Carregando...
JusBrasil - Tópicos
04 de maio de 2016
Artigo 13 da Lei nº 12.305 de 02 de Agosto de 2010

Art. 13 Política Nacional de Residuos Solidos - Lei 12305/10

Lei nº 12.305 de 02 de Agosto de 2010

Institui a Política Nacional de Residuos Solidos ; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

Art. 13. Para os efeitos desta Lei, os resíduos sólidos têm a seguinte classificação:

I - quanto à origem:

a) resíduos domiciliares: os originários de atividades domésticas em residências urbanas;

b) resíduos de limpeza urbana: os originários da varrição, limpeza de logradouros e vias públicas e outros serviços de limpeza urbana;

c) resíduos sólidos urbanos: os englobados nas alíneas “a” e “b”;

d) resíduos de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços: os gerados nessas atividades, excetuados os referidos nas alíneas “b”, “e”, “g”, “h” e “j”;

e) resíduos dos serviços públicos de saneamento básico: os gerados nessas atividades, excetuados os referidos na alínea “c”;

f) resíduos industriais: os gerados nos processos produtivos e instalações industriais;

g) resíduos de serviços de saúde: os gerados nos serviços de saúde, conforme definido em regulamento ou em normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama e do SNVS;

h) resíduos da construção civil: os gerados nas construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil, incluídos os resultantes da preparação e escavação de terrenos para obras civis;

i) resíduos agrossilvopastoris: os gerados nas atividades agropecuárias e silviculturais, incluídos os relacionados a insumos utilizados nessas atividades;

j) resíduos de serviços de transportes: os originários de portos, aeroportos, terminais alfandegários, rodoviários e ferroviários e passagens de fronteira;

k) resíduos de mineração: os gerados na atividade de pesquisa, extração ou beneficiamento de minérios;

II - quanto à periculosidade:

a) resíduos perigosos: aqueles que, em razão de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade, patogenicidade, carcinogenicidade, teratogenicidade e mutagenicidade, apresentam significativo risco à saúde pública ou à qualidade ambiental, de acordo com lei, regulamento ou norma técnica;

b) resíduos não perigosos: aqueles não enquadrados na alínea “a”.

Parágrafo único. Respeitado o disposto no art. 20, os resíduos referidos na alínea “d” do inciso I do caput, se caracterizados como não perigosos, podem, em razão de sua natureza, composição ou volume, ser equiparados aos resíduos domiciliares pelo poder público municipal.

Pg. 18. Normal do Comércio. Diário Oficial do Estado do Paraná DOEPR de 18/03/2016

h. projetos que possuam o direito de propriedade do imóvel, com registro na matrícula do imóvel, pelo período mínimo de 30 (trinta) anos, receberão 2 (dois) pontos; e i. projetos que utilizem como

Pg. 319. Editais e Leilões. Diário de Justiça do Estado de São Paulo DJSP de 30/11/2015

em 07/01/1978, de cor Branco, Solteiro, Brasileiro, natural de Campinas-SP, Desempregado, pai Ariosvaldo Oliveira Santos, mãe Maria Irani Pereira Santos, por infração ao(s) artigo(s): Capitulação

Pg. 68. Diário Oficial do Município de Campinas DOM-CAMP de 04/11/2015

No que tange as fases de licenciamento ambiental, a maior problemática de gerenciamento dos resíduos consiste, principalmente, nas ações que envolvem as fases de instalação e operação das obras e

Pg. 69. Diário Oficial do Município de Campinas DOM-CAMP de 04/11/2015

quando aplicável. 7. INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES 7.1 Caso algumas das exigências técnicas dispostas no item 6 não se apliquem à obra, empreendimento ou atividade potencialmente poluidora, o

Inteiro Teor. Reexame Necessário: REEX 80700820148260554 SP 0008070-08.2014.8.26.0554

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2015.0000686628 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Reexame Necessário nº 0008070-08.2014.8.26.0554, da Comarca de Santo

Inteiro Teor. APELAÇÃO CIVEL: AC 50095542120124047204 SC 5009554-21.2012.404.7204

APELAÇÃO CÍVEL Nº 5009554-21.2012.4.04.7204/SC RELATOR : SALISE MONTEIRO SANCHOTENE APELANTE : UNIÃO - ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO APELADO : CARBONIFERA SIDEROPOLIS LTDA ADVOGADO : SÉRGIO CLEMES MPF :

Inteiro Teor. AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA: AIRR 359009620135130003

A C Ó R D Ã O 7ª TURMA VMF/lgb/ok/cg/drs AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE - GRAU MÁXIMO - LIMPEZA DE BANHEIROS DE INSTITUIÇÃO HOSPITALAR - COLETA DE LIXO E

Pg. 3065. Judiciário. Tribunal Superior do Trabalho TST de 13/04/2015

trânsito ao recurso de revista da parte agravante, que manifesta o presente agravo de instrumento, reiterando as razões de revista. No entanto, tais argumentos desservem para desconstituir o despacho

Pg. 3066. Judiciário. Tribunal Superior do Trabalho TST de 13/04/2015

familiares que se utilizam das dependências da reclamada. Assinalou que não se poderia considerar apenas uma interpretação literal e restritiva da mencionada Norma Regulamentar nº 15, para a

×

ou