Vladimir Babkov em Todos os documentos

217 resultados

Peças Processuais que citam Vladimir Babkov

  • Petição Inicial - TJPR - Ação de Despejo com Pedido Liminar para Desocupação em 15 Dias - Despejo

    Peça Processual • juntada ao processo XXXXXXX-XX.2023.8.16.0017 em 04/09/2023 • TJPR · Comarca · Cambará, PR

    I- DOS FATOS O autor celebrou com o réu contrato de locação (doc.05) para fim residencial, referente ao imóvel localizado na , apto 102 - Edifício Vladimir Babkov, Zona 01, em Maringá - PR... Babkov, Zona 01, em Maringá - PR, endereço eletrônico desconhecido, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos... COM PEDIDO LIMINAR PARA DESOCUPAÇÃO EM 15 DIAS em face de MARCOS BONKOSKI , brasileiro, casado, gerente geral, inscrito no CPF sob nº , portador da CI/RG nº , residente e domiciliado na - Edifício Vladimir

  • Recurso - TRT09 - Ação Acordo - Comissão de Conciliação Prévia - Atord - contra RP Atividades Auxiliares AO Transporte Aereo e GOL Linhas Aereas

    Peça Processual • juntada ao processo XXXXXXX-XX.2021.5.09.0021 em 29/08/2022 • TRT9 · 2ª Vara do Trabalho de Maringá

    Vladimir Babkov, 01, Parque Industrial, na Cidade de Maringá-PR. Assim, requer que sejam comunicadas as partes interessadas. Nestes termos, pede deferimento. Maringá, 29 de agosto de 2022.

  • Manifestação - TRT09 - Ação Acordo - Comissão de Conciliação Prévia - Atord - contra RP Atividades Auxiliares AO Transporte Aereo e GOL Linhas Aereas

    Peça Processual • juntada ao processo XXXXXXX-XX.2021.5.09.0021 em 11/09/2022 • TRT9 · 2ª Vara do Trabalho de Maringá

    Vladimir Babkov, 01, Parque Industrial, na Cidade de Maringá-PR. Assim, requer que sejam comunicadas as partes interessadas. Nestes termos, pede deferimento. Maringá, 11 de setembro de 2022.

Diários Oficiais que citam Vladimir Babkov

  • TRT-9 07/02/2023 - Pág. 3642 - Judiciário - Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região

    Diários Oficiais • 06/02/2023 • Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região

    Vladimir Babkov, s/n, Parque Industrial, Aeroporto Regional de Maringá, no balcão da ré, Maringá/PR, pelo perito Osvaldo Danhoni. As partes deverão apresentar todos os documentos na forma solicitada... Vladimir Babkov, s/n, Parque Industrial, Aeroporto Regional de Maringá, no balcão da ré, Maringá/PR, pelo perito Osvaldo Danhoni. As partes deverão apresentar todos os documentos na forma solicitada

Jurisprudência que cita Vladimir Babkov

  • TJ-PR - PROCESSO CÍVEL E DO TRABALHO - Recursos - Recurso Inominado: RI XXXXX20158160018 PR XXXXX-19.2015.8.16.0018 (Acórdão)

    Jurisprudência • Acórdão • 

    PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO PARANÁ 3ª TURMA RECURSAL EM REGIME DE EXCEÇÃO - PROJUDI Rua Mauá, 920 - 28º andar - Alto da Glória - Curitiba/PR - CEP: 80.030-200 - Fone: 3017-2568 Recurso: XXXXX-19.2015.8.16.0018 Classe Processual: Recurso Inominado Assunto Principal: DIREITO DO CONSUMIDOR Recorrente (s): VRG LINHAS AEREAS S.A. (CPF/CNPJ: 07.XXXXX/0001-59) Avenida Doutor Vladimir Babkov, s/n - Parque Industrial Mário Bulhões - MARINGÁ/PR - CEP: 87.065-665 GOL LINHAS AEREAS INTELIGENTES S.A. (CPF/CNPJ: 06.XXXXX/0001-87) Avenida Doutor Vladimir Babkov, s/n - Parque Industrial Mário Bulhões - MARINGÁ/PR - CEP: 87.065-665 Recorrido (s): CESAR AUGUSTO MORENO (CPF/CNPJ: 493.544.189-53) AVENIDA PARANÁ, , 242 SALA 1202 À 1203 - CENTRO - MARINGÁ/PR RECURSO INOMINADO. TRANSPORTE AÉREO. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. ATRASO/CANCELAMENTO DE VOO. RELAPSIA DA EMPRESA AÉREA. DANO MORAL IN RE IPSA. DEVER DE INDENIZAR. APLICAÇÃO DO ENUNCIADO N. 4.1 DAS TRU/PR. DANOS MATERIAIS. DESPESAS COMPROVADAS. QUANTUM INDENIZATÓRIO MANTIDO. 1. Conforme Enunciado n. 4.1 da TRU/PR, o cancelamento e/ou atraso de voo somado ao descaso no trato com o cliente enseja reparação moral. Configura descaso com o cliente o não fornecimento de condições adequadas durante o período de espera de novo voo. 2. A fixação do valor da indenização por danos morais deve ser estipulada observando-se a culpa do ofensor, a concorrência do ofendido, a capacidade econômica das partes e o caráter punitivo e pedagógico da condenação, norteado pelos princípios da proporcionalidade e razoabilidade, à luz do caso concreto. Observados esses requisitos deve ser mantido o quantum indenizatório. RECURSOS CONHECIDOS E NÃO PROVIDOS. I – Relatório dispensado. II – Fundamentação. Satisfeitos estão os pressupostos processuais viabilizadores da admissibilidade deste recurso, tanto os objetivos quanto os subjetivos, razão pela qual deve ser ele conhecido. No caso em análise, estamos diante de uma típica relação de consumo, pois as partes enquadram-se nos conceitos de consumidor e fornecedor constantes nos artigos 2º e 3º do Código de Defesa do Consumidor . Assim, é assegurado ao consumidor “a facilitação da defesa de seus direitos, inclusive com a inversão do ônus da prova, a seu favor, no processo civil, quando, a critério do juiz, for verossímil a alegação ou quando for ele hipossuficiente, segundo as regras ordinárias de experiências” (art. 6º). Restou incontroverso nos autos o descaso e o desrespeito da companhia aérea, que deixou de prestar o auxílio e as informações devidas em relação ao voo em comento. In casu, tem-se que o reclamante teve seu voo que partiria da cidade de Curitiba com destino à Maringá cancelado sem prévio aviso, sendo obrigado a pegar outro voo com destino à Londrina, cidade diversa daquela que havia pactuado inicialmente, conforme demonstram os bilhetes de passagem juntados com a inicial. Além disso, ao chegar em Londrina a recorrente não disponibilizou sequer ônibus para a cidade de destino do reclamante, deixando-o a sua própria sorte. Sobre o tema, a Turma Recursal do Paraná, em diversos julgados, já consolidou o entendimento segundo o qual o cancelamento e/ou atraso de voo, somado ao descaso e relapsia da companhia aérea quanto à demonstração da causa e forma de administração do incidente, enseja reparação por danos morais. (Enunciado nº 4.1 da TRU/PR). Destaco jurisprudência neste sentido: RECURSO INOMINADO. AÇÃO DE REPARAÇÃO DE DANOS MATERIAIS E MORAIS. ATRASO NO VOO. EMBARQUE REALIZADO APÓS APROXIMADAMENTE 22 HORAS APÓS O PREVISTO. CONDIÇÕES METEREOLÓGICAS. DESCASO DA COMPANHIA AÉREA NA ADMINISTRAÇÃO DO INCIDENTE. DANO MORAL CONFIGURADO. ARBITRADO DE FORMA PRUDENTE E ADEQUADA AO CASO CONCRETO. FALHA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO. INCIDÊNCIA DO CDC . SENTENÇARESPONSABILIDADE OBJETIVA. DEVER DE INDENIZAR. MANTIDA PELOS SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS (ART. 46 LJE ). RECURSO DESPROVIDO. Precedentes: Enunciado 4.1 da Turma Recursal: Cancelamento e/ou atraso de voo - dano moral: O cancelamento e/ou atraso de voo, somado ao descaso e relapsa da companhia aérea quanto à demonstração da causa e forma de administração do incidente, enseja reparação por danos morais. Enunciado N.º 12.13 - a) Condenação por danos morais - data da incidência de correção monetária e juros - responsabilidade contratual. Nas indenizações por danos morais, a correção monetária incide a partir da decisão condenatória e os juros moratórios desde a citação. (TJPR - 3ª Turma Recursal em Regime de Exceção - XXXXX-76.2015.8.16.0018 /0 - Maringá - Rel.: Daniel Tempski Ferreira da Costa - J. 17.03.2016). g.n. Superada a discussão sobre o dever de indenizar, passo à análise da insurgência referente ao quantum indenizatório fixado pelo juízo a quo. No que se refere ao quantum indenizatório, resta consolidado que a indenização deve observar a culpa do ofensor, a concorrência do ofendido, a capacidade econômica das partes e o caráter punitivo e pedagógico da condenação, baseados pelos princípios da proporcionalidade e razoabilidade, à luz do caso concreto. Nesses termos, o valor da indenização por danos morais arbitrado pelo juízo a quo em R$6.000,00 (seis mil reais) se mostra adequado. Por fim, tratando-se dos danos materiais, restaram comprovados nos autos as despesas decorrentes do cancelamento do voo do reclamante, conforme documentos de mov. 1.8 e 1.9. Não logrando, as recorrentes, êxito em seus recursos, devem arcar com o pagamento das custas processuais e verba honorária, fixados em 20% sobre o valor da condenação, nos termos do artigo 55 da Lei 9.099 /95. III. Dispositivo Ante o exposto, esta 2ª Turma Recursal resolve, por unanimidade dos votos, conhecer de ambos os recurso e , nos exatos termos do voto.negar-lhes provimento O julgamento foi presidido pelo Juiz Marcelo De Resende Castanho, sem voto, e dele participaram os Juízes Rafael Luis Brasileiro Kanayama (relator), James Hamilton De Oliveira Macedo e Siderlei Ostrufka Cordeiro. Curitiba, 17 de Abril de 2017 RAFAEL LUÍS BRASILEIRO KANAYAMA Juiz Relator (TJPR - 2ª Turma Recursal - XXXXX-19.2015.8.16.0018 - Maringá - Rel.: Juiz Rafael Luis Brasileiro Kanayama - J. 18.04.2017)

Não encontrou o que está procurando?

Tente refazer sua pesquisa em uma seção específica