Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
22 de Fevereiro de 2024

Devo me importar com a concorrência em concurso público?

Publicado por Gerson Aragão
há 7 anos

Devo me importar com a concorrncia em concurso pblico

Nesse cenário de crise econômica por que passa o Brasil, a estabilidade garantida aos servidores públicos chama cada vez mais atenção das pessoas para se prepararem para concursos públicos.

A cada ano, a concorrência nas provas aumenta e isso angustia muitos candidatos, alguns se sentindo paralisados e impotentes pensando que nunca passarão.

É importante que haja alguma atenção sobre essa estatística, mas ela não deve ser – de longe – sua principal preocupação.

A análise da concorrência é necessária quando da escolha de seu cargo, mas aliada a outros fatores. Vejamos alguns:

1) Concorrência no concurso X número de pessoas convocadas a tomar posse

É preciso analisar não somente a concorrência, mas, principalmente, a quantidade de pessoas efetivamente convocadas para o órgão que realizou o concurso.

Por exemplo, há órgãos que, de uma lista de 200 aprovados, só chamam 3 pessoas e outros que, de uma lista de 1000 aprovados, chamam 300. Está claro que fazer concurso para esse segundo tipo é muito melhor.

Ora, de que adianta “ganhar, mas não levar”? Uma das poucas vantagens de apenas ficar no cadastro de reserva é que sua aprovação poderá ser usada eventualmente em provas de títulos, aumentando sua pontuação e melhorando sua classificação em outros concursos.

Aos que são formados em Direito, fica a dica/questionamento: será que fazer concursos para área jurídica (juiz, promotor, defensor, advogado público e delegado), mesmo que possam levar algum tempo a mais de estudo, não valeria mais a pena? Isso porque, em quase todos, a lista é esgotada durante o prazo para nomeação. Pensem nisso!

2) A concorrência real

Não se assuste quando a organizadora indica que a concorrência é de mil candidatos por vaga.

Na realidade, como diz Gerson Aragão em um vídeo, só cerca de 3% dos candidatos estão realmente preparados – muitos estão ali pelo “oba oba”, por ser um concurso feito em sua cidade, para treinar para outros concursos etc. Só alguns realmente se preparam, estudando focado no cargo e no edital e utilizando técnicas de estudo e aprendizagem para alcançar sucesso. Em nosso blog e nesse ebook gratuito, você encontra várias dessas dicas.

Preparando-se corretamente, logo, logo você estará dentre esses reais concorrentes e, é claro, verá seu nome no diário oficial!

3) A nota de corte

Escolhido o cargo e traçada sua estratégia de estudos, é importante estudar e resolver questões baseando-se na nota de corte.

A nota de corte é a pontuação mínima para ser aprovado no ou para as próximas etapas do concurso. Vale ressaltar que, na maioria das vezes, a nota de corte real é diferente da prevista no edital. Por exemplo: ele prevê como nota de corte 60% de acerto das questões, mas, ao final, foram aprovados aqueles que tiveram aproveitamento de 70% ou mais.

Uma ferramenta interessante para se aferir isso é consultar o site https://olhonavaga.com.br/, que, inclusive, simula a possível nota de corte do concurso.

Lembre-se que, se o órgão almejado tem o costume de chamar poucos aprovados, você deve estudar focando em uma pontuação suficiente para ficar dentro das vagas ou no início da lista de cadastro de reserva. Mas, se está ainda iniciando seus estudos, não se preocupe com isso ainda. Um passo de cada vez e já já você estará correndo a maratona!

4) Seu principal concorrente

VOCÊ será sempre seu mais importante concorrente. Treine seu corpo e mente para ter atitude de vencedor e não se deixe levar pelas dificuldades no caminho. Uma das principais características do concurseiro aprovado é a resiliência, a capacidade de resistir em meio aos percalços e às reprovações.

Foque-se no seu cargo dos sonhos, estude “com gosto” e estrategicamente e em breve estará sendo empossado!

5) Uma última dica

Seja solidário. Não veja seu colega de biblioteca, sala de estudos ou grupo de Whatsapp como seu adversário, mas parceiro no caminho à aprovação. Uma minoria, ainda bem, busca prejudicar outros colegas, mas a grande maioria está disposta a resolver questões juntos, compartilhar materiais e até dividir hotel com pessoas que conheceram na caminhada “concurseira”. Tudo fica mais leve quando se tem ao lado colegas que partilham das mesmas alegrias e dores em prestar concurso! O sol é pra todos!

Conte conosco do Método de Aprovação para ajuda-lo a traçar e percorrer essa corrida rumo à vitória!

  • Sobre o autorDefensor Público
  • Publicações445
  • Seguidores4805
Detalhes da publicação
  • Tipo do documentoArtigo
  • Visualizações9570
De onde vêm as informações do Jusbrasil?
Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/artigos/devo-me-importar-com-a-concorrencia-em-concurso-publico/466743401

Informações relacionadas

Gerson Aragão, Defensor Público
Artigoshá 7 anos

7 Concursos com baixa concorrência

Laianne Costa, Advogado
Artigoshá 7 anos

Fui aprovado no concurso público fora do número de vagas previstas no edital. Tenho direito à nomeação?

A busca por concursos públicos cresce 40% ao ano, de acordo com dados da Anpac

Questões Inteligentes, Administrador
Notíciashá 10 anos

As táticas de estudo de 8 concurseiros aprovados em 1º lugar

Breno Zatiti, Advogado
Artigoshá 10 meses

Candidato deve ter acesso às notas de concurso público ou vestibular

4 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O bom concurseiro diz pra si mesmo: se há uma vaga descrita no edital, é a minha, pois não preciso de duas para ser nomeado. continuar lendo

Texto patético. Tentar ludibriar a população ao invés de tratar do real problema: O dessemprego em massa dos jovens brasileiros. continuar lendo

Boas dicas.
Mesmo 3% são 30 para 1.
Eu nunca pensei em cargo público mas não vejo outra opção, é um país sem oportunidades. Depois dos 40 ninguém te contrata mais. Vamos para as cabeças e se encostar na vida mansa do Estado afinal precisa de dindin para o arroz e feijão. continuar lendo

Acho que você está equivocado meu amigo, o problema não é a idade, e sim a competência e profissionalização. Você que uma empresa vai contratar uma pessoa de 42 anos sem noção de informática, fala português arrastado, sem ânimo ou uma pessoa de 23 anos com muita sabedoria em informática ou outra área, fala bem e escreve corretamente ? Acho que esse é a resposta.

São publicadas, aproximadamente, 60 mil vagas por mês na plataforma da Gupy. Entre as pessoas contratadas pelas empresas, 10% têm entre 40 e 50 anos. Os setores que mais geraram empregos para esses profissionais foram: serviços (16,68%), varejo (16,10%), saúde (15,06%), telecomunicações (8,87%), atacado (6,77%) e tecnologia da informação (4,74%). Ao analisar os dados do ano passado, foi observado uma tendência em outras áreas, com um crescimento significativo de contratações em contabilidade ou controladoria (1.261,54%), jurídico (690%), marketing e comunicação (600%) e recursos humanos (478,26%).

Atualização pessoal, sempre melhor passo. Fica com Deus. Abraço. continuar lendo