Algoritmos em Todos os documentos

Mais de 10.000 resultados

Jurisprudência que cita Algoritmos

  • TRT-18 - XXXXX20225180000

    Jurisprudência • Acórdão • 

    MANDADO DE SEGURANÇA. UBER DO BRASIL TECNOLOGIA LTDA. PROVA PERICIAL PARA ANÁLISE DO SISTEMA COMPUTACIONAL/ALGORITMO DE PROPRIEDADE DA IMPETRANTE COM O OBJETIVO DE VERIFICAR A EXISTÊNCIA DE SUBORDINAÇÃO NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. "Admitida a prestação do serviço, o ônus da prova da natureza da relação jurídica diversa do vínculo de emprego recai sobre a reclamada, de modo que, em exame perfunctório, não se revela razoável e necessária a produção de prova pericial com acesso ao algoritmo da plataforma digital da Requerente, que constitui consabido segredo de negócio. Ressalte-se que acesso ao algoritmo, mesmo que restrito às partes do processo possui grande repercussão, uma vez que se trata da revelação de toda a plataforma de informática, inclusive com relação a pontos de atuação e os locais de ponto, bem como a identificação das correlações de dados de inteligência utilizados pela empresa. (...) Oportuno registrar que o art. 195 , XI e XII , da Lei nº 9.279 /1996 ( Lei da Propriedade Industrial ), ao definir como crime a divulgação, a exploração ou a utilização, sem autorização, de conhecimentos, informações ou dados confidenciais, utilizáveis na indústria, comércio ou prestação de serviços, revela que o ordenamento jurídico protege os chamados 'trade secrets', situação que ganha relevo na atualidade em que se proliferam plataformas digitais que disponibilizam serviços em cujo algoritmo repousa sua nota diferencial concorrencial, razão pela qual consistem em dados sigilosos que não se mantêm intactos apenas com a atribuição do segredo de justiça. Dessa forma, o deferimento de produção de prova técnica com acesso ao algoritmo da Requerente para a demonstração de vínculo de emprego específico de um trabalhador configura situação extrema e excepcional e com aptidão para produzir lesão de difícil reparação, razão pela qual se impõe o deferimento da liminar com amparo no art. 13, parágrafo único, do Regimento Interno da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho." (Correição Parcial no XXXXX-87.2022.5.00.0000 , Ministro Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho, Guilherme Augusto Caputo) Mandado de Segurança que se concede para cassar a decisão impugnada. (TRT18, MSCiv - XXXXX-10.2022.5.18.0000 , Rel. ELVECIO MOURA DOS SANTOS, TRIBUNAL PLENO, 20/08/2022)

  • TST - RR XXXXX20225120061

    Jurisprudência • Acórdão • 

    I - AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. SUMARÍSSIMO. LEI Nº 13.467 /2017. RECLAMANTE . TRANSCENDÊNCIA. VÍNCULO DE EMPREGO. CARACTERIZAÇÃO. MOTORISTA. TRANSPORTE VIA APLICATIVO. PLATAFORMA DIGITAL. SUBORDINAÇÃO JURÍDICA POR MEIOS TELEMÁTICOS OU INFORMATIZADOS (ALGORITMOS). 1 - Há transcendência jurídica quando se constata em exame preliminar discussão a respeito de questão nova, ou em vias de construção jurisprudencial, na interpretação da legislação trabalhista. 2 - Aconselhável o provimento do agravo de instrumento, para determinar o processamento do recurso de revista, em razão da provável violação dos arts. 1º, III e IV, e 7º, caput , da Constituição Federal . 3 - Agravo de instrumento a que se dá provimento . II - RECURSO DE REVISTA. SUMARÍSSIMO. LEI Nº 13.467 /2017. RECLAMANTE. VÍNCULO DE EMPREGO. CARACTERIZAÇÃO. MOTORISTA. TRANSPORTE VIA APLICATIVO. PLATAFORMA DIGITAL. SUBORDINAÇÃO JURÍDICA POR MEIOS TELEMÁTICOS OU INFORMATIZADOS (ALGORITMOS). 1 - Para verificar a configuração de vínculo empregatício deve-se aferir - independentemente da atividade exercida pelo empregador ou pela forma de gestão adotada pela empresa - a presença dos elementos caracterizadores do vínculo de emprego: prestação de trabalho por pessoa física, com pessoalidade pelo trabalhador, não eventualidade (ou habitualidade), com subordinação e onerosidade. 2 - Quando se trata de trabalho efetuado com a intermediação de plataformas digitais, é simples a aferição dos critérios da prestação de trabalho por pessoa física e com onerosidade. No que tange à pessoalidade, faz-se necessário verificar se o trabalhador, em relação à plataforma digital, é infungível ou se há autorização para que se faça substituir livremente por outra pessoa. 3 - Para que o labor por meio de plataformas digitais seja considerado eventual - logo, sem habitualidade - , é imprescindível que o trabalho seja prestado como consequência de circunstâncias incertas ou imprevistas. Se, ao contrário, o trabalho é prestado como resultado de cenários previstos contratualmente pelas partes, que previamente acordaram a prestação do serviço sem expectativa de que ela cesse definitivamente, conclui-se que tal trabalho é exercido de forma não eventual. Afinal, a habitualidade não é definida somente pelo tempo de duração do trabalho ou pela quantidade de dias laborados ao longo da vigência do contrato, mas, sim, pela causa do trabalho, a qual resulta do interesse das partes pactuantes. Nessa linha, o art. 452-A , §§ 1º e 2º, da CLT faculta ao empregador definir os períodos de atividade do empregado intermitente, o que lhe outorga flexibilidade para organizar os fatores de produção de sua atividade empresária, sem que isso lhe enquadre como trabalhador eventual. 4 - Já no que diz respeito à subordinação, a relação de emprego é caracterizada pela contraposição entre o poder de comando do empregador (para organizar, dirigir e disciplinar a prestação dos serviços) e a subordinação do empregado (que deve observar as instruções do empregador quanto à forma como lhe presta serviços). Essa contraposição origina a espécie denominada subordinação jurídica . 5 - Ressalta-se que é irrelevante, para a configuração da subordinação jurídica, que o trabalho realizado seja controlado ou supervisionado pela pessoa física do empregador ou de seus prepostos. Com a evolução tecnológica e a possibilidade de realização do trabalho fora da sede do empregador, a CLT passou a prever expressamente a subordinação jurídica verificada por meio de meios telemáticos ou informatizados de controle e supervisão (art. 6º , parágrafo único , da CLT ). 6 - Nessa linha, tem-se o algoritmo, que é um meio informatizado, definido pelo art. 3º, I, da Resolução n. 332 /2020 do CNJ , como "sequência finita de instruções executadas por um programa de computador, com o objetivo de processar informações para um fim específico". As instruções nas quais se pautam a programação de um algoritmo de aplicativo de transporte não são originalmente criadas pelo próprio modelo de inteligência artificial, mas, sim, pelo sujeito que o elaborou, que determinará as instruções de acordo com sua finalidade. 7 - Como os algoritmos de aplicativos de transporte destinam-se, por natureza e finalidade próprias, a atender a instruções previamente definidas pelo gestor do modelo de inteligência artificial que os processará, é inequívoco o exercício, das empresas que realizam a gestão de trabalho por meio de plataformas digitais, do poder de organização , já que predefine as variáveis relevantes à execução dos serviços de transporte. Em razão da adaptabilidade do algoritmo como elemento operável para o fim da organização e da direção do trabalho alheio, o método adotado pela reclamada origina verdadeiro algoritmo de plataformas de transporte. Trata-se de um mecanismo construído inequivocamente com a finalidade de organizar e dirigir a prestação de serviços de transporte por motoristas, por intermédio de aplicativo acessado por usuários que conhecem a finalidade básica da respectiva plataforma, e nela depositam confiança, exatamente, pelo fato de ser submetida a diretrizes estabelecidas pela empresa que lhe empresta o nome. 8 - Da subordinação jurídica extrai-se o "poder de comando" do empregador que, em sua integralidade, contemplam o poder de organização, direção e disciplina do trabalho alheio, de maneira a orientar os trabalhadores a prestar os serviços de maneira condizente com os limites regulamentares - e, nas plataformas de trabalho, com os algoritmos orientadores - estipulados unilateralmente pela reclamada e aceitos em contrato de adesão pelo reclamante. 9 - Cabe ressaltar que a subordinação clássica e a "subordinação algorítmica", embora cumuláveis, não se confundem. Esta última consiste em classificação moderna do instituto da subordinação que não se deve ao fundamento da existência da subordinação (o contrato, na subordinação jurídica; o patrimônio, na econômica; o conhecimento, na técnica), mas, sim, à forma de exercício do poder de comando pelo empregador . 10 - Não afasta a subordinação jurídica a possibilidade de o empregado recusar determinadas corridas, ou cancelar corridas inicialmente aceitar por ele por meio da plataforma digital. Afinal, o ordenamento jurídico vigente contém previsão expressa, direcionada ao trabalho intermitente (que é formalizado mediante relação de emprego), no art. 452-A , § 3º, da CLT , de que a recusa de determinado serviço não descaracteriza, por si só, a subordinação . Logo, se a recusa de uma oferta diretamente oriunda do empregador não é suficiente a descaracterizar o requisito da subordinação, de acordo com a lei, no caso da recusa se direcionar à plataforma digital tampouco afasta a subordinação, especialmente quando os algoritmos programados pelo próprio empregador já admitem e preveem a possibilidade de recusa ou cancelamento de um serviço pelo motorista. 11 - É importante notar, ademais, que a possibilidade do trabalhador se vincular a mais de uma plataforma digital para exercer a mesma atividade ou de realizar outra atividade econômica, paralelamente à prestação de serviços por meio de aplicativos, não afasta a subordinação jurídica, uma vez que a exclusividade não é um requisito da relação de emprego, tampouco da subordinação jurídica. 12 - A controvérsia sobre o vínculo de emprego de trabalhadores que prestação serviços por meio de plataformas digitais não é um debate observado tão somente no Brasil. A Comissão Europeia anunciou, em 9/12/2021, proposta de diretiva destinada a assegurar condições dignas aos trabalhadores que prestam serviços mediante plataformas digitais. 13 - Nessa mesma linha, o Tribunal Distrital de Amsterdã (Holanda) manifestou o entendimento de que a liberdade relativa assegurada aos motoristas não impede a configuração de "contrato de trabalho" (naquele ordenamento, equivalente ao contrato empregatício brasileiro). Ainda, a Corte Superior de competência trabalhista da Alemanha também conserva predominante jurisprudência no sentido de que os motoristas de aplicativos são empregados. Na mesma linha, na Bélgica , a Comissão Administrativa de regulamentação da relação de trabalho entendeu que "tais organizações de trabalho obrigam o motorista a fornecer uma prestação inteiramente padronizada e são incompatíveis com a qualificação de relação de trabalho independente". No Uruguai , o Tribunal de Apelaciones del Trabajo , em junho de 2020, manteve sentença que reconhecia como empregado motorista de aplicativos. Em relação aos entregadores, há decisões reconhecendo o vínculo empregatício no Tribunal de Apelação do Chile e na Fair Work Comission na Austrália. Além disso, o Exmo. Ministro Mauricio Godinho Delgado, no julgamento do RR-XXXXX-02.2017.5.01.0066 (3ª Turma, DEJT 11/04/2022), cita julgados da Corte de Cassação francesa, Tribunal Superior de Justiça de Madri, Suprema Corte da Califórnia e decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia. 14 - No Tribunal Superior do Trabalho, já há julgados reconhecendo o vínculo de emprego no serviço prestado por meio de plataformas digitais da 3ª, 6ª e 8ª Turmas. 15 - Diante desse contexto - e considerando ser incontroversa a prestação de serviços - cabia à reclamada o ônus de demonstrar que o trabalho tenha sido prestado de maneira não subordinada, ou de forma desacompanhada de algum dos demais elementos fático-jurídicos da relação de emprego, por se tratar de fato impeditivo do direito do reclamante (art. 818 , II, CLT ). 16 - No caso dos autos , ficou consignado pelo Regional (fl. 1168) que o reclamante prestou serviços de forma pessoal. A reclamada exigiu que o reclamante enviasse dados pessoais e efetuasse a prévia realização de cadastro, a fim de obter autorização pessoal para laborar em conexão à plataforma digital por mantida e organizada pela reclamada. Além disso, não há qualquer registro fático de que o reclamante poderia se fazer substituir por outra pessoa no exercício de seu labor. Logo, é presente o requisito da pessoalidade. 17 - É também incontroverso (art. 374 , III , CPC ), o fato de o reclamante ter prestado serviços com o intuito de obter pagamento em dinheiro . Foi consignado pelo Regional (fls. 1167-1168) que as corridas eram pagas pelo passageiro de acordo com os valores unilateralmente fixados pela reclamada. Logo, é presente o requisito da onerosidade. 18 - A não eventualidade, em primeiro momento, não foi reconhecida pelo Regional sob o argumento de que o reclamante tinha flexibilidade para determinar os horários de início e término de sua jornada, bem como a duração concernente: a carga horária de cada dia era definida pelo próprio reclamante. Contudo, tal circunstância fática consignada pelo Regional, por si só, não é apta a afastar a presença da habitualidade na prestação dos serviços. 19 - No caso concreto, a causa do trabalho do reclamante é a existência de contrato previamente celebrado entre as partes, a fim de que o reclamante, no momento em que sentir necessário, inicie ou termine a prestação laboral. Ademais, a manutenção de cadastro pela reclamada e sua contínua fiscalização dos serviços prestados (por meio de controle de avaliações lançadas ao aplicativo) viabiliza a conclusão de que tal prestação laboral era permanentemente tutelada pelas partes. Não significa que o labor houvesse de ser contínuo, mas, sim, que a relação jurídica contratual mantida entre as partes era contínua (não há consignação fática de que o termo final era um elemento acidental do negócio jurídico celebrado). Portanto, é presente, também, o requisito da habitualidade (não eventualidade). 20 - É incontroversa (art. 374 , III , CPC ) a existência de prévia relação contratual entre as partes, formada especificamente para que o reclamante passasse a prestar os serviços como motorista em favor dos clientes que acessavam o aplicativo, administrado e organizado pela reclamada, em busca de transporte para a localidade de seu desejo. Portanto, era factualmente possível a existência de contraposição entre um "poder de comando" (organização, direção e disciplina do trabalho a cargo do credor da obrigação de fazer) e "subordinação jurídica" (acatamento da forma de execução da obrigação de fazer pelo seu devedor). 21 - O TRT consignou (fls. 1169-1170) que a reclamada estipulou regras procedimentais para que o reclamante, na condição de motorista, prestasse o serviço de transporte aos clientes do aplicativo por ela gerenciado. Ademais, a reclamada exigia do reclamante, como motorista, a obediência a determinadas diretrizes para a prestação dos serviços de transporte (fl. 1170) e, ainda, à fl. 1169, o Regional consignou que a ausência de observância das diretrizes e dos procedimentos (regulamentos) estabelecidos pela reclamada acarretava a aplicação de sanções aos motoristas, como o reclamante. Presente, portanto, a subordinação jurídica. 22 - Recurso de revista de que se conhece e a que se dá provimento.

  • TJ-MG - Agravo de Instrumento-Cv: AI XXXXX05976319001 MG

    Jurisprudência • Acórdão • 

    EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE TUTELA ANTECIPADA EM CARÁTER ANTECEDENTE - PERDA DE OBJETO - NÃO OCORRÊNCIA - WHATSAPP E FACEBOOK - GRUPO ECONÔMICO - BANIMENTO - BLOQUEIO DE CONTA EM APLICATIVO - COMUNICAÇÃO PRÉVIA FUNDAMENTADA - NECESSIDADE - DIREITO DO CONSUMIDOR - ALTERNATIVIDADE DA CLÁUSULA RESOLUTIVA DO CDC - DEVER DE INFORMAÇÃO - CONTRADITÓRIO - AMPLA DEFESA - LIBERDADE DE EXPRESSÃO E COMUNICAÇÃO - AMBIENTE VIRTUAL - TROCA DE DADOS - LEI 12.965 /2014 - MARCO CIVIL DA INTERNET - EFICÁCIA IMEDIATA E HORIZONTAL DOS DIREITOS HUMANOS - MÁQUINAS - ALGORITMOS - INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL - RESPONSABILIDADE DA EMPRESA PELAS DECISÕES E CONSEQUÊNCIAS - TUTELA ANTECIPADA DE URGÊNCIA - REQUISITOS PREENCHIDOS. Sendo frágeis as provas apresentadas em face da abrangência do objeto da demanda atinente à disponibilidade de conta em aplicativo, não ocorre perda de objeto. Constatados a probabilidade do direito e o perigo de dano (art. 300 do CPC ), não se mostra razoável o banimento de conta em aplicativo, sendo assegurado ao usuário o direito de apresentar defesa à empresa que faz parte do mesmo grupo financeiro e tem ingerência sobre o aplicativo, sem representação institucional no Brasil, de modo a evitar, em sede de tutela antecipada, prejuízo ao consumidor. Uma vez que o uso de recursos digitais de comunicação e de compartilhamento de dados tornou-se imprescindível no ambiente social, profissional e político, torna-se necessário imprimir coerência às relações jurídicas privadas modernas por meio da adoção de valores constitucionais, em conformidade com a eficácia imediata e horizontal dos direitos humanos, de modo a impedir que empresas de tecnologia, por meio de algoritmos, máquinas e inteligência artificial, violem princípios da Constituição da Republica e normas nacionais, em especial as dispostas no Marco Civil da Internet e no Código de Defesa do Consumidor .

Modelos que citam Algoritmos

Diários Oficiais que citam Algoritmos

  • RPI 02/01/2024 - Pág. 766 - Marcas - Revista da Propriedade Industrial

    Diários Oficiais • 01/01/2024 • Revista da Propriedade Industrial

    ; SOFTWARE E ALGORITMO DE CONTROLE DE OPERAÇÃO INDUSTRIAL; SOFTWARE E ALGORITMO PARA CRIAÇÃO DE BASES DE DADOS DE BUSCA DE INFORMAÇÕES E DADOS; SOFTWARE E ALGORITMO PARA APLICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE BASES... PARA PESQUISA DE DADOS; SOFTWARE E ALGORITMO DE GERENCIAMENTO DE CROSSRANK BASE DADOS; SOFTWARE E ALGORITMO DE ARMAZENAMENTO AUTOMÁTICO DE DADOS; SOFTWARE DE ENGENHARIA DE SOFTWARE ASSISTIDO POR COMPUTADOR... DE DADOS; PROGRAMAS DE COMPUTADOR E ALGORITMO PARA PESQUISA, INDEXAÇÃO, FILTRAGEM E RECUPERAÇÃO DE DADOS; SERVIDORES DE BASES DE DADOS

  • TST 19/12/2023 - Pág. 2600 - Judiciário - Tribunal Superior do Trabalho

    Diários Oficiais • 18/12/2023 • Tribunal Superior do Trabalho

    Em razão da adaptabilidade do algoritmo como elemento operável para o fim da organização e da direção do trabalho alheio, o método adotado pela reclamada origina verdadeiro algoritmo de plataformas de... Nessa linha, tem-se o algoritmo, que é um meio informatizado, definido pelo art. 3º, I, da Resolução n. 332 /2020 do CNJ , como "sequência finita de instruções executadas por um programa de computador... A programação de algoritmos, em comparação com as demais formas de exercício do poder de comando no "mundo analógico" (em que a organização e a direção do trabalho são realizadas mediante ordens escritas

  • DOU 14/12/2023 - Pág. 104 - Seção 3 - Diário Oficial da União

    Diários Oficiais • 13/12/2023 • Diário Oficial da União

    Algoritmos de ordenação em memória primária e secundária. Grafos: representação, terminologia, operações em grafos, algoritmos de algoritmo guloso, backtracking e branch and bound... Análise de Algoritmos: notação assintótica, complexidade de tempo e espaço, fórmulas de recorrência. de Algoritmos: classes P, NP, Co-NP, NP-completo, transformações polinomiais, algoritmos ANEXO III 1... Computação Adjunto-A Dedicação Exclusiva Graduação em Ciência da Computação, Engenharia Elétrica, Engenharia Eletrônica, Engenharia Computação Teórica e Algoritmo Algoritmos Criptográficos; Complexidade

Peças Processuais que citam Algoritmos

  • Petição Inicial - TJSP - Ação Execução Fiscal em Face: Código: XXXXX Inscrição: XXXXX00000026750 Número Crj: XXXXX Proprietário: Algoritmo S/C Ltda

    Peça Processual • juntada ao processo XXXXXXX-XX.2020.8.26.0462 em 29/10/2020 • TJSP · Comarca · Foro de Poá, SP

    judicial que esta subscreve, vem, com fundamento na Lei Federal nº 6.830 de 22 de setembro de 1980, ajuizar a presente execução fiscal em face: Código: Inscrição: Número CRJ: XXXXX Proprietário: ALGORITMO

  • Petição Inicial - TJMG - Ação Peça Recursal. do Mérito o Contrato Digital é Celebrado em Ambiente Criptografado e as Informações Pessoais são Validadas por Algoritmo de Segurança - [Cível] Procedimento do Juizado Especial Cível - contra Select Cred Consultoria

    Peça Processual • juntada ao processo XXXXXXX-XX.2022.8.13.0106 em 24/01/2023 • TJMG · Comarca · Cambuí, MG

    O sistema DataValid é fundamentado em um avançado algoritmo de reconhecimento facial desenvolvido pelo Massachusetts Institute of Technology - MIT e emprega imagens existentes em banco de dados oficiais... O meio para atestar a autenticidade e validade deste negócio jurídico é uma plataforma eletrônica mantida pelo banco réu, a qual foi criada utilizando o que há de mais inovador em algoritmos de reconhecimento... DO MÉRITO O CONTRATO DIGITAL É CELEBRADO EM AMBIENTE CRIPTOGRAFADO E AS INFORMAÇÕES PESSOAIS SÃO VALIDADAS POR ALGORITMO DE SEGURANÇA: De início, necessário informar a este juízo que a contratação do empréstimo

  • Manifestação - TRT15 - Ação Reconhecimento de Relação de Emprego - Atsum - contra Buser Brasil Tecnologia

    Peça Processual • juntada ao processo XXXXXXX-XX.2023.5.15.0138 em 25/07/2023 • TRT15 · 2ª Vara do Trabalho de Jacareí

    usp=drive_link • Arquivo "PRINTS WHATSAPP GRUPO GERAL", código hash em algoritmo "SHA3 512": em algoritmo "SHA3 512": • Arquivo "PRINTS WHATSAPP GRUPO GERAL", código hash em algoritmo "SHA3 512": em algoritmo... informações dos documentos juntados com a inicial, sendo a conversa exportada do Whatsapp , bem como, as imagens das conversas, com seus devidos códigos hash: • Arquivo "chat.txt", código hash em algoritmo

Artigos que citam Algoritmos

  • Algoritmos Discriminatórios

    Primeiramente, o que é um algoritmo? De forma simplificada, algoritmo é uma sequência de passos bem definidos para executar uma determinada tarefa ou resolver um problema... Podemos imaginar um exemplo de algoritmo treinado a partir de dados enviesados... Esses dados utilizados no treinamento do algoritmo podem gerar muitos problemas

  • Explicando algoritmos

    e implementam os algoritmos... sistemas baseados em algoritmos... Auditar algoritmos é o processo de revisar e analisar os algoritmos usados em sistemas de software para garantir sua transparência, imparcialidade, ética e conformidade com padrões e regulamentos específicos

  • Algoritmos: o que podem fazer?

    Riscos do algoritmo... Algoritmo governa seu libre arbítrio... Base de dados do algoritmo

Notícias que citam Algoritmos

  • Desvendando o Shadowban: Quando o Algoritmo Falha.

    O Shadowban: Você sabia que ele pode acontecer devido a uma falha no algoritmo... de manipular os resultados e, consequentemente, resultar em Shadowban. ➡️ Casos de Falha do Algoritmo É importante destacar que, em alguns casos, o algoritmo pode interpretar erroneamente uma postagem... Existem diversos motivos que podem levar ao Shadowban devido a uma falha no algoritmo da rede social

  • O algoritmo é o novo Doutor

    O Algoritmo é o novo Doutor. Qual será o espaço que sobra ao exercício da advocacia como a conhecemos?

  • Algoritmos & Educação

    Se atualmente os professores têm problemas de deter a concentração do estudante tendo em vista as tecnologias, a AltSchool é a prova que se juntarmos tecnologia, algoritmos e inteligência artificial podemos

Doutrina que cita Algoritmos

  • Encontrados nesta obra:

  • Capa

    Litigation 4.0 - Ed. 2021

    2021 • Editora Revista dos Tribunais

    Marcílio Henrique Guedes Drummond, Isabella Fonseca Alves, Bruno Feigelson, Daniel Becker e Marco Antonio Rodrigues

    Encontrados nesta obra:

  • Capa

    Inteligência Artificial e Direito: Ética, Regulação e Responsabilidade

    2020 • Editora Revista dos Tribunais

    Ana Frazão, Caitlin Mulholland e Carolina Braga

    Encontrados nesta obra: