Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
30 de outubro de 2014

TRT-9 - 2922006665900 PR 292-2006-665-9-0-0 (TRT-9)

Data de publicação: 12/09/2008

Ementa: TRT-PR-12-09-2008 RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DO TOMADOR DOS SERVIÇOS - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - CABIMENTO - PRINCÍPIO PRO HOMINE. O tomador dos serviços responde subsidiariamente pelos débitos trabalhistas, ainda que se trate da administração pública direta ou indireta e que a contratação tenha ocorrido por licitação pública, nos moldes da Lei nº 8.666 /93. Essa posição encontra respaldo no fundamento de que a responsabilidade do tomador decorre de culpa in eligendo e in vigilando, prevista nos artigos 927 e 942 do atual Código Civil , que se sobrepõem, inclusive, sobre o disposto no artigo 71 da Lei nº 8.666 /1993, consoante elucida a súmula 331 do c. TST, em face do princípio pro homine, ou seja, entre as disposições da Lei 8.666 /93 e as regras do Código Civil , prevalecem estas que mais ampliam as garantias aos direitos fundamentais da dignidade da pessoa humana e do valor social do trabalho ( CF , art. 1º ), sem olvidar que a ordem econômica é fundada na valorização do trabalho humano a exigir que a justa remuneração (princípio insculpido no art. 766 da CLT ) seja recebida pelo trabalhador, quer paga pelo empregador, quer daquele que se beneficiou direta ou indiretamente da prestação de serviços.

TJ-MS - Habeas Corpus HC 7544 MS 2008.007544-1 (TJ-MS)

Data de publicação: 19/05/2008

Ementa: HABEAS CORPUS - PRISÃO CIVIL - DEPOSITÁRIO INFIEL - CONSTITUIÇÃO FEDERAL - TRATADO INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS - CONFLITO DE NORMAS DE MESMA HIERARQUIA - NOVA INTERPRETAÇÃO DO STF - APLICAÇÃO DA NORMA MAIS FAVORÁVEL - PRINCÍPIO PRO HOMINE - ORDEM CONCEDIDA.

TJ-PR - Habilitação 12214389 PR 1221438-9 (Acórdão) (TJ-PR)

Data de publicação: 15/07/2014

Ementa: HABEAS CORPUS CRIME. TRÁFICO DE ENTORPECENTES (ART. 33 DA L.11.343/06). PRISÃO EM FLAGRANTE CONVERTIDA EM PREVENTIVA. 1. ALEGAÇÃO DE AFRONTA AO ART. 7º, ITEM 5, DO PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA, POR AUSÊNCIA DE "AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA".SUPRALEGALIDADE DE TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS. NOVEL ENTENDIMENTO DO STF (REXT 349.703/RS).INTERPRETAÇÃO ESPECADA NO PRINCÍPIO PRO HOMINE (VIDE HC 96.772/SP, STF). NORMA DE DIREITO INTERNACIONAL INAPLICÁVEL EM PLENITUDE, DADO O COTEJO DA MESMA COM AS SITUAÇÕES FÁTICO- JURÍDICAS LOCAIS (DIREITO INTERNO).IMPOSSIBILIDADE DE IMPLEMENTAÇÃO EM PREJUÍZO AO INDIVÍDUO TUTELADO. RISCO DE PROLONGAMENTO DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL (RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO). ORDEM CONSTITUCIONAL VIGENTE NORTEADA PELOS PRINCÍPIOS E IDEAIS DO PACTO DE SAN JOSÉ. TESE AFASTADA. 2. ARGUIÇÃO DE INIDONEIDADE DA FUNDAMENTAÇÃO DO DECRETO CAUTELAR. TESE REJEITADA. DECISÃO QUE SE REPORTOU À EXISTÊNCIA DE PROVA DA MATERIALIDADE E DE INDÍCIOS DE AUTORIA. 3. REQUISITOS AUTORIZADORES DA PRISÃO PREVENTIVA (ARTS. 312 E 313, AMBOS DO CPP). PRESENÇA.SEGREGAÇÃO MANTIDA DIANTE DA NECESSIDADE DE GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. 4. MEDIDAS CAUTELARES DIVERSAS DA PRISÃO. INAPLICABILIDADE.IMPERATIVA GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA.ORDEM CONHECIDA E DENEGADA.

TJ-PR - Habilitação 11964477 PR 1196447-7 (Acórdão) (TJ-PR)

Data de publicação: 06/07/2014

Ementa: HABEAS CORPUS CRIME. ROUBO DUPLAMENTE MAJORADO E ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA (ART. 157, § 2º, I E II, E ART. 288, AMBOS DO CP). PRISÃO EM FLAGRANTE CONVERTIDA EM PREVENTIVA. 1. ALEGAÇÃO DE AUSÊNCIA DE DENÚNCIA. EXORDIAL ACUSATÓRIA OFERECIDA. ITEM PREJUDICADO. 2. ALEGAÇÃO DE AFRONTA AO ART. 7º, ITEM 5, DO PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA, POR AUSÊNCIA DE "AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA".SUPRALEGALIDADE DE TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS. NOVEL ENTENDIMENTO DO STF (REXT 349.703/RS).INTERPRETAÇÃO ESPECADA NO PRINCÍPIO PRO HOMINE (VIDE HC 96.772/SP, STF). NORMA DE DIREITO INTERNACIONAL INAPLICÁVEL EM PLENITUDE, DADO O COTEJO DA MESMA COM AS SITUAÇÕES FÁTICO- JURÍDICAS LOCAIS (DIREITO INTERNO).IMPOSSIBILIDADE DE IMPLEMENTAÇÃO EM PREJUÍZO AO INDIVÍDUO TUTELADO. RISCO DE PROLONGAMENTO DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL (RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO). ORDEM CONSTITUCIONAL VIGENTE NORTEADA PELOS PRINCÍPIOS E IDEAIS DO PACTO DE SAN JOSÉ. TESE AFASTADA. 3. REQUISITOS AUTORIZADORES DA PRISÃO PREVENTIVA (ARTS. 312 E 313, AMBOS DO CPP). PRESENÇA.SEGREGAÇÃO MANTIDA DIANTE DA NECESSIDADE DE GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. MODUS OPERANDI. 4. MEDIDAS CAUTELARES DIVERSAS DA PRISÃO. INAPLICABILIDADE.IMPERATIVA GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA.ORDEM CONHECIDA E DENEGADA.

TJ-PR - Habilitação 12277371 PR 1227737-1 (Acórdão) (TJ-PR)

Data de publicação: 29/07/2014

Ementa: HABEAS CORPUS CRIME. ARTIGO 157, § 2º, INCISOS I, II E V, DO CÓDIGO PENAL. 1- ALEGAÇÃO DE AFRONTA AO ART. 7º, ITEM 5, DO PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA, POR AUSÊNCIA DE "AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA". SUPRALEGALIDADE DE TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS. NOVEL ENTENDIMENTO DO STF (REXT 349.703/RS).INTERPRETAÇÃO ESPECADA NO PRINCÍPIO PRO HOMINE (VIDE HC 96.772/SP, STF).NORMA DE DIREITO INTERNACIONAL INAPLICÁVEL EM PLENITUDE, DADO O COTEJO DA MESMA COM AS SITUAÇÕES FÁTICO-JURÍDICAS LOCAIS (DIREITO INTERNO). IMPOSSIBILIDADE DE IMPLEMENTAÇÃO EM PREJUÍZO AO INDIVÍDUO TUTELADO. RISCO DE PROLONGAMENTO DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL (RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO). ORDEM CONSTITUCIONAL VIGENTE NORTEADA PELOS PRINCÍPIOS E IDEAIS DO PACTO DE SAN JOSÉ. TESE AFASTADA. 2- REQUISITOS AUTORIZADORES DA PRISÃO PREVENTIVA (ARTS. 312 E 313, AMBOS DO CPP). PRESENÇA. SEGREGAÇÃO MANTIDA DIANTE DA NECESSIDADE DE GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. 3- CONDIÇÕES PESSOAIS FAVORÁVEIS.IRRELEVÂNCIA. PRESENÇA DOS REQUISITOS DO ARTIGO 312 DO CPP. 4- MEDIDAS CAUTELARES DIVERSAS DA PRISÃO. INAPLICABILIDADE.PECULIARIDADES DO CASO QUE JUSTIFICAM A MANUTENÇÃO DA CUSTÓDIA CAUTELAR.ORDEM CONHECIDA E DENEGADA.

TJ-PR - Habilitação 12282589 PR 1228258-9 (Acórdão) (TJ-PR)

Data de publicação: 24/07/2014

Ementa: HABEAS CORPUS CRIME. ARTIGO 157, § 2º, INCISOS I, II E V, DO CÓDIGO PENAL. 1- ALEGAÇÃO DE AFRONTA AO ART. 7º, ITEM 5, DO PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA, POR AUSÊNCIA DE "AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA". SUPRALEGALIDADE DE TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS. NOVEL ENTENDIMENTO DO STF (REXT 349.703/RS).INTERPRETAÇÃO ESPECADA NO PRINCÍPIO PRO HOMINE (VIDE HC 96.772/SP, STF).NORMA DE DIREITO INTERNACIONAL INAPLICÁVEL EM PLENITUDE, DADO O COTEJO DA MESMA COM AS SITUAÇÕES FÁTICO-JURÍDICAS LOCAIS (DIREITO INTERNO). IMPOSSIBILIDADE DE IMPLEMENTAÇÃO EM PREJUÍZO AO INDIVÍDUO TUTELADO. RISCO DE PROLONGAMENTO DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL (RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO). ORDEM CONSTITUCIONAL VIGENTE NORTEADA PELOS PRINCÍPIOS E IDEAIS DO PACTO DE SAN JOSÉ. TESE AFASTADA. 2- REQUISITOS AUTORIZADORES DA PRISÃO PREVENTIVA (ARTS. 312 E 313, AMBOS DO CPP). PRESENÇA. SEGREGAÇÃO MANTIDA DIANTE DA NECESSIDADE DE GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. 3- CONDIÇÕES PESSOAIS FAVORÁVEIS.IRRELEVÂNCIA. PRESENÇA DOS REQUISITOS DO ARTIGO 312 DO CPP. 4- MEDIDAS CAUTELARES DIVERSAS DA PRISÃO. INAPLICABILIDADE.PECULIARIDADES DO CASO QUE JUSTIFICAM A MANUTENÇÃO DA CUSTÓDIA CAUTELAR.ORDEM CONHECIDA E DENEGADA.

TJ-PR - Habilitação 12018232 PR 1201823-2 (Acórdão) (TJ-PR)

Data de publicação: 24/06/2014

Ementa: HABEAS CORPUS CRIME. ROUBO MAJORADO TENTADO (ART. 157, § 2º, I, C/C O ART. 14, II, AMBOS DO CP). PRISÃO EM FLAGRANTE CONVERTIDA EM PREVENTIVA. SUBSTITUIÇÃO POR MEDIDAS CAUTELARES DIVERSAS. 1- ALEGAÇÃO DE AFRONTA AO ART. 7º, ITEM 5, DO PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA, POR AUSÊNCIA DE "AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA".SUPRALEGALIDADE DE TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS. NOVEL ENTENDIMENTO DO STF (REXT 349.703/RS).INTERPRETAÇÃO ESPECADA NO PRINCÍPIO PRO HOMINE (VIDE HC 96.772/SP, STF). NORMA DE DIREITO INTERNACIONAL INAPLICÁVEL EM PLENITUDE, DADO O COTEJO DA MESMA COM AS SITUAÇÕES FÁTICO- JURÍDICAS LOCAIS (DIREITO INTERNO).IMPOSSIBILIDADE DE IMPLEMENTAÇÃO EM PREJUÍZO AO INDIVÍDUO TUTELADO. RISCO DE PROLONGAMENTO DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL (RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO). ORDEM CONSTITUCIONAL VIGENTE NORTEADA PELOS PRINCÍPIOS E IDEAIS DO PACTO DE SAN JOSÉ. TESE AFASTADA. 2- ARBITRAMENTO DE FIANÇA. PEDIDO DE DISPENSA. INVIABILIDADE. VALOR REDUZIDO CONFORME ART. 325, § 1º, II, CPP. MEDIDA ENTENDIDA COMO GARANTIA PARA A CONCESSÃO DA LIBERDADE PROVISÓRIA.INCAPACIDADE ECONÔMICA NÃO DEMONSTRADA.ORDEM CONHECIDA E DENEGADA.

TRT-9 - 8452004670908 PR 845-2004-670-9-0-8 (TRT-9)

Data de publicação: 14/10/2008

Ementa: TRT-PR-14-10-2008 RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DO TOMADOR DOS SERVIÇOS - CABIMENTO. O tomador dos serviços responde subsidiariamente pelos débitos trabalhistas, ainda que se trate da administração pública direta ou indireta e que a contratação tenha ocorrido por licitação pública, nos moldes da Lei nº 8.666 /93. Essa posição encontra respaldo no fundamento de que a responsabilidade do tomador decorre de culpa in eligendo e in vigilando, prevista nos artigos 927 e 942 do atual Código Civil , que se sobrepõem, inclusive, sobre o disposto no artigo 71 da Lei nº 8.666 /1993, consoante elucida a súmula 331 do c. TST, em face do princípio pro homine, ou seja, entre as disposições da Lei 8.666 /93 e as regras do Código Civil , prevalecem estas que mais ampliam as garantias aos direitos fundamentais da dignidade da pessoa humana e do valor social do trabalho ( CF , art. 1º ), sem olvidar que a ordem econômica é fundada na valorização do trabalho humano a exigir que a justa remuneração (princípio insculpido no art. 766 da CLT ) seja recebida pelo trabalhador, quer paga pelo empregador, quer daquele que se beneficiou direta ou indiretamente da prestação de serviços.

TRT-9 - 1072620045905 PR 10726-2004-5-9-0-5 (TRT-9)

Data de publicação: 21/10/2008

Ementa: TRT-PR-21-10-2008 RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DO TOMADOR DOS SERVIÇOS - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - CABIMENTO. O tomador dos serviços responde subsidiariamente pelos débitos trabalhistas, ainda que se trate da administração pública direta ou indireta e que a contratação tenha ocorrido por licitação pública, nos moldes da Lei nº 8.666 /93. Essa posição encontra respaldo no fundamento de que a responsabilidade do tomador decorre de culpa in eligendo e in vigilando, prevista nos artigos 927 e 942 do atual Código Civil , que se sobrepõem, inclusive, sobre o disposto no artigo 71 da Lei nº 8.666 /1993, consoante elucida a súmula 331 do c. TST, em face do princípio pro homine, ou seja, entre as disposições da Lei 8.666 /93 e as regras do Código Civil , prevalecem estas que mais ampliam as garantias aos direitos fundamentais da dignidade da pessoa humana e do valor social do trabalho ( CF , art. 1º ), sem olvidar que a ordem econômica é fundada na valorização do trabalho humano a exigir que a justa remuneração (princípio insculpido no art. 766 da CLT ) seja recebida pelo trabalhador, quer paga pelo empregador, quer daquele que se beneficiou direta ou indiretamente da prestação de serviços.

TRT-9 - 1820200719909 PR 1820-2007-19-9-0-9 (TRT-9)

Data de publicação: 24/06/2008

Ementa: TRT-PR-24-06-2008 ESTABILIDADE ACIDENTÁRIA - O art. 118 da Lei 8.213 /91 deve ser interpretado teleologicamente à luz do Texto Constitucional , que estabelece a primazia do homem sobre o capital - princípio pro homine. Destarte, se o empregado sofreu acidente de trabalho, a garantia de emprego pelo prazo mínimo de doze meses é contada a partir da cessação do auxílio-doença acidentário ou, se persistir a incapacidade, da plena recuperação do empregado. Exegese dos artigos 1º , IV ; 170 , VIII e 193 da CF sustentando que a ordem econômica fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem dentre outros princípios a busca do pleno emprego e a ordem social tem como base o primado do trabalho.

1 2 3 4 5 430 431 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca