Página 3704 da Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de 17 de Maio de 2024

Tribunal Superior do Trabalho
há 2 meses

com os fundadores da empresa.

Inclusive, é oportuno destacar que, conforme recentemente noticiado nas mídias digitais, a Polícia Federal, ao cumprir mandados de busca e apreensão, encontrou cofres, veículos de luxo, máquina de contar dinheiro e jóias em endereços (https://www.clickpb.com.br / paraibade colaboradores da empresa /policia-federal-encontra-cofres-veiculos-de-luxo-joiasemoedaspersonalizadas-em-alvos-de-nova-operacao-do-caso-braiscompany-578477.html), enquanto outros funcionários, que possuíam relação mais próxima com a liderança da reclamada, foram presos (ht tps : / /porta ldobi tco in .uol .com.br / ex- func ionar ios-da- braiscompanysao-presos-pela-policia-federal/).

Assim, é inegável que a demandante beneficiou-se da atividade explorada pela ré e contribuiu para a execução e manutenção do esquema fraudulento, auferindo expressivas somas a título de "gratificações", não podendo o Direito do Trabalho legitimar a sua atuação.

Figura representando 3 páginas da internet, com a principal contendo o logo do Jusbrasil

Crie uma conta para visualizar informações de diários oficiais

Criar conta

Já tem conta? Entrar