Página 15648 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 1 de Junho de 2021

Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

valores pagos sob os mesmos títulos, desde que os comprovantes respectivos já estejam juntados aos autos.

Em observância à decisão do STF nas ADC's 58 e 59, determina-se que, sobre os valores apurados, aplicar-se-á o IPCA-E na fase préjudicial (acrescidos juros legais na forma do artigo 39 da Lei 8.177/1991) e, a partir da citação (leia-se, a partir do ajuizamento da ação, uma vez que a citação, no processo do trabalho, é ato de ofício, conforme art. 841,caput, da CLT), a incidência da taxa SELIC (artigo 406 do Código Civil).

Ressalva-se, no entanto, e por oportuno, a aplicação de critérios de atualização mais vantajosos ao trabalhador, caso eventual e nova decisão/norma ou legislação assim venha a estabelecer. Registrase, por fim, que as partes poderão discutir a possibilidade acerca da incidência ou não de juros compensatórios, frente à recente decisão do E. STF, na fase de liquidação de sentença, caso assim entendam pertinente.

Deverá a ré proceder aos recolhimentos das contribuições previdenciárias na forma e prazos descritos no art. 276 do Decreto 3048/99 e art. 28 da Lei 10833/03, autorizando-se o desconto da cota parte ao e observando-se o salário de contribuição definido no art. 29 da Lei 8212/91 e art. 214 do Dec. 3048/99.

O recolhimento do imposto de renda deverá ser realizado na conformidade com a legislação vigente à época do recebimento da condenação, autorizada retenção, mediante comprovação nos autos, sob pena de se oficiar à Receita Federal, devendo-se observar a Súmula 368 do C. TST. Observe-se a OJ 400 da SDI-1 do TST.

Ainda quanto à previdência e considerando as alterações na CLT, ditadas pela Lei 10.035 de 25/10/00, fica definido que todas as verbas ora deferidas têm natureza indenizatória e não servirão como base de cálculo da contribuição previdenciária, inclusive no que diz respeito aos juros de mora.

Arbitra-se os honorários sucumbenciais em 10% do valor da condenação, o qual será apurado em liquidação de sentença, em benefício do obreiro.

Custas no importe de R$ 600,00, calculadas sobre valor ora arbitrado à condenação de R$ 30.000,00, pela ré.

Intimem-se as partes

Nada mais.

RIO CLARO/SP, 31 de maio de 2021.

ALESSANDRA REGINA TREVISAN LAMBERT

Juíza do Trabalho Substituta

Processo Nº ATSum-0012047-36.2020.5.15.0010

AUTOR JAIR DE SOUZA JUNIOR

ADVOGADO MARIANA SILVA CALSA(OAB: 337662/SP)

ADVOGADO Jair Calsa(OAB: 68791-D/SP)

RÉU TIGRE S.A. - TUBOS E CONEXOES

ADVOGADO AKIRA VALESKA FABRIN(OAB: 10636/SC)

Intimado (s)/Citado (s):

- JAIR DE SOUZA JUNIOR

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO

INTIMAÇÃO

Fica V. Sa. intimado para tomar ciência da Sentença ID 3afa2bd

proferida nos autos.

SENTENÇA

Aos 31 dias do mês de maio de 2021, às 15h00, na sede da Vara do Trabalho de Rio Claro, realizou-se a audiência para julgamento dos pedidos formulados na Ação Trabalhista ajuizada por JAIR DE SOUZA JUNIOR em face de TIGRE S.A. - TUBOS E CONEXÕES . Aberta a audiência, foram de ordem da MM. Juíza do Trabalho ALESSANDRA REGINA TREVISAN LAMBERT, apregoadas as partes. Ausentes. Observadas as formalidades legais, foi proferida a seguinte

SENTENÇA 1. RELATÓRIO

Dispensada a elaboração do relatório, nos termos do disposto no art. 852-I, da CLT.

2. FUNDAMENTOS DA COISA JULGADA

A sentença prolatada nos autos do processo nº 0003270-

09.2013.5.15.0010 condenou a ré ao pagamento das PLR’s, nos seguintes termos:

“O autor sustentou fazer jus ao recebimento de valores relativos ao Programa Tigre de Competitividade (PTC), programa de participação em resultados previsto em negociação coletiva. Com efeito, a partir de 2008 os instrumentos normativos referentes ao PTC contemplam cláusulas pelas quais são computados, como se trabalhados fossem, os meses de afastamento do empregado por acidente do trabalho (fls. 126, 136, 145, 154, 162 e 168). Com o reconhecimento do caráter acidentário do afastamento, o reclamante faz jus aos valores relativos ao PTC nos termos do pedido” (id cd6d08b - Pág. 2).