGE MULHER EM ADIANTADO ESTADO DE GRAVIDEZ, A COM ELE MANTER RELAÇÕES SEXUAIS. O ENGODO DA VÍTIMA MEDIANTE A PROMESSA DE DOAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E SUA AMEAÇA COM UM CASSETE, SÃO SUFICIENTES A LHE SUBJULGAR A VONTADE, POIS O MEIO MATERIAL UTILIZADO É HÁBIL A COMPROMETER A SUA VIDA E A DE SEU FILHO, MORMENTE QUANDO O CRIME É PRATICADO EM LOCAL ERMO. NOS CRIMES DE ESTUPRO, QUE GERALMENTE SÃO PRATICADOS EM LOCAL ISOLADO E NA AUSÊNCIA DE TESTEMUNHAS, A PALAVRAS DA VÍTIMA TEM FORTE PREPONDERÂNCIA, MÁXIME SE CORROBORADA PELAS DEMAIS PROVAS COLHIDAS A CURSO DA INSTRUÇÃO. RECURSO PROVIDO, PARA CONDENAR ACUSADO.

Encontrado em: , MULHER; PRESUNÇÃO, VERACIDADE, VÍTIMA. APELAÇÃO CRIMINAL ACR 130870419938070000 DF 0013087-04.1993.807.0000 (TJ-DF) P. A. ROSA DE FARIAS

TJ-DF - APELAÇÃO CRIMINAL ACR 1308793 DF (TJ-DF)

Data de publicação: 22/09/1993

Ementa: PENAL: ESTUPRO - GRAVE AMEAÇA - MULHER GRÁVIDA - ARDIL E FRAUDE - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DA PALAVRA DA OFENDIDA. CONFIGURA-SE O CRIME DE ESTUPRO O ATO PRATICADO POR AGENTE QUE MEDIANTE ARDIL E GRAVE AMEAÇA, CONSTRANGE MULHER EM ADIANTADO ESTADO DE GRAVIDEZ, A COM ELE MANTER RELAÇÕES SEXUAIS. O ENGODO DA VÍTIMA MEDIANTE A PROMESSA DE DOAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E SUA AMEAÇA COM UM CASSETE, SÃO SUFICIENTES A LHE SUBJULGAR A VONTADE, POIS O MEIO MATERIAL UTILIZADO É HÁBIL A COMPROMETER A SUA VIDA E A DE SEU FILHO, MORMENTE QUANDO O CRIME É PRATICADO EM LOCAL ERMO. NOS CRIMES DE ESTUPRO, QUE GERALMENTE SÃO PRATICADOS EM LOCAL ISOLADO E NA AUSÊNCIA DE TESTEMUNHAS, A PALAVRAS DA VÍTIMA TEM FORTE PREPONDERÂNCIA, MÁXIME SE CORROBORADA PELAS DEMAIS PROVAS COLHIDAS A CURSO DA INSTRUÇÃO. RECURSO PROVIDO, PARA CONDENAR ACUSADO.

TJ-MS - Apelacao Criminal ACR 113 MS 2004.000113-4 (TJ-MS)

Data de publicação: 07/05/2004

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL - ESTUPRO - VÍTIMA MENOR DE IDADE - CONTRADIÇÕES - PALAVRA DA OFENDIDA E DE TESTEMUNHAS SOBRE FATO IRRELEVANTE - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE QUANDO CORROBORADA POR OUTRAS PROVAS - RECURSO IMPROVIDO.

TJ-SC - Inteiro Teor. Apelação Criminal (Réu Preso) ACR 127596 SC 2010.012759-6 (TJSC)

Data de publicação: 06/09/2010

Decisão: TEMOR DE REPRESÁLIAS - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DAS PALAVRAS DA OFENDIDA E DE SUA MÃE NÃO ILIDIDA... COM PRESUNÇÃO DE VIOLÊNCIA (ARTIGOS 213 C/C 224 , C, E 226, II, AMBOS DO CÓDIGO PENAL ). PRELIMINAR... Pazda Varela, que acompanhou o caso, confirma as palavras da vítima, no sentido de afirmar que a vítima...

1 2 3 4 5 909 910 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca