Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
20 de setembro de 2014

Página 1 de 3.075 resultados

TJ-SP - Apelação APL 7034499900 SP (TJ-SP)

Data de publicação: 06/08/2008

Ementa: AÇÃO DE INDENIZAÇÃO - CO-SEGURO - TRANSPORTE MARÍTIMO -LITISCONSÓRCiO - SOLIDARIEDADE - SUB-ROGAÇÃO - LEGITIMIDADE ATIVA "AD-CAUSAM" - Não há indicação, na apólice e nos demais documentos, qual seguradora administrará o contrato e representará as demais - Ausência, ademais, dos procuratórios das demais co-seguradoras -Não há lei ou convenção, por outro lado, prevendo a solidariedade ativa entre as seguradoras - Cabe a seguradora autora receber das outras duas seguradoras, que não figuram na lide, a importância que lhe cabe, e não dos apelados - Afastada alegação de sub-rogação - Arts. 761 e 896 do ACCB e 6o do CPC - Relativamente a preliminar, apelo da autora im provi do, provido o das co-rés.RESPONSABILIDADE CIVIL - CULPA - IMPERÍCIA - Não tendo o navio e o terminal se desincumbido das suas tarefas, a contento, por im perícia, ficam as co-rés obrigadas a reparar o dano - Prova oral não afasta a qualidade da prova pericial produzida - Art. 159 do ACCB - Apelo das co-rés improvido

TJ-RS - Apelação Cível AC 70043431311 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 28/07/2011

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSUAL. EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL DE CRÉDITOS RELATIVO À INFRAÇÃO ADMINISTRATIVA. MULTA PREVISTA NA LC MUNICIPAL Nº 234 /90. DMLU. CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. LEGITIMIDADE AD CAUSAM DO PROPRIETÁRIO E DO POSSUIDOR/ADQUIRENTE DO IMÓVEL. HIPÓTESE DE SUB-ROGAÇÃO NA OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA. VERIFICAÇÃO DE SOLIDARIEDADE ENTRE OS CO-DEVEDORES EM RELAÇÃO AO CREDOR QUE NÃO AUTORIZA A EXCLUSÃO OU INCLUSÃO DE QUALQUER UM DAQUELES DO PÓLO PASSIVO DA OBRIGAÇÃO EM PREJUÍZO DESTE. APELO DESPROVIDO. (Apelação Cível Nº 70043431311,...

TJ-SC - Agravo de Instrumento AG 20120463247 SC 2012.046324-7 (Acórdão) (TJ-SC)

Data de publicação: 31/07/2013

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. DEMANDA BUSCANDO RESPONSABILIDADE OBRIGACIONAL SECURITÁRIA (SFH). PEDIDO DE INTERVENÇÃO DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, COM LASTRO NA LEI N. 12.409 /2011, FORMULADO PELA SEGURADORA. INADMISSIBILIDADE. ADMISSÃO APENAS COMO ASSISTENTE SIMPLES E DESDE QUE REQUERIDA PELA PRÓPRIA INTERESSADA (CEF). SEGURADORA QUE NÃO DETÉM LEGITIMIDADE PARA DEDUZIR PRETENSÃO EM NOME DE TERCEIRO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ESTADUAL MANTIDA. INDEFERIMENTO DE EXPEDIÇÃO DE OFÍCIOS À COHAB E À CEF A FIM DE CONSEGUIR INFORMAÇÕES SOBRE OS MUTUÁRIOS. AGRAVANTE QUE NÃO COMPROVA A IMPOSSIBILIDADE DE OBTER, POR CONTA PRÓPRIA, ESSA PROVA. CERCEAMENTO DE DEFESA NÃO OCORRENTE. INEXISTÊNCIA DE SOLIDARIEDADE DO AGENTE FINANCEIRO (COHAB). QUITAÇÃO DO FINANCIAMENTO HABITACIONAL. IRRELEVÂNCIA. CARÊNCIA DA AÇÃO INEXISTENTE. LEGITIMIDADE AD CAUSAM DAQUELES QUE ADQUIRIRAM O IMÓVEL. SUB-ROGAÇÃO DE DIREITOS. RESPONSABILIDADE DA SEGURADORA LÍDER PELAS APÓLICES EM FACE DE SUCESSÃO DE DIREITOS E OBRIGAÇÕES. SUBSISTÊNCIA DA OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR. TERMO INICIAL DA PRESCRIÇÃO E DA DECADÊNCIA A CONTAR DA CIÊNCIA INEQUÍVOCA DA RECUSA, PELO ENTE SEGURADOR, À INDENIZAÇÃO PLEITEADA NA VIA ADMINISTRATIVA. PRELIMINARES E PREJUDICIAIS DE MÉRITO AFASTADAS. INVERSÃO DO ÔNUS DA PROVA. CONDIÇÕES PREENCHIDAS. PAGAMENTO ANTECIPADO DE VERBA DEVIDA AO PERITO. CONSUMIDORES BENEFICIÁRIOS DA GRATUIDADE JUDICIÁRIA. PROVA TÉCNICA REQUERIDA POR AMBAS AS PARTES. INTERESSE PREPONDERANTE DA SEGURADORA, A QUEM CUMPRE A INCUMBÊNCIA DE ARCAR, POR METADE, COM A ANTECIPAÇÃO DAS CUSTAS DA PERÍCIA. ARBITRAMENTO DOS HONORÁRIOS. REDUÇÃO DO QUANTUM. POSSIBILIDADE. PRECEDENTES DA CORTE. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO.. 1. O Superior Tribunal de Justiça, com o julgamento representativo de controvérsia repetitiva do REsp n. 1.091.393/SC e do REsp n. 1.091.363/SC , estabeleceu, de forma clara e objetiva, quais são os requisitos para se admitir o ingresso da Caixa Econômica Federal nas demandas onde se busca indenização securitária de imóveis f [...]...

TJ-PR - Apelação Cível AC 4357742 PR 0435774-2 (TJ-PR)

Data de publicação: 25/06/2008

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL - EMBARGOS À EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL - FIANÇA - SUB-ROGAÇÃO - FIADOR QUE PAGA ALUGUÉIS E OUTRAS DESPESAS, NO CUMPRIMENTO DO CONTRATO DE FIANÇA, TEM DIREITO DE SER RESSARCIDA PELO AFIANÇADO - SOLIDARIEDADE ENTRE OS FIADORES - POSSIBILIDADE DE SE EXIGIR DO AFIANÇADO A INTEGRALIDADE DAQUILO QUE FOI PAGO EM SEU BENEFÍCIO - INUTILIDADE DE COMPROVAÇÃO DA ORIGEM DO NUMERÁRIO UTILIZADO NA QUITAÇÃO DO DÉBITO LOCATÍCIO - DECISUM ESCORREITO - APELO IMPROVIDO. O fiador que adimpliu o contrato principal tem legitimidade para demandar junto a parte afiançada, o ressarcimento daquilo que pagou. Passa a ocorrer uma verdadeira solidariedade entre os fiadores (agora na condição de co-credores) em face do afiançado, que da mesma forma, podem exigir, ex vi do art. 267 do NCC, a integralidade do débito.

TJ-SP - Apelação APL 683197420108260000 SP 0068319-74.2010.8.26.0000 (TJ-SP)

Data de publicação: 08/11/2011

Ementa: LOCAÇÃO DE IMÓVEL-AÇÃO DE DESPEJO POR FALTA DE PAGAMENTO CUMULADA COM COBRANÇA DE ALUGUÉIS E ENCARGOS-CO-LOCATÁRIO QUE FIRMA O CONTRATO SOB SEPARAÇÃO DE FATO AMPARADA POR ALVARÁ JUDICIAL-SUB-ROGAÇÃO INOCORRENTE-SOLIDARIEDADE QUE PREEXISTE À HIPÓTESE DO ART. 12 DA L. I-RESPONSABILIDADE PERSISTENTE ATÉ O TÉRMINO DO ALUGUEL-AÇÃO PARCIALMENTE PROCEDENTE-APELAÇÃO NÃO PROVIDA.

TJ-MG - 200000051338080001 MG 2.0000.00.513380-8/000(1) (TJ-MG)

Data de publicação: 30/09/2005

Ementa: AÇÃO DE INDENIZAÇÃO - ACIDENTE DE TRÂNSITO - CONDUTOR DO VEÍCULO - PROPRIETÁRIO - SOLIDARIEDADE - SEGURADORA - SUB-ROGAÇÃO - CONVERSÃO À ESQUERDA - NECESSIDADE DE OBSERVÂNCIA - BOLETIM DE OCORRÊNCIA - PRESUNÇÃO DE VERACIDADE - Comprovado que a Seguradora efetuou o pagamento do reparo do veículo envolvido em acidente de trânsito, mostra-se desnecessária, para que se veja no pólo ativo da demanda, a juntada da apólice de seguro em nome do proprietário do automóvel, máxime se se encontram juntados aos autos documentos que demonstram a pretensão exordial. - O proprietário do veículo, em cujo nome se encontra registrado o mesmo no órgão competente, tem legitimidade para figurar no pólo passivo, juntamente com seu condutor, em ação de vise a indenização por acidente de trânsito no qual este se envolveu, causando prejuízo a terceiros, mormente pelo dever decorrente da culpa pela eleição de quem deveria conduzir seu automóvel. - A seguradora, nos termos do artigo 1.524 do antigo Código Civil e correspondente no artigo 934 Novo Diploma Civilista, tem direito a se ver ressarcida do dano causado por outrem no veículo de seu segurado, desde que comprove o pagamento pelos consertos realizados.

TJ-PR - PETICAO DE RECURSO ESPECIAL RESP 7979237 PR 797923-7 (Acórdão) (TJ-PR)

Data de publicação: 06/09/2012

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL - RESPONSABILIDADE SECURITÁRIA - DANOS DECORRENTES DE VÍCIOS DE CONSTRUÇÃO - SEGURO HABITACIONAL OBRIGATÓRIO. AGRAVO RETIDO - CARÊNCIA DE AÇÃO POR ILEGITIMIDADE ATIVA - AFASTADA. Se os riscos, cuja cobertura reclamam os mutuários, originaram-se no período de vigência do contrato de seguro, não se fala em ilegitimidade ativa em razão da quitação dos contratos de financiamento, mormente porque juntaram com a inicial documentos comprobatórios de sua condição de mutuários. "O adquirente de imóvel através de `contrato de gaveta', com o advento da Lei 10.150 /2000, teve reconhecido o direito à sub-rogação dos direitos e obrigações do contrato primitivo (...)". (STJ, 1ª Turma, Rel. Min. Eliana Calmon, REsp nº 705231/RS) ILEGITIMIDADE PASSIVA - INOCORRÊNCIA - SUCESSÃO E TRANSFERÊNCIA DA OBRIGAÇÃO PARA OUTRA SEGURADORA LÍDER - IRRELEVÂNCIA - RECEBIMENTO DOS PRÊMIOS - CONSUMIDOR QUE PODE OPTAR AJUIZAR AÇÃO EM FACE DE QUALQUER SEGURADORA A contratação das seguradoras dá-se somente com os agentes financeiros, sem que o mutuário possa escolher ou, ao menos, saber qual seguradora é a responsável por seu contrato, sendo eleito um 'pool' de seguradoras que se habilitam para atuar no SFH garantindo juntas a cobertura do seguro habitacional. Assim, os seguros são pagos pelas seguradoras que operem em tal ramo, inequivocamente estabelecendo uma relação de solidariedade entre tais companhias, de modo a fazer com que a indenização possa ser exigida de qualquer uma delas. PARTICIPAÇÃO DA CEF ­ DESNECESSIDADE - COMPETÊNCIA - JUSTIÇA ESTADUAL. A Caixa Econômica Federal é parte ilegítima para figurar como litisconsorte necessário no pólo passivo da relação processual em que se discute pretensão indenizatória em contrato de seguro - demanda entre partes litigantes - usuário x seguradora - de natureza eminentemente privada, compete a Justiça Estadual o seu processamento e julgamento. "Nos feitos em que se discute a respeito de contrato de seguro adjeto a contrato de mútuo...

TJ-SP - Apelação APL 00129341420058260002 SP 0012934-14.2005.8.26.0002 (TJ-SP)

Data de publicação: 30/01/2014

Ementa: Cônjuge de inquilino não é inquilina, se não contratou a locação, não se cogitando de sub-rogação nem de solidariedade. Daí a ilegitimidade passiva para a monitória por aluguéis e encargos.

TJ-RS - Recurso Cível 71000515320 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 19/05/2004

Ementa: AÇÃO DE COBRANÇA. FIANÇA. SUB-ROGAÇÃO. SOLIDARIEDADE. ÓBITO DA FIADORA (RÉ). SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL. HERDEIROS E INCIDÊNCIA DA LIMITAÇÃO PREVISTA NO ARTIGO 836 DO NOVO CC , EQUIVALENTE AO ARTIGO 1.501 DO CC DE 1916 . EXCESSO DE COBRANÇA. RECURSO PROVIDO EM PARTE. (Recurso Cível Nº 71000515320, Segunda Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Leandro Figueira Martins, Julgado em 19/05/2004)

TJ-PR - Apelação Cível AC 1349242 PR Apelação Cível 0134924-2 (TJ-PR)

Data de publicação: 20/08/1999

Ementa: O CIVEL - AÇÃO DE COBRANCA - SOLIDARIEDADE NAO SE PRESUME - AUSENCIA DE PROVA PELA CONTRATACAO DO SERVICO E PELO PAGAMENTO - AUSENCIA DE RESPONSABILIDADE - SUB-ROGACAO CONTRA QUEM NAO E DEVEDOR - HONORARIOS ADVOCATICIOS DEVIDAMENTE FIXADOS. 1. A SOLIDARIEDADE NAO SE PRESUME, CONFORME PRECEITUA O ARTIGO 896, DO CÓDIGO CIVIL. 2. SO PODE SER RESPONSABILIZADO PELO PAGAMENTO DA CONTA, QUEM CONTRATOU E ASSUMIU O ONUS DO PAGAMENTO. 3. NAO PODE HAVER SUB-ROGACAO CONTRA QUEM NAO E DEVEDOR; BEM COMO NAO E TERCEIRA INTERESSADA A APELANTE, MAS SIM A RESPONSAVEL PELO PAGAMENTO. 4. OS HONORARIOS ADVOCATICIOS FIXADOS COM BASE NO ARTIGO 20 , 4 , DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL , NAO FICA ADSTRITO AO 'QUANTUM' ESTIPULADO NO PARÁGRAFO ANTERIOR (20%), SENDO ARBITRADAS, NO CASO, COM BASE NO GRAU DE ZELO PROFISSIONAL, O TRABALHO REALIZADO PELO ADVOGADO E O TEMPO EXIGIDO PARA O SERVICO, NAO PODENDO TAL VERBA SER AVILTANTE, MESMO QUE O VALOR DA AÇÃO SEJA PEQUENO.

Encontrado em: . CPC art. 20 , par 3. AÇÃO DE COBRANCA, DIVIDA, SOLIDARIEDADE, PRESUNCAO, INEXISTENCIA, PRESTACAO... DE SERVICOS, PROVA, INOCORRENCIA, AUTOR, RESPONSABILIDADE, EXISTENCIA, SUBROGACAO, INVIABILIDADE

1 2 3 4 5 307 308 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca