Art. 27, inc. II da Lei de Benefícios da Previdência Social em Todos os Documentos

Mais de 10.000 resultados
Ordenar Por

Inciso II do Artigo 27 da Lei nº 8.213 de 24 de Julho de 1991

Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências.
Art. 27. Para cômputo do período de carência, serão consideradas as contribuições:
II - realizadas a contar da data de efetivo pagamento da primeira contribuição sem atraso, não sendo consideradas para este fim as contribuições recolhidas com atraso referentes a competências anteriores, no caso dos segurados contribuinte individual, especial e facultativo, referidos, respectivamente, nos incisos V e VII do art. 11 e no art. 13. (Redação dada pela Lei Complementar nº 150, de 2015)

TRF-3 - APELAÇÃO/REMESSA NECESSÁRIA ApReeNec 00064036720124036103 SP (TRF-3)

JurisprudênciaData de publicação: 20/03/2019

CONSTITUCIONAL. PREVIDENCIÁRIO. APOSENTADORIA POR IDADE URBANA. INSCRIÇÃO NA PREVIDÊNCIA SOCIAL POSTERIOR A 24/07/1991. PERÍODOS CONSTANTES NO CNIS. RECOLHIMENTOS EM ATRASO. VEDADO SEU CÔMPUTO PARA FINS DE CARÊNCIA. ART. 27 , INC. II , DA LEI 8.213 /91. CARÊNCIA NÃO CUMPRIDA. BENEFÍCIO INDEFERIDO. APELAÇÃO DA AUTORA DESPROVIDA. 1 - A aposentadoria por idade urbana encontra previsão no caput do art. 48 da Lei nº 8.213 /91. O período de carência exigido é de 180 (cento e oitenta) contribuições mensais (art. 25 , II , da Lei nº 8.213 /91), observadas as regras de transição previstas no art. 142, da referida Lei, se for o caso. 2 - A autora nasceu em 19 de julho de 1943, tendo implementado o requisito etário em 19 de julho de 2003, quando completou 60 (sessenta) anos de idade. 3 - Como se depreende das informações constantes nos autos, não há documento que comprove que a autora estava inscrita na Previdência Social Urbana em data anterior a 24 de julho de 1991, ou estivesse coberta pela Previdência Social Rural, portanto, não poderá se valer da regra prevista no art. 142 da Lei 8.213 /91, devendo comprovar, ao menos, 180 (cento e oitenta) meses de contribuição. 4 - A controvérsia cinge-se aos períodos contributivos, cujos respectivos recolhimentos foram efetuados em atraso. 5 - É cediço que, para efeito de carência, somente poderão ser computadas as contribuições recolhidas a partir do pagamento da primeira parcela sem atraso, desconsiderando-se aquelas recolhidas com atraso, relativas às competências anteriores, a teor do que preceitua o artigo 27, inciso II, da Lei de Benefícios. 6 - Sendo assim, as contribuições recolhidas em atraso, anteriores à primeira recolhida no prazo, devem ser desconsideradas para cômputo da carência e, em relação àquelas vertidas após a primeira, somente devem ser levadas em conta desde que não tenha o segurado perdido tal qualidade. 7 - Ante a desconsideração de tais contribuições, verifica-se que o autor não preencheu a carência necessária para a obtenção do benefício vindicado, sendo, pois, de rigor o indeferimento da sua concessão. 8 - Remessa necessária e apelação da autora desprovidas.

TRF-3 27/01/2015 - Pág. 2195 - Judicial I - TRF - Tribunal Regional Federal da 3ª Região

Diários Oficiais27/01/2015Tribunal Regional Federal da 3ª Região
DE BENEFÍCIOS ART. 39, INC I E II DA LEI 8.213/91). nº 12.873, de 2013) II - dos benefícios especificados nesta Lei, observados os critérios e a forma de...cálculo estabelecidos, d esde que contribuam facultativamente para a Previdência Social, na forma estipulada...

TJ-SC - Apelação Cível AC 150193 SC 2010.015019-3 (TJ-SC)

JurisprudênciaData de publicação: 08/09/2010

PREVIDENCIÁRIO. AUXÍLIO-DOENÇA. REVISÃO DO BENEFÍCIO. INAPLICABILIDADE DO ART. 32 DO DECRETO N. 3.048 /99. NORMA DE CARÁTER REGULAMENTAR. PREVALÊNCIA DO ART. 29 , INC. II , DA LEI 8.213 /91. RECURSO DESPROVIDO. "O Decreto n. 3.048 /99 tem a função de meramente regulamentar as questões relativas ao Regime Geral da Previdência Social nos termos fixados por lei, como, na espécie, a Lei n. 8.213 /91. Ao perder a simetria, sua aplicação não é mais admitida, prestigiando-se a exegese estabelecida pelo legislador ordinário (Ap. Cív. n. , Rel. Des. Francisco Oliveira Filho)". (AC Rel. Des. Vanderlei Romer. 27-2-08).

Encontrado em: . , de Blumenau Apelante: Instituto Nacional do Seguro Social - INSS.

TJ-SC - Apelação Cível AC 237361 SC 2010.023736-1 (TJ-SC)

JurisprudênciaData de publicação: 16/06/2010

PREVIDENCIÁRIO. AUXÍLIO-DOENÇA. REVISÃO DO BENEFÍCIO. INAPLICABILIDADE DO ART. 32 DO DECRETO N. 3.048 /99. NORMA DE CARÁTER REGULAMENTAR. PREVALÊNCIA DO ART. 29 , INC. II , DA LEI 8.213 /91. RECURSO DESPROVIDO. "O Decreto n. 3.048 /99 tem a função de meramente regulamentar as questões relativas ao Regime Geral da Previdência Social nos termos fixados por lei, como, na espécie, a Lei n. 8.213 /91. Ao perder a simetria, sua aplicação não é mais admitida, prestigiando-se a exegese estabelecida pelo legislador ordinário (Ap. Cív. n. , Rel. Des. Francisco Oliveira Filho)". (AC Rel. Des. Vanderlei Romer. 27-2-08).

Encontrado em: . , de Blumenau Apelante: Instituto Nacional do Seguro Social - INSS.

TJ-SC - Apelação Cível AC 238909 SC 2010.023890-9 (TJ-SC)

JurisprudênciaData de publicação: 16/06/2010

PREVIDENCIÁRIO. AUXÍLIO-DOENÇA. REVISÃO DO BENEFÍCIO. INAPLICABILIDADE DO ART. 32 DO DECRETO N. 3.048 /99. NORMA DE CARÁTER REGULAMENTAR. PREVALÊNCIA DO ART. 29 , INC. II , DA LEI 8.213 /91. RECURSO DESPROVIDO. "O Decreto n. 3.048 /99 tem a função de meramente regulamentar as questões relativas ao Regime Geral da Previdência Social nos termos fixados por lei, como, na espécie, a Lei n. 8.213 /91. Ao perder a simetria, sua aplicação não é mais admitida, prestigiando-se a exegese estabelecida pelo legislador ordinário (Ap. Cív. n. , Rel. Des. Francisco Oliveira Filho)". (AC Rel. Des. Vanderlei Romer. 27-2-08).

Encontrado em: . , de Blumenau Apelante: Instituto Nacional do Seguro Social - INSS.

TJ-SC - Apelação Cível AC 362183 SC 2010.036218-3 (TJ-SC)

JurisprudênciaData de publicação: 29/09/2010

PREVIDENCIÁRIO. AUXÍLIO-DOENÇA. REVISÃO DO BENEFÍCIO. INAPLICABILIDADE DO ART. 32 DO DECRETO N. 3.048 /99. NORMA DE CARÁTER REGULAMENTAR. PREVALÊNCIA DO ART. 29 , INC. II , DA LEI 8.213 /91. RECURSO DESPROVIDO. "O Decreto n. 3.048 /99 tem a função de meramente regulamentar as questões relativas ao Regime Geral da Previdência Social nos termos fixados por lei, como, na espécie, a Lei n. 8.213 /91. Ao perder a simetria, sua aplicação não é mais admitida, prestigiando-se a exegese estabelecida pelo legislador ordinário (Ap. Cív. n. , Rel. Des. Francisco Oliveira Filho)". (AC Rel. Des. Vanderlei Romer. 27-2-08).

Encontrado em: . , de Criciúma Apelante: Instituto Nacional do Seguro Social - INSS.

TJ-SC - Apelação Cível AC 718122 SC 2010.071812-2 (TJ-SC)

JurisprudênciaData de publicação: 07/12/2010

AUXÍLIO-DOENÇA. REVISÃO DO BENEFÍCIO. INAPLICABILIDADE DO ART. 32 , § 20 , DO DECRETO N. 3.048 /99. NORMA DE CARÁTER REGULAMENTAR. PREVALÊNCIA DO ART. 29 , INC. II , DA LEI 8.213 /91. RECURSO PROVIDO. "O Decreto n. 3.048 /99 tem a função de meramente regulamentar as questões relativas ao Regime Geral da Previdência Social nos termos fixados por lei, como, na espécie, a Lei n. 8.213 /91. Ao perder a simetria, sua aplicação não é mais admitida, prestigiando-se a exegese estabelecida pelo legislador ordinário" (Ap. Cív. n. , Rel. Des. Francisco Oliveira Filho). (AC n. Rel. Des. Vanderlei Romer. 27-2-08).

Encontrado em: Apelado: Instituto Nacional do Seguro Social - INSS Apelação Cível AC 718122 SC 2010.071812-2 (TJ-SC)

TJ-RS - Apelação Cível AC 70054765573 RS (TJ-RS)

JurisprudênciaData de publicação: 05/09/2013

AÇÃO ACIDENTÁRIA. TRABALHADOR RURAL. SEGURADO ESPECIAL. RECEBIMENTO DE AUXÍLIO-ACIDENTE. CONTRIBUIÇÕES FACULTATIVAS. NECESSIDADE. Ao recebimento do benefício de auxílio-acidente, cumpre ao trabalhador rural, enquanto segurado especial, comprovar o exercício da atividade rural, os pressupostos do art. 86 da Lei n.º 8.213 /1991 e o recolhimento da contribuição mensal facultativa à Previdência Social, conforme expressa previsão do art. 11 , inc. VII , c/c o art. 39 , inc. II , ambos da LBPS . Precedentes desta Corte e do STJ. APELO DESPROVIDO. UNÂNIME. (Apelação Cível Nº 70054765573, Décima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jorge Alberto Schreiner Pestana, Julgado em 27/06/2013)

TJ-RS - Apelação Cível AC 70054755392 RS (TJ-RS)

JurisprudênciaData de publicação: 04/09/2013

AÇÃO ACIDENTÁRIA. TRABALHADOR RURAL. SEGURADO ESPECIAL. RECEBIMENTO DE AUXÍLIO-ACIDENTE. CONTRIBUIÇÕES FACULTATIVAS. NECESSIDADE. Ao recebimento do benefício de auxílio-acidente, cumpre ao trabalhador rural, enquanto segurado especial, comprovar o exercício da atividade rural, os pressupostos do art. 86 da Lei n.º 8.213 /1991 e o recolhimento da contribuição mensal facultativa à Previdência Social, conforme expressa previsão do art. 11 , inc. VII , c/c o art. 39 , inc. II , ambos da LBPS . NEGARAM PROVIMENTO À APELAÇÃO. UNÂNIME. (Apelação Cível Nº 70054755392, Décima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jorge Alberto Schreiner Pestana, Julgado em 27/06/2013)

TJ-RS - Apelação Cível AC 70054144704 RS (TJ-RS)

JurisprudênciaData de publicação: 05/09/2013

AÇÃO ACIDENTÁRIA. TRABALHADOR RURAL. SEGURADO ESPECIAL. RECEBIMENTO DE AUXÍLIO-ACIDENTE. CONTRIBUIÇÕES FACULTATIVAS. NECESSIDADE. Ao recebimento do benefício de auxílio-acidente, cumpre ao trabalhador rural, enquanto segurado especial, comprovar o exercício da atividade rural, os pressupostos do art. 86 da Lei n.º 8.213 /1991 e o recolhimento da contribuição mensal facultativa à Previdência Social, conforme expressa previsão do art. 11 , inc. VII c/c o art. 39 , inc. II , ambos da LBPS . NEGARAM PROVIMENTO À APELAÇÃO. UNÂNIME. (Apelação Cível Nº 70054144704, Décima Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jorge Alberto Schreiner Pestana, Julgado em 27/06/2013)

Conteúdo exclusivo para assinantes

Acesse www.jusbrasil.com.br/pro e assine agora mesmo