Carregando...
JusBrasil - Tópicos
02 de maio de 2016
Artigo 8 da Lei nº 11.697 de 13 de Junho de 2008

Art. 8 da Lei de Organização Judiciária do Df 2008 - Lei 11697/08

LOJDF/08 - Lei nº 11.697 de 13 de Junho de 2008

Dispõe sobre a organização judiciária do Distrito Federal e dos Territórios e revoga as Leis nos 6.750, de 10 de dezembro de 1979, 8.185, de 14 de maio de 1991, 8.407, de 10 de janeiro de 1992, e 10.801, de 10 de dezembro de 2003, exceto na parte em que instituíram e regularam o funcionamento dos serviços notariais e de registro no Distrito Federal.

Art. 8o Compete ao Tribunal de Justiça:

I - processar e julgar originariamente:

a) nos crimes comuns e de responsabilidade, os Governadores dos Territórios, o Vice-Governador do Distrito Federal e os Secretários dos Governos do Distrito Federal e dos Territórios, ressalvada a competência da Justiça Eleitoral;

b) nos crimes comuns, os Deputados Distritais, e nestes e nos de responsabilidade, os Juízes de Direito do Distrito Federal e dos Territórios, os Juízes de Direito Substitutos do Distrito Federal e dos Territórios, ressalvada a competência da Justiça Eleitoral;

c) os mandados de segurança e os habeas data contra atos do Presidente do Tribunal e de qualquer de seus órgãos e membros, do Procurador-Geral da Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, dos Juízes do Distrito Federal e dos Territórios, do Governador do Distrito Federal, dos Governadores dos Territórios, do Presidente do Tribunal de Contas do Distrito Federal e de qualquer de seus membros, do Procurador-Geral do Distrito Federal e dos Secretários de Governo do Distrito Federal e dos Territórios;

d) os habeas corpus, quando o constrangimento apontado provier de ato de qualquer das autoridades indicadas na alínea c deste inciso, exceto o Governador do Distrito Federal;

e) os mandados de injunção, quando a elaboração da norma regulamentadora for atribuição de órgão, entidade ou autoridade do Distrito Federal, quer da administração direta, quer da indireta;

f) os conflitos de competência entre órgãos do próprio Tribunal;

g) as ações rescisórias e as revisões criminais de seus julgados;

h) os pedidos de uniformização de sua jurisprudência;

i) os embargos infringentes de seus julgados;

j) os embargos declaratórios a seus acórdãos;

l) as reclamações formuladas pelas partes e pelo Ministério Público, no prazo de 5 (cinco) dias, contra ato ou omissão de juiz de que não caiba recurso ou que, importando em erro de procedimento, possa causar dano irreparável ou de difícil reparação;

m) as representações por indignidade para o Oficialato da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e dos Territórios;

n) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do Distrito Federal em face de sua Lei Orgânica;

o) a ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo do Distrito Federal em face de sua Lei Orgânica;

II - julgar as argüições de suspeição e impedimento opostas aos magistrados e ao Procurador-Geral de Justiça;

III - julgar os recursos e remessas de ofício relativos a decisões proferidas pelos Juízes de Direito do Distrito Federal e dos Territórios;

IV - julgar a exceção da verdade nos casos de crime contra a honra em que o querelante tenha direito a foro por prerrogativa da função;

V - julgar os recursos das decisões dos membros do Tribunal nos casos previstos nas leis de processo e em seu Regimento Interno;

VI - executar as decisões que proferir, nas causas de sua competência originária, podendo delegar aos juízes de primeiro grau a prática de atos não decisórios;

VII - aplicar as sanções disciplinares aos magistrados; decidir, para efeito de aposentadoria, sobre sua incapacidade física ou mental, bem como quanto à disponibilidade e à remoção compulsória de Juiz de Direito;

VIII - aplicar pena de demissão ou perda da delegação, se for o caso, aos integrantes dos serviços auxiliares da Justiça do Distrito Federal e dos Territórios;

IX - decidir sobre a perda de posto e da patente dos oficiais e da graduação dos praças;

X - elaborar lista tríplice para o preenchimento das vagas correspondentes ao quinto reservado aos advogados e membros do Ministério Público, bem como para a escolha dos advogados que devem integrar o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, observado o disposto no inciso III do art. 120 da Constituição Federal ;

XI - eleger os desembargadores e juízes de direito que devam integrar o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal;

XII - indicar ao Presidente do Tribunal o juiz que deva ser promovido por antigüidade ou merecimento e autorizar permutas;

XIII - indicar ao Presidente do Tribunal os juízes que devam compor as Turmas Recursais;

XIV - promover o pedido de Intervenção Federal no Distrito Federal ou nos Territórios, de ofício ou mediante provocação;

XV - elaborar o Regimento Interno do Tribunal;

XVI - aprovar o Regimento Administrativo da Secretaria e da Corregedoria;

XVII - organizar os serviços auxiliares, provendo os cargos, na forma da lei;

XVIII - decidir sobre matéria administrativa pertinente à organização e ao funcionamento da Justiça do Distrito Federal e dos Territórios;

XIX - organizar e realizar os concursos para o ingresso na Magistratura do Distrito Federal e dos Territórios;

XX - organizar e realizar concursos públicos para provimento dos cargos do Quadro do Tribunal de Justiça;

XXI - organizar e realizar concursos públicos para o exercício da atividade notarial e de registro;

XXII - dispor sobre normas e critérios para o concurso de remoção dos notários e oficiais de registro;

XXIII - propor ao Congresso Nacional o Regimento de Custas das Serventias Judiciais e dos Serviços Notariais e de Registro a viger no Distrito Federal e Territórios;

XXIV - designar, sem prejuízo de suas funções, até 2 (dois) Juízes de Direito para Assistentes da Presidência do Tribunal e até 4 (quatro) Juízes de Direito para Assistentes do Corregedor de Justiça, a eles podendo ser delegadas funções correicionais em cartórios judiciais e Serviços Notariais e de Registro.

§ 1o O procedimento da reclamação das ações direta de inconstitucionalidade e declaratória de constitucionalidade será regulado pelo Regimento Interno.

§ 2o Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade:

I - o Governador do Distrito Federal;

II - a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal;

III - o Procurador-Geral de Justiça;

IV - a Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Distrito Federal;

V - as entidades sindicais ou de classe, de atuação no Distrito Federal, demonstrando que a pretensão por elas deduzida guarda relação de pertinência direta com os seus objetivos institucionais;

VI - os partidos políticos com representação na Câmara Legislativa.

§ 3o Podem propor a ação declaratória de constitucionalidade:

I - o Governador do Distrito Federal;

II - a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal;

III - o Procurador-Geral de Justiça.

§ 4o Aplicam-se ao processo e julgamento da ação direta de inconstitucionalidade perante o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios as seguintes disposições:

I - o Procurador-Geral de Justiça será sempre ouvido nas ações diretas de constitucionalidade ou de inconstitucionalidade;

II - declarada a inconstitucionalidade por omissão de medida para tornar efetiva norma da Lei Orgânica do Distrito Federal, a decisão será comunicada ao Poder competente para adoção das providências necessárias e, tratando-se de órgão administrativo, para fazê-lo em 30 (trinta) dias;

III - somente pelo voto da maioria absoluta de seus membros ou de seu órgão especial, poderá o Tribunal de Justiça declarar a inconstitucionalidade de lei ou de ato normativo do Distrito Federal ou suspender a vigência em decisão de medida cautelar.

§ 5o Aplicam-se, no que couber, ao processo e julgamento da ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do Distrito Federal, em face da sua Lei Orgânica, as normas sobre o processo e o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal.

Andamento do Processo n. 2016.01.1.045134-2 - Mandado de Segurança - 28/04/2016 do TJDF

, alínea c, da Lei de Organização Judiciária do Distrito Federal e Territórios C/C art. 21, inciso II, do Regimento... de 15 (quinze) dias, nos termos do art. 321, do CPC, para indique corretamente a Autoridade Coatora (art. 6º da Lei 12.016... originária para julgamento de Mandado de Segurança é de uma das Câmaras Cív...

Pg. 570. Diário de Justiça do Distrito Federal DJDF de 28/04/2016

, inciso I , alínea c , da Lei de Organização Judiciária do Distrito Federal e Territórios C/C art. 21, inciso II... em lei de UTI é necessária e útil a fim de evitar qualquer ação regressiva contra os herdeiros. 2. Nos termos do art. 196... atualizado de rendimento para fins de análise do pedido de concessão dos bene...

Pg. 800. Diário de Justiça do Distrito Federal DJDF de 26/04/2016

impetrada, a competência para o julgamento do mandado de segurança recai sobre o egrégio TJDFT, conforme prevê o art. 8º da Lei... 11697 /2008. Brasília - DF, sexta-feira, 22/04/2016 às 15h25. Roque Fabrício Antônio de Oliveira Viel,Juiz de Direito.... Brasília - DF, quarta-feira, 20/04/2016 às 17h07. . DESPACHO 20...

Andamento do Processo n. 2016.01.1.042870-3 - Mandado de Segurança - 22/04/2016 do TJDF

do eg. TJDFT, com espeque no artigo art. 8º, inciso I, alínea c, da Lei 11.697/08 e do Regimento Interno...Andamento do Processo n. 2016.01.1.042870-3 - Mandado de Segurança - 22/04/2016 do TJDF 2016.01.1.042870-3 - Mandado... de Segurança (civel) - A: LUCIANNE CAROLINE DE ASSUNCAO E SILVA. Adv (s).: DF040508 -H...

Pg. 470. Diário de Justiça do Distrito Federal DJDF de 22/04/2016

do eg. TJDFT, com espeque no artigo art. 8º , inciso I , alínea c , da Lei 11.697 /08 e do Regimento Interno... § 1º, I, da Lei 11.697/08) . Intimem-se. Brasília - DF, terça-feira, 19/04/2016 às 14h45. , Juiz JANSEN FIALHO...-se. Brasília - DF, segunda-feira, 18/04/2016 às 18h14. , Juiz JANSEN FIALHO DE ALMEIDA ...

Andamento do Processo n. 2011/0028688-0 - Recurso Especial - 14/04/2016 do STJ

(3246) RE no AgRg nos EDcl no RECURSO ESPECIAL Nº 1.236.801 - DF (2011/0028688-0) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : UNIÃO ADVOGADO : MARIA LETÍCIA B. GUIMARÃES BARTH RECORRIDO : FERNANDO

Pg. 2294. Superior Tribunal de Justiça STJ de 14/04/2016

Vistos, etc. Trata-se de recurso extraordinário interposto pela UNIÃO, com fundamento no art. 102, inciso III, alínea a, da Constituição Federal, contra acórdão da Primeira Turma do Superior Tribunal

Andamento do Processo n. 931.838 - Recurso Extraordinário / Agravo - 03/03/2016 do STF

RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 931.838 (1194) ORIGEM : PROCED. : DISTRITO FEDERAL RELATORA :MIN. CÁRMEN LÚCIA RECTE.(S) : DISTRITO FEDERAL PROC.(A/S)(ES) : PROCURADOR-GERAL DO DISTRITO FEDERAL

Andamento do Processo n. 2016.01.1.016177-2 - Mandado de Segurança - 03/03/2016 do TJDF

DESTA para o CONSELHO ESPECIAL do eg. TJDFT, com espeque no artigo art. 8º, inciso I, alínea c, da Lei 11.697/08...Andamento do Processo n. 2016.01.1.016177-2 - Mandado de Segurança - 03/03/2016 do TJDF 2016.01.1.016177-2 - Mandado... de Segurança (civel) - A: ELY PEREIRA CAVALCANTE. Adv (s).: DF037990 - Thais C...

Pg. 317. Supremo Tribunal Federal STF de 03/03/2016

automática ao Tesouro do Distrito Federal, o dispositivo impôs regra geral contrária à instituída pela União. Declarada, com efeitos ex-tunc e erga omnes, a inconstitucionalidade material do § 11 do

×

ou