Página 45 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-21) de 16 de Março de 2016

Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

autuação (art.

2º, § 1º, da Resolução Administrativa nº 1418/2010). Por fim, proceda-se à digitalização para remessa do processo eletrônico ao

c. Tribunal Superior do Trabalho, com a posterior devolução dos autos

físicos à Vara de origem.

Publique-se.

Natal, 15 de março de 2016.

JOSEANE DANTAS DOS SANTOS

DESEMBARGADORA PRESIDENTE

Processo: 0099700-90.2011.5.21.0021 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO

TRT 21a Região

AP-0099700-90.2011.5.21.0021 - 1ª TURMA

Lei 13.015/2014

Recurso de Revista

Recorrente (s):1. Petróleo Brasileiro S.A. - PETROBRÁS

Advogado (a)(s):1. Francisco de Assis Costa Barros (RN -2469)

1. Aldo Fernandes de Souza Neto (RN - 4414)

1. Fernanda Erika Santos da Costa (RN - 4581)

Recorrido (a)(s):1. Brain Tecnologia Ltda

2. Adriano Garcia Silva

Advogado (a)(s):2. Osmar Fernandes de Queiroz (RN -4618)

2. Luiz Antônio Gregório Barreto (RN - 10213)

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Tempestivo o recurso (decisao publicada em 21/01/2016 - fl. 268; recurso

apresentado em 21/01/2016 - fl. 269).

Regular a representação processual, (fl. 282).

O juízo está garantido (fl. 227).

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO /

Liquidação/Cumprimento/Execução /

Benefício de Ordem

Alegação (ões):

- violação do (s) artigo 5º, inciso XXXV; artigo 5º, inciso LIV e LV, da

Constituição Federal.

Nos termos do art. 896, § 2º, da CLT, somente caberá recurso de revista,

em processo de execução, por ofensa DIRETA e LITERAL de norma da

Constituição da República, de modo que descabe análise de violação à

legislação infraconstitucional, contrariedade à Súmula do TST e divergência jurisprudencial.

A recorrente pleiteia a aplicação do benefício de ordem, executando-se em

primeiro lugar os bens da reclamada principal.

O acórdão está fundamentando nos seguintes termos: "Execução contra a responsável subsidiária - desconsideração da

personalidade jurídica da responsável principal e execução dos bens

pessoais dos sócios.

A teoria da desconsideração da personalidade jurídica não pode prejudicar

o trabalhador, postergando-lhe o direito ao recebimento do seu crédito

trabalhista, que tem natureza alimentar e, ao revés, beneficiar o devedor

e responsável subsidiário, sob pena de desvirtuamento do instituto. Por

outro ângulo, a agravante não indicou bens pertencentes aos sócios da

reclamada principal. Assim, essa realidade retratada nos autos impossibilita a promoção da execução contra a devedora principal e seus

sócios, e deve ser dirigida contra a responsável subsidiária,

como

decidido pelo Juízo de origem.

Agravo de petição não provido."(fl. 265).

Inadmissível o presente recurso de revista, tendo em vista não haver sido

configurada a violação aos dispositivos constitucionais apontados, uma vez