psicologia em Todos os Documentos

Mais de 10.000 resultados
Ordenar Por

Acupuntura e a prática da Psicologia

Artigos21/04/2021Paulo Pedro P. R. Costa
(Oliveira, 2013) Psicologia clínica....clínica; psicoterapia institucional; psicologia analítica e psicologia individual)....Id on line , Revista de Psicologia. Ano 7 n 20, julho e 2013 TEITELBAUM, Philip. Psicologia fisiológica. RJ: Zahar, 1969 PAILLARD, Jacques.

Direito e Psicologia

Artigos03/05/2020Vitória Alves
Nesse sentido, a Psicologia, segundo Leal (2008), emerge em meados de 1868 a partir da publicação do livro Psicologia Natural do médico francês Prosper Despine....Considera-se Despine como o fundador da Psicologia Criminal e, a partir disso, nota-se uma série de ramificações da Psicologia Jurídica, a saber: a Psicologia Forense, Criminal e Judiciária; Psicologia...Esse foi um resumo de uma das matérias que mais me marcaram na faculdade: Psicologia Jurídica. Compreendi com essa disciplina a interface entre a Psicologia e o Direito.

A psicologia e o Direito

Artigos02/04/2020Jhéssika Karollyne
psicologia jurídica, interdisciplinaridade A ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO PARA A PRÁTICA PROFISSIONAL DA PSICOLOGIA JURÍDICA A interdisciplinaridade entre o Direito e a psicologia parte da necessidade de auxiliar...Vejamos: É necessário que o profissional de Psicologia tenha uma postura coerente com suas funções, uma vez que o discurso da Psicologia é auxiliar o Direito de modo complementar, devendo, portanto, marcar...Disponível em: https://psicologado.com.br/atuacao/psicologia-juridica/atuacao-do-psicologo-no-campo-jurídico > Acesso em: 02 de Abril de 2020.

Psicologia Jurídica - O que é?

Notícias30/08/2019Claudia Farias
Falando de um modo mais abrangente, a psicologia forense se refere à aplicação da psicologia ao sistema legal....Contudo, muitos se referem a esse campo mais amplo como psicologia e a lei ou estudos psicolegais, enquanto especificam que a psicologia forense está focada na aplicação da psicologia clínica ao sistema...Psicologia Forense . In : Ucam Inova EaD. (Material Didático).

A psicologia jurídica para os operadores de direito.

Artigos20/01/2021Maria Amelia Baptista
Portanto a Psicologia e o Direito se conectam de maneira interdisciplinar, obtendo simultaneamente o mundo do “ser”, através da psicologia e o mundo do “dever ser”, regulado pelo direito....As ideias fundamentais de psicologia jurídica que serão apresentadas de maneira introdutória neste trabalho, têm como objetivo familiarizar os operadores de direito as ideias fundamentais da psicologia...Porto Alegre: Artmed, 2014. [2] TRINDADE, Jorge, Manual de Psicologia para operadores do Direito. 8º. Ed.

Psicologia jurídica resumo

Artigos20/08/2020Lucas Dos Santos Alves
Psicologia Jurídica no Brasil. Rio de Janeiro: Ed Nau: 2005. BARROS, F. O MIRA y LÓPEZ, Emílio (2005). Manual de psicologia jurídica . 2 ed. atualizada. Campinas: LZN. 421 p....Psicologia judicial . Mendonza: Ediciones Juridicas Cuyo, 1996. 475p.

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS AgRg no HC 547564 SP 2019/0352105-8 (STJ)

JurisprudênciaData de publicação: 20/08/2020

HABEAS CORPUS. TRANCAMENTO. CRIME CONTRA A HONRA. CALÚNIA E DIFAMAÇÃO. ILEGITIMIDADE PASSIVA. DENÚNCIA APRESENTADA POR TODOS OS CONSELHEIROS DO CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DE SÃO PAULO. AUSÊNCIA DE REFERÊNCIA AO QUERELANTE. CITAÇÃO DA PESSOA JURÍDICA DA QUAL O QUERELANTE É SÓCIO. ILEGITIMIDADE ATIVA. Não há como prosperar queixa-crime ofertada por quem não é referido em documento apresentado por conselheiros do Conselho Regional de Psicologia do Estado de São Paulo, que denunciava irregularidades ocorridas em clínica médica. Inocorrência de indícios de ofensa à honra pessoal do querelante, que não pode ser confundido com a pessoa jurídica da qual é sócio. Agravo regimental provido para conceder a ordem e trancar a ação penal.

A evolução da proteção do trabalhador e a Psicologia do trabalho

Artigos10/12/2020Rafael Panzenhagen
Trata-se tanto da perspectiva histórica no que se refere aos primórdios da Revolução Industrial e o trabalho desenvolvido no âmbito da indústria, como também da existência da Sociologia e Psicologia do...Psicologia. Trabalho. Proteção. Trabalhador. 1 INTRODUÇÃO A Revolução Industrial 1 ocorrida no século XVIII transformou a sociedade....Trabalho, ou Tecno-psicologia.

Psicologia no campo do Direito

Notícias08/09/2020Dica De Ouro
casamento homossexual, escola sem partido, racismo, feminismo, distribuição de renda, quase todas as polemicas e disputas entre facções de pensamento somam razão e sentimento a desembaraçar na ótica da Psicologia

Psicologia aplicada ao Direito

Psicopatia A psicopatia é um termo que atualmente, a depender da referência, pode ser tido como alternativo ao de transtorno de personalidade antissocial. Em alguns casos, eles são tidos como semelhantes tendo muitas superposições, mas diferenciando-se ao colocar a psicopatia como mais agudo, como por exemplo em casos em que o sujeito não apresenta nenhuma culpa, ansiedade ou remorso - Descrevendo as principais características do transtorno de psicopatia. Primeiramente, o que é a psicopatia? Trata-se de um transtorno psicológico reconhecido por condutas antissociais e irrefletidas, seguida por desafeição e ausência de afinidade, afeto para com o próximo. O profissional médico psiquiatra, consegue diagnosticar esse transtorno, através da escala de Robert Hare, através de pontuação de 0 a 2 conforme as peculiaridades no modo de agir observadas, e assim, o profissional confronta o valor atingido sabendo dizer qual a escala de psicopatia. Ao fim, o médico compara o valor obtido com a escala para verificar o grau de transtorno do indivíduo. FALANDO DAS MAIS RELEVANTES CARACTERÍSTICAS - Psicopatas não conseguem ter nenhum laço de emoção, quando se relacionam é tudo muito vago e inconstante, são mentirosos e o fazem de modo como se fosse algo comum, conseguem até ser dissimulados com seus sentimentos, de modo que agem, mesmo sem estar sentindo aquilo naquele momento. Podemos detectar um psicopata através de alguns dos seus aspectos, tais como: - Não tem empatia, sendo esta característica uma das mais relevantes para que se possa ter a constatação de ser um psicopata, pois é nesse adjetivo que eles se traduzem como sendo pessoas insensíveis, não se preocupando com o sentimento do próximo e nem transparecendo nenhum reflexo, quer seja de felicidade ou de infelicidade, mas temos que observar um dos efeitos deles, pois são capazes de contar mentiras de forma a que possamos acreditar e até fingir sentimentos, ou mesmo se unir a alguém, sem ter a menor afeição, e assim, dificultando a constatação da sua falta de afeto. - Condutas Imprudentes, impulsivas, pois devido ao fato de não se preocuparem com os demais, somente com eles próprios, os psicopatas são incontidos, agem sem pensar nas consequências de suas atitudes, não sabendo enfrentar seus desapontamentos, e quando são desprezados, eles podem se tornar pessoas hostis. - Comumente, os psicopatas não se condenam por seus atos, não sentem culpa, pois eles acham que estão sempre com a razão, atribuindo ao outro o seu erro e não sentindo arrependimento por nada daquilo que façam. - São altamente egoístas, e se acham a cereja do bolo, se entendem como pessoas notáveis, respeitáveis, interessantes, feito narcisistas. - São mentirosos compulsivos, mentem demais, nem percebem que estão mentindo, e o fazem com a finalidade de enganar e manobrar para no final obter a confiança dos outros. Assim, esses psicopatas precisam ser tratados por psiquiatras, mas muitos deles entendem que não tem nada, que suas atitudes são absolutamente normais, não aceitando que possuem a psicopatia, e assim, não vão atrás de ajuda médica. Por: Mirian Carmélia Domingues de Oliveira Lopes Costa (Advogada)
Conteúdo exclusivo para assinantes

Acesse www.jusbrasil.com.br/pro e assine agora mesmo