jusbrasil.com.br
18 de Outubro de 2019
Comentário feito no documento:

STF: grávidas têm direito de remarcar teste de aptidão física de concurso

Isa Bel, Advogado
há 11 meses
Mas as criaturas não serão consideradas como aprovadas e começarão a exercer as atividades até fazerem os testes de aptidão, certo? E como isso pode ser justo com os demais que cumpriram os requisitos do certame, e ficarão na dúvida se passaram ou não, pq algumas vagas estarão reservadas esperando as criaturas fazerem tais exames físicos para que se constate se estão ou não aptas? O q farão os demais, que cumpriram os requisitos quando necessário, pq quando alguém se inscreve em um certame, lá no edital já diz quando terá q cumprir cada etapa, enquanto se colocam algumas vagas 'in hold' aguardando o parimento e recuperação (120 dias) da candidata?
Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/comentarios/650163890#comment_650163890

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

É sim. Pq é um absurdo prejudicar tantos que cumpriram todos os requistos no prazo, congelando algumas vagas para uma pessoa q não deveria ter se candidatado se não teria condições de cumprir as regras do certame. continuar lendo

Umas das poucas opiniões sensatas sobre a decisão. E teve gente dizendo ser absurdo o assunto ter de ser levado ao conhecimento da mais alta Corte de justiça...

A regra deveria ser para todos. Porém, aos poucos as exceções vão surgindo e, no final das contas, a regra afeta a ninguém.

Se de fato tem interesse no concurso, se de fato ele lhe é importante, relegue ao segundo plano a maternidade. Até porque, depois de aprovada, a situação financeira -- e possivelmente profissional -- será mais favorável. continuar lendo