Página 1030 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 20 de Maio de 2022

Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

jurisdicional, não há como receber o recurso, porque o Tribunal manifestou-se explicitamente a respeito da matéria suscitada, não se verificando violação ao art. 93, inciso IX, da Constituição Federal. Ressalte-se que o Magistrado não está obrigado a responder a todas as alegações das partes, nem a se ater aos fundamentos por elas indicados, quando não necessários para o deslinde da controvérsia ou quando já tenha encontrado fundamentos suficientes para proferir a decisão. Tampouco precisa consignar, a cada raciocínio exprimido, que a posição adotada não viola os dispositivos do ordenamento jurídico apontados ou não dissente do entendimento oriundo de Tribunais Superiores. Assinale-se que tal obrigatoriedade inexiste, bastando uma decisão fundamentada, como determina o texto constitucional.

Rescisão do Contrato de Trabalho / Reintegração / Readmissão ou Indenização.

GARANTIA DE EMPREGO - PANDEMIA DO CORONAVIÍRUS -CONTRATO EXTINTO NA VIGÊNCIA DA MP 936/2020

INDENIZAÇÃO SUBSTITUTIVA - RESPONSABILIDADE PELO PAGAMENTO

O v.acórdão manteve a r.sentença que reconheceu a responsabilidade da reclamada pelo pagamento de indenização substitutiva à garantia de emprego, nos seguintes termos:

"(...)

A reclamada recorre alegando que eventual responsabilidade sobre o pagamento de indenização é do Estado, nos termos do artigo 486 da CLT. Aduz que a Lei nº 14.020/2020 somente foi publicada em 07 de julho daquele ano, data posterior à comunicação do aviso prévio ao empregado, ocorrida em 30.06.2020, não podendo, dessa forma, retroagir e ser aplicada ao presente caso. Argumenta, ainda, que o referido diploma é lei geral, não podendo revogar a CLT que, segundo sua interpretação, é lei especial.

Analiso.

Primeiramente, ao contrário do que alega a recorrente, a CLT é lei geral e a Lei nº 14.020/2020 é específica, editada em virtude de realidade pontual, decorrente da pandemia provocada pelo Sars-Cov-2.

Ademais, importante destacar que a Lei nº 14.020/2020 é decorrente da Medida Provisória 936, editada em 1º de abril de 2020, que em seu artigo 10º, § 1º, III, já previa a indenização deferida pelo MM. Juízo a quo.

Ressalto, ainda, que a conversão da MP 936 na Lei nº 14.020/2020 seguiu todos os ritos legislativos exigidos, o que confere validade às suas disposições desde a edição da Medida Provisória, e não apenas a partir da edição da Lei, como pretende a ora recorrente. Finalmente, observo que o artigo 486 da CLT está inserido no contexto do diploma legal ora em discussão, uma vez que prevê o pagamento, pelo Governo Federal, do auxílio emergencial (artigo 18 da Lei 14.020/2020). Aliás, seu pagamento foi inclusive demonstrado nos autos (fls. 15/16).

Dessa forma, em que pese devam ser reconhecido os efeitos nefastos que a pandemia vem causando na economia brasileira, a condenação ao pagamento da indenização decorrente da garantia provisória de emprego deve ser mantida, pois prevista pela mesma Lei que regulou as relações econômicas e de trabalho na fase de pandemia.

Nego, pois, provimento ao recurso."

No tocante à aludida matéria, inviável o apelo, pois não restou configurada, de forma direta, nos termos em que estabelece o § 9º do art. 896 da CLT, a alegada ofensa aos dispositivos constitucionais invocados.

CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao recurso de revista.

Publique-se e intime-se.

Campinas-SP, 17 de maio de 2022.

FRANCISCO ALBERTO DA MOTTA PEIXOTO GIORDANI

Desembargador do Trabalho

Vice-Presidente Judicial

/afl

Processo Nº ROT-001XXXX-21.2014.5.15.0012

Relator FRANCISCO ALBERTO DA MOTTA PEIXOTO GIORDANI

RECORRENTE COMERCIO DE SUCATAS NARCISO LTDA

ADVOGADO MARILDA IZIQUE CHEBABI (OAB: 24902/SP)

ADVOGADO MARIA DA GRACA OLIVEIRA (OAB: 291124/SP)

RECORRENTE MARCOS ROBERTO BORTOLOTTI NASCIMENTO

ADVOGADO ROBERT LUIZ SACILOTTO (OAB: 286331/SP)

ADVOGADO MARCOS LAZARO DUTRA (OAB: 325902/SP)

RECORRIDO SOS AMBIENTAL LTDA

ADVOGADO MARILDA IZIQUE CHEBABI (OAB: 24902/SP)

ADVOGADO GILVAN PASSOS DE OLIVEIRA (OAB: 196015/SP)

RECORRIDO COMERCIO DE SUCATAS NARCISO LTDA

ADVOGADO MARILDA IZIQUE CHEBABI (OAB: 24902/SP)

ADVOGADO MARIA DA GRACA OLIVEIRA (OAB: 291124/SP)

RECORRIDO HYUNDAI MOTOR BRASIL MONTADORA DE AUTOMOVEIS LTDA

ADVOGADO VINICIUS BERNANOS SANTOS (OAB: 309214/SP)