Carregando...
Jusbrasil - Jurisprudência
26 de agosto de 2016

Página 1 de 7.921 resultados

TRF-4 - APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO APELREEX 11858 SC 2006.72.00.011858-5 (TRF-4)

Data de publicação: 06/10/2008

Ementa: ADMINISTRATIVO. PROGRESSÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO DE 1º E 2º GRAUS. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 295 /06, CONVERTIDA NA LEI Nº 11.344 /06. INEXIGÊNCIA DE INTERSTÍCIO PARA PROGRESSÃO PARA A CLASSE ESPECIAL. EXIGÊNCIA COM BASE EM ATO NORMATIVO INFRALEGAL. IMPOSSIBILIDADE. 1. "A MP 295 /06 não impôs ao docente, para a progressão funcional para a Classe Especial, o interstício mínimo de dois anos, diferentemente do que fez em relação às progressões para as demais classes. Tal exigência somente veio a ser novamente imposta pela Medida Provisória nº 341/06, que deu nova redação ao § 3º do artigo 13 da Lei. É ilegal a exigência de interstício para a progressão da Classe E-4 para a Classe Especial no período em que esteve em vigor o artigo 13 , § 3º , da Lei nº 11.344 /06, com a redação dada pela MP 295 /06, pois amparada apenas em ato normativo infralegal que desborda do poder regulamentar" (TRF4, AC 2006.72.00.013722-1, Terceira Turma, Relatora Vânia Hack de Almeida, D.E. 17/10/2007). 2. Apelo e remessa oficial não providos.

Encontrado em: -FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 CAPUT ART-61 PAR-1 INC-2 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 LET-A LEG-FED MPR-341... ANO-2007 CF-88 LEG-FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 CAPUT ART-61 PAR-1 INC-2 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 LEG... LEG-FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 CAPUT ART-61 PAR-1 INC-2 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 -STF: RE n. 128...

TRF-4 - APELAÇÃO CIVEL AC 11858 SC 2006.72.00.011858-5 (TRF-4)

Data de publicação: 06/10/2008

Ementa: ADMINISTRATIVO. PROGRESSÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO DE 1º E 2º GRAUS. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 295 /06, CONVERTIDA NA LEI Nº 11.344 /06. INEXIGÊNCIA DE INTERSTÍCIO PARA PROGRESSÃO PARA A CLASSE ESPECIAL. EXIGÊNCIA COM BASE EM ATO NORMATIVO INFRALEGAL. IMPOSSIBILIDADE. 1. "A MP 295 /06 não impôs ao docente, para a progressão funcional para a Classe Especial, o interstício mínimo de dois anos, diferentemente do que fez em relação às progressões para as demais classes. Tal exigência somente veio a ser novamente imposta pela Medida Provisória nº 341/06, que deu nova redação ao § 3º do artigo 13 da Lei. É ilegal a exigência de interstício para a progressão da Classe E-4 para a Classe Especial no período em que esteve em vigor o artigo 13 , § 3º , da Lei nº 11.344 /06, com a redação dada pela MP 295 /06, pois amparada apenas em ato normativo infralegal que desborda do poder regulamentar" (TRF4, AC 2006.72.00.013722-1, Terceira Turma, Relatora Vânia Hack de Almeida, D.E. 17/10/2007). 2. Apelo e remessa oficial não providos.

Encontrado em: -FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 CAPUT ART-61 PAR-1 INC-2 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 LET-A LEG-FED MPR-341... ANO-2007 CF-88 LEG-FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 CAPUT ART-61 PAR-1 INC-2 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 -STF

TRF-4 - APELAÇÃO CIVEL AC 13722 SC 2006.72.00.013722-1 (TRF-4)

Data de publicação: 17/10/2007

Ementa: ADMINISTRATIVO. PROGRESSÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO DE 1º E 2º GRAUS. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 295 /06, CONVERTIDA NA LEI Nº 11.344 /06. INEXIGÊNCIA DE INSTERSTÍCIO PARA PROGRESSÃO PARA A CLASSE ESPECIAL. EXIGÊNCIA COM BASE EM ATO NORMATIVO INFRALEGAL. IMPOSSIBILIDADE. - A MP 295 /06 não impôs ao docente, para a progressão funcional para a Classe Especial, o interstício mínimo de dois anos, diferentemente do que fez em relação às progressões para as demais classes. - Tal exigência somente veio a ser novamente imposta pela Medida Provisória nº 341/06, que deu nova redação ao § 3º do artigo 13 da Lei. - É ilegal a exigência de interstício para a progressão da Classe E-4 para a Classe Especial no período em que esteve em vigor o artigo 13 , § 3º , da Lei nº 11.344 /06, com a redação dada pela MP 295 /06, pois amparada apenas em ato normativo infralegal que desborda do poder regulamentar. - Apelação e remessa oficial improvidas.

Encontrado em: LEG-FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 INC-2 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 LEG-FED SUM-339 STF LEG-FED LEI...- 11344 ANO-2006 ART- 13 PAR-3 LEG-FED DEC- 94664 ANO-1987 CF-88 LEG-FED CFD-0 ANO-1988 ART-5 INC-2... CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 LEG-FED SUM-339 STF APELAÇÃO CIVEL AC 13722 SC 2006.72.00.013722-1 (TRF-4...

TNU - PEDIDO DE UNIFORMIZAÇÃO DE INTERPRETAÇÃO DE LEI FEDERAL PEDILEF 50584992620134047100 (TNU)

Data de publicação: 05/02/2016

Ementa: ao período anterior ao advento do Decreto 7.806 /12 (publicado no DOU de 18/09/2012), que atualmente regulamenta os critérios e procedimentos para a progressão dos servidores da carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. 5. É o caso dos autos, em que o servidor, detentor do título de especialista, ingressou na carreira na Classe D-I e pretende a progressão para a Classe D-II, situação prevista no inciso II do art. 13 da Lei 11.344 /06 ("Art. 13. A progressão na Carreira do Magistério de 1º e 2º Graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação e desempenho acadêmico, nos termos de portaria expedida pelo Ministro de Estado da Educação: II - de uma para outra Classe"), o que se fará independentemente de interstício, tal como preceitua o § 2º do mesmo art. 13 ("§ 2º - A progressão prevista no inciso II far-se-á, independentemente do interstício, por titulação ou mediante avaliação de desempenho acadêmico do docente que não obtiver a titulação necessária, mas que esteja, no mínimo, há dois anos no nível 4 da respectiva Classe ou com interstício de quatro anos de atividade em órgão público, exceto para a Classe Especial"). Precedentes: AgRg no REsp 1.336.761/ES, 2ª T., Min. Herman Benjamin, DJe 10/10/2012; REsp 1.325.378/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 19/10/2012 REsp 1.325.067/SC, 2ª T., Min. Eliana Calmon, DJe 29/10/2012; AgRg no REsp 1.323.912/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 02/04/2013. 6. Recurso especial não provido. Acórdão submetido ao regime do art. 543-C do CPC e da Resolução STJ n. 8/08. (REsp 1343128 / SC, Primeira Seção, Rel. Min. MAURO CAMPBELL MARQUES, DJe 21/06/2013) (grifei). A questão também foi uniformizada pela TNU nos termos do voto condutor do julgamento do Pedilef 5051162-83.2013.4.04.7100 (Relator Bruno Carrá, j 15/04/2015). Dessa forma, tenho que a jurisprudência desta TNU deve ser reafirmada no sentido de que a majoração do interstício para a progressão funcional instituída pela Lei n.º 11.501 /2007 carece de auto...

Encontrado em: . 05/02/2016 - 5/2/2016 PEDIDO DE UNIFORMIZAÇÃO DE INTERPRETAÇÃO DE LEI FEDERAL PEDILEF

TNU - PEDIDO DE UNIFORMIZAÇÃO DE INTERPRETAÇÃO DE LEI FEDERAL PEDILEF 50511689020134047100 (TNU)

Data de publicação: 05/02/2016

Ementa: ao período anterior ao advento do Decreto 7.806 /12 (publicado no DOU de 18/09/2012), que atualmente regulamenta os critérios e procedimentos para a progressão dos servidores da carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. 5. É o caso dos autos, em que o servidor, detentor do título de especialista, ingressou na carreira na Classe D-I e pretende a progressão para a Classe D-II, situação prevista no inciso II do art. 13 da Lei 11.344 /06 ("Art. 13. A progressão na Carreira do Magistério de 1º e 2º Graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação e desempenho acadêmico, nos termos de portaria expedida pelo Ministro de Estado da Educação: II - de uma para outra Classe"), o que se fará independentemente de interstício, tal como preceitua o § 2º do mesmo art. 13 ("§ 2º - A progressão prevista no inciso II far-se-á, independentemente do interstício, por titulação ou mediante avaliação de desempenho acadêmico do docente que não obtiver a titulação necessária, mas que esteja, no mínimo, há dois anos no nível 4 da respectiva Classe ou com interstício de quatro anos de atividade em órgão público, exceto para a Classe Especial"). Precedentes: AgRg no REsp 1.336.761/ES, 2ª T., Min. Herman Benjamin, DJe 10/10/2012; REsp 1.325.378/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 19/10/2012 REsp 1.325.067/SC, 2ª T., Min. Eliana Calmon, DJe 29/10/2012; AgRg no REsp 1.323.912/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 02/04/2013. 6. Recurso especial não provido. Acórdão submetido ao regime do art. 543-C do CPC e da Resolução STJ n. 8/08. (REsp 1343128 / SC, Primeira Seção, Rel. Min. MAURO CAMPBELL MARQUES, DJe 21/06/2013) (grifei). A questão também foi uniformizada pela TNU nos termos do voto condutor do julgamento do Pedilef 5051162-83.2013.4.04.7100 (Relator Bruno Carrá, j 15/04/2015). Dessa forma, tenho que a jurisprudência desta TNU deve ser reafirmada no sentido de que a majoração do interstício para a progressão funcional instituída pela Lei n.º 11.501 /2007 carece de auto...

Encontrado em: . 05/02/2016 - 5/2/2016 PEDIDO DE UNIFORMIZAÇÃO DE INTERPRETAÇÃO DE LEI FEDERAL PEDILEF

TNU - PEDIDO DE UNIFORMIZAÇÃO DE INTERPRETAÇÃO DE LEI FEDERAL PEDILEF 50583858720134047100 (TNU)

Data de publicação: 09/10/2015

Ementa: e procedimentos para a progressão dos servidores da carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. 5. É o caso dos autos, em que o servidor, detentor do título de especialista, ingressou na carreira na Classe D-I e pretende a progressão para a Classe D-II, situação prevista no inciso II do art. 13 da Lei 11.344 /06 ("Art. 13. A progressão na Carreira do Magistério de 1º e 2º Graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação e desempenho acadêmico, nos termos de portaria expedida pelo Ministro de Estado da Educação: II - de uma para outra Classe"), o que se fará independentemente de interstício, tal como preceitua o § 2º do mesmo art. 13 ("§ 2º - A progressão prevista no inciso II far-se-á, independentemente do interstício, por titulação ou mediante avaliação de desempenho acadêmico do docente que não obtiver a titulação necessária, mas que esteja, no mínimo, há dois anos no nível 4 da respectiva Classe ou com interstício de quatro anos de atividade em órgão público, exceto para a Classe Especial"). Precedentes: AgRg no REsp 1.336.761/ES, 2ª T., Min. Herman Benjamin, DJe 10/10/2012; REsp 1.325.378/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 19/10/2012 REsp 1.325.067/SC, 2ª T., Min. Eliana Calmon, DJe 29/10/2012; AgRg no REsp 1.323.912/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 02/04/2013. 6. Recurso especial não provido. Acórdão submetido ao regime do art. 543-C do CPC e da Resolução STJ n. 8/08. (REsp 1343128 / SC, Primeira Seção, Rel. Min. MAURO CAMPBELL MARQUES, DJe 21/06/2013) (grifei) A questão também foi uniformizada pela TNU nos termos do voto condutor do julgamento do Pedilef 5051162-83.2013.4.04.7100 (Relator Bruno Carrá, j 15/04/2015). Dessa forma, tenho que a jurisprudência desta TNU deve ser reafirmada no sentido de que a majoração do interstício para a progressão funcional instituída pela Lei n.º 11.501 /2007 carece de auto-aplicabilidade, e, até o advento de tal regulamentação, tem de ser aplicado o requisito temporal ainda vigente, qual seja, de 12...

TNU - PEDIDO DE UNIFORMIZAÇÃO DE INTERPRETAÇÃO DE LEI FEDERAL PEDILEF 50020752220134047113 (TNU)

Data de publicação: 09/10/2015

Ementa: e procedimentos para a progressão dos servidores da carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. 5. É o caso dos autos, em que o servidor, detentor do título de especialista, ingressou na carreira na Classe D-I e pretende a progressão para a Classe D-II, situação prevista no inciso II do art. 13 da Lei 11.344 /06 ("Art. 13. A progressão na Carreira do Magistério de 1º e 2º Graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação e desempenho acadêmico, nos termos de portaria expedida pelo Ministro de Estado da Educação: II - de uma para outra Classe"), o que se fará independentemente de interstício, tal como preceitua o § 2º do mesmo art. 13 ("§ 2º - A progressão prevista no inciso II far-se-á, independentemente do interstício, por titulação ou mediante avaliação de desempenho acadêmico do docente que não obtiver a titulação necessária, mas que esteja, no mínimo, há dois anos no nível 4 da respectiva Classe ou com interstício de quatro anos de atividade em órgão público, exceto para a Classe Especial"). Precedentes: AgRg no REsp 1.336.761/ES, 2ª T., Min. Herman Benjamin, DJe 10/10/2012; REsp 1.325.378/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 19/10/2012 REsp 1.325.067/SC, 2ª T., Min. Eliana Calmon, DJe 29/10/2012; AgRg no REsp 1.323.912/RS, 2ª T., Min. Humberto Martins, DJe 02/04/2013. 6. Recurso especial não provido. Acórdão submetido ao regime do art. 543-C do CPC e da Resolução STJ n. 8/08. (REsp 1343128 / SC, Primeira Seção, Rel. Min. MAURO CAMPBELL MARQUES, DJe 21/06/2013) (grifei) A questão também foi uniformizada pela TNU nos termos do voto condutor do julgamento do Pedilef 5051162-83.2013.4.04.7100 (Relator Bruno Carrá, j 15/04/2015). Dessa forma, tenho que a jurisprudência desta TNU deve ser reafirmada no sentido de que a majoração do interstício para a progressão funcional instituída pela Lei n.º 11.501 /2007 carece de auto-aplicabilidade, e, até o advento de tal regulamentação, tem de ser aplicado o requisito temporal ainda vigente, qual seja, de 12...

TRF-3 - APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO APELREEX 3285 SP 0003285-29.2011.4.03.6100 (TRF-3)

Data de publicação: 22/09/2014

Ementa: AÇÃO CIVIL PÚBLICA. SINDICATO. LEGITIMIDADE ATIVA. ABRANGÊNCIA DA DECISÃO: ART. 2º-A, LEI N. 9.494/97. MAGISTÉRIO. PROGRESSÃO FUNCIONAL. PROGRESSÃO POR TITULAÇÃO. LEI N. 11.344/06: CARREIRA DE MAGISTÉRIO DE ENSINO SUPERIOR E DE MAGISTÉRIO DE 1º E 2º GRAUS. LEI N. 11.784/08: PLANO DE CARREIRA E CARGOS DE MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO. DECRETO N. 7.806/12. SERVIDOR. JUROS MORATÓRIOS. CORREÇÃO MONETÁRIA. 1. O sindicato tem legitimidade ativa para propor ação civil pública, em defesa de direitos da categoria, independentemente de autorização expressa e relação nominal dos substituídos (STJ, AGARESP n. 392167, Rel. Min. Sidnei Beneti, j. 26.11.13; AGARESP n. 236886, Rel. Min. Antonio Carlos Ferreira, j. 21.11.13). Impende destacar que a decisão judicial proferida em ação coletiva, a teor do art. 2º-A da Lei n. 9.494/97, abrange apenas os substituídos que tenham, na data da propositura da ação, domicílio no âmbito da competência territorial do órgão prolator (STJ, AEDAGA n. 1424442, Rel. Min. Benedito Gonçalves, j. 20.03.14; AGRESP n. 1338029, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, j. 13.11.12). 2. O art. 120, § 1º, da Lei n. 11.784/08, ao dispor cerca do ingresso dos docentes à carreira de ensino, fixou que a progressão funcional dos docentes deverá ocorrer exclusivamente por titulação e desempenho acadêmico, nos termos de regulamento, destacando-se o cumprimento do interstício de 18 meses de efetivo exercício no nível respectivo. Por outro lado, no § 5º do mesmo artigo ficou ressalvada a aplicação dos arts. 12 e 13 da Lei n. 11.344/06 até ulterior edição do regulamento. Em razão da falta de regulamentação - a qual veio a ser editada pelo Decreto n. 7.806/12 - o Superior Tribunal de Justiça, em acórdão submetido à sistemática do art. 543-C do Código de Processo Civil, reconheceu que a todos docentes deve ser aplicada as normas de progressão da Lei n. 11.344/06 (STJ, REsp n. 1343128, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, j. 12.06.13). 3. Tendo em vista...

STJ - Decisão Monocrática. RECURSO ESPECIAL: REsp 1323910 RS 2012/0102317-0

Data de publicação: 23/04/2015

Decisão: prevista no inciso II do art. 13 da Lei 11.344⁄06 ("Art. 13. A progressão na Carreira do Magistério... de 1º e 2º Graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação e desempenho acadêmico, nos termos... dos autos sobre progressão funcional de servidor público federal integrante da carreira de Magistério...

STJ - Decisão Monocrática. AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 657251 RJ 2015/0016971-5

Data de publicação: 22/05/2015

Decisão: . A progressão na Carreira do Magistério de 1º e 2º Graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação... a promover a progressão funcional do autor na carreira de Magistério do Ensino Básico, Técnico... corrigidos e remunerados na forma do art. 1º-F, da Lei nº 9.494⁄97.”. 2. A progressão funcional...

1 2 3 4 5 792 793 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

×