Página 3 da Empresarial do Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de 14 de Setembro de 2019

Diário Oficial do Estado de São Paulo
mês passado

SAVIS Tecnologia e Sistemas S.A.

CNPJ/MF nº 15.675.599/0001-30 – NIRE 35.300.438.698

Ata da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 04 de junho de 2019 Data, Hora e Local : Aos 04/06/2019, às 14h00, na sede social da (“Companhia”), localizada na Rua Sérgio Fernandes Borges Soares, nº 1.000, Flex II, Módulos 13 parte, 15 parte e 17 parte, Condomínio Parque Corporativo Bresco

Viracopos, Campinas-SP. Presenças : Presentes acionistas representantes da totalidade do capital social da Companhia, conforme assinaturas constantes do Livro de Registro de Presença dos Acionistas da Companhia. Convocação e Publicações : Dispensada a publicação do Edital de Convocação, nos termos do Artigo 124, § 4º, da Lei

nº 6.404/76. Composição da Mesa : Presidente, Nilson Jair Santin ; Secretário, Fabio Henrique Caparica Santos .

Ordem do Dia : Deliberar sobre: (i) aumento do capital social da Companhia; (ii) a possibilidade de se levantar

balanços intermediários pela Companhia, mediante a inclusão do § Único do Artigo 19º deste Estatuto Social; e (iii)

alteração e consolidação do Estatuto Social da Companhia. Deliberações : Após leitura, análise e discussão, os

acionistas deliberaram, por unanimidade dos votos e sem ressalvas: (i) aprovar o aumento de capital da Companhia

de R$15.686.000,00 para R$86.043.273,13, um aumento, portanto, de R$70.357.273,13, mediante a emissão de

70.357.273 novas ações ordinárias, nominativas, sem valor nominal, com preços de emissão de R$1,00 por ação,

fixado com base no Artigo 170, § 1º, II, da Lei nº 6.404/76, as quais são totalmente subscritas e integralizadas neste

ato, nos termos do Anexo I a presente ata, pela acionista Embraer Defesa e Segurança Participações S.A. (“EDS”),

mediante a capitalização de créditos detidos pela EDS contra a Companhia, em decorrência da conversão de

mútuos detidos pela EDS contra a Companhia no valor total de R$ R$70.357.273,13 [de acordo com o Laudo de

Avaliação preparado em conformidade com o artigo da Lei nº 6.404/76, o qual é aceito, reconhecido como válido,

aprovado pelos presentes e passa a integrar a presente ata na forma do Anexo II]. Os acionistas não subscritores

renunciaram expressamente ao seu direito de preferência na subscrição das ações ora emitidas a que faziam jus,

nos termos do Artigo 171 da Lei nº 6.404/76. Dessa forma, o Artigo 5º do Estatuto Social da Companhia passa a

vigorar com a seguinte nova redação: “ Artigo 5º . O capital social totalmente subscrito e integralizado em moeda

corrente nacional é de R$ 86.043.273,13, representado por 86.043.273 ações, todas ordinárias, nominativas e sem

valor nominal.” (ii) aprovar possibilidade da Companhia levantar balanços intermediários ou intercalares, sendo

incluído o § Único no Artigo 19º do Estatuto Social da Companhia, que passa a vigorar com a seguinte redação: “§

Único – A Companhia poderá levantar balanços intermediários ou intercalares para fins de distribuição de dividendos, de registro e publicidade de qualquer atualização do patrimônio líquido da Companhia, ou para quaisquer

outras finalidades que entenda aplicável.” “ (iii) em virtude da deliberação tomada no item (i) acima, aprovar a

alteração e a consolidação do Estatuto Social da Companhia, o qual passa a vigorar nos termos do Anexo III à

presente ata. Encerramento : Nada mais havendo a tratar, encerrou-se a sessão, tendo-se antes redigido e feito

lavrar a presente ata em forma de sumário, nos termos do Artigo 130, § 1º da Lei nº 6.404/76, a qual, lida e achada

conforme, foi devidamente assinada. Campinas, 04/06/2019. Assinaturas: Mesa : Nilson Jair Santin – Presidente;

Fabio Henrique Caparica Santos – Secretário. Acionistas Presentes: Embraer Defesa e Segurança Participações

S.A. por: Jackson Medeiros de Farias Schneider; Elaine Maria de Souza Funo; Márcia Regina Sato Davoli de Araújo.

“Estatuto Social. Capítulo I – Da Denominação, Sede, Objeto e Duração. Artigo 1º. A SAVIS Tecnologia e

Sistemas S.A. (“Companhia”) é uma sociedade por ações que se rege por este Estatuto Social, pela Lei nº 6.404

de 15/12/1976, conforme alterada (“Lei das Sociedades por Ações”) e pelas demais disposições legais que lhe

forem aplicáveis. Artigo 2º. A Companhia tem sede e foro na Cidade de Campinas-SP, na Rua Sérgio Fernandes

Borges Soares, nº 1.000, Flex II, Módulos 13 parte, 15 parte e 17 parte, Condomínio Parque Corporativo Bresco

Viracopos, podendo abrir filiais, agências ou escritórios por deliberação da Assembleia Geral. § Único : A Companhia possui a seguinte filial: Filial Campo Grande – Situada na Cidade de Campo Grande, Estado de Mato Grosso

do Sul, na Rua Doutor Zerbini, nº 850, Sala 5, tem por objeto social as mesmas atividades da matriz, descritas no

Artigo 3º abaixo. Artigo 3º . A Companhia tem por objeto social (a) projetar, desenvolver, certificar, industrializar,

integrar, revender, comercializar, construir, manter, acompanhar e fiscalizar a execução de obras, importar e exportar bens, sistemas e serviços utilizados nas atividades finalísticas de defesa e de segurança; e (b) prestar serviços,

promover e/ou executar estudos e atividades técnicas, vinculadas à pesquisa tecnológica, à manutenção, à modernização, ao gerenciamento dos processos e ao suporte logístico de seus produtos e sistemas. Artigo 4º. A Companhia terá prazo indeterminado de duração. Capítulo II – Do Capital Social. Artigo 5º. O capital social totalmente

subscrito e integralizado em moeda corrente nacional é de R$ 86.043.273,13, representado por 86.043.273 ações,

todas ordinárias, nominativas e sem valor nominal. § 1º . Cada ação corresponde a um voto nas deliberações

sociais. § 2º . As ações provenientes de aumento de capital serão distribuídas entre os acionistas, na forma da lei,

no prazo que for fixado pela Assembleia que deliberar sobre o aumento de capital. § 3º . A Companhia poderá adquirir ações de sua própria emissão para permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento, até o

montante do saldo de lucro e de reservas, exceto a reserva legal, sem diminuição do capital social. Artigo 6º . Fica

vedada à Companhia a emissão de partes beneficiárias. Capítulo III – Da Assembleia Geral. Artigo 7º. A Assembleia Geral reunir-se-á, ordinariamente, nos 4 primeiros meses após o encerramento do exercício social, e, extraordinariamente, sempre que os interesses sociais o exigirem. Compete à Assembleia Geral de acionistas deliberar

sobre as matérias previstas na Lei das Sociedades por Acoes. § 1º . A Assembleia Geral será convocada e instalada

nos termos deste Estatuto Social e em observância às disposições legais aplicáveis. O presidente da Assembleia

Geral escolherá um dos presentes para secretariar os trabalhos. § 2º . As deliberações das Assembleias Gerais

Ordinárias e Extraordinárias, ressalvadas as exceções previstas em lei e sem prejuízo do disposto neste Estatuto

Social, serão tomadas por maioria absoluta de voto, não computando os votos em branco. Capítulo IV – Da Administração. Artigo 8º. A Companhia será administrada por uma Diretoria, estando seus membros dispensados de

prestar caução para exercício das suas funções. Artigo 9º. A Diretoria será composta por 2 membros, sendo 1

deles designado Diretor Presidente e 1 designado simplesmente Diretor. § 1º . Os membros da Diretoria serão eleitos para um mandato de 2 anos, sendo permitida a reeleição. Os membros não reeleitos permanecerão no exercício

CMD AUTOMÓVEIS

CNPJ/ME Nº 07.023.175/0001-63 de seus cargos até a investidura de seus substitutos. § 2º . A investidura dos diretores nos cargos far-se-á por termo lavrado no livro próprio. Artigo 10. No caso de impedimento ocasional de um diretor, suas funções serão exercidas pelo outro diretor. No caso de vaga, o diretor remanescente deverá permanecer no cargo até a eleição e posse do substituto designado pela Assembleia Geral. Artigo 11. Compete à Diretoria, além de outras funções previstas em lei ou neste Estatuto Social: a. cumprir e fazer cumprir este Estatuto Social e as deliberações da Assembleia Geral; b. elaborar e submeter à Assembleia Geral anualmente, o plano de atividades e o orçamento geral da Companhia; c. propor ao Conselho Consultivo as diretrizes fundamentais dos negócios sociais da Companhia; d. submeter anualmente à aprovação da Assembleia Geral, o Relatório da Administração e as contas da Diretoria, acompanhados do relatório dos auditores independentes, bem como a proposta de destinação dos lucros apurados no exercício anterior; e. submeter à Assembleia Geral a constituição e o encerramento de subsidiárias da Companhia no país e no exterior; f. elaborar a política salarial da Companhia; g. exercer os poderes normais de gerência, podendo assinar documentos, escrituras, contratos e instrumentos de crédito, emitir e endossar cheques, contratar empréstimos, adquirir, vender, onerar ou ceder, no todo ou em parte, bens móveis ou imóveis; h. abrir, operar e encerrar contas bancárias da Companhia; i. submeter qualquer assunto que não se compreenda em sua competência privativa ao Conselho Consultivo; j. exercer outras atribuições que lhe forem atribuídas pela Assembleia Geral; e k. representar a Companhia perante terceiros, em juízo ou fora dele, e perante qualquer autoridade pública e órgãos governamentais federais, estaduais ou municipais. Artigo 12. A Companhia será sempre representada, em todos os atos, (i) pela assinatura conjunta de dois Diretores; (ii) pela assinatura de um Diretor em conjunto com um procurador, desde que investido de especiais e expressos poderes; ou (iii) pela assinatura de dois procuradores em conjunto, desde que investidos de especiais e expressos poderes. § Único – A Companhia poderá ser representada por apenas um Diretor, o qual poderá, inclusive, outorgar procuração para os fins aqui tratados, ou um procurador na prática dos seguintes atos: a. recebimento de quitação de valores devidos pela Companhia; b. emissão, negociação, endosso e desconto de duplicatas relativas às suas vendas; c. representação da Companhia em assembleias e reuniões de sócios de sociedades da qual participe; d. outorga de mandato a advogado para a representação judicial ou em processos administrativos; e. representação da Companhia em juízo e/ou em processos administrativos, exceto para a prática de atos que importem em renúncia a direitos; e f. prática de atos de simples rotina administrativa, inclusive perante repartições públicas, sociedades de economia mista, juntas comerciais, Justiça do Trabalho, INSS, FGTS e seus bancos arrecadadores, e outras da mesma natureza. Artigo 13. À exceção do estabelecido no § Único do Artigo 12, as procurações em nome da Companhia serão outorgadas por 2 Diretores, em conjunto, devendo especificar os poderes conferidos e, com exceção daquelas para fins judiciais, terão prazo de validade de um ano. Capítulo V – Do Conselho Consultivo. Artigo 14. O Conselho Consultivo será composto por até 6 membros, eleitos pela Assembleia Geral com prazo de mandato de 3 anos, sendo permitida a reeleição. Artigo 15. O Conselho Consultivo tem como função avaliar os seguintes assuntos: (i) O Plano Estratégico e Plano de Ação da Companhia, com seus objetivos estratégicos e macroprojetos, inclusive parcerias estratégicas; (ii) Potenciais oportunidades de novos negócios; e (iii) Opinar sobre assuntos relevantes que sejam encaminhados pela Diretoria da Companhia. Artigo 16. O Conselho Consultivo se reunirá ordinariamente 6 vezes ao ano, e extraordinariamente, sempre que necessário, mediante a convocação de qualquer de seus membros ou de qualquer dos membros da Diretoria. Artigo 17. Das reuniões do Conselho Consultivo serão lavradas atas, as quais serão arquivadas na Companhia. Capítulo VI – Do Conselho Fiscal. Artigo 18. A Companhia terá um Conselho Fiscal, com as atribuições e os poderes que a lei lhe confere, composto de 3 a 5 membros e suplentes em igual número, acionistas ou não, residentes no País, eleitos pela Assembleia Geral, permitida a reeleição. § 1º. O Conselho Fiscal é órgão não permanente, somente será instalado pela Assembleia Geral a pedido de acionistas, na forma da lei, e seu período de funcionamento terminará na primeira Assembleia Geral Ordinária após a sua instalação. § 2º. A Assembleia Geral que eleger os membros do Conselho Fiscal fixará a respectiva remuneração. § 3º. Os membros efetivos do Conselho Fiscal serão substituídos, nos seus impedimentos ou faltas, pelos membros suplentes, segundo a ordem de nomeação na Assembleia Geral que os eleger. Capítulo VII – Exercício Social e Distribuição de Resultados. Artigo 19. O exercício social da Companhia coincide com o ano civil, encerrando-se em 31 de dezembro de cada ano. Quando do encerramento do exercício social, a Companhia preparará um balanço patrimonial e as demais demonstrações financeiras exigidas por Lei. § Único – A Companhia poderá levantar balanços intermediários ou intercalares para fins de distribuição de dividendos, de registro e publicidade de qualquer atualização do patrimônio líquido da Companhia, ou para quaisquer outras finalidades que entenda aplicável. Artigo 20. Do resultado apurado em cada exercício serão deduzidos, antes de qualquer outra participação, os prejuízos acumulados e a provisão para o imposto sobre a renda. O prejuízo do exercício será obrigatoriamente absorvido pelas reservas de lucros e pela reserva legal, nessa ordem. Artigo 21. Do lucro líquido do exercício, definido no artigo 191, da Lei das Sociedades por Acoes, 5% serão aplicados, antes de qualquer outra destinação, na constituição da reserva legal, que não excederá 20% do capital social. Artigo 22. Do saldo restante, feitas as deduções e destinações referidas nos Artigos antecedentes, será distribuído aos acionistas um dividendo obrigatório de 25% do lucro líquido, a ser pago no prazo de 30 dias a contar da data de sua declaração, ressalvada a hipótese de deliberação em contrário da Assembleia Geral. Artigo 23. O saldo remanescente terá a destinação deliberada pela Assembleia Geral Ordinária. Artigo 24. A Companhia entrará em liquidação nos casos previstos em lei ou por deliberação da Assembleia Geral, com o quórum de acionistas representando a maioria do capital social, a qual determinará a forma de sua liquidação, elegerá os liquidantes e fixará a sua remuneração. Artigo 25. A Assembleia Geral, através de deliberação tomada por maioria absoluta de votos, poderá decidir a transformação da Companhia. Artigo 26. Os casos omissos neste Estatuto serão regulados pela Lei das Sociedades Anonimas e demais legislação aplicável.” JUCESP – Registrado sob o nº 432.922/19-2 em 15/08/2019. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

LTDA.

NIRE 35.2.1944415-2

ATA DE REUNIÃO DE SÓCIOS REALIZADA

Data, Hora e Local : Dia 15 de agosto de 2019, às 09 horas, na sede da CMD AUTOMÓVEIS LTDA. (“Sociedade”), com sede social no Município de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal nº.

2.351, Bairro Vila Leopoldina, CEP 05314-001, inscrita no CNPJ/ME sob o nº. 07.023.175/0001-63 e na I.E./SEFAZ 116.907.749-111, com seus atos constitutivos arquivados na JUCESP sob o NIRE 35.2.1944415-2, em

sessão de 01.10.2004. Presença: Presentes os sócios representando a totalidade do capital social (“Sócios”),

ficando dispensada a convocação. Composição da Mesa: Presidente da Sessão: MÁRCIA DAHRUJ , brasileira,

empresária, solteira, portadora da Cédula de Identidade RG nº 16.355.735-4 e inscrita no CPF/ME sob o nº

052.645.308-74, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor

Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000; Secretário da Sessão: CLÁUDIO DAHRUJ ,

brasileiro, empresário, portador da Cédula de Identidade RG nº 17.199.609-4 e inscrito no CPF/ME sob o nº

027.927.338-02, casado sob o regime da comunhão parcial de bens com Renata Ribeiro Zanaga Dahruj, brasileira, empresária, portadora da Cédula de Identidade RG nº 9.405.611-0 e inscrita no CPF/ME sob o nº

027.655.578-37, ambos com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida

Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000. Ordem do Dia : Apreciar e deliberar

acerca (i) da prestação de garantia fidejussória, na modalidade de fiança, pela Sociedade, em garantia das

debêntures a serem emitidas pela CGD EMPREENDIMENTOS S.A ., sociedade por ações de capital fechado,

com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1725 – sobreloja,

Vila Leopoldina, CEP 05314-000, inscrita no CNPJ/ME sob o nº 05.368.250/0001-00 ("CGD"), no âmbito da sua

1ª (primeira) emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em duas séries, da espécie

quirografária, a ser convolada em espécie com garantia real, com garantia fidejussória adicional, para

distribuição pública, com esforços restritos de distribuição, nos termos da Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro

de 2009, conforme alterada ("Instrução CVM 476"), no valor total de emissão de até R$ 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais) ("Debêntures" e "Oferta", respectivamente); e (ii) da autorização a ser concedida à diretoria

da Sociedade, bem como a procuradores constituídos para o efeito pela Sociedade, para firmar os documentos

necessários para a prestação da garantia acima descrita. Formalidades legais: Todas as formalidades legais da

reunião foram atendidas Deliberações: Os Sócios, por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições,

EM 15 DE AGOSTO DE 2019

deliberaram aprovar: (i) A prestação de fiança pela Sociedade, em garantia fidejussória das Debêntures, em conjunto com a CMJ - COMÉRCIO DE VEÍCULOS LTDA ., com sede social no Município de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Dr. Gastão Vidigal, nº. 1.725, Vila Leopoldina, CEP 05314-000, inscrita no CNPJ/ME sob o nº 05.026.79200011-97, com seus atos constitutivos arquivados na JUCESP sob o NIRE 35.2.1751083-2, em sessão de 02.05.2002, CLÁUDIO DAHRUJ , brasileiro, empresário, portador da Cédula de Identidade RG nº 17.199.609-4 e inscrito no CPF/ME sob o nº 027.927.338-02, casado sob o regime da comunhão parcial de bens com Renata Ribeiro Zanaga Dahruj, brasileira, empresária, portadora da Cédula de Identidade RG nº 9.405.611-0 e inscrita no CPF/ME sob o nº 027.655.578-37, ambos com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000, e MÁRCIA DAHRUJ , brasileira, empresária, solteira, portadora da Cédula de Identidade RG nº 16.355.735-4 e inscrita no CPF/ME sob o nº 052.645.308-74, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000 (em conjunto, “Fiadores”). Os Fiadores figurarão, juntamente com a CGD e a Sociedade, como devedores solidários e principais pagadores em ralação às obrigações, principais ou acessórias, presentes e futuras, assumidas pela CGD em relação às Debêntures, nos termos previstos no “Instrumento Particular de Escritura da 1ª (Primeira) Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, a ser Convolada em Espécie com Garantia Real, com Garantia Fidejussória Adicional, em Duas Séries, para Distribuição Pública, com Esforços Restritos, da CGD Empreendimentos S.A.”, a ser celebrada entre a CGD, a VÓRTX DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA , inscrita no CNPJ/ME sob o nº 22.610.500/0001-88, na qualidade de representante da comunhão de titulares das Debêntures, e, ainda, na qualidade de fiadores, os Fiadores e a Sociedade (“Escritura de Emissão”); e (iii) A autorização à diretoria da Sociedade, bem como a procuradores devidamente constituídos para o efeito pela Sociedade, para praticar todos os atos necessários – podendo, inclusive, celebrar a Escritura de Emissão – e qualquer outro instrumento relacionado às Debêntures. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi a presente reunião encerrada, lavrando-se esta ata que vai assinada por todos os presentes. Mesa: MÁRCIA DAHRUJ - Presidente, CLÁUDIO DAHRUJ - Secretário, Sócios: CD HOLDING LTDA. MD HOLDING LTDA.

CMJ – COMÉRCIO DE VEÍCULOS LTDA.

CNPJ/ME Nº 05.026.792/0001-97

NIRE 35.2.1751083-2

ATA DE REUNIÃO DE SÓCIOS REALIZADA EM 15 DE AGOSTO DE 2019 Data, Hora e Local: Dia 15 de agosto de 2019, às 09 horas, na sede da CMJ - COMÉRCIO DE VEÍCULOS LTDA. (“Sociedade”), com sede social no Município de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Dr. Gastão Vidigal, nº. 1.725, Vila Leopoldina, CEP 05314-000, inscrita no CNPJ/ME sob o nº. 05.026.792/0001-97, com seus atos constitutivos arquivados na JUCESP sob o NIRE 35.2.1751083-2, em sessão de 02.05.2002. Presença : Presentes os sócios representando a totalidade do capital social (“Sócios”), ficando dispensada a convocação. Composição da Mesa : Presidente da Sessão: MÁRCIA DAHRUJ , brasileira, empresária, solteira, portadora da Cédula de Identidade RG nº 16.355.735-4 e inscrita no CPF/ME sob o nº 052.645.308-74, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000; Secretário da Sessão: CLÁUDIO DAHRUJ , brasileiro, empresário, portador da Cédula de Identidade RG nº 17.199.609-4 e inscrito no CPF/ME sob o nº 027.927.338-02, casado sob o regime da comunhão parcial de bens com Renata Ribeiro Zanaga Dahruj, brasileira, empresária, portadora da Cédula de Identidade RG nº 9.405.611-0 e inscrita no CPF/ME sob o nº 027.655.578-37, ambos com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000. Ordem do Dia: Apreciar e deliberar acerca (i) da prestação de garantia fidejussória, na modalidade de fiança, pela Sociedade, em garantia das debêntures a serem emitidas pela CGD EMPREENDIMENTOS S.A. , sociedade por ações de capital fechado, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1725 – sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000, inscrita no CNPJ/ME sob o nº 05.368.250/0001-00 ("CGD"), no âmbito da sua 1ª (primeira) emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em duas séries, da espécie quirografária, a ser convolada em espécie com garantia real, com garantia fidejussória adicional, para distribuição pública, com esforços restritos de distribuição, nos termos da Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009, conforme alterada ("Instrução CVM 476"), no valor total de emissão de até R$ 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais) ("Debêntures" e "Oferta", respectivamente); e (ii) da autorização a ser concedida à diretoria da Sociedade, bem como a procuradores constituídos para o efeito pela Sociedade, para firmar os documentos necessários para a prestação da garantia acima descrita. Formalidades legais: Todas as formalidades legais da reunião foram atendidas Deliberações: Os Sócios, por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições, deliberaram aprovar: (i) A prestação de fiança pela Sociedade, em garantia fidejussória das Debêntures, em conjunto com a CMD AUTOMÓVEIS LTDA. , com sede social no Município de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal nº. 2.351, Bairro Vila Leopoldina, CEP 05314-001, inscrita no CNPJ/ME sob o nº 07.023.17500011-63 e na I.E./SEFAZ 116.907.749-111, com seus atos constitutivos arquivados na JUCESP sob o NIRE 35.2.1944415-2, em sessão de 01.10.2004, CLÁUDIO DAHRUJ , brasileiro, empresário, portador da Cédula de Identidade RG nº 17.199.609-4 e inscrito no CPF/ME sob o nº 027.927.338-02, casado sob o regime da comunhão parcial de bens com Renata Ribeiro Zanaga Dahruj, brasileira, empresária, portadora da Cédula de Identidade RG nº 9.405.611-0 e inscrita no CPF/ME sob o nº 027.655.578-37, ambos com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000, e MÁRCIA DAHRUJ , brasileira, empresária, solteira, portadora da Cédula de Identidade RG nº 16.355.735-4 e inscrita no CPF/ME sob o nº 052.645.308-74, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1.725 - Sobreloja, Vila Leopoldina, CEP 05314-000 (em conjunto, “Fiadores”). Os Fiadores figurarão, juntamente com a CGD e a Sociedade, como devedores solidários e principais pagadores em ralação às obrigações, principais ou acessórias, presentes e futuras, assumidas pela CGD em relação às Debêntures, nos termos previstos no “Instrumento Particular de Escritura da 1ª (Primeira) Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, a ser Convolada em Espécie com Garantia Real, com Garantia Fidejussória Adicional, em Duas Séries, para Distribuição Pública, com Esforços Restritos, da CGD Empreendimentos S.A.”, a ser celebrada entre a CGD, a VÓRTX DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA , inscrita no CNPJ/ME sob o nº 22.610.500/0001-88, na qualidade de representante da comunhão de titulares das Debêntures, e, ainda, na qualidade de fiadores, os Fiadores e a Sociedade (“Escritura de Emissão”); e (iii) A autorização à diretoria da Sociedade, bem como a procuradores devidamente constituídos para o efeito pela Sociedade, para praticar todos os atos necessários – podendo, inclusive, celebrar a Escritura de Emissão – e qualquer outro instrumento relacionado às Debêntures. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi a presente reunião encerrada, lavrando-se esta ata que vai assinada por todos os presentes. Mesa: MÁRCIA DAHRUJ -Presidente - CLÁUDIO DAHRUJ -Secretário Sócios: CD HOLDING LTDA. MD HOLDING LTDA.