Carregando...
JusBrasil - Tópicos
06 de maio de 2016
Trabalho da Mulher Editar Foto
×

Alterar Imagem

Envie uma imagem

Trabalho da Mulher

Trabalho da mulher

Os preceitos que regulam o trabalho masculino são aplicáveis ao trabalho feminino, naquilo que não colidirem com a proteção especial instituída no capítulo da proteção do trabalho da mulher. A duração normal de trabalho da mulher será de oito horas diárias, exceto nos casos para os quais for fixada duração inferior. Somente em casos excepcionais, por motivo de força maior, poderá a duração do trabalho diurno elevar-se além do limite legal ou convencionado, até doze horas, e o salário-hora será, pelo menos, 50% superior ao da hora normal e deverá ser comunicada por escrito à autoridade competente, dentro do prazo de 48 horas. A adoção de medidas de proteção ao trabalho das mulheres é considerada de ordem pública, não justificando, em hipótese alguma, a redução de salário. Ao empregador é vedado empregar a mulher em serviço que demande o emprego de força muscular superior a 20 quilos para o trabalho contínuo, ou 25 quilos para o trabalho ocasional (artigos 372 a 401 da CLT).

Juscivaldo Amorim

Juscivaldo Amorim -

Lei 13.271/2016: Inovação legislativa?

A Lei 13.271/2016, publicada na última segunda-feira (18/04), trata da proibição de revista íntima em empregadas e funcionárias da iniciativa privada e do poder público, prevendo multa de até R$

Carolinsk de Marco

Carolinsk de Marco -

Mulheres Mercantes
Mulheres Mercantes

Por ser um trabalho executado longe da costa, sem recursos de atendimento de emergência imediatos, considera-se inviável a continuidade do trabalho para as mulheres marítimas nessa...

Andamento do Processo n. 1000177-84.2014.5.02.0612 - RO - 11/03/2016 do TRT-2

Processo Nº RO-1000177-84.2014.5.02.0612 Relator RILMA APARECIDA HEMETERIO RECORRENTE NATALIA GONCALVES BARBOSA ADVOGADO MARCELO AUGUSTO DE BRITO GOMES(OAB: 97736/RJ) ADVOGADO WILLIAM DA SILVA

John Lincoln

John Lincoln -

Direitos Trabalhistas das mulheres, passado, presente e futuro.

Mulher, criatura divina, que mesmo sendo o sexo forte insistem a chamar de sexo frágil, fragilidade esta que chega a ser irônica diante de tamanha garra, força e grandeza, tanto que desde os tempos

A proteção do trabalho da mulher
A proteção do trabalho da mulher

O presente texto trata sobre os direitos da mulher no ambiente de trabalho, garantidos pela Constituição Federal , Consolidação das Leis do Trabalho ( CLT ) e leis esparsas. A Cons...

Andamento do Processo n. 1000778-62.2014.5.02.0492 - RO - 15/01/2016 do TRT-2

Processo Nº RO-1000778-62.2014.5.02.0492 Relator KYONG MI LEE RECORRENTE RITA APARECIDA BAMBINO DOS SANTOS ADVOGADO LUCILENE LUIZA DA SILVA(OAB: 296834/SP) ADVOGADO HUMBERTO DE OLIVEIRA RAMOS(OAB:

Andamento do Processo n. 1000005-20.2014.5.02.0491 - RO - 03/11/2015 do TRT-2

Processo Nº RO-1000005-20.2014.5.02.0491 Relator PERSIO LUIS TEIXEIRA DE CARVALHO RECORRENTE CACIQUE PROMOTORA DE VENDAS LTDA ADVOGADO CARLOS EVANDRO RIGHETTI (OAB: 166654/SP) ADVOGADO Gustavo

Resultados da busca JusBrasil para "Trabalho da Mulher"

Painel: Direitos trabalhistas da mulher

o painel intitulado “ DIREITOS TRABALHISTAS DA MULHER ”. Exposição Dra. Fabíola Marques

Notícia Jurídica • Associação dos Advogados de São Paulo • 17/02/2012

TST - RECURSO DE REVISTA RR 638420115240086 63-84.2011.5.24.0086 (TST)

Data de publicação: 06/02/2013

Ementa: PROTEÇÃO DO TRABALHO DA MULHER. INTERVALO ANTES DA SOBREJORNADA. ARTIGO 384 DA CLT . O debate quanto ao intervalo previsto no art. 384 da CLT não comporta mais discussão nesta Corte, visto que o Pleno, por meio do julgamento do TST-IIN-RR-1.540/2005-046-12-00, o qual ocorreu na sessão do dia 17/11/2008, decidiu que o art. 384 da CLT foi recepcionado pela Constituição da República. Recurso de revista conhecido e provido.

TST - RECURSO DE REVISTA RR 638420115240086 63-84.2011.5.24.0086 (TST)

Data de publicação: 15/02/2013

Ementa: PROTEÇÃO DO TRABALHO DA MULHER. INTERVALO ANTES DA SOBREJORNADA. ARTIGO 384 DA CLT . O debate quanto ao intervalo previsto no art. 384 da CLT não comporta mais discussão nesta Corte, visto que o Pleno, por meio do julgamento do TST-IIN-RR-1.540/2005-046-12-00, o qual ocorreu na sessão do dia 17/11/2008, decidiu que o art. 384 da CLT foi recepcionado pela Constituição da República. Recurso de revista conhecido e provido.

×