Página 5 da Noticiário do Diário Oficial do Estado de Minas Gerais (DOEMG) de 29 de Junho de 2006

Inaugurado o Expominas de Juiz de Fora

Centro de convenções e eventos custou ao Governo do Estado R$ 47,6 milhões

O Governo do Estado

entregou à população da

Zona da Mata, ontem, o

Expominas Juiz de Fora. A

construção do centro é o

maior investimento público das últimas décadas naquela região. O Estado investiu R$ 47,6 milhões na

obra, sendo R$ 40 milhões

destinados, a partir de

2003, pela Companhia de

Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais

(Codemig). O Expominas

Juiz de Fora é um espaço

multiuso - erguido em um

terreno de mais de 125 mil

metros quadrados - dotado

de completa infra-estrutura

para receber feiras, convenções, congressos e exposições, que permite realizar eventos para até 13 mil

pessoas simultaneamente, possibilitando ainda a realização de seis eventos distintos. A obra teve o acompanhamento técnico do Departamento de Obras Públicas de Minas Gerais (Deop-MG).

A conclusão do centro, iniciada em 2002, vai posicionar Juiz de Fora e toda a sua área de influência como um dos mais importantes pólos de turismo de negócios de Minas Gerais. Para o governador Aécio Neves, a inauguração marca o início de um novo tempo na economia da região. “Essa obra será decisiva para que toda a Zona da Mata encontre o caminho do desenvolvimento, explorando seus potenciais econômicos, que são inúmeros. Será um importante instrumento para atrair eventos, mas, principalmente, para gerar emprego e renda”, afirmou o governador.

Novos negócios

Aécio Neves ressaltou que o Expominas Juiz de Fora faz parte das ações do Governo para transformar Minas Gerais em um grande centro de eventos voltado para o turismo, em especial o de negócios. Ele lembrou a inauguração em março, do Expominas de Belo Horizonte, que já abrigou a Reunião Anual das Assembléias de Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Segundo o governador, cabe agora ao Governo do Estado encontrar a melhor fórmula de gerir esses dois centros de convenções – Belo Horizonte e Juiz de Fora -para que os espaços jamais fiquem ociosos e possam sempre representar a chance de novos negócios para os vários segmentos da sociedade.

“O nosso grande desafio, agora, é operacionalizar esse centro de convenções. A nossa idéia é unir o Expominas de Juiz de Fora com o Expominas de Belo Horizonte, para que tenham uma gerência profissionalizada. O que queremos é encontrar caminhos para ter aqui uma agenda anualmente cheia. Vamos entrar agora na etapa dessa profissionalização”, afirmou Aécio Neves.

WELLINGTON PEDRO

Expominas JF: capacidade

para eventos com até 13 mil

pessoas simultaneamente

Projeto avançado alia

praticidade e segurança

O Expominas-JF tem locali de grande porte. A segunda etapa zação privilegiada, às margens da da construção contemplará a fina-BR-040, a 15 minutos do centro lização das obras do terminal de da cidade. Conta com um espaço passageiros, instalação de equipadestinado à realização de eventos mentos para operação por instrue com uma área construída de 20 mento, implantação do pátio de mil metros quadrados. Dispõe ain estacionamento de veículos, monda de um pavilhão com dois pavi tagem da torre de controle e equimentos para feiras e eventos tota pamentos de sinalização.

lizando, teatro com 1.525 assen -Comenda

tos, seis salas multiuso, um hall

nobre, áreas de apoio e estaciona-Durante a solenidade de mento para 1.100 veículos.

inauguração, Aécio Neves foi O projeto alia praticidade e

condecorado com Comenda segurança, com a melhor tecnolo-Daniel Pinto Moreira, concedigia. Um sistema de ar condicionada pela Associação Comercial do central permite a climatização

de Juiz de Fora a personalidado auditório e do hall nobre e das

des que contribuíram para o desalas multiuso, enquanto que as

senvolvimento do município. áreas administrativas contam com

Estiveram presentes o ex-presisistema individual de condicionadente Itamar Franco; o prefeito mento de ar.

de Juiz de Fora, Alberto Bejani; os secretários de Estado de De -Aeroporto

senvolvimento Econômico,

O governador lembrou a pro- Wilson Brumer; de Transportes ximidade de Juiz de Fora com o e Obras Públicas, Paulo Paiva; Circuito Estrada Real e com o Ae- o chefe da representação do Esroporto da Zona da Mata, locali- critório de Minas Gerais em zado entre os municípios de Goia- Brasília, Henrique Hargreaves;

o presidente da Codemig, Osná e Rio Novo, cujas obras estão

em fase de conclusão. Segundo waldo da Costa Borges; o presiele, esses investimentos são im- dente da Cemig, Djalma Moportantes instrumentos de estímu- raes; o presidente da Associalo ao turismo e ao crescimento da ção Comercial de Juiz de Fora,

Zona da Mata. Nuno Martins; o reitor eleito da

A pista do Aeroporto da Zona Universidade Federal de Juiz da Mata, já concluída, permite de Fora, Henrique Duque; além pouso e decolagem de aeronaves de lideranças políticas da re

Estado quita o último

precatório trabalhista

O Governo mineiro pagou ontem, no Tribunal Regional do Trabalho – 3ª Região, o último precatório trabalhista de responsabilidade do Estado de Minas Gerais referente ao período de 1993 a 2006. A administração estadual quitou cerca de 4.400 precatórios, o que representava uma dívida de R$ 600 milhões, atendendo a mais de 20 mil pessoas. Com o pagamento da última ação trabalhista pendente, os precatórios, a partir de agora, passam a ser quitados de imediato.

O governador Aécio Neves destacou que a quitação de mais essa dívida é reflexo do planejamento administrativo e da gestão financeira que fixou e cumpriu metas.

“A partir de agora, o Estado, também na questão dos precatórios, está absolutamente em dia com seus compromissos. O que nos permite contar com mais capacidade de investimentos”, destacou.

O pagamento dos precatórios trabalhistas é mais uma das ações do Governo do Estado no sentido de valorização dos servidores públicos estaduais, assim como o fim da escala de pagamentos, a antecipação do 13º salário, o pagamento de verbas retidas e a criação dos planos de carreiras, entre outras.

Parceria

A quitação só foi possível após uma parceria inédita entre o Governo do Estado e a Justiça do Trabalho. Em 2000, o TRT criou o Juízo Auxiliar de Conciliação de Precatórios. Com a adoção de medidas simples, as dívidas trabalhistas, pendentes de pagamento do Estado, passaram a ser quitadas com segurança e celeridade entre as partes envolvidas.

O presidente do TRT da 3ª Região, juiz Tarcísio Alberto Giboski, participou da solenidade e elogiou a “vontade política do governador” e ”a eficiência da equipe do Governo”. Segundo ele, foi graças a essas qualidades que hoje podemos dizer que vivemos um dia histórico, pondo fim aos precatórios trabalhistas do Governo do Estado de Minas Gerais.

A dívida de precatórios trabalhistas correspondem ao antigo regime celetista que vigorou nas instituições estaduais até julho de 1990. Com o fim do regime no Estado e a integralidade do regime estatutário, a expectativa da Advocacia Geral do Estado é de que as ações trabalhistas contra o Governo estadual tenham uma queda substancial.

Sintappi-MG

O último precatório que foi pago pelo próprio governador Aécio Neves refere-se a uma ação do Sintappi-MG (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Assessoramento, Pesquisa, Perícias e Informação no Estado de Minas Gerais) contra a Rural Minas, que envolveu 83 pessoas.

De acordo com a Advocacia Geral do Estado, inicialmente, oito pessoas ficaram fora do cálculo, mas após um entendimento entre o Sintap e o Governo, elas foram contempladas com o pagamento. O valor total do pagamento ao Sintappi-MG é R$ 6.113.489,01, incluídos honorários advocatícios e despesas com o INSS.