Página 202 da Editais e Leilões do Diário de Justiça do Estado de São Paulo (DJSP) de 27 de Agosto de 2019

Carvalho, alegando em síntese ser descendente em linha reta de ancestral natural da Itália e segundo legislação daquele país, tem direito ao reconhecimento da cidadania italiana jus sanguinis, na forma do art. 12, § 4º, II, a da Constituição Federal. Conforme pesquisa genealógica e para regularização do processo de naturalização, necessária a retificação dos registros de seus ancestrais em linha reta da seguinte forma: a-) retificação da certidão de óbito de seu bisavô de “Sebastião Alberto” (para Sebastiano Alberti”), o local do nascimento do “de cujus” de Itália (para Monselice, Província de Padova, Itália), o nome e sobrenome dos pais do “de cujus” “Natal Alberte” e “Maria Theresa” (para “Natale Delta Pietá Alberti” e “Teresa Galvan”); b-) a retificação da certidão de nascimento de sua avó, “Valentina Fransica”, para corrigir o nome dos pais “Alberto Sebastião e Elvira Briggo” para “Sebastiano Alberti e Elvira Brigo”, e o local do nascimento de seus pais, onde consta Itália (para “Monselice, Província de Padova, Itália); c-) retificação da certidão de casamento de sua avó “Valentina Francisca Alberto” (para “Valentina Francisca Alberti”), o nome e sobrenome dos pais da contraente de “Alberto Sebastião e Elvira Briggo Alberto” (para “Sebastiano Alberti e Elvira Brigo), o ano de nascimento do pai de Valentina de 1854 (para 1865); d-) retificação da certidão de óbito de sua avó, “Valentina Francisca Alberto” para corrigir o sobrenome da falecida de “Valentina Francisca Alberto” (para “Valentina Francisca Alberti”); e-) retificação do registro civil de sua mãe, alterando o assento de nascimento de Irma do Carmo, para corrigir os dados do casamento de seus pais e sobrenome de sua mãe, onde consta “casada há 6 anos com “Dona Valentina Francisca Alberto” para casado há 5 anos com “Valentina Francisca Alberti”, e para corrigir o nome e sobrenome de seus avós maternos onde consta (“Alberto Sebastião e Elvira Alberto) para “Sebastiano Alberti” e “Elvira Brigo”; f-) retificação do assento de casamento de sua mãe, Irma do Carmo, para corrigir o nome do pai da contraente onde consta “José Antonio do Carmo” (para “Mizael José Antonio do Carmo”); g-) retificação do assento de óbito de Irma do Carmo Alves para corrigir o nome do pai da falecida onde consta “José Antonio do Carmo” (para “Mizael José Antonio do Carmo”); h-) retificação de seu assento de nascimento para corrigir o nome e sobrenome dos avós maternos onde consta “José Antonio Carmo e Valentina Alberti do Carmo” (para “Mizael José Antonio Carmo e Valentina Francisca Alberti”); i-) retificação de seu assento de casamento para corrigir sobrenome da mãe do contraente onde consta “Irma do Carmo Machado” (para “Irma do Carmo); j-) retificação de seu assento de casamento para corrigir a idade da mãe de “63 anos” (para 62 anos). Assim, na forma estabelecida no art. 109 da Lei 6.015/73 foi determinada a CITAÇÃO, por EDITAL dos eventuais herdeiros de Sebastião Alberto, Valentina Francisca Alberto, e de José de Lima Machado Neto, e de outros possíveis Interessados. para oferecerem impugnação no prazo de 05 (cinco) dias, que fluirá após o decurso do prazo do presente edital. Será o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei. NADA MAIS. Dado e passado nesta cidade de Mogi das Cruzes, aos 07 de agosto de 2019.

MOGI-GUAÇU

2ª Vara Cível

EDITAL DE CITAÇÃO

Processo Digital nº: 1009975-54.2016.8.26.0362

Classe: Assunto: Monitória - Cédula de Crédito Bancário

Requerente: Cooperativa de Crédito Livre Admissão União Paraná São Paulo Sicredi União Pr/sp

Requerido: C M Alarmes Eireli Me

EDITAL DE CITAÇÃO - PRAZO DE 20 DIAS.

PROCESSO Nº 1009975-54.2016.8.26.0362

O Dr. Sérgio Augusto Fochesato, MMº Juiz de Direito da 2ª Vara Cível da Comarca de Mogi Guaçu, Estado de São Paulo, etc. faz saber a todos quantos o presente EDITAL virem, com o prazo de vinte dias, ou dele conhecimento tiverem, que na Ação Monitória nº. 1009975-54.2016.8.26.0362 em trâmite eletrônico no Sistema E-Saj, não sendo possível CITAR e INTIMAR pessoalmente C M ALARMES EIRELI ME, pessoa jurídica devidamente inscrita no CNPJ sob o nº 17.637.389/0001-83, e MARIO CESAR PALERMO, nacionalidade brasileira, casado, administrador, inscrito no CPF sob o nº 311.852.448-08, atualmente em lugar incerto e não sabido, pelo presente Edital, CITA e INTIMA, na forma do artigo 701 do CPC, para em 15 (quinze) dias: efetuar o pagamento da dívida, no valor inicial de R$ 17.746,92 (dezessete mil, setecentos e quarenta e seis reais e noventa e dois centavos), em 31/07/2016, que será devidamente atualizada com juros e correções monetárias, bem como, de honorários advocatícios de 5%; ou para que apresente defesa no mesmo prazo, uma vez que permanecendo inerte lhe será nomeado Curador Especial (art. 257, IV, CPC/15). ADVERTÊNCIA: não efetuado o pagamento no prazo ou oferecimento de embargos, será convertida a ação monitória em execução de título extrajudicial e determinada a PENHORA sobre tantos bens quantos bastem para o pagamento do principal atualizado, com juros, custas processuais e honorários advocatícios, nos termos dos artigos 831 do CPC/15.Dado e passado nesta Cidade e Comarca de Mogi Guaçu – SP, em 01 de agosto de 2019.

Valor R$ 322,98 (recolhido)

3ª Vara Cível

Comarca de Mogi Guaçu 3ª Vara

3º Ofício Judicial Seção Cível

FERNANDO COLHADO MENDES Juiz de Direito PROCESSO 1004966-43.2018.8.26.0362 - VISTOS. Maria Aparecida da Silva Pinheiro qualificado (a)(s) nos autos, ajuizou (aram) a presente AÇÃO DE INTERDIÇÃO em face de João Pinheiro Filho, igualmente qualificado (a)(s), alegando, em síntese que é esposa do (a) requerido (a) e responsável por seus cuidados, o qual é portador de mal de alzheimer, não podendo reger sua pessoa e administrar seus bens. Requereu a procedência do pedido para a interdição do (a) réu. Juntou documentos (fls. 9/33). O (a) requerido (a) foi citado (fls.43). Determinada a perícia médica, o laudo pericial foi juntado às fls. 60/62. Seguiu-se com manifestação do (a) requerente (fls.65). O Ministério Público manifestou-se pela