Página 111 da Caderno 2 - Entrância Final - Capital do Diário de Justiça do Estado da Bahia (DJBA) de 22 de Janeiro de 2021

Diário de Justiça do Estado da Bahia
mês passado
Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

MENTO SIMULTÂNEO. PESSOA JURÍDICA INCORPORADA ANTES DA PROPOSITURA DA AÇÃO. EXTINÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA DA INCORPORADA. INCAPACIDADE DE SER PARTE. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE ACOLHIDA. EXECUÇÃO EXTINTA. AGRAVO DE INSTRUMENTO DE Nº. 0006884-74.2016.8.05.0000 PROVIDO. AGRAVO DE INSTRUMENTO DE Nº 0006499-29.2016.8.05.0000 NÃO CONHECIDO. A empresa Exequente, SEGECOL - Serviços Gerais e Construções LTDA, é, na verdade, a firma individual José Maria Pereira Simões, com registro na JUCEB nº 29.1.0113.2802 e CNPJ 16.476.541/0001-20. Em data que antecede o ajuizamento da ação, a pessoa jurídica Exequente (SEGECOL - Serviços Gerais e Construções Ltda.) foi incorporada por outra (JDS - Construções e Incorporações LTDA.), que assumiu o seu ativo e passivo. Assim, é forçoso reconhecer a extinção de sua personalidade jurídica, bem como sua incapacidade de ser parte, devendo ser acolhida a exceção de pré-executividade, com a consequente extinção da execução. Agravo de instrumento de nº 0006884-74.2016.8.05.0000 provido. Diante da incapacidade de ser parte da SEGECOL - Serviços Gerais e Construções Ltda., o agravo de instrumento de nº 0006499-29.2016.8.05.0000, interposto pela referida empresa, não deve ser conhecido. (Classe: Agravo de Instrumento, Número do Processo: 0006884-74.2016.8.05.0000,Relator (a): TELMA LAURA SILVA BRITTO, Publicado em: 18/04/2017). Perfilhando do mesmo entendimento, outros Tribunais do país vêm se posicionando no sentido da impossibilidade de ajuizamento da execução fiscal contra pessoa jurídica já extinta. E temos: AGRAVO DE INSTRUMENTO - EXECUÇ Ã O FISCAL - PESSOA JURÍDICA REGULARMENTE EXTINTA - AUSÊNCIA DE CAPACIDADE PARA SER PARTE - PRESSUPOSTO PROCESSUAL - SUBSTITUIÇÃO DO POLO PASSIVO - IMPOSSIBILIDADE. A execução fiscal proposta exclusivamente contra pessoa jurídica regularmente extinta antes do ajuizamento da ação carece de pressuposto para o seu desenvolvimento regular. Precedente sumular. (TJ-MG - AI: 10000190558064001 MG, Relator: Carlos Henrique Perpétuo Braga, Data de Julgamento: 01/08/2019, Data de Publicação: 08/08/2019) TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. EXTINÇÃO. PESSOA JURÍDICA BAIXADA ANTES DA PROPOSITURA DA AÇÃO. INVIABILIDADE. Não se revela cabível o ajuizamento de execução fiscal em face de pessoa jurídica regularmente extinta, já que inexistente o sujeito passivo, restando caracterizada a ausência de pressuposto processual subjetivo capaz de compor a lide e formar a relação jurídica processual. (TRF-4 - AC: 50162450720194047204 SC 5016245-07.2019.4.04.7204, Relator: FRANCISCO DONIZETE GOMES, Data de Julgamento: 08/06/2020, PRIMEIRA TURMA) APELAÇÃO CÍVEL - Execução Fiscal - IPTU dos exercícios de 2016 e 2017 - Município de Campos do Jordão - Execução fiscal ajuizada em face de pessoa jurídica regularmente extinta - Impossibilidade - Ausência de capacidade processual no polo passivo - Aplicação do art. 70 do CPC/2015 - A modificação do sujeito passivo da relação tributária em razão do que dispõem os artigos 121 a 123 e 128 do CTN só é permitida na fase administrativa - Entendimento da Súmula 392 do STJ - Sentença de extinção mantida - Recurso não provido. (TJ-SP - AC: 15025016320188260116 SP 1502501-63.2018.8.26.0116, Relator: Raul De Felice, Data de Julgamento: 19/03/2013, 15ª Câmara de Direito Público, Data de Publicação: 01/10/2019). Na mesma senda, quanto à impossibilidade de ajuizamento da ação contra pessoa jurídica já extinta, tem-se entendimento sedimentado pelo Eg. STJ acerca da matéria: RECURSO ESPECIAL Nº 1.792.481 - SP (2019/0012794-1) RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO RECORRENTE : GERAIS TECNOLOGIA E SOLUCOES EIRELI ADVOGADO : RENATA CAMPOS PINTO E SIQUEIRA E OUTRO (S) - SP127809 RECORRIDO : ECOSOLID SOLUCOES AMBIENTAIS LTDA ADVOGADO : LUCIANA BICHARA BATTAGLINI ZENARI E OUTRO (S) - SP198797 RECORRIDO : COMERCIAL LEAL INOX ABRASIVOS LTDA RECORRIDO : BERNARDO THADEU BAYA ANDRADE ADVOGADOS : CARLOS EUGÊNIO FIRME XAVIER E OUTRO (S) - MG083793 BERNARDO MEDEIA XAVIER - MG152621 TALITA CÂMARA DE ALMEIDA - MG119071 RECORRIDO : CLEITON GONCALVES RABELO ADVOGADO : Breno Rangel E OUTRO (S) - MG172329 RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. AUSÊNCIA DE CAPACIDADE PROCESSUAL. REEXAME. SÚMULA 7/STJ. 1. Derruir a conclusão a que chegou o Tribunal a quo, soberano no exame dos fatos e das provas, no sentido de que, no momento da propositura da ação, a extinção da personalidade jurídica já havia se operado, demandaria revolvimento do arcabouço fático-probatório colacionado aos autos, o que encontra óbice no enunciado da Súmula 7 do STJ. 2. Recurso especial não provido. DECISÃO 1. Cuida-se de recurso especial fundado no art. 105, III, alíneas a e c, da Constituição Federal, interposto contra acórdão proferido pelo Eg. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, assim ementado: Agravo de instrumento Ação de indenização ajuizada contra empresa já dissolvida regularmente Ausência de capacidade processual Extinção do feito sem resolução do mérito, em relação a ela, bem decretada Honorários de advogado fixados em 10% sobre o valor atualizado da causa Inexistência de condenação Arbitramento por equidade com fundamento no artigo 85, §§ 2º e , do CPC Recurso parcialmente provido. (fl. 671) A recorrente, nas razões do recurso especial, sustenta, em síntese, que: a) deve a recorrida ECOSOLID SOLUCOES AMBIENTAIS LTDA ser mantida no polo passivo da demanda porquanto ainda não ultimado o procedimento de dissolução e a extinção da personalidade jurídica; e b) subsidiariamente, tendo em vista o comparecimento espontâneo dos sócios aos autos, deveria ser determinada a substituição da pessoa jurídica por seus sócios e o prosseguimento do feito em face destes. O recurso recebeu crivo positivo de admissibilidade na origem (fl. 880-881). É o relatório. DECIDO. 2. Aduz a parte recorrente que deve a recorrida ECOSOLID SOLUCOES AMBIENTAIS LTDA ser mantida no polo passivo da demanda porquanto ainda não ultimado o procedimento de dissolução e a extinção da personalidade jurídica. Sustenta, subsidiariamente, que, tendo em vista o comparecimento espontâneo dos sócios aos autos, deveria ser determinada a substituição da pessoa jurídica por seus sócios e o prosseguimento do feito em face destes. A Corte de origem, não obstante, consignou que no momento do ajuizamento da ação a recorrida já era pessoa jurídica regularmente extinta, verbis: Conforme bem demonstrado pelos documentos de fls. 398 (certidão de baixa na Receita Federal, datada de 30/09/2015) e 401/403 (instrumento de distrato social, celebrado em 17/08/2015), quando do ajuizamento da ação originária (02/12/2015) a agravada Ecosolid já era pessoa jurídica regularmente extinta. A regular dissolução da sociedade constitui forma de extinção da pessoa jurídica e de sua personalidade civil, equivalendo à morte da pessoa natural. Assim, depois de sua dissolução, a pessoa jurídica não mais dispõe de personalidade jurídica, carece de representação e não ostenta capacidade postulatória e nem tampouco interesse processual. (fl. 673) Observa-se, desse modo, que não é o caso de se falar em sucessão ou substituição processual, porquanto, conforme o arcabouço fático delineado pelo Tribunal estadual, ao tempo do ajuizamento da ação a recorrida já era pessoa jurídica extinta, existindo, desde então, a falta de capacidade postulatória. Destarte, derruir a conclusão a que chegou o Tribunal a quo, soberano no exame dos fatos e das provas, no sentido de que, no momento da propositura da ação, a extinção da personalidade jurídica já havia se operado, demandaria revolvimento do arcabouço fático-pro