Página 9998 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (TRT-3) de 26 de Julho de 2021

Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

reclamante parava de trabalhar às 12h00/13h00, já considerado nesse tempo o tempo gasto para se fazer o acerto e descarregar a caminhonete; que o reclamante fazia os pedidos à mão; que o reclamante atendia a cidade de Piumhi e uma vez por semana ou de 15 em 15 dias atendia a cidade de São Roque de Minas; que o reclamante trabalhava em horário livre, podendo parar para fazer seu horário de refeição; que o Sr. Rodrigo também era vendedor, mas acumulava as atribuições de tomar conta do estoque e prestação de contas para a reclamada, recebendo um salário maior em decorrência da realização de tais funções; que não se lembra se o reclamante cobriu férias do Sr. Rodrigo; que há um empregado da reclamada responsável por cobrir férias dos outros empregados; que é provável que o reclamante não tenha substituído o Sr. Rodrigo nas férias dele, Rodrigo; que o Sr. Rodrigo fazia 01, 02 ou 03 pontos em Piumhi e ia direto para Capitólio, em 03 vezes por semana, dando suporte a Piumhi em 02 dias da semana, tendo um volume de clientes maior; que o depoente trabalhava em Alpinópolis e dando suporte na empresa em Piumhi; que o depoente ia a Piumhi uma vez por semana ou de 15 em 15 dias; que o reclamante tinha os próprios clientes e era o reclamante quem escolhia os seus próprios clientes tendo, inclusive, a liberdade para procurar novos clientes; que na empresa havia câmeras de segurança; que poderia acontecer de o reclamante e o Sr. Rodrigo chegarem juntos na empresa; que quem enviava o acerto para a empresa era o Sr. Rodrigo, sendo que caso o Sr. Rodrigo não estivesse na empresa, o reclamante deixava seu envelope para que o Sr. Rodrigo enviasse à empresa posteriormente, por e-mail, já que o reclamante não possui conhecimento de informática; que a meta a ser atingida pelo reclamante foi lançada no contrato de trabalho dele, reclamante; que a reclamada fornecia EPI aos empregados; que o faturamento da empresa, em Piumhi, era em torno de R$ 110.000,00, nas duas linhas; que o prometido a título de comissão era de 1%; que a reclamada não vende produtos sem notas fiscais; que a rota que mais vende é a rota de Capitólio; que cada caixa de leite pesava em torno de 10kg/10,3kg.” Nada mais.

Primeira testemunha do reclamante , Rodrigo Mariano

Damasceno. Qualificada. Advertida e compromissada. Contraditada ao argumento de possuir interesse na causa. Contradita rejeitada, sob protestos. Indagada, respondeu que: “saiu da empresa por sua opção; que não foi acusado de desviar valores da empresa; que fez dois acordos com a empresa, se comprometendo a devolver eventuais valores; que no documento por ele assinado consta que estava devolvendo dinheiro por causa de erro no repasse de valores e de venda de produtos; que no documento assume que teria que devolver dinheiro à reclamada em razão de vendas simuladas; que tais fatos ocorreram por duas vezes, sendo que na segunda vez

pediu demissão; que foi feito um acordo do depoente com a reclamada para se evitar maiores problemas; que o acordo foi proposto ao depoente, que o aceitou”. Contradita rejeitada, sob protestos da reclamada. Advertida e compromissada.

Depoimento :“que não tinha metas de vendas; que quando foi contratado foi estipulada uma porcentagem sobre vendas; que sempre recebia o salário fixo e comissões, embutidas no salário, fora da parte fixa; que já viu o reclamante chegando para trabalhar; que chegava para trabalhar junto com o reclamante; que pela manhã o depoente chegava entre 04h30/ 05h00, retornando à empresa por volta das 15h00/16h00, quando terminava o serviço de vendedor, mas em alguns dias chegava mais tarde; que ele, depoente, da empresa ia para a casa e voltava à reclamada quando o reclamante acabava sua rota, o que ocorria por volta das 17h00/18h00 e até 19h00 horas, o que ocorria raramente, sendo que ele, depoente, era quem fazia o acerto do reclamante; que o depoente já tirou férias por 15 dias, sendo que o reclamante foi quem o cobriu com relação à parte do escritório; que nas férias do depoente outro empregado fazia a sua rota, mas o reclamante ficou com a parte do escritório; que o reclamante já parou de trabalhar antes das 17h00/18h00, variando o horário em função da rota, mas que a média era de o reclamante parar de 17h00/18h00; que o faturamento mensal da reclamada era de cerca de R$ 80.000,00/R$ 90.000,00, sendo este o valor da rota do depoente; que o reclamante vendia menos que o depoente; que o reclamante vendia cerca de R$ 50.000,00/R$ 60.000,00 por mês, pelo que se lembra; que além de vender o depoente e o reclamante entregavam os produtos, pois trabalhavam com vendas a pronta entrega; que carregava o peso das caixas de leite, sendo que tanto o depoente quanto o reclamante carregavam entre três ou quatro caixas de leite, com 10 litros, cada caixa; que a empresa não fornecia EPI’s para o depoente e o reclamante; que o reclamante e o depoente revezavam nos sábados, começando às 05h30/06h00; que no sábado o depoente parava por volta das 12/13 horas, enquanto o reclamante parava um pouco mais tarde, por volta das 14/15 horas; que a rota do reclamante era menor que a rota do depoente; que o depoente trabalhava em um ritmo mais acelerado que o reclamante, por ser mais experiente que o reclamante; que o depoente gastava de 05 minutos a 30 minutos para cada cliente; que o depoente demorava menos para atender os clientes, já que em Capitólio os clientes são menores; que atendia cerca de 15/20 clientes por dia; que o salário fixo do depoente era de um pouco mais que R$ 1.100,00, mas recebia o salário líquido de R$ 1.871,00, em todos os meses; que existia uma meta a ser atingida, variando o percentual das comissões de acordo com a quantidade de vendas efetuadas; que caso não vendesse nada, não receberia qualquer valor a título