Art. 12, inc. V, "h" da Lei Orgânica da Seguridade Social - Lei 8212/91 em Todos os Documentos

1.477 resultados
Ordenar Por

Inciso V do Artigo 12 da Lei nº 8.212 de 24 de Julho de 1991

Dispõe sobre a organização da Seguridade Social, institui Plano de Custeio, e dá outras providências.
Art. 12. São segurados obrigatórios da Previdência Social as seguintes pessoas físicas:
V - como contribuinte individual: (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
a ) a pessoa física, proprietária ou não, que explora a atividade agropecuária, pesqueira ou de extração mineral - garimpeiro - em caráter permanente ou temporário, diretamente ou por intermédio de prepostos e com auxílio de empregados, utilizados a qualquer título, ainda que de forma não contínua; (Redação dada pela Lei nº 8.398, de 1992)
(Revogado)
a) a pessoa física, proprietária ou não, que explora atividade agropecuária ou pesqueira, em caráter permanente ou temporário, diretamente ou por intermédio de prepostos e com auxílio de empregados, utilizados a qualquer título, ainda que de forma não contínua; (Redação dada pela Lei n° 8.540, de 22.12.92);
(Revogado)
(Execução suspensa pela Resolução do Senado Federal nº 15, de 2017)
a) a pessoa física, proprietária ou não, que explora atividade agropecuária ou pesqueira, em caráter permanente ou temporário, diretamente ou por intermédio de prepostos e com auxílio de empregados, utilizados a qualquer título, ainda que de forma não contínua; (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
(Revogado)
a) a pessoa física, proprietária ou não, que explora atividade agropecuária, a qualquer título, em caráter permanente ou temporário, em área superior a 4 (quatro) módulos fiscais; ou, quando em área igual ou inferior a 4 (quatro) módulos fiscais ou atividade pesqueira, com auxílio de empregados ou por intermédio de prepostos; ou ainda nas hipóteses dos §§ 10 e 11 deste artigo; (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008).
b) a pessoa física, proprietária ou não, que explora atividade de extração mineral garimpo, em caráter permanente ou temporário, diretamente ou por intermédio de prepostos e com auxílio de empregados, utilizados a qualquer título, ainda que de forma não contínua; (Redação dada pela Lei n° 8.540, de 22.12.92);
(Revogado)
(Execução suspensa pela Resolução do Senado Federal nº 15, de 2017)
b) a pessoa física, proprietária ou não, que explora atividade de extração mineral garimpo, em caráter permanente ou temporário, diretamente ou por intermédio de prepostos e com auxílio de empregados, utilizados a qualquer título, ainda que de forma não contínua; (Redação dada pela Lei nº 9.528, de 10.12.97);
(Revogado)
(Execução suspensa pela Resolução do Senado Federal nº 15, de 2017)
b) a pessoa física, proprietária ou não, que explora atividade de extração mineral - garimpo, em caráter permanente ou temporário, diretamente ou por intermédio de prepostos, com ou sem o auxílio de empregados, utilizados a qualquer título, ainda que de forma não contínua; (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
c) o ministro de confissão religiosa e o membro de instituto de vida consagrada e de congregação ou de ordem religiosa, este quando por ela mantido, salvo se filiado obrigatoriamente à Previdência Social em razão de outra atividade, ou a outro sistema previdenciário, militar ou civil, ainda que na condição de inativo; (Redação dada pela Lei n° 8.540, de 22.12.92)
(Revogado)
(Execução suspensa pela Resolução do Senado Federal nº 15, de 2017)
c) o ministro de confissão religiosa e o membro de instituto de vida consagrada, de congregação ou de ordem religiosa, quando mantidos pela entidade a que pertencem, salvo se filiados obrigatoriamente à Previdência Social em razão de outra atividade ou a outro regime previdenciário, militar ou civil, ainda que na condição de inativos; (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
(Revogado)
c) o ministro de confissão religiosa e o membro de instituto de vida consagrada, de congregação ou de ordem religiosa; (Redação dada pela Lei nº 10.403, de 2002).
d) o empregado de organismo oficial internacional ou estrangeiro em funcionamento no Brasil, salvo quando coberto por sistema próprio de previdência social; (Redação dada pela Lei n° 8.540, de 22.12.92)
(Revogado)
(Execução suspensa pela Resolução do Senado Federal nº 15, de 2017)
d) revogada; (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
e) o brasileiro civil que trabalha no exterior para organismo oficial internacional do qual o Brasil é membro efetivo, ainda que lá domiciliado e contratado, salvo quando coberto por sistema de previdência social do país do domicílio; (Alínea acrescentada pela Lei n° 8.540, de 22.12.92)
(Revogado)
(Execução suspensa pela Resolução do Senado Federal nº 15, de 2017)
e) o brasileiro civil que trabalha no exterior para organismo oficial internacional do qual o Brasil é membro efetivo, ainda que lá domiciliado e contratado, salvo quando coberto por regime próprio de previdência social; (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
f) o titular de firma individual urbana ou rural, o diretor não empregado e o membro de conselho de administração de sociedade anônima, o sócio solidário, o sócio de indústria, o sócio gerente e o sócio cotista que recebam remuneração decorrente de seu trabalho em empresa urbana ou rural, e o associado eleito para cargo de direção em cooperativa, associação ou entidade de qualquer natureza ou finalidade, bem como o síndico ou administrador eleito para exercer atividade de direção condominial, desde que recebam remuneração; (Incluído pela Lei nº 9.876, de 1999).
g) quem presta serviço de natureza urbana ou rural, em caráter eventual, a uma ou mais empresas, sem relação de emprego; (Incluído pela Lei nº 9.876, de 1999).
h) a pessoa física que exerce, por conta própria, atividade econômica de natureza urbana, com fins lucrativos ou não; (Incluído pela Lei nº 9.876, de 1999).

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA AMS 9380 SP 2008.61.00.009380-4 (TRF-3)

JurisprudênciaData de publicação: 28/04/2009

CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. PROCESSUAL CIVIL. MANDADO DE SEGURANÇA. SIGILO DOS ATOS PROCESSUAIS. NÃO OCORRÊNCIA. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA INCIDENTE SOBRE OS VALORES RECEBIDOS A TÍTULO DE BOLSA DE ESTUDOS EM RESIDÊNCIA MÉDICA. LEIS 6.932 /81 E 8.212 /91 E DECRETO 3.048 /99. EXIGIBILIDADE. I - Sendo a publicidade dos atos processuais a regra, o sigilo dos atos somente poderá ser decretado nos estritos termos do que dispuser a lei, e desde que haja elementos que caracterizem a preservação do direito ao sigilo do interessado sem prejudicar o interesse público à informação. II - Após a revogação das normas que classificavam o médico residente no sistema previdenciário na qualidade de segurado autônomo (Lei 10.405 /2002), foi editado o Decreto nº 4.729 , de 09 de junho de 2003, que o incluiu na condição de segurado obrigatório, de forma que não se verifica ter a disposição do Decreto 3.048 /99 violado o princípio da legalidade, uma vez que, com a alteração do artigo 4º da Lei 6.932 /81 pela Lei 10.405 /2002, o médico residente tornou-se segurado individual, caindo na regra do artigo 12 da Lei 8.212 /91 (inciso V, alíneas g e h). III - O médico residente é considerado contribuinte individual e obrigatório, a teor da Lei 6.932 /81 (artigo 1º, 4º e § 2º), Lei 8.212 /91 (artigo 12, V, alínea g) e Decreto 3.048 /99 (artigo 9º, inciso V, alíneas j e l e § 15, inciso X. IV - Preliminar do MPF acolhida. Recurso do impetrante improvido.

Encontrado em: SEGUNDA TURMA LEG-FED LEI-6932 ANO-1991 ART-4 PAR-2 ART-1 ***** LOSS-91 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL...PAR-2 ART-1 ***** LOSS-91 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART-12 INC-5...SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART-12 INC-5 LET-g LET-h LEG-FED LEI-3048 ANO-1999 ART-...

TRF-3 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA AMS 7312 SP 1999.61.09.007312-2 (TRF-3)

JurisprudênciaData de publicação: 28/04/2009

CONSTITUCIONAL. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. EXERCENTES DE MANDATO ELETIVO SEM REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA. LEI Nº 9.506 /97. EXIGIBILIDADE A PARTIR DA EDIÇÃO DA LEI 10.887 /2004. I - A contribuição previdenciária dos detentores de mandato eletivo, introduzida pela Lei 9.506 /97, foi declarada inconstitucional pelo C. Supremo Tribunal Federal em sessão realizada no dia 08/10/2003 (RE nº 351.717/PR), tendo o Pretório Excelso considerado que, ao criar figura nova de segurado obrigatório, instituiu fonte nova de custeio da seguridade social, o que exige a técnica da competência residual da União Federal, a ensejar a edição de lei complementar, tendo em vista o disposto nos artigos 154 , I , e 195 , II , e parágrafo 4º, da Constituição Federal , com redação anterior à Emenda 20 /98. II - Tendo em vista que a decisão do Supremo Tribunal Federal restringe-se ao período anterior à Emenda Constitucional 20 /98, que modificou a previsão constitucional da fonte de custeio da seguridade social, dando nova redação ao artigo 195 , II , da CF , e criando a expressão "demais segurados da previdência social", a lei complementar deixou de ser o veículo exigido para a criação da contribuição dos exercentes de mandato eletivo. III - Após a Emenda Constitucional nº 20 /98, foi editada a Lei 10.887 /2004, que repetiu o texto então declarado inconstitucional, ao introduzir a alínea j ao artigo 12 da Lei 8.212 /91, prevendo como segurado obrigatório da previdência social o exercente de mandato eletivo federal, estadual ou municipal, desde que não vinculado a regime próprio de previdência social. IV - Tendo em vista que a contribuição questionada refere-se à Lei nº 9.506 /97, que teve a inexigibilidade declarada até a edição da Lei 10.887 /2004, impõe-se manter a decisão de primeiro grau que anulou o auto de infração e declarou inexistente a obrigação de pagamento da multa nele expressa. V - O parágrafo 6º do artigo 12 da Lei 8.212 /91, com a redação dada pela Lei 9.876 /99, não possui nenhum vício a ensejar a inexigibilidade da contribuição, ma medida em que a declaração de inconstitucionalidade deu-se apenas em relação à alínea h introduzida pela Lei 9.506 /97, e não à alínea g, introduzida pela Lei 8.647 /93. VI - Os secretários municipais não são detentores de cargos eletivos e, ainda que recebam subsídios, são ocupantes de cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração, vinculados, portanto, ao Regime Geral de Previdência Social, conforme o artigo 40 , § 13 , da Constituição Federal , acrescentado pela Emenda Constitucional nº 20 /98, cuja constitucionalidade foi confirmada pelo julgamento da ADI 2024, em sessão realizada no dia 03/05/2007. VII - Apelação e remessa oficial e recurso adesivo improvidos.

Encontrado em: ***** LOSS-91 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART-12 LET-J PAR-6 LET-H...-2 PAR-4 ART-40 PAR-13 LEG-FED EMC-20 ANO-1998 ***** LOSS-91 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED...LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART-12 LET-J PAR-6 LET-H LET-G LEG-FED...

TRF-4 - AÇÃO RESCISORIA AR 25272 RS 2007.04.00.025272-0 (TRF-4)

JurisprudênciaData de publicação: 09/01/2008

AÇÃO RESCISÓRIA. ARTIGO 485 , V , DO CPC . AGENTES POLÍTICOS. MANDATO ELETIVO. SEGURADO OBRIGATÓRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL. ART. 12, I, 'H', D. LEI8.212 /91. LEI Nº 9.506 /97. VÍCIO FORMAL. CONTROLE DIFUSO. DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE. ART. 195 DA C.F. REDAÇÃO ANTERIOR À EC 20 /98. LEI Nº 10.887 /04. ALTERAÇÃO. EXIGIBILIDADE DO TRIBUTO. PRESCRIÇÃO. LC 118 /05. CORREÇÃO MONETÁRIA. CONSECTÁRIOS LEGAIS. RECONHECIMENTO DO PEDIDO. DISPENSA CONDENAÇÃO VERBA HONORÁRIA (ART. 19 , II , § 1º , LEI 10522 /02). 1. Declaração de inconstitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal na via incidental da alínea 'h', do inc. I, da Lei8.212 /91, introduzida pela Lei nº 9.506 /97. 2. A criação de nova figura de segurado obrigatório da Previdência Social somente poderia ter ocorrido por meio de lei complementar3. Os ocupantes de cargo eletivo qualificam-se como agentes políticos, não se enquadrando na categoria de trabalhador.4. Emenda Constitucional nº 20, de 16/12/98, alterou a redação do art. 195 , II , da Carta Magna conferindo validade à contribuição social incidente sobre os subsídios percebidos pelos exercentes de mandato eletivo, sem regime próprio de previdência.5. A partir da vigência da Lei nº 10.887/94, o tributo é plenamente exigível.6. A União manifestou expressamente a concordância com o pedido de rescisão e novo julgamento da causa, ensejando a procedência da rescisória.7. Em juízo rescisório, dá-se provimento ao apelo dos autores para o fim de declarar a inconstitucionalidade do art. 13 da Lei 9.506 /97, reconhecendo seu direito à restituição dos valores consignados no processo nº 98.0022512-9, de acordo com a documentação acostada aos autos, corrigidos monetariamente pela taxa SELIC, e nega-se provimento ao apelo do INSS e à remessa oficial.8. Tendo a ação tramitado perante a Justiça Federal, a União (Fazenda Nacional) está isenta do pagamento de custas, a teor do art. 4º , I , da Lei n.º 9.289 /96 ( Lei de Custas da Justiça Federal). Mas tal isenção não a exime de reembolsar as despesas judiciais feitas pela parte vencedora, nos termos do parágrafo único do mesmo artigo.9. Na ação rescisória, a teor do disposto no § 1º do inc. II do art. 19 da Lei 10.522 /02, resta afastada a condenação em honorários.10. Ação rescisória julgada procedente.

Encontrado em: 8212 ANO-1991 ART- 12 INC-1 LET- H LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 9506 ANO-1997 ART-...SUM-343 STF LEG-FED SUM-63 TRF-4R LOSS-91 LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART- 12 INC-1 LET- H LEI ORGÂNICA...DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 9506 ANO-1997 ART- 13 PAR-1 LEG-FED SUM-162 STJ LEG-FED LEI- 9250...

TRF-3 - APELAÇÃO CÍVEL AC 3889 MS 2005.60.00.003889-9 (TRF-3)

JurisprudênciaData de publicação: 29/04/2008

CONSTITUCIONAL. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. EXERCENTES DE MANDATO ELETIVO SEM REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA. LEI Nº 9.506 /97. EXIGIBILIDADE A PARTIR DA EDIÇÃO DA LEI 10.887 /2004. RESTITUIÇÃO. SECRETÁRIOS MUNICIPAIS. OCUPANTES EXCLUSIVAMENTE DE CARGOS EM COMISSÃO DE LIVRE NOMEAÇÃO E EXONERAÇÃO. ART 40 § 13 DA CF COM REDACAO DADA PELA EMENDA CONSTITUCIONAL 20 /98. LEIS 9.876 /99 E 8.647 /93. CONSTITUCIONALIDADE. I - A contribuição previdenciária dos detentores de mandato eletivo, introduzida pela Lei 9.506 /97, foi declarada inconstitucional pelo C. Supremo Tribunal Federal em sessão realizada no dia 08/10/2003 (RE nº 351.717/PR), tendo o Pretório Excelso considerado que, ao criar figura nova de segurado obrigatório, instituiu fonte nova de custeio da seguridade social, o que exige a técnica da competência residual da União Federal, devendo ser feita, portanto, apenas por lei complementar, tendo em vista o disposto nos artigos 154 , I , e 195 , II , e parágrafo 4º, da Constituição Federal , com redação anterior à Emenda 20 /98. II - Tendo em vista que a decisão do Supremo Tribunal Federal restringe-se ao período anterior à Emenda Constitucional 20 /98, que modificou a previsão constitucional da fonte de custeio da seguridade social, dando nova redação ao artigo 195 , II , da CF , e criando a expressão "demais segurados da previdência social", a lei complementar deixou de ser o veículo exigido para a criação da contribuição dos exercentes de mandato eletivo. III - Após a Emenda Constitucional nº 20 /98, foi editada a Lei 10.887 /2004, que repetiu o texto então declarado inconstitucional, ao introduzir a alínea j ao artigo 12 da Lei 8.212 /91, prevendo como segurado obrigatório da previdência social o exercente de mandato eletivo federal, estadual ou municipal, desde que não vinculado a regime próprio de previdência social. IV - O parágrafo 6º do artigo 12 da Lei 8.212 /91, com a redação dada pela Lei 9.876 /99, não possui nenhum vício a ensejar a inexigibilidade da contribuição, ma medida em que a declaração de inconstitucionalidade deu-se apenas em relação à alínea h introduzida pela Lei 9.506 /97, e não à alínea g, introduzida pela Lei 8.647 /93. V - Ss secretários municipais não são detentores de cargos eletivos e, ainda que recebam subsídios, são ocupantes de cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração, vinculados, portanto, ao Regime Geral de Previdência Social, conforme o artigo 40 , § 13 , da Constituição Federal , acrescentado pela Emenda Constitucional nº 20 /98, cuja constitucionalidade foi confirmada pelo julgamento da ADI 2024 , em sessão realizada no dia 03/05/2007. VI - A prescrição qüinqüenal, como causa de extinção do crédito tributário do artigo 156 , V , do CTN , tratando-se de parcelas referentes a contribuições sociais passíveis de auto-lançamento e, portanto, sujeitas à homologação, opera-se após cinco anos da homologação, a teor do artigo 168 , I c.c. 150 , § 4º , do CTN , devendo-se afastar o artigo 3º da Lei Complementar nº 118 /05, por se tratar de lei nova e não interpretativa. VII - Tendo em vista que a contribuição questionada refere-se à Lei nº 9.506 /97, que teve a exigibilidade suspensa até a edição da Lei 10.887 /2004, impõe-se manter a decisão de primeiro tal como proferida. VIII - Apelações do autor e do réu improvidas.

Encontrado em: ANO-1966 ART-156 INC-5 ART-168 INC-1 ART-150 PAR-4 ***** LOSS-91 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED...LEI- 8212 ANO-1991 ART-12 LET-J PAR-6 LEG-FED LEI- 9506 ANO-1997 LEG-FED EMC-20 ANO-1998 ***** CF-1988...-168 INC-1 ART-150 PAR-4 ***** LOSS-91 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART...

TRF-3 09/12/2020 - Pág. 1081 - Judicial I - Interior SP e MS - Tribunal Regional Federal da 3ª Região

Diários Oficiais08/12/2020Tribunal Regional Federal da 3ª Região
Contudo, com a edição da Lei8.212 /91, que trouxe nova normatização sobre a Seguridade Social e seu...REVOGAÇÃO PELA LEI8212 /91. RECURSO DESPROVIDO. 1. No entanto, com a edição da Lei8.212 /91, que trouxe nova normatização sobre a Seguridade Social...

TRF-3 30/08/2013 - Pág. 732 - Judicial I - Interior SP e MS - Tribunal Regional Federal da 3ª Região

Diários Oficiais30/08/2013Tribunal Regional Federal da 3ª Região
, inciso V, a; 25, incisos I e II, e do artigo 30 , IV e X , da Lei8.212 /91, afastando-se a exigência...V e VII , 25 , Inc. I e II e 30 , inc. IV , da Lei 8.212 /91, com a redação da Lei 9.528 /97....Mesmo se as bases de cálculo da COFINS e da contribuição prevista no art. 25 da Lei n. 8.212 /91 forem...

TRF-1 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA: AMS 5367

JurisprudênciaData de publicação: 26/09/2001

, alínea h, da Lei8.212 /91, com a nova redação dada pela Lei nº 9.506 /97, trata os agentes políticos...ART. 12, I, ‘H’, DA LEI8.212 /91. LEI 9.506 /97. CONSTITUCIONALIDADE....I , do artigo 12 , da Lei8.212 /91.

TRF-3 09/12/2020 - Pág. 1090 - Judicial I - Interior SP e MS - Tribunal Regional Federal da 3ª Região

Diários Oficiais08/12/2020Tribunal Regional Federal da 3ª Região
Contudo, com a edição da Lei n.º 8.212 /91, que trouxe nova normatização sobre a Seguridade Social e...REVOGAÇÃO PELA LEI8212 /91. RECURSO DESPROVIDO. 1. No entanto, com a edição da Lei8.212 /91, que trouxe nova normatização sobre a Seguridade Social...

TRF-3 22/04/2020 - Pág. 805 - Judicial I - Interior SP e MS - Tribunal Regional Federal da 3ª Região

Diários Oficiais22/04/2020Tribunal Regional Federal da 3ª Região
Contudo, coma edição da Lein.º 8.212/91, que trouxe nova normatização sobre a Seguridade Sociale seuPlano...V do art. 69 da Lei nº 3.807 /60, com redação dada pela Lei nº 6.886/80....nº 8.212 /91, que no § 5º de seu art. 28 passou a disciplinar integralmente a limitação do salário-de-contribuição...

TRF-3 - APELAÇÃO CÍVEL AC 33297 SP 2005.03.99.033297-0 (TRF-3)

JurisprudênciaData de publicação: 12/08/2008

PREVIDENCIÁRIO. APOSENTADORIA POR TEMPO DE SERVIÇO URBANO. CONTRIBUINTE INDIVIDUAL. BENEFÍCIO DEVIDO. 1. O segurado que efetua recolhimentos de contribuições sociais, na forma do art. 12, inciso V, letra h ou do art. 14 da Lei8.212 /91, deve ter seu tempo contributivo computado para efeitos de concessão de benefício previdenciário de aposentadoria por tempo de serviço. 2. Cumprida a carência e preenchidos os demais requisitos legais, o segurado faz jus à concessão da aposentadoria por tempo de serviço. 3. Preliminar rejeitada. Reexame necessário e apelação do INSS parcialmente providos.

Encontrado em: DÉCIMA TURMA LOSS-91 LEG-FED LEI- 8212 ANO-1991 ART- 12 INC-5 LET- H ART- 14 LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE...SOCIAL APELAÇÃO CÍVEL AC 33297 SP 2005.03.99.033297-0 (TRF-3) JUIZ CONVOCADO LEONEL FERREIRA

Conteúdo exclusivo para assinantes

Acesse www.jusbrasil.com.br/pro e assine agora mesmo