jusbrasil.com.br
18 de Outubro de 2019
Comentário feito no documento:

Descriminalização do aborto: STF julgará esse tema polêmico

Edu Rc, Analista de Desenvolvimento de Sistemas
ano passado
Não entendo o motivo disto ir para o STF. Há margem para leitura diversa da que lá está escrita? Há margem para subjetividade? Se não há, o STF não tem que se intrometer, pois Legislar é de competência de outro Poder.

Se o pai quiser a criança, como fica?
Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/comentarios/608278777#comment_608278777

23 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Faz com outra mulher que esteja a vontade para ser mãe. continuar lendo

Lindo argumento: "faz com outra mulher que esteja a vontade para ser mãe". Ótimo, ela faz o filho sozinha. A biologia mudou e eu não estou sabendo...

À mulher que não deseja engravidar: previna-se. Escolha uma ou duas dentre as centenas de medidas possíveis hoje, inclusive gratuitamente, nos postos de saúde.

Não se relacionar com canalhas é tão eficaz quanto. continuar lendo

Sim sim, nossa educação básica é extremamente satisfatória. Pessoas sem luz, água, saneamento básico, começando a trabalhar com 15 anos, devem ter uma educação sexual satisfatória... sabendo a pílula ideal para seu corpo, bem como sabendo sobre a ovulação no meio do ciclo menstrual.

Se tá cheio de "Dr.", com pleno conhecimento dos métodos contraceptivos tendo filho não desejado, imagina a população à margem da sociedade.

Pessoal não consegue sair da sua caixinha mesmo, impressionante. continuar lendo

Não entendi tua comparação. Na verdade, sem querer ofender, ela não tem lógica nenhuma.

A gravidez e o ciclo menstrual, bem como as possibilidade de fecundação, são matérias extremamente complicadas.

Inclusive, saber o próprio ciclo menstrual, e qual dia exatamente ocorre a ovulação, é matéria que nem pessoas que são ligadas no assunto, por vezes, sabem.

Além disso, no aborto não há lesão à outrém, afinal, não há definição de "vida" para o feto, nem mesmo entre os cientistas.

Maioria nesse site deve ser do meio jurídico... então sugiro aos senhores em dar uma passada no MP, na vara de infância e juventude, ou visitar uma casa de menores, e verificar se a vida que os senhores defendem (digna, como manda a constituição), existe na realidade.

Ao realizarem essa visita, verificarão a quantidade absurda de mulheres que ganham os filhos e, por não terem condições, abandonam os mesmos.

Prefiro uma gravidez interrompida, antes do 3º mês, do que obrigar um ser a viver uma vida indigna atirado em um orfanato ou sendo maltratado em casa. continuar lendo

Explico sucintamente. Em 1992, um projeto de lei sobre a matéria foi protocolado. Aguardou bons 19 anos, até que, em 2011, após uma criteriosa análise e deliberação, nossos representantes eleitos decidiram não ser benéfico para a República, e o arquivaram. Em 2015, outro projeto de lei do PSOL sobre a matéria foi remetido; ausente urgência ou maior utilidade para a pátria, aguarda na fila para ser votado.

O PSOL, muy respeitador do processo democrático, e fiel às "liberdades cívicas" (sic), decidiu ingressar no STF e seus onze ministros não eleitos para que estes legislem em lugar do Congresso. continuar lendo

Aphonso Vinicius Garbin, pela primeira vez na história da medicina, acontecerá um transplante de feto/embrião em formação. A discursam não é essa, se alguém fez, que se responsabilize. E para constar, a mulher não tem a autonomia de gerar um bebê sem a contribuição masculina. Se o pai
quer a criança, ele tem 50% de direito sobre a mesma. continuar lendo

@filipe9692 com o argumento de educação não ser satisfatória, também devemos tirar boa parte do código penal? Ou isto é apenas para o caso do aborto? continuar lendo

A questão não é só essa se o pai quiser ficar com o filho, se trata de um crime contra um inocente, ao invés de ficar discutindo a legalização do aborto o STF, deveria garantir que esse monte de corruptos fiquem na cadeia e tem mais temos que FOMENTAR os métodos contraceptivos, ABORTO é crime!
Vamos instruir a mulher e também o homem evitar a gestação e não criar assassinos. continuar lendo

Prezado Filipe Bento Leães, gostaria muito que vossos pais tivessem a mesma opinião que o Sr. e o tivessem o despedaçado ao 3º mês de gestação..., a vida começa no momento da fecundação e isso é fato! Mas felizmente ou infelizmente não o fizeram não mesmo "dr." ..., pq filho de rico tem direito ao nascituro, mas filho de pobre analfabeto, que mora na comunidade na sua digníssima concepção pode e deve ser abortado..., lamentável como pessoas letradas e eloquentes como o Sr. são capazes de disseminar o preconceito abertamente dessa forma sem nenhum repudio da sociedade. continuar lendo

"Faz com outra mulher que esteja a vontade para ser mãe."

Boa.

Mãe quer, pai quer: nasce
Mãe não quer, pai quer: aborta
Mãe quer, pai não quer: pai não tem obrigação de assumir

Resolvido
Se um não quer, dois não tem continuar lendo

Filipe Bento Leães, fico muito feliz ao ler um comentário lúcido dentro de tanto disparates.

É mais fácil fechar os olhos para o problema que resolvê-lo.

A mulher tem o direito de decidir. É o corpo e a vida dela que mudam.

A maioria das mulheres que morrem em abortos são pobres, as ricas tem dinheiro para pagar clínica.

É um problema social.

O aborto de um feto não é tão trágico como matar todos os dias o mesmo ser por meio do abandono. continuar lendo

Queria entender a mente doentia desses que aprovam esse infanticídio disfarçado. Os casos permitidos já estão previstos em lei e não há mais o que se discutir. Os seres chamados humanos estão perdendo a noção, a sensibilidade, a razão, a moral. Não é à toa que estão prezando muito mais os relacionamentos virtuais, vez que não conseguem sequer suportarem o toque, o olho no olho, a faca a face. Talvez pelo fato de serem falsas em tudo, na fala, nos gestos e nas ações. O que vemos na verdade é que a humanidade caminha a passos largos para o seu extermínio, se não dá vida, mas do seu discernimento. Lamentável..... continuar lendo

@aphonso o problema é que pode acontecer uma gravidez em uma relação eventual... continuar lendo

@filipe9692
"Não entendi tua comparação. Na verdade, sem querer ofender, ela não tem lógica nenhuma."
-> Em seu primeiro parágrafo você dá a entender que é favorável a legalização de um crime por causa dos problemas da educação. Então perguntei o óbvio, isto raciocínio deve ser aplicado a outros crimes ou apenas ao aborto?

"A gravidez e o ciclo menstrual, bem como as possibilidade de fecundação, são matérias extremamente complicadas. Inclusive, saber o próprio ciclo menstrual, e qual dia exatamente ocorre a ovulação, é matéria que nem pessoas que são ligadas no assunto, por vezes, sabem."
-> E? O uso da camisinha ou de anticoncepcional não exige formação acadêmica ou profundos conhecimentos biológicos.

"Além disso, no aborto não há lesão à outrém, afinal, não há definição de"vida"para o feto, nem mesmo entre os cientistas."
-> Bem, a Lei já trata do assunto não é? Que candidatos sejam eleitos com esta visão e proponham a mudança.

"Maioria nesse site deve ser do meio jurídico... então sugiro aos senhores em dar uma passada no MP, na vara de infância e juventude, ou visitar uma casa de menores, e verificar se a vida que os senhores defendem (digna, como manda a constituição), existe na realidade."
-> No Brasil há mais de 200 milhões de cidadãos, boa parte pobre. Será que a maioria maltrata os filhos? Será que boa parte é criminoso ou futuro criminoso (o que implica dizer que pobre hoje é criminoso, visto que não nasceu adulto)? Vamos permitir que mate as crianças por serem pobres ou por se pobre estão fadados ao crime e por isto devem morrer?

"Ao realizarem essa visita, verificarão a quantidade absurda de mulheres que ganham os filhos e, por não terem condições, abandonam os mesmos."
-> Sabe o que me incomoda neste argumento? O pai só é lembrado na hora de pagar pensão. A criança é fruto de DUAS pessoas, mas uma quer o direito de matar caso não queira e a outra não tem direito a nada, apenas a obrigação de pagar pensão caso a mulher assim escolha.

"Prefiro uma gravidez interrompida, antes do 3º mês, do que obrigar um ser a viver uma vida indigna atirado em um orfanato ou sendo maltratado em casa."
-> Porque não matar somente se entrar tiver a vida indigna? Porque precisa ser antes de nascer e não depois de ter a vida que diz ser indigna?

@inayarabernard
Inayara, a Lei que trata do tema não abre margem para leitura diversa: aborto é apenas em caso de estupro e risco de vida da mãe. Caso os ministros do STF sejam contrário à visão do legislador, devem candidatar-se a um cargo no Legislativo e propor a mudança da Lei. A questão não é sobre a escolha da mulher, mas sobre a vida da criança. A questão não é sobre sexualidade da mulher, mas sobre a vida resultante da LIBERDADE dela de ter tido relações. A questão não é se ela quer ou não ter a criança, mas se ela tem direito de dispor da vida da criança.

Aí vem a pergunta que ainda não me responderam: caso o homem não queira a criança, ele está desobrigado de pagar a pensão? Ou ao homem cabe apenas o que a mulher decidir? continuar lendo

essa questão é facil de resolver.
faz uma campanha para esterelizar os humanos
lógico,opcional.
assim não assassina ninguem .
claro,seu eu fosse politico com poder,faria um incentivo a esterilização com subsidios:
luz mais barata.
salário esteril
e coisas do genero..
sem matar ninguem
sem alvoroço
e uma baita economia. continuar lendo

@drikaestevao
"É mais fácil fechar os olhos para o problema que resolvê-lo."
-> Responsabilidade mesmo, nada...

"A mulher tem o direito de decidir. É o corpo e a vida dela que mudam."
-> Do homem não? Ele não vai então precisar pagar pensão ou pagar pensão não muda a vida dele? Ou ele pode eximir-se da pensão? Ou ao homem apenas a responsabilidade?

"A maioria das mulheres que morrem em abortos são pobres, as ricas tem dinheiro para pagar clínica."
-> E deixa de ser crime por ser rica?

É um problema social.
-> Se querem aprovar o aborto por ser um problema social, de pobres e que vai acabar parando no SUS com o dinheiro de todos, então nada mais justo que políticos sejam eleitos para decidir isto não?

"O aborto de um feto não é tão trágico como matar todos os dias o mesmo ser por meio do abandono."
-> Tem razão, matar apenas uma vez pode... Talvez legalizar o homicídio seja melhor também... continuar lendo

Edu Rc, também quero entender o por que do STF 'legislar".... continuar lendo

Sr. Aphonso, a pergunta foi sobre a mulher que já engravidou.
Mas esse teu comentário egoísta e desumano mostra que o melhor mesmo é se relacionar somente com mulheres responsáveis consigo mesmo. continuar lendo

O homem, se quiser uma criança e não achar que deve fazer como o Alphonso sábia e sucintamente sugeriu, que a carregue.

Não se admite servidão no direito brasileiro. Ninguém é obrigado a submeter o corpo a gravidez porque alguém julga ter "direito" sobre a criança que ajudou a conceber. Mulher não é útero a serviço da sociedade. continuar lendo

@inayarabernard

Exato. Vou continuar contrário ao aborto, mas se alguém tem que debater o tema é o Legislativo, que é eleito pelo povo e pode ser punido com a falta de votos futuro, não no Judiciário onde os togados nunca poderão responder a quem paga as contas. Que políticos se candidatem com esta plataforma e façam a mudança. Só não dá para ser como Dilma que mentiu ser contrária ao aborto. continuar lendo

Aphonso, seguindo o teu ponto de vista devemos recomendar a mulher que não quer filhos que se restrinja ao sexo anal, certo? continuar lendo

Felipe Bento Leães, seu comentário faz parecer que para um homem, uma mulher ou um casal poder usar, com sucesso, um mero anticoncepcional terá de cursar seis anos de medicina e depois de tudo ainda fazer dois anos de residência em saúde reprodutiva...! Menos, camarada...! Beeemmm menos!!!!

Tive dois relacionamentos longos, de mais de quatro anos, quando ainda era solteiro e nenhuma deles engravidou sem querer...! Nem susto nós passamos...

E só para constar: no Brasil, atualmente, temos cerca de sete casais para cada criança colocada para a adoção...! Então, não, não existe uma superpopulação de crianças abandonadas e desalentadas em nosso país. Até porque o Poder Judiciário, responsavelmente, só tira o poder parental de um pai ou de uma mãe em ultimo caso, quando a vida e saúde dos mesmos está em risco. continuar lendo

Obrigada Edu Rc. Sem entrar no mérito da questão, é isso que está fora da ordem: JUDICIÁRIO fazendo LEIS. Abç! continuar lendo