Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
31 de março de 2015

Página 1 de 1.111.658 resultados

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS AgRg no HC 114280 SP 2008/0188418-4 (STJ)

Data de publicação: 28/10/2008

Ementa: PROCESSUAL PENAL. AGRAVO REGIMENTAL EM HABEAS CORPUS. ROUBO. ARMA DE FOGO. DECOTE DA CAUSA DE AUMENTO PORQUE A ARMA NÃO FOI PERICIADA. ALEGAÇÃO DE QUE A MATÉRIA NÃO ENCONTRA UNANIMIDADE NA 5ª E 6ª TURMAS DESSE SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. DECISÃO PROFERIDA COM BASE NOS JULGADOS DA SEXTA TURMA. JULGADO DA QUINTA TURMA CORROBORANDO A DECISÃO. AFETAÇÃO DA TERCEIRA SEÇÃO. DESNECESSIDADE. NEGADO PROVIMENTO AO RECURSO DE AGRAVO. 1. Sem a apreensão e perícia na arma, nos casos em que não é possível aferir a sua eficácia por outros meios de prova, não há como se apurar a sua lesividade e, portanto, o maior risco para o bem jurídico integridade física. 2. Desnecessária a afetação da Terceira Seção quando a decisão agravada se vale de precedentes da Quinta e Sexta Turma desse Superior Tribunal de Justiça que guardam correlação entre si. 4. Negado provimento ao recurso

Encontrado em: da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça por unanimidade, negar provimento ao agravo... --> DJe 28/10/2008 - 28/10/2008 AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS AgRg no HC 114280 SP 2008... regimental, nos termos do voto da Sra. Ministra Relatora. Os Srs. Ministros Nilson Naves e Maria Thereza...

STF - AG.REG. NOS EMB.DECL. NOS EMB.DECL. NOS EMB.DECL. EM MANDADO DE SEGURANÇA MS 25643 DF (STF)

Data de publicação: 15/08/2014

Ementa: Ementa: AGRAVO REGIMENTAL NOS TERCEIROS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. INADMISSÃO. MULTA PREVISTA NO ART. 538, PARÁGRAFO ÚNICO, DO CPC. AUSÊNCIA DE RECOLHIMENTO. AGRAVO IMPROVIDO. BAIXA IMEDIATA DOS AUTOS. I – O prévio depósito da multa aplicada, com base no art. 538, parágrafo único, do Código de Processo Civil, configura pressuposto objetivo de recorribilidade, sendo certo que a ausência de recolhimento inviabiliza o recurso, ainda que tenha sido interposto com o propósito de afastar a multa imposta. II – Agravo regimental improvido, determinando-se a baixa imediata do processo, independentemente da publicação do acórdão.

Encontrado em: Por unanimidade, a Turma negou provimento ao agravo regimental e, por maioria de votos, determinou... Roberto Barroso. Primeira Turma, 25.6.2014. Primeira Turma ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-158 DIVULG 15

STF - AG.REG. NO HABEAS CORPUS HC 116406 SP (STF)

Data de publicação: 28/06/2013

Ementa: EMENTA HABEAS CORPUS. AGRAVO REGIMENTAL. SUPRESSÃO DE INSTÂNCIA INVIÁVEL. 1. As razões apresentadas não atacam o fundamento esgrimido, limitando-se a repisar os argumentos da exordial do habeas corpus, a atrair a regra do art. 317, § 1º, do RISTF, o que impede por si só o provimento do recurso. 2. Devidamente fundamentada a decisão monocrática da Ministra Relatora do Superior Tribunal de Justiça, uma vez que, aplicado mutatis mutandis, o entendimento desta Suprema Corte quanto à inadequação do manejo de habeas como substitutivo do recurso adequado, na espécie, agravo em recurso especial. 3. A questão relativa à inexistência de reincidência por não haver crime anterior, mas sim ato infracional, não foi suscitada perante as instâncias ordinárias, o que impede sua análise por esta Corte Suprema. 4. Acolher a tese defensiva demandaria o revolvimento do conjunto fático-probatório para aferir eventual ilegalidade no processo de julgamento da Agravante pelo crime de falso testemunho por supostamente ser adolescente à época do fato. 5. Agravo regimental não provido.

Encontrado em: Por unanimidade, a Turma negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto da Relatora. Por maioria de votos, rejeitou a proposta formulada pelo Senhor Ministro Março Aurélio no sentido da concessão da ordem, de ofício, para que o habeas corpus viesse a julgamento pelo Colegiado. Presidência do Senhor Ministro Luiz Fux. 1ª Turma, 28.5.2013. Primeira Turma AGUARDANDO INDEXAÇÃO AG.REG. NO HABEAS CORPUS HC 116406 SP (STF) Min. ROSA WEBER

STF - AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO RE 550258 SP (STF)

Data de publicação: 26/08/2013

Ementa: EMENTA Agravo regimental no recurso extraordinário. Mandado de segurança. Desistência a qualquer tempo. Possibilidade. 1. A matéria teve sua repercussão geral reconhecida no RE nº 669.367, de relatoria do Ministro Luiz Fux, com julgamento do mérito em 2/5/13. Na assentada, o Tribunal reafirmou a assente jurisprudência da Corte de que é possível desistir-se do mandado de segurança após a sentença de mérito, ainda que seja favorável ao impetrante, sem anuência do impetrado. 2. Agravo regimental não provido.

Encontrado em: Por unanimidade, a Turma negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator, com as ressalvas do Senhor Ministro Marco Aurélio. Presidência do Senhor Ministro Luiz Fux. 1ª Turma, 11.6.2013. - Acórdão (s) citado (s): (SENTENÇA DE MÉRITO, DESISTÊNCIA, MANDADO DE SEGURANÇA) RE 669367 RG. Número de páginas: 6. Análise: 04/09/2013, TBC. Primeira Turma ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-167 DIVULG 26-08-2013 PUBLIC 27-08-2013 - 26/8/2013 - VIDE EMENTA. - RESSALVA DE ENTENDIMENTO, MIN. MARCO AURÉLIO: IMPOSSIBILIDADE, DESISTÊNCIA DA AÇÃO, MOMENTO POSTERIOR, PROFERIMENTO, DECISÃO. UNIÃO. PROCURADOR-GERAL DA FAZENDA NACIONAL. PNEUAC COMERCIAL E IMPORTADORA LTDA. FERNANDA DONNABELLA CAMANO DE SOUZA E OUTRO(A/S) AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO RE 550258 SP (STF) Min. DIAS TOFFOLI

TJ-RJ - RECURSO INOMINADO RI 03846971920138190001 RJ 0384697-19.2013.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/03/2015

Ementa: ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO PRIMEIRA TURMA RECURSAL FAZENDÁRIA Processo nº 0384697-19.2013.8.19.0001 Embargante: Estado do Rio de Janeiro Embargado: Carlos Cesar da Silva Boller Relator: Juiz Paulo Roberto Campos Fragoso PROCESSO CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Ausência de obscuridade, contradição ou omissão do v. acórdão embargado, inviabilizando o provimento do recurso. Recurso manifestamente protelatório. Aplicação da multa de 1% (um por cento) sobre o valor da Causa. Art. 538 , parágrafo único do CPC . Vistos, relatados e discutidos estes autos dos Embargos de Declaração no Recurso Inominado nº 0384697-19.0001, em que é embargante Estado do Rio de Janeiro e embargado Carlos Cesar da Silva Boller. ACORDAM os Juízes que compõem a Primeira Turma Recursal Fazendária em, por UNANIMIDADE de votos, negar provimento ao recurso, nos termos do voto do relator. R E L A T Ó R I O Opõe estes embargos buscando a modificação do decidido por este Conselho Recursal, que negou provimento ao Recurso Inominado manejado pelo réu ora Embargante, nos termos da Súmula de fls. 74. Reitera, contudo, a alegação de prescrição já feita em seu Recurso Inominado. É o relatório. Passo a decidir. Com efeito, há que se conhecer o recurso interposto, eis que presentes os requisitos recursais intrínsecos e extrínsecos. No mérito, não há como ser provido o recurso, devendo ser aplicada, em desfavor do Embargante, a multa prevista no art. 538 , parágrafo único do CPC , eis que nítido seu caráter protelatório. O recorrente limitou-se, em seus Embargos Declaratórios, a repetir as alegações contidas no seu recurso, alegações aquelas que foram conhecidas e rejeitadas quando do julgamento de fls. 74. Ora, os Embargos de Declaração, nos precisos termos do art. 535 do Código de Proc. Civil, somente podem ser utilizados para suprir omissões, ou para aclarar obscuridades ou contradições do acórdão, não sendo o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando...

Encontrado em: Primeira Turma Recursal Fazendária 04/03/2015 14:39 - 4/3/2015 RECORRENTE: CARLOS CESAR DA SILVA

TJ-RJ - RECURSO INOMINADO RI 02808908020138190001 RJ 0280890-80.2013.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/03/2015

Ementa: ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO PRIMEIRA TURMA RECURSAL FAZENDÁRIA Processo nº 0280890-80.2013.8.19.0001 Embargante: Estado do Rio de Janeiro Embargado: Mario Cesar da Silva Queiroz Relator: Juiz Paulo Roberto Campos Fragoso PROCESSO CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Ausência de obscuridade, contradição ou omissão do v. acórdão embargado, inviabilizando o provimento do recurso. Recurso manifestamente protelatório. Aplicação da multa de 1% (um por cento) sobre o valor da Causa. Art. 538 , parágrafo único do CPC . Vistos, relatados e discutidos estes autos dos Embargos de Declaração no Recurso Inominado nº 0280890-80.2013.8.19.0001, em que é embargante Estado do Rio de Janeiro e embargado Mario Cesar da Silva Queiroz. ACORDAM os Juízes que compõem a Primeira Turma Recursal Fazendária em, por UNANIMIDADE de votos, negar provimento ao recurso, nos termos do voto do relator. R E L A T Ó R I O Opõe estes embargos buscando a modificação do decidido por este Conselho Recursal, que negou provimento ao Recurso Inominado, mantendo a sentença prolatada por seus próprios fundamentos. Reitera as alegações, já feitas em seu Recurso Inominado, de impossibilidade de confirmação do direito alegado e ausência de prova do indeferimento do gozo das férias pleiteadas. É o relatório. Passo a decidir. Com efeito, há que se conhecer o recurso interposto, eis que presentes os requisitos recursais intrínsecos e extrínsecos. No mérito, não há como ser provido o recurso, devendo ser aplicada, em desfavor do Embargante, a multa prevista no art. 538 , parágrafo único do CPC , eis que nítido seu caráter protelatório. O recorrente limitou-se, em seus Embargos Declaratórios, a repetir as alegações contidas no seu recurso, alegações aquelas que foram conhecidas e rejeitadas quando do julgamento de fls. 175. Ora, os Embargos de Declaração, nos precisos termos do art. 535 do Código de Proc. Civil, somente podem ser utilizados para suprir omissões, ou para aclarar obscuridades ou contradições...

Encontrado em: Primeira Turma Recursal Fazendária 04/03/2015 14:38 - 4/3/2015 RECORRENTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO

TJ-MG - Agravo AGV 10024132730789002 MG (TJ-MG)

Data de publicação: 21/02/2014

Ementa: AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO. ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA. AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA NECESSIDADE. INTELIGÊNCIA DO ART. 5º , LXXIV DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA. > AGRAVO Nº 1.0024.13.273078-9/002 - COMARCA DE BELO HORIZONTE - AGRAVANTE (S): WELLINGTON DOS SANTOS LIMA - AGRAVADO (A)(S): BV FINANCEIRA S/A CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO Vistos etc., acorda, em Turma, a 14ª CÂMARA CÍVEL do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, na conformidade da ata dos julgamentosà unanimidade em NEGAR PROVIMENTO DES. ROGÉRIO MEDEIROS RELATOR. DES. ROGÉRIO MEDEIROS V O T O Inicialmente, consigno a possibilidade de admissão do agravo regimental como agravo interno, quando interposto contra decisão monocrática do Relator que nega seguimento a recurso de agravo de instrumento, porque aplicável à espécie a fungibilidade dos recursos, já que, embora não previsto no regimento, sempre caberá recurso de agravo contra as decisões interlocutórias, quer de primeiro, quer de segundo grau. Portanto, conheço do agravo interno. Face ao exposto, recebo o agravo regimental de fls. 49/55 - TJ como agravo interno. Versam os autos AGRAVO INTERNO, de fls. 49/55 TJ interposto contra decisão monocrática de fls. 42/46 - TJ, na qual foi negado provimento ao recurso, nos termos do art. 557 do CPC . Originalmente foi interposto Agravo de Instrumento por WELLINGTON DOS SANTOS LIMA em face do agravado BV FINANCEIRA S/A CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO, nos autos da ação ordinária com pedido de tutela antecipada e consignação em pagamento. Em decisão monocrática este Relator negou provimento ao agravo de instrumento, sob o fundamento de que o recurso referia-se à matéria cujo entendimento já estava sedimentado nesta 14ª Câmara Cível, no sentido de que há necessidade de comprovação da hipossuficiencia para que seja concedida a assistência judiciária gratuita. Assim, foi negado provimento monocraticamente. É o relatório. DECIDO. Com relação ao agravo interno, o art. 557 , do Código...

Encontrado em: NEGARAM PROVIMENTO Câmaras Cíveis / 14ª CÂMARA CÍVEL 21/02/2014 - 21/2/2014 Agravo AGV 10024132730789002 MG (TJ-MG) Rogério Medeiros

TJ-RJ - RECURSO INOMINADO RI 00989938520148190001 RJ 0098993-85.2014.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/03/2015

Ementa: ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO PRIMEIRA TURMA RECURSAL FAZENDÁRIA Processo nº 0098993-85.2014.8.19.0001 Embargante: Estado do Rio de Janeiro Embargado: Lucio José da Costa Relator: Paulo Roberto Campos Fragoso PROCESSO CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. Nítido caráter infringente. Descabimento. Recurso desprovido. Vistos, relatados e discutidos estes autos dos Embargos de Declaração no Recurso Inominado nº _0098993-85.2013.8.19.0001, em que é embargante Estado do Rio de Janeiro e embargado Lucio José da Costa. ACORDAM os Juízes que compõem a Primeira Turma Recursal Fazendária em, por UNANIMIDADE de votos, negar provimento ao recurso, nos termos do voto do relator. R E L A T Ó R I O Opõe estes embargos buscando a modificação do decidido por este Conselho Recursal, alegando a possibilidade de cumulação das férias referentes ao período de 2010 e 2011, bem como a ausência de prova do prévio indeferimento do gozo das férias, objeto da lide. É o relatório. Passo a decidir. Com efeito, há que se conhecer o recurso interposto, eis que presentes os requisitos recursais intrínsecos e extrínsecos. Busca o Embargante, através dos presentes Embargos, modificar o decidido por este Conselho Recursal. Acontece que os Embargos de Declaração, nos precisos termos do art. 535 do Código de Proc. Civil, somente podem ser utilizados para suprir omissões, ou para aclarar obscuridades ou contradições do acórdão, não sendo o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando. A revisão do julgado, com manifesto caráter infringente, revela-se inadmissível, em sede de embargos. (Precedentes: AI n. 799.509-AgR- ED , Relator o Ministro Marco Aurélio, 1ª Turma, DJe de 8/9/2011; e RE n. 591.260-AgR- ED , Relator o Ministro Celso de Mello, 2ª Turma, DJe de 9/9/2011). Neste sentido: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO NO RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE. EMBARGOS REJEITADOS. 1.- Os embargos de declaração são recurso de natureza particular, cujo objetivo é esclarecer o real sentido de decisão eivada de obscuridade, contradição ou omissão. 2.- Estando o Acórdão embargado devidamente fundamentado, sem defeitos intrínsecos, são inadmissíveis os embargos que pretendem reabrir a discussão da matéria, não se patenteando também condições de acolhimento da infringência. 3.- A contradição que enseja os embargos de declaração é apenas a interna, aquela que se verifica entre as proposições e conclusões do próprio julgado, não sendo este o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando, ainda que admitido em tese, eventual caráter infringente, o que não é o caso dos autos. 4.- Embargos de Declaração rejeitados. (STJ, EDcl no AgRg no AREsp 462.757/DF, Rel. Ministro SIDNEI BENETI, TERCEIRA TURMA, julgado em 24/04/2014, DJe 13/05/2014) Por estas razões, nega-se provimento ao recurso. Rio de Janeiro, 30 de Janeiro de 2015. PAULO ROBERTO CAMPOS FRAGOSO Juiz de Direito...

Encontrado em: Primeira Turma Recursal Fazendária 04/03/2015 14:41 - 4/3/2015 RECORRENTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO

TJ-RJ - RECURSO INOMINADO RI 03447436320138190001 RJ 0344743-63.2013.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/03/2015

Ementa: ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO PRIMEIRA TURMA RECURSAL FAZENDÁRIA Processo nº 0344743-63.2013.8.19.0001 Embargante: Estado do Rio de Janeiro Embargado: Wantoir Gonçalves Ferreira Relator: Paulo Roberto Campos Fragoso PROCESSO CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. Nítido caráter infringente. Descabimento. Recurso desprovido. Vistos, relatados e discutidos estes autos dos Embargos de Declaração no Recurso Inominado nº 0344743-63.2013.8.19.0001, em que é embargante Estado do Rio de Janeiro e embargado Wantoir Gonçalves Ferreira. ACORDAM os Juízes que compõem a Primeira Turma Recursal Fazendária em, por UNANIMIDADE de votos, negar provimento ao recurso, nos termos do voto do relator. R E L A T Ó R I O Opõe estes embargos buscando a modificação do decidido por este Conselho Recursal, a fim de ser reduzido os honorários advocatícios sucumbenciais fixados em 10% do valor da causa e afastada a indenização referente aos períodos de 2010 e 2011. É o relatório. Passo a decidir. Com efeito, há que se conhecer o recurso interposto, eis que presentes os requisitos recursais intrínsecos e extrínsecos. Busca o Embargante, através dos presentes Embargos, modificar o decidido por este Conselho Recursal. Acontece que os Embargos de Declaração, nos precisos termos do art. 535 do Código de Proc. Civil, somente podem ser utilizados para suprir omissões, ou para aclarar obscuridades ou contradições do acórdão, não sendo o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando. A revisão do julgado, com manifesto caráter infringente, revela-se inadmissível, em sede de embargos. (Precedentes: AI n. 799.509-AgR- ED , Relator o Ministro Marco Aurélio, 1ª Turma, DJe de 8/9/2011; e RE n. 591.260-AgR- ED , Relator o Ministro Celso de Mello, 2ª Turma, DJe de 9/9/2011). Neste sentido: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO NO RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE. EMBARGOS REJEITADOS. 1.- Os embargos de declaração são recurso de natureza particular, cujo objetivo é esclarecer o real sentido de decisão eivada de obscuridade, contradição ou omissão. 2.- Estando o Acórdão embargado devidamente fundamentado, sem defeitos intrínsecos, são inadmissíveis os embargos que pretendem reabrir a discussão da matéria, não se patenteando também condições de acolhimento da infringência. 3.- A contradição que enseja os embargos de declaração é apenas a interna, aquela que se verifica entre as proposições e conclusões do próprio julgado, não sendo este o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando, ainda que admitido em tese, eventual caráter infringente, o que não é o caso dos autos. 4.- Embargos de Declaração rejeitados. (STJ, EDcl no AgRg no AREsp 462.757/DF, Rel. Ministro SIDNEI BENETI, TERCEIRA TURMA, julgado em 24/04/2014, DJe 13/05/2014) Por estas razões, nega-se provimento ao recurso. Rio de Janeiro, 30 de Janeiro de 2015. PAULO ROBERTO CAMPOS FRAGOSO Juiz de Direito...

Encontrado em: Primeira Turma Recursal Fazendária 04/03/2015 14:41 - 4/3/2015 RECORRENTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO

TJ-RJ - RECURSO INOMINADO RI 03359677420138190001 RJ 0335967-74.2013.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 04/03/2015

Ementa: ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO PRIMEIRA TURMA RECURSAL FAZENDÁRIA Processo nº 0335967-74.2013.8.19.0001 Embargante: Estado do Rio de Janeiro Embargado: Clodoaldo Rodrigues Nava Relator: Paulo Roberto Campos Fragoso PROCESSO CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. Nítido caráter infringente. Descabimento. Recurso desprovido. Vistos, relatados e discutidos estes autos dos Embargos de Declaração no Recurso Inominado nº 0335967-74.2013.8.19.0001, em que é embargante Estado do Rio de Janeiro e embargado Clodoaldo Rodrigues Nava. ACORDAM os Juízes que compõem a Primeira Turma Recursal Fazendária em, por UNANIMIDADE de votos, negar provimento ao recurso, nos termos do voto do relator. R E L A T Ó R I O Opõe estes embargos buscando a modificação do decidido por este Conselho Recursal, a fim de ser reduzido os honorários advocatícios sucumbenciais fixados em 10% do valor da causa. É o relatório. Passo a decidir. Com efeito, há que se conhecer o recurso interposto, eis que presentes os requisitos recursais intrínsecos e extrínsecos. Busca o Embargante, através dos presentes Embargos, modificar o decidido por este Conselho Recursal. Acontece que os Embargos de Declaração, nos precisos termos do art. 535 do Código de Proc. Civil, somente podem ser utilizados para suprir omissões, ou para aclarar obscuridades ou contradições do acórdão, não sendo o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando. A revisão do julgado, com manifesto caráter infringente, revela-se inadmissível, em sede de embargos. (Precedentes: AI n. 799.509-AgR- ED , Relator o Ministro Marco Aurélio, 1ª Turma, DJe de 8/9/2011; e RE n. 591.260-AgR- ED , Relator o Ministro Celso de Mello, 2ª Turma, DJe de 9/9/2011). Neste sentido: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO NO RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE. EMBARGOS REJEITADOS. 1.- Os embargos de declaração são recurso de natureza particular, cujo objetivo é esclarecer o real sentido de decisão eivada de obscuridade, contradição ou omissão. 2.- Estando o Acórdão embargado devidamente fundamentado, sem defeitos intrínsecos, são inadmissíveis os embargos que pretendem reabrir a discussão da matéria, não se patenteando também condições de acolhimento da infringência. 3.- A contradição que enseja os embargos de declaração é apenas a interna, aquela que se verifica entre as proposições e conclusões do próprio julgado, não sendo este o instrumento processual adequado para a correção de eventual error in judicando, ainda que admitido em tese, eventual caráter infringente, o que não é o caso dos autos. 4.- Embargos de Declaração rejeitados. (STJ, EDcl no AgRg no AREsp 462.757/DF, Rel. Ministro SIDNEI BENETI, TERCEIRA TURMA, julgado em 24/04/2014, DJe 13/05/2014) Por estas razões, nega-se provimento ao recurso. Rio de Janeiro, 30 de Janeiro de 2015. PAULO ROBERTO CAMPOS FRAGOSO Juiz de Direito...

Encontrado em: Primeira Turma Recursal Fazendária 04/03/2015 14:37 - 4/3/2015 RECORRENTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca