Carregando...
JusBrasil - Tópicos
02 de setembro de 2014
Nulidade do negócio jurídico simulado de compra e venda Editar Foto
×

Alterar Imagem

Envie uma imagem

Nulidade do negócio jurídico simulado de compra e venda Editar

Cancelar
Adicione uma descrição a este tópico. Editar
470 caracteres restantes
Cancelar
Ainda não há documentos separados para este tópico.

Resultados da busca JusBrasil para "Nulidade do negócio jurídico simulado de compra e venda"

TJ-RS - Apelação Cível AC 70044990463 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 24/02/2012

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. DIREITO PRIVADO NÃO ESPECIFICADO. DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGÓCIO JURÍDICO. SIMULAÇÃO. COMPRA E VENDA DE VEÍCULO AUTOMOTOR. DOCUMENTOS NOVOS: Inviável se mostra a análise dos documentos colacionados nesta fase recursal pelos recorrentes, por não corresponderem a documentos novos (art. 397 , CPC ), nem terem estes demonstrado que não o juntaram outrora por razão de força maior (art. 517 , CPC ). Desnecessidade de aplicação das penas do art. 18 do CPC na espécie. INÉPCIA DA PETIÇÃO INICIAL: Expostos de maneira fundamentada e especificada os fatos que norteiam a...

TJ-SP - Apelação Cível AC 5122404800 SP (TJ-SP)

Data de publicação: 18/09/2008

Ementa: ANULAÇÃO DE NEGÓCIO JURÍDICO DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL E RESPECTIVA ESCRITURA PÚBLICA - Alegação de simulação - Prova dos autos hábil a comprovar a prática de simulação relativa, por interposta pessoa - Negócio jurídico simulado de compra e venda de imóvel com a finalidade de disfarçar verdadeiro negócio de doação a cônjuge, na constância do regime da separação obrigatória de bens, em detrimento dos direitos sucessórios dos filhos do doador, herdeiros necessários - Alienação a cônjuge do conteúdo econômico da propriedade em prejuízo dos filhos - Art. 167 do Código Civil - Nulidade do negócio jurídico simulado de compra e venda - Nulidade do negócio jurídico dissimulado de doação, por se tratar de doação moficiosa e implicar burla ao regime da separação obrigatória de bens - Fraude à lei - Exegese do art. 166 , VI , do Código Cl vil - A ção procedente, para o fim de declarar a nulidade do negócio jurídico de compra e venda do imóvel e respectiva escritura pública - Recurso provido. .

TJ-RS - Apelação Cível AC 70045275534 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 29/08/2012

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ANULATÓRIA DE NEGÓCIO JURÍDICO E AÇÃO DE IMISSÃO NA POSSE. DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE BENS A PARTILHAR EM SEPARAÇÃO CONSENSUAL. PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PAGAMENTO POR MEIO DE NOTA PROMISSÓRIA. JUROS ONZENÁRIOS. DECLARAÇÃO E CLÁUSULA NÃO VERDADEIRA. SIMULAÇÃO. NULIDADE DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. HONORÁRIOS MANTIDOS. I. Elementos constantes dos autos capazes de comprovar suficientemente a existência de declaração e cláusula não verdadeira caracterizadora do negócio simulado (art. 167 , § 1º , II , do Código Civil ). Manutenção...

TJ-RS - Apelação Cível AC 70045887098 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 31/01/2012

Ementa: APELAÇÃO. SUCESSÕES. EMBARGOS DE TERCEIRO E AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGÓCIO JURÍDICO SIMULADO. ESVAZIAMENTO DO PATRIMÔNIO DO FALECIDO POR MEIO DE COMPRA E VENDA SIMULADA DE BENS IMÓVEIS. PROCEDÊNCIA. EMBARGOS DESACOLHIDOS. PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA. INOCORRÊNCIA. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS DE SUCUMBÊNCIA. FIXAÇÃO DE ACORDO COM O PROVEITO ECONÔMICO DA DEMANDA. 1. É nula a compra e venda simulada de bem imóvel, feita com o único propósito de lesar o direito do herdeiro. 2. Os prazos prescricionais e decadenciais para o herdeiro, em ação que busque a nulidade de...

TJ-RS - Apelação Cível AC 70036012193 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 21/01/2011

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. CONTRATOS AGRÁRIOS. ARRENDAMENTO DE IMÓVEL RURAL. COMPRA E VENDA. SIMULAÇÃO. RECONHECIMENTO DA NULIDADE DO NEGÓCIO JURÍDICO. DIREITO DE PREFERÊNCIA DO ARRENDATÁRIO. ANÁLISE PREJUDICADA. Objetivando o autor com a presente ação o reconhecimento do seu alegado direito de preferência na compra do imóvel rural arrendado, a declaração de nulidade da alienação efetivada pelos demandados, diante da comprovada simulação de tal negócio jurídico, enseja a prolação de juízo terminativo, ex vi do art. 267 , IV , do CPC , ante a perda de objeto da demanda. Sucumbência...

TJ-PI - Apelação Cível AC 201000010009483 PI (TJ-PI)

Data de publicação: 28/07/2010

Ementa: PROCESSO CIVIL. APELAÇAO CIVIL. COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. REGISTRO EM CARTÓRIO. NULIDADE DE NEGÓCIO JURÍDICO. SIMULAÇAO. APELAÇAO CONHECIDA E PROVIDA. 1 – Os negócios jurídicos relativos a bens imóveis, celebrados à luz do Código Civil de 1916 , previam para a sua validade o devido registro do imóvel em cartório, adquirindo-se a propriedade tão somente após a transcrição do título de transferência, nos termos do artigo 530 do prefalado códex, não se valendo, para tanto, o compromisso de compra e venda do imóvel. 2 – Em sendo, no entanto, vislumbrada a hipótese de fraude no negócio, deve-se proceder à análise das provas colacionadas aos autos. 3 – Registro de Imóveis lavrado em decorrência de acerto mútuo entre partes, não havendo o pagamento do valor constante no contrato, demonstrando a simulação com intuito de prejudicar terceiro de boa-fé, legítimo proprietário, resta aquele nulo de pleno direito, precipuamente ante a ilegitimidade do cessionário, que não possui direito real sobre o imóvel. 4 – Apelação conhecida e provida.

Encontrado em: a sentença hostilizada e declarando nulos o Registro de fl.14 e as Escrituras Públicas de Compra e Venda

TJ-SC - Apelação Cível AC 319910 SC 2008.031991-0 (TJ-SC)

Data de publicação: 10/06/2011

Ementa: NULIDADE DE NEGÓCIO JURÍDICO. PRETENDIDA A ANULABILIDADE, POR VÍCIO SOCIAL (SIMULAÇÃO), DE ESCRITURA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA DE CESSÃO DE DIREITOS HEREDITÁRIOS. SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA. IRRESIGNAÇÃO DOS DEMANDADOS. A simulação é produto de um conluio entre os contratantes visando obter efeito diverso daquele que o negócio aparenta conferir. CIRCUNSTÂNCIAS FÁTICAS QUE EVIDENCIAM, COM A ALTO GRAU DE LIQUIDEZ, A NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DE INSTITUTO JURÍDICO DIVERSO EM RELAÇÃO AO PACTO MACULADO - DOLO AO REVÉS DE SIMULAÇÃO. EQUIVOCO. A alienação direta de imóvel pertencente ao ascendente a um de seus descendentes, através de interposta pessoa e sem o consentimento dos demais, caracteriza simulação; entretanto, se referido herdeiro, aproveitando-se da completa ausência de instrução da genitora, conduz a transferência em favor de terceira pessoa, inclusive, subscrevendo o pacto 'a rogo', com a nítida intenção de, posteriormente, beneficiar-se do quinhão hereditário dos demais, está-se diante do dolo que, considerando a intencionalidade e má-fé, configura vício de consentimento, não social. O dolo distingue-se da simulação. Nesta a vítima é lesada sem participar do negócio jurídico. As partes desejam tão-somente a aparência do negócio em detrimento da lei ou de terceiros. Os contratantes criam uma ilusão. No dolo, a vítima participa diretamente do ato, mas somente a outra conhece a maquinação e age com má-fé. ALIENAÇÃO DE BEM IMÓVEL PELA ASCENDENTE PARA INTERPOSTA PESSOA. NEGÓCIO CONDUZIDO POR ÚNICO HERDEIRO QUE, INCLUSIVE, SUBSCREVEU O PACTO 'A ROGO' DIANTE DA AUSÊNCIA DE COMPLETA INSTRUÇÃO DA GENITORA. AUSÊNCIA DE ANUÊNCIA DOS DEMAIS HERDEIROS. CONTEXTO PROBATÓRIO QUE DEMONSTRA, DE FORMA IRREFRAGÁVEL, QUE O CONDUTOR DO NEGÓCIO BENEFICIA-SE DO BEM IMÓVEL COM EXCLUSIVIDADE. INTENÇÃO NÍTIDA DO DEMANDADO DE, POSTERIOR E OPORTUNAMENTE, LOCUPLETAR-SE INDEVIDAMENTE DO QUINHÃO PERTENCENTE AOS HERDEIROS. Hipótese que demonstra sobejamente a intenção do herdeiro que, aproveitando-se da ausência de instrução da genitora, transfere bem imóvel a interposta pessoa, inclusive, subscrevendo o pacto, sem o consentimento dos demais herdeiros, e, posteriormente, usufrui do imóvel em prejuízo dos demais, pratica ato passível de anulação, na modalidade de vício e consentimento - dolo. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO....

DJPA 21/09/2012 - Pág. 867 - Diário de Justiça do Estado do Pará

Art. 167 do Código Civil -Nulidade do negócio jurídico simulado de compra e venda - Nulidade... a prática de simulação relativa, por interposta pessoa - Negócio jurídico simulado de ...

Diário • Diário de Justiça do Estado do Pará

TJ-MG - 100420601430310011 MG 1.0042.06.014303-1/001(1) (TJ-MG)

Data de publicação: 22/03/2010

Ementa: APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO ANULATÓRIA - PRESCRIÇÃO - INOCORRÊNCIA - COMPRA E VENDA - SIMULAÇÃO EVIDENTE - NULIDADE DO NEGÓCIO JURÍDICO - LITIGÂNCIA DE MA-FÉ - CARACTERIZAÇÃO. Prescreve em 10 (dez) a pretensão de declaração de nulidade de compra e venda simulada. Inteligência do artigo 205 do Código Civil /2002. Tendo a ocorrência da simulação sido demonstrada, de forma inequívoca e segura, pela parte que a argüiu, deverá ser declarada a nulidade do negócio jurídico, por constituir vício de vontade. Verificando-se que a parte ré alterou a verdade dos fatos e deduziu defesa contra texto de lei, deve-lhe ser imposta multa de 1% sobre o valor da causa, nos termos dos arts. 17 e 18 do CPC .

TJ-DF - Apelação Cí­vel APL 1000092520058070001 DF 0100009-25.2005.807.0001 (TJ-DF)

Data de publicação: 22/03/2010

Ementa: CIVIL. AÇÃO DE IMISSÃO DE POSSE. DOMÍNIO DO BEM COMPROVADO. PRELIMINAR DE NÃO CONHECIMENTO REJEITADA. RECONVENÇÃO. PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE NULIDADE DO INSTRUMENTO P ARTICULAR DE COMPRA E VENDA, PROCURAÇÃO E ESCRITURA PÚBLICA EM RAZÃO DE SIMULAÇÃO. VALIDADE DO NEGÓCIO JURÍDICO FIRMADO ENTRE AS P ARTES. 1. PARA A PROCEDÊNCIA DO PEDIDO DE IMISSÃO DE POSSE, NECESSÁRIA A PROVA DA PROPRIEDADE E QUE O DEMANDANTE NUNCA TEVE A POSSE DO BEM NO QUAL QUER IMITIR-SE. NO CASO EM COMENTO, O DOMÍNIO DO IMÓVEL EM LITÍGIO FOI DEVIDAMENTE COMPROVADO POR MEIO DA ESCRITURA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA. 2. RESTANDO INDUVIDOSA A TRANSMISSÃO DO BEM AOS AUTORES, DIANTE DAS PROVAS DOCUMENTAIS E ORAIS COLACIONADAS AOS AUTOS, NÃO HÁ QUE SE FALAR EM INVALIDADE DO NEGÓCIO JURÍDICO EM RAZÃO DE SIMULAÇÃO. 3. É IRRELEVANTE PARA O DESLINDE DESTA AÇÃO PETITÓRIA O ATUAL VALOR DE VENDA DO IMÓVEL, NEM PERQUIRIR EVENTUAL BEM DE FAMÍLIA, POIS, NO ÚLTIMO CASO, NÃO SE DEBATE PENHORA OU OUTRA CONSTRIÇÃO. 4. PRELIMINAR REJEITADA. CONHECIDO. RECURSO DESPROVIDO. UNÂNIME.

ou

×
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/topicos/2039382/nulidade-do-negocio-juridico-simulado-de-compra-e-venda