Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
25 de maio de 2016
Abolitio Criminis Editar Foto
×

Alterar Imagem

Envie uma imagem

Abolitio Criminis

Abolitio criminis

Supressão da infração penal porque a lei posterior revoga a congênere que a definia. Ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime, cessando em virtude dela a execução e os efeitos penais da sentença condenatória.

Abolitio Criminis no delito de evasão de divisas

Por Rafael Bruno de Sá Como se sabe, o delito de evasão de divisas na modalidade de manter depósito no exterior sem declaração à repartição federal competente se trata de norma penal em branco, ou

Livramento condicional

1. Conceito: No entender de Mirabete, o livramento condicional é um prenúncio para um sistema penitenciário ideal fundado na imposição de penas indeterminadas, uma vez que se tornaria desnecessária a

STJ: Pena de prisão não é mais aplicada em crime de porte de droga para consumo próprio

A pena de prisão não é mais aplicada para punir o crime de porte de drogas para consumo próprio. Esse é o entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aplicado ao julgamento de casos que

Exclusão de substância da lista de entorpecentes proibidos da Anvisa descaracteriza tráfico

Ministro reconhece “abolitio criminis” temporária em relação ao “lança-perfume”, em virtude de exclusão, por determinado período de tempo, do cloreto de etila por Resolução da Anvisa. O ministro

Abolitio criminis e sucessão de normas integradoras
Abolitio criminis e sucessão de normas integradoras

Por Leonardo Schmitt de Bem – 14/05/2015 Uma previsão típica bem realizada garante a efetividade do princípio constitucional da legalidade. Os contornos da conduta proibida são def...

Três novas súmulas já estão disponíveis para consulta

As mais novas súmulas do Superior Tribunal de Justiça (STJ) já estão disponíveis para consulta na página de Súmulas Anotadas, no site do tribunal (www.stj.jus.br). Trata-se dos enunciados 511, 512 e

Lei penal no tempo - parte 04 - abolitio criminis

Continuando o estudo sobre a lei penal no tempo e as muitas nuances existentes sobre o tema, passamos a verificar o instituto jurídico denominado de abolitio criminis, que pode ser definido como a

Legislação comentada - artigo 213 do CP - estupro

Acesse: www.forumcriminal.com.br . No Facebook, acompanhe a nossa página: https://www.facebook.com/forumcriminal . Estupro Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter

Seção pacifica entendimento sobre termo de suspensão temporária prevista pelo Estatuto do Desarmamento

A data final da abolitio criminis temporária instituída pelo Estatuto do Desarmamento , relativa à posse de armas de uso restrito ou permitido (mas com identificação adulterada), foi o dia 23 de

Resultados da busca Jusbrasil para "Abolitio Criminis"

STF - HABEAS CORPUS HC 110301 RS (STF)

Data de publicação: 28/03/2012

Ementa: Abolitio criminis temporária. 2. Posse de arma de fogo com numeração raspada. 3. Vacatio legis da Lei n. 10.826 /2003. Inaplicabilidade. 4. A Medida Provisória 417 , que deu nova redação ao art. 30 da Lei 10.826 /2003, promoveu a prorrogação do prazo para o dia 31 de dezembro de 2008 para os possuidores de arma de fogo de uso permitido ainda não registrada, não abarcando, por conseguinte, a conduta de possuir arma de fogo de uso proibido ou restrito ou com numeração raspada. 5. Ordem denegada.

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL AgRg no AREsp 176268 SC 2012/0097353-5 (STJ)

Data de publicação: 16/05/2013

Ementa: AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. PENAL E PROCESSO PENAL. POSSE DE MUNIÇÕES DE USO RESTRITO. ABOLITIO CRIMINIS TEMPORÁRIA. NÃO OCORRÊNCIA. CONDUTA PRATICADA EM 16/6/2009. AGRAVO IMPROVIDO. 1. Na esteira dos precedentes da Quinta Turma deste Tribunal, não resta dúvida que a conduta atribuída aos agravantes não está acobertada pelo manto da abolitio criminis. O prazo máximo para o reconhecimento da referida causa de extinção da punibilidade é 31 de dezembro de 2009, única e exclusivamente para as hipóteses de armas/munições de uso permitido e, logo, registráveis. 2. Agravo a que se nega provimento.

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1360541 MG 2012/0273255-0 (STJ)

Data de publicação: 01/03/2013

Ementa: PENAL. AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. DECISÃO MONOCRÁTICA.APLICAÇÃO DO ART. 557 CPC . CABIMENTO. POSSE DE ARMA DE FOGO COMNUMERAÇÃO RASPADA. ABOLITIO CRIMINIS TEMPORÁRIA. NÃO OCORRÊNCIA.. 1. Conforme estabelecido no art. 557 do Código de Processo Civil , épossível o relator negar provimento monocraticamente ao recursoespecial em manifesto confronto com a jurisprudência deste Tribunal. 2. É típica a conduta de possuir arma de fogo de uso permitido comnumeração raspada, praticada pelo recorrido em 7/9/2006, pois, emrelação a esse delito, a abolitio criminis temporária cessou em24/10/2005.3. Agravo regimental a que se nega provimento.

×