Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
24 de julho de 2014

TRF-3 - RECURSO CRIMINAL 3532 RCCR 15344 SP 2003.61.05.015344-6 (TRF-3)

Data de publicação: 08/08/2006

Ementa: RECURSO CRIMINAL. LEI Nº 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95, 'D', DA LEI Nº 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI Nº 3.807 /60 E ARTIGO 2º , II , DA LEI Nº 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. RECURSO PROVIDO. 1. A Lei n. 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos a quem tenham sido imputados o cometimento dos delitos previstos no artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91 e artigo 86 da Lei n. 3.807 /60, além do artigo 2º , II , da Lei n. 8.137 /90, sendo que, neste último caso, desde que o objeto do delito esteja circunscrito a contribuições sociais. 2. O parágrafo único do artigo 11 da Lei n. 9.639/91, publicado no Diário Oficial da União do dia 26 de maio de 1998, não teve o condão de anistiar todos aqueles que tivessem cometido os delitos ali mencionados, posto que esse preceito não foi objeto de votação pelo Congresso Nacional. 3. A mera publicação de um preceito não lhe confere a condição de lei, quando não observado o processo legislativo previsto constitucionalmente, dado que, tratando-se de ato complexo, a ausência de todos os requisitos essenciais, leva à inexistência da norma, ou, quando não, à sua inconstitucionalidade formal. 4. O princípio da isonomia não está a autorizar a extensão da anistia concedida aos agentes políticos para que venha a alcançar todos os que tenham cometido os delitos do artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91, artigo 86 da lei n. 3.807 /60 e art. 2º , II , da Lei n. 8137 /90, dada a concorrência de razões para a existência do discrímen. 5. Os agentes políticos não são beneficiados pela prática dos crimes mencionados, seja direta ou indiretamente, nem tampouco imediata ou remotamente, posto que o não recolhimento das contribuições sociais não redunda num acréscimo patrimonial próprio ou da empresa à qual pertencem ou são interessados, o mesmo não acontecendo em se tratando de particulares. 6. Inviável é a aplicação da analogia para estender a anistia a todos os que tenham cometido os crimes em questão, posto que inocorrente, no caso, a lacuna de lei, eis que o legislador claramente fez a opção de conceder o benefício exclusivamente aos agentes políticos. Além do mais, as situações não são iguais em se tratando de particulares e agentes políticos. 7. Recurso improvido....

TRF-3 - RECURSO CRIMINAL RCCR 15344 SP 2003.61.05.015344-6 (TRF-3)

Data de publicação: 24/04/2006

Ementa: RECURSO CRIMINAL. LEI Nº 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95, 'D', DA LEI Nº 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI Nº 3.807 /60 E ARTIGO 2º , II , DA LEI Nº 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. RECURSO PROVIDO. 1. A Lei n. 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos a quem tenham sido imputados o cometimento dos delitos previstos no artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91 e artigo 86 da Lei n. 3.807 /60, além do artigo 2º , II , da Lei n. 8.137 /90, sendo que, neste último caso, desde que o objeto do delito esteja circunscrito a contribuições sociais. 2. O parágrafo único do artigo 11 da Lei n. 9.639/91, publicado no Diário Oficial da União do dia 26 de maio de 1998, não teve o condão de anistiar todos aqueles que tivessem cometido os delitos ali mencionados, posto que esse preceito não foi objeto de votação pelo Congresso Nacional. 3. A mera publicação de um preceito não lhe confere a condição de lei, quando não observado o processo legislativo previsto constitucionalmente, dado que, tratando-se de ato complexo, a ausência de todos os requisitos essenciais, leva à inexistência da norma, ou, quando não, à sua inconstitucionalidade formal. 4. O princípio da isonomia não está a autorizar a extensão da anistia concedida aos agentes políticos para que venha a alcançar todos os que tenham cometido os delitos do artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91, artigo 86 da lei n. 3.807 /60 e art. 2º , II , da Lei n. 8137 /90, dada a concorrência de razões para a existência do discrímen. 5. Os agentes políticos não são beneficiados pela prática dos crimes mencionados, seja direta ou indiretamente, nem tampouco imediata ou remotamente, posto que o não recolhimento das contribuições sociais não redunda num acréscimo patrimonial próprio ou da empresa à qual pertencem ou são interessados, o mesmo não acontecendo em se tratando de particulares. 6. Inviável é a aplicação da analogia para estender a anistia a todos os que tenham cometido os crimes em questão, posto que inocorrente, no caso, a lacuna de lei, eis que o legislador claramente fez a opção de conceder o benefício exclusivamente aos agentes políticos. Além do mais, as situações não são iguais em se tratando de particulares e agentes políticos. 7. Recurso improvido....

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS AgRg no HC 160734 SP 2010/0015753-5 (STJ)

Data de publicação: 08/10/2013

Ementa: AGRAVO REGIMENTAL. HABEAS CORPUS. MEDIDA DE SEGURANÇA. PRAZO MÁXIMO DE INTERNAÇÃO. TRINTA ANOS. APLICAÇÃO, POR ANALOGIA, DO ARTIGO 75 DO CÓDIGO PENAL . ATENÇÃO AOS PRINCÍPIOS DA ISONOMIA, PROPORCIONALIDADE E RAZOABILIDADE. 1. Em atenção aos princípios da isonomia, proporcionalidade e razoabilidade, aplica-se, por analogia, o art. 75 do Diploma Repressor às medidas de segurança, estabelecendo-se como limite para sua duração o máximo da pena abstratamente cominada ao delito praticado, não se podendo conferir tratamento mais severo e desigual ao inimputável, uma vez que ao imputável, a legislação estabelece expressamente o respectivo limite de atuação do Estado. 2. Agravo regimental improvido.

TRF-3 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO 1039 RSE 85704 SP 98.03.085704-5 (TRF-3)

Data de publicação: 26/03/2002

Ementa: RECURSO CRIMINAL. ARTIGO 34 DA LEI Nº 9.249 /95. DESCRIMINALIZAÇÃO DO CRIME PREVISTO PELO ARTIGO 95 , 'D', DA LEI Nº 8.212 /91. ANISTIA. LEI Nº 9.639 /98, ARTIGO 11 , PARÁGRAFO ÚNICO . PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. RECURSO PROVIDO. 1. Não é atípica a conduta prevista no artigo 95 , 'd', da Lei nº 8.212 /91, não restando caracterizada no caso qualquer imposição de prisão civil por dívida, pois o tipo jurídico expresso em deixar de recolher, revela uma ação omissiva, norteada pelo elemento subjetivo, consubstanciado no dolo, sendo difícil a caracterização a título de culpa, e possível o erro, não tendo sido alterado esse quadro normativo com o advento do artigo 168-A, parágrafo 1º, inciso I, do Código Penal . 2. Consumação que ocorre com o não recolhimento das contribuições descontadas dos segurados ou do público nas épocas estabelecidas legalmente, tratando-se de crime formal. 3. A Lei nº 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos pela prática dos delitos previstos no artigo 95 , d, da Lei 8.212 /91, art. 86 da Lei nº 3.807 /60 e artigo 2º , II , da Lei nº 8.137 /90, não sendo, ademais, de aplicar-se o princípio da isonomia e analogia para estender a anistia a todos os que tenham cometido os referidos delitos. 4. O parágrafo único do art. 11 da Lei 9.639 /98 não teve o condão de anistiar todos aqueles que cometeram os delitos que menciona, posto não ter sido objeto de votação pelo Congresso Nacional, tratando-se de norma inexistente, ou, quando não, formalmente inconstitucional. 5. Recurso provido.

Encontrado em: JURÍDICO DO PRINCÍPIO DA IGUALDADE,SÃO PAULO,EDITORA MALHEIROS, ED 3 ,1993,PAG 18, 25 AUTOR GIUSEPPE

TRF-3 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO RSE 85704 SP 98.03.085704-5 (TRF-3)

Data de publicação: 18/09/2001

Ementa: RECURSO CRIMINAL. ARTIGO 34 DA LEI Nº 9.249 /95. DESCRIMINALIZAÇÃO DO CRIME PREVISTO PELO ARTIGO 95 , 'D', DA LEI Nº 8.212 /91. ANISTIA. LEI Nº 9.639 /98, ARTIGO 11 , PARÁGRAFO ÚNICO . PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. RECURSO PROVIDO. 1. Não é atípica a conduta prevista no artigo 95 , 'd', da Lei nº 8.212 /91, não restando caracterizada no caso qualquer imposição de prisão civil por dívida, pois o tipo jurídico expresso em deixar de recolher, revela uma ação omissiva, norteada pelo elemento subjetivo, consubstanciado no dolo, sendo difícil a caracterização a título de culpa, e possível o erro, não tendo sido alterado esse quadro normativo com o advento do artigo 168-A, parágrafo 1º, inciso I, do Código Penal . 2. Consumação que ocorre com o não recolhimento das contribuições descontadas dos segurados ou do público nas épocas estabelecidas legalmente, tratando-se de crime formal. 3. A Lei nº 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos pela prática dos delitos previstos no artigo 95 , d, da Lei 8.212 /91, art. 86 da Lei nº 3.807 /60 e artigo 2º , II , da Lei nº 8.137 /90, não sendo, ademais, de aplicar-se o princípio da isonomia e analogia para estender a anistia a todos os que tenham cometido os referidos delitos. 4. O parágrafo único do art. 11 da Lei 9.639 /98 não teve o condão de anistiar todos aqueles que cometeram os delitos que menciona, posto não ter sido objeto de votação pelo Congresso Nacional, tratando-se de norma inexistente, ou, quando não, formalmente inconstitucional. 5. Recurso provido.

Encontrado em: ANTONIO BANDEIRA DE MELLO TÍTULO O CONTEÚDO JURÍDICO DO PRINCÍPIO DA IGUALDADE,SÃO PAULO DE MELLO TÍTULO O CONTEÚDO JURÍDICO DO PRINCÍPIO DA IGUALDADE,SÃO PAULO,EDITORA MALHEIROS,ED 3

TRF-3 - RECURSO CRIMINAL RCCR 2669 SP 1999.61.10.002669-0 (TRF-3)

Data de publicação: 14/05/2002

Ementa: RECURSO CRIMINAL. LEI Nº 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95, 'D', DA LEI Nº 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI Nº 3.807 /60 E ARTIGO 2º , II , DA LEI Nº 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. RECURSO PROVIDO. 1. A Lei n. 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos a quem tenham sido imputados o cometimento dos delitos previstos no artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91 e artigo 86 da Lei n. 3.807 /60, além do artigo 2º , II , da Lei n. 8.137 /90, sendo que, neste último caso, desde que o objeto do delito esteja circunscrito a contribuições sociais. 2. O parágrafo único do artigo 11 da Lei n. 9.639/91, publicado no Diário Oficial da União do dia 26 de maio de 1998, não teve o condão de anistiar todos aqueles que tivessem cometido os delitos ali mencionados, posto que esse preceito não foi objeto de votação pelo Congresso Nacional. 3. A mera publicação de um preceito não lhe confere a condição de lei, quando não observado o processo legislativo previsto constitucionalmente, dado que, tratando-se de ato complexo, a ausência de todos os requisitos essenciais, leva à inexistência da norma, ou, quando não, à sua inconstitucionalidade formal. 4. O princípio da isonomia não está a autorizar a extensão da anistia concedida aos agentes políticos para que venha a alcançar todos os que tenham cometido os delitos do artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91, artigo 86 da lei n. 3.807 /60 e art. 2º , II , da Lei n. 8137 /90, dada a concorrência de razões para a existência do discrímen. É que, os agentes políticos não são beneficiados pela prática dos crimes mencionados, seja direta ou indiretamente, nem tampouco imediata ou remotamente, posto que o não recolhimento das contribuições sociais não redunda num acréscimo patrimonial próprio ou da empresa à qual pertencem ou são interessados, o mesmo não acontecendo em se tratando de particulares. 5. Inviável é a aplicação da analogia para estender a anistia a todos os que tenham cometido os crimes em questão, posto que inocorrente, no caso, a lacuna de lei, eis que o legislador claramente fez a opção de conceder o benefício exclusivamente aos agentes políticos. Além do mais, as situações não são iguais em se tratando de particulares e agentes políticos. 6. Recurso provido....

Encontrado em: -2000 LEG-FED PJL-4 ANO-1998 SUPRESSÃO DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL, PRINCÍPIO DA ISONOMIA, ANISTIA, AGENTE... POLÍTICO, CO-AUTORIA, ANALOGIA, PESSOA JURÍDICA, ACRÉSCIMO PATRIMONIAL, INCONSTITUCIONALIDADE

TRF-3 - RECURSO CRIMINAL 2838 RCCR 2669 SP 1999.61.10.002669-0 (TRF-3)

Data de publicação: 02/07/2002

Ementa: RECURSO CRIMINAL. LEI Nº 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95, 'D', DA LEI Nº 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI Nº 3.807 /60 E ARTIGO 2º , II , DA LEI Nº 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. RECURSO PROVIDO. 1. A Lei n. 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos a quem tenham sido imputados o cometimento dos delitos previstos no artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91 e artigo 86 da Lei n. 3.807 /60, além do artigo 2º , II , da Lei n. 8.137 /90, sendo que, neste último caso, desde que o objeto do delito esteja circunscrito a contribuições sociais. 2. O parágrafo único do artigo 11 da Lei n. 9.639/91, publicado no Diário Oficial da União do dia 26 de maio de 1998, não teve o condão de anistiar todos aqueles que tivessem cometido os delitos ali mencionados, posto que esse preceito não foi objeto de votação pelo Congresso Nacional. 3. A mera publicação de um preceito não lhe confere a condição de lei, quando não observado o processo legislativo previsto constitucionalmente, dado que, tratando-se de ato complexo, a ausência de todos os requisitos essenciais, leva à inexistência da norma, ou, quando não, à sua inconstitucionalidade formal. 4. O princípio da isonomia não está a autorizar a extensão da anistia concedida aos agentes políticos para que venha a alcançar todos os que tenham cometido os delitos do artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91, artigo 86 da lei n. 3.807 /60 e art. 2º , II , da Lei n. 8137 /90, dada a concorrência de razões para a existência do discrímen. É que, os agentes políticos não são beneficiados pela prática dos crimes mencionados, seja direta ou indiretamente, nem tampouco imediata ou remotamente, posto que o não recolhimento das contribuições sociais não redunda num acréscimo patrimonial próprio ou da empresa à qual pertencem ou são interessados, o mesmo não acontecendo em se tratando de particulares. 5. Inviável é a aplicação da analogia para estender a anistia a todos os que tenham cometido os crimes em questão, posto que inocorrente, no caso, a lacuna de lei, eis que o legislador claramente fez a opção de conceder o benefício exclusivamente aos agentes políticos. Além do mais, as situações não são iguais em se tratando de particulares e agentes políticos. 6. Recurso provido....

Encontrado em: DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL, PRINCÍPIO DA ISONOMIA, ANISTIA, AGENTE POLÍTICO, CO-AUTORIA, ANALOGIA, PESSOA JURÍDICA

TRF-3 - RECURSO CRIMINAL RCCR 3689 SP 2000.61.14.003689-2 (TRF-3)

Data de publicação: 18/12/2001

Ementa: REMESSA OFICIAL E RECURSO CRIMINAL. LEI Nº 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95, 'D', DA LEI Nº 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI Nº 3.807 /60 E ARTIGO 2º , II , DA LEI Nº 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. 1. A Lei n. 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos a quem tenham sido imputados o cometimento dos delitos previstos no artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91 e artigo 86 da Lei n. 3.807 /60, além do artigo 2º , II , da Lei n. 8.137 /90, sendo que, neste último caso, desde que o objeto do delito esteja circunscrito a contribuições sociais. 2. O parágrafo único do artigo 11 da Lei n. 9.639/91, publicado no Diário Oficial da União do dia 26 de maio de 1998, não teve o condão de anistiar todos aqueles que tivessem cometido os delitos ali mencionados, posto que esse preceito não foi objeto de votação pelo Congresso Nacional. 3. A mera publicação de um preceito não lhe confere a condição de lei, quando não observado o processo legislativo previsto constitucionalmente, dado que, tratando-se de ato complexo, a ausência de todos os requisitos essenciais, leva à inexistência da norma, ou, quando não, à sua inconstitucionalidade formal. 4. O princípio da isonomia não está a autorizar a extensão da anistia concedida aos agentes políticos para que venha a alcançar todos os que tenham cometido os delitos do artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91, artigo 86 da lei n. 3.807 /60 e art. 2º , II , da Lei n. 8137 /90, dada a concorrência de razões para a existência do discrímen. É que, os agentes políticos não são beneficiados pela prática dos crimes mencionados, seja direta ou indiretamente, nem tampouco imediata ou remotamente, posto que o não recolhimento das contribuições sociais não redunda num acréscimo patrimonial próprio ou da empresa à qual pertencem ou são interessados, o mesmo não acontecendo em se tratando...

Encontrado em: TUNC, DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO (DOU), ACRÉSCIMO PATRIMONIAL, PRINCÍPIO DA ISONOMIA, PRINCÍPIO... DA ISONOMIA, ANALOGIA IN BONAM PARTEM, CO-AUTORIA, CRIME CONTINUADO, REINCIDÊNCIA, ANTECEDENTES CRIMINAIS... AUTOR CELSO ANTÔNIO BANDEIRA DE MELLO TÍTULO O CONTEÚDO JURÍDICO DO PRINCÍPIO DA IGUALDADE,SÃO PAULO...

TRF-3 - RECURSO CRIMINAL 2907 RCCR 3689 SP 2000.61.14.003689-2 (TRF-3)

Data de publicação: 18/06/2002

Ementa: REMESSA OFICIAL E RECURSO CRIMINAL. LEI Nº 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95, 'D', DA LEI Nº 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI Nº 3.807 /60 E ARTIGO 2º , II , DA LEI Nº 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. 1. A Lei n. 9.639 /98 somente concedeu anistia aos agentes políticos a quem tenham sido imputados o cometimento dos delitos previstos no artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91 e artigo 86 da Lei n. 3.807 /60, além do artigo 2º , II , da Lei n. 8.137 /90, sendo que, neste último caso, desde que o objeto do delito esteja circunscrito a contribuições sociais. 2. O parágrafo único do artigo 11 da Lei n. 9.639/91, publicado no Diário Oficial da União do dia 26 de maio de 1998, não teve o condão de anistiar todos aqueles que tivessem cometido os delitos ali mencionados, posto que esse preceito não foi objeto de votação pelo Congresso Nacional. 3. A mera publicação de um preceito não lhe confere a condição de lei, quando não observado o processo legislativo previsto constitucionalmente, dado que, tratando-se de ato complexo, a ausência de todos os requisitos essenciais, leva à inexistência da norma, ou, quando não, à sua inconstitucionalidade formal. 4. O princípio da isonomia não está a autorizar a extensão da anistia concedida aos agentes políticos para que venha a alcançar todos os que tenham cometido os delitos do artigo 95 , letra d, da Lei n. 8.212 /91, artigo 86 da lei n. 3.807 /60 e art. 2º , II , da Lei n. 8137 /90, dada a concorrência de razões para a existência do discrímen. É que, os agentes políticos não são beneficiados pela prática dos crimes mencionados, seja direta ou indiretamente, nem tampouco imediata ou remotamente, posto que o não recolhimento das contribuições sociais não redunda num acréscimo patrimonial próprio ou da empresa à qual pertencem ou são interessados, o mesmo não acontecendo em se tratando...

Encontrado em: TUNC, DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO (DOU), ACRÉSCIMO PATRIMONIAL, PRINCÍPIO DA ISONOMIA, PRINCÍPIO... DA ISONOMIA, ANALOGIA IN BONAM PARTEM, CO-AUTORIA, CRIME CONTINUADO, REINCIDÊNCIA, ANTECEDENTES CRIMINAIS... CELSO ANT�"NIO BANDEIRA DE MELLO TÍTULO O CONTEÚDO JURÍDICO DO PRINCÍPIO DA IGUALDADE,SÃO PAULO...

TRF-3 - HABEAS CORPUS 9471 HC 61165 SP 1999.03.00.061165-1 (TRF-3)

Data de publicação: 29/08/2000

Ementa: "HABEAS CORPUS". LEI N.º 9.639 /98. DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95,'D', DA LEI N.º 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI N.º 3.807 /60 E ARTIGO 2º, II., DA LEI N.º 8.137 /90. PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI 9.639 /98 . NORMA INEXISTENTE. NÃO APROVAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. PRINCÍPIO DA ISONOMIA E ANALOGIA. INAPLICABILIDADE. ORDEM DENEGADA. 1. A LEI N.º 9.639 /98 SOMENTE CONCEDEU ANISTIA AOS AGENTES POLÍTICOS A QUEM TENHAM SIDO IMPUTADOS O COMETIMENTO DOS DELITOS PREVISTOS NO ARTIGO 95 , LETRA D, DA LEI N.º 8.212 /91 E ARTIGO 86 DA LEI N.º 3.807 /60, ALÉM DO ARTIGO 2º , II ., DA LEI N.º 8.137 /90, SENDO QUE, NESTE ULTIMO CASO, DESDE QUE O OBJETO DO DELITO ESTEJA CIRCUNSCRITO A CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS. 2. O PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 11 DA LEI N. 9.639/91, PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DO DIA 26 DE MAIO DE 1998, NÃO TEVE O CONDÃO DE ANISTIAR TODOS AQUELES QUE TIVESSEM COMETIDO OS DELITOS ALI MENCIONADOS, POSTO QUE ESSE PRECEITO NÃO FOI OBJETO DE VOTAÇÃO PELO CONGRESSO NACIONAL. 3. A MERA PUBLICAÇÃO DE UM PRECEITO NÃO LHE CONFERE A CONDIÇÃO DE LEI, QUANDO NÃO OBSERVADO O PROCESSO LEGISLATIVO PREVISTO CONSTITUCIONALMENTE, DADO QUE, TRATANDO-SE DE ATOCOMPLEXO, A AUSÊNCIA DE TODOS OS REQUISITOS ESSENCIAIS, LEVA À INEXISTÊNCIA DA NORMA, OU, QUANDO NÃO, À SUA INCONSTITUCIONALIDADE FORMAL. 4. O PRINCÍPIO DA ISONOMIA NÃO ESTÁ A AUTORIZAR A EXTENSÃO DA ANISTIA CONCEDIDA AOS AGENTES POLÍTICOS PARA QUE VENHA A ALCANÇAR TODOS OS QUE TENHAM COMETIDO OS DELITOS DO ARTIGO 95 , LETRA D, DA LEI N.º 8.212 /91, ARTIGO 86 DA LEI N.º 3.807 /60 E ART. 2º, II., DA LEI N.º 8137 /90, DADA A CONCORRÊNCIA DE RAZÕES PARA A EXISTÊNCIA DO DISCRÍMEN. 5. OS AGENTES POLÍTICOS NÃO SÃO BENEFICIADOS PELA PRÁTICA DOS CRIMES MENCIONADOS, SEJA DIRETA OU INDIRETAMENTE, NEM TAMPOUCO IMEDIATA OU REMOTAMENTE, POSTO QUE O NÃO RECOLHIMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS NÃO REDUNDA NUM ACRÉSCIMO PATRIMONIAL PRÓPRIO OU DA EMPRESA À QUAL PERTENCEM OU SÃO INTERESSADOS, O MESMO NÃO ACONTECENDO EM SE TRATANDO DE PARTICULARES. 6. INVIÁVEL É A APLICAÇÃO DA ANALOGIA PARA ESTENDER A ANISTIA A TODOS OS QUE TENHAM COMETIDO OS CRIMES EM QUESTÃO, POSTO QUE INOCORRENTE, NO CASO, A LACUNA DE LEI, EIS QUE O LEGISLADOR CLARAMENTE FEZ A OPÇÃO DE CONCEDER O BENEFÍCIO EXCLUSIVAMENTE AOS AGENTES POLÍTICOS. ALÉM DO MAIS, AS SITUAÇÕES NÃO SÃO IGUAIS EM SE TRATANDO DE PARTICULARES E AGENTES POLÍTICOS. 7. ORDEM DE HABEAS CORPUS DENEGADA....

Encontrado em: . INEXISTÊNCIA, VIOLAÇÃO, PRINCÍPIO DA ISONOMIA, PARCIALIDADE, ANISTIA, INEXISTÊNCIA, LACUNA DA LEI. HABEAS... 3,PAG 423, 424 AUTOR CELSO ANT�"NIO BANDEIRA DE MELLO TÍTULO O CONTEÚDO JURÍDICO DO PRINCÍPIO... DA IGUALDADE,SP,EDITORA MALHEIROS,ED 3ª,1993,PAG 18 AUTOR MAURÍCIO ANTONIO RIBEIRO LOPES TÍTULO PRINCÍPIO...

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca