Página 78 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de 14 de Junho de 2018

Tribunal Superior Eleitoral
há 10 meses

index: REPRESENTAÇÃO (11541)-0600472-16.2018.6.00.0000-[Propaganda Política - Propaganda Eleitoral -Extemporânea/Antecipada]-DISTRITO FEDERAL-BRASÍLIA

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

REPRESENTAÇÃO Nº 0600472-16.2018.6.00.0000 –CLASSE 11541 –BRASÍLIA –DISTRITO FEDERAL

Relator: Ministro Og Fernandes

Representante: Partido dos Trabalhadores (PT) –Diretório Nacional

Advogados: Miguel Filipi Pimentel Novaes e outros

Representados: Empresa Folha da Manhã S.A., Universo Online S.A. e TVSBT Canal 4 de São Paulo S.A.

DECISÃO

Trata-se de representação, com pedido de liminar, formalizada pelo Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), em que se noticia a realização de um ciclo de entrevistas com os seis pré-candidatos àPresidência da República mais bem classificados em pesquisa publicada pela Empresa Folha da Manhã S.A.

O representante afirmou que as representadas deixaram de convidar o pré-candidato àPresidência da República Luiz Inácio Lula da Silva, líder na pesquisa de intenção de votos, sob o argumento de que estaria indisponível para figurar nas entrevistas em decorrência de sua prisão.

Arguiu que, assim agindo, as representadas estariam descumprindo o dever legal de conferir tratamento isonômico aos précandidatos. Assinalou que havia comunicado aos organizadores seu interesse de levar a público as ideias de seu pré-candidato, não obstante a impossibilidade de sua presença nas entrevistas. Narrou, inclusive, que o Portal de Internet UOL teria divulgado nota em que nega o pedido.

Alegou que foi violado o art. 36-A, inciso I, da Lei nº 9.504/1997, uma vez que não teria sido respeitado o tratamento isonômico devido aos candidatos. Asseverou que tenciona enviar um representante da agremiação para participar do ciclo de entrevistas, tendo em vista que a pré-candidatura ao cargo de presidente da República representa um projeto de governo e gestão do próprio Partido dos Trabalhadores.

Sustentou que a quebra de paridade entre os pré-candidatos e a data de realização das entrevistas indicam que as representadas incorreram em propaganda eleitoral antecipada. Nesse sentido, defendeu que devem ser aplicadas as sanções previstas no § 3º do art. 36 da Lei das Eleicoes.

Ao final, requereu: (a) em sede de liminar, sejam as representadas obrigadas a ceder espaço a um representante da agremiação para que participe do ciclo de entrevistas, sob pena do reconhecimento de sua ilegalidade e consequente cancelamento; (b) no mérito, seja declarada a ilegalidade da realização de ciclo de entrevistas ou de qualquer outro evento que inclua os précandidatos em que não se oportunize a manifestação do Partido dos Trabalhadores, enquanto seu pré-candidato estiver entre os favoritos nas pesquisas; (c) subsidiariamente, a condenação das representadas às penalidades dispostas nos arts. 56 e 57, inciso I, da Lei das Eleicoes; (d) também de forma subsidiária, o reconhecimento da existência de propaganda eleitoral antecipada e a condenação das representadas ao pagamento da multa prevista no art. 36, § 3º, da Lei das Eleicoes.

Na decisão de ID 255425, entendi não demonstrados os requisitos do fumus boni iuris e do periculum in mora, e indeferi a liminar pleiteada.

Devidamente citadas, as representadas ofereceram contestações registradas sob as IDs 258205 e 258044.

A TVSBT –Canal 4 de São Paulo S/A afirma que o pré-candidato àPresidência da República Luiz Inácio Lula da Silva, nos autos da Execução Penal Provisória nº 5014411- 33.2018.4.04.7000, em trâmite na 12ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba, manifestou concordância em conceder entrevistas às representadas.

Desse modo, sustenta, preliminarmente, que o representante não mais detém interesse no prosseguimento desta ação, devendo o pedido ser julgado prejudicado.

No mérito, aduz que o Secretário Nacional de Comunicação do Partido dos Trabalhadores, Sr. Carlos Henrique Goulart Árabe, participou de reunião promovida pelas representadas, em que fora cientificado que do ciclo de entrevistas participariam os précandidatos àPresidência da República, e não representantes das agremiações partidárias.

Assevera que éparadoxal que, ciente das regras estabelecidas na reunião, venha o representante a juízo apresentar pedido que sabe de antemão superado.

Requer: (a) preliminarmente, seja a representação extinta sem julgamento de mérito, ante a perda do objeto, e, (b) no mérito, seja julgada improcedente.

As empresas Folha da Manhã S.A. e Universo Online S.A. defendem que o Tribunal Superior Eleitoral firmou entendimento de que àimprensa escrita e aos provedores de internet épermitido organizar debates, sabatinas e entrevistas de forma livre, sendolhes facultado restringir os eventos a pré-candidatos viáveis sob a ótica jornalística.