Página 4467 da Suplemento - Seção III do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 12 de Novembro de 2018

Diante desse cenário, é dever do Judiciário regularizar a situação dos menores, compreendendo, nesta oportunidade, que a melhor medida é a colocação deles sob a guarda provisória da requerente, para a qual deverá ser expedido termo de guarda provisória.

Ressalta-se que o requerido não será privado do convívio com seus filhos, podendo visitá-los semanalmente na residência da autora, de onde não devem ser retirados pelo demandado.

ANTE O EXPOSTO, CONCEDO A MEDIDA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA, PARA QUE OS MENORES MARIA ALICE RODRIGUES DIAS E SAMUEL ANTONIO RODRIGUES DIAS, SEJAM COLOCADOS SOB A GUARDA DE SUA GENITORA, DANIELA RODRIGUES ROSA, BEM COMO ESTABELECER QUE O DIREITO DE VISITAS DO GENITOR DEVE SER EXERCIDO SEMANALMENTE, NO AMBIENTE DA RESIDÊNCIA DA REQUERENTE, nos termos do art. 300, do Código de Processo Civil, do art. 129, VIII, do ECA e do art. 1.589 do Código Civil.

Sem prejuízo, designo audiência de Conciliação para o dia 26 de fevereiro de 2019 às 10:00 horas, devendo à Escrivania expedir os atos necessários para cumprimento do ato.

Cite-se o requerido, para responder à presente ação sob pena de revelia, passando a considerar como verdadeiros todos os fatos articulados na inicial (art. 344 do NCPC).

Intime-se o requerido bem como intime-se a autora via advogado da audiência designada.

Não havendo acordo em audiência, o prazo de defesa, de quinze dias, iniciará no dia útil imediatamente seguinte ao da audiência de conciliação (art. 335, inciso I, NCPC).

Expeça-se termo de guarda provisória.

Cientifique-se o Ministério Público.

Cumpra-se.