Página 1101 do Diário de Justiça do Distrito Federal (DJDF) de 27 de Setembro de 2019

precisaria perguntar nada a MOZART, pois saberia de tudo; que pegaram uma ligação que fez para FELIPE; que vendeu uma moto a FELIPE parceladamente e foi a única coisa que teve; que conheceu FELIPE através da ex-mulher dele; que, na ligação, realmente perguntou sobre um programa, um site, uma configuração, mas não tem nada a ver com vírus; que não tem nenhuma culpa por organização criminosa; que fazia os cliques sozinho; que não tem culpa se as pessoas usavam os cliques para invadir computadores; que pagava as suas dívidas com o seu próprio dinheiro; que não acharam transação suspeita em sua conta; que tem uma transportadora e fica no computador cuidando da empresa; que nos cliques você divulga o site da pessoa e uma coisa leva a outra e acaba entrando nesses grupos podres da internet; que o que a pessoa faz depois depois não é problema dele; que faz a campanha e divulga; que essa é a sua culpa; que pode até trocar ideias, mas trabalha sozinho; que teria como saber que as pessoas estavam invadindo computadores para pegar senhas; que o e-mail que usa para cadastro consta as informações; que aprendeu tudo isso na rede; que ganhava um pouco a mais por causa dos cliques, mas tem empresa e caminhão; que tem acesso ao e-mail, mas não usa, igual se achasse um carro de porta aberta na rua; que nunca fez essas coisas (...). ISAAC: (...) que não integrava organização criminosa; que só conhece ITAMAR da Internet através do Skype; que conhecia um rapaz de São Luís e tinha o contato de ITAMAR e entrou no grupo que eles participavam de Skype e começaram a conversar; que ITAMAR trabalhava com sistema de cliques; que o rapaz que o apresentou para ITAMAR é o ?Caixama?; que não sabe o nome dele; que estava querendo ganhar uma porcentagem nesse serviço que ITAMAR fazia; que o serviço era comprar VPS para ITAMAR e hospedagem para cliques e ITAMAR dava uma porcentagem para ele; que entrou nisso pois queria uma porcentagem; que entrou no negócio; que comprava servidores de VPS e servidores; que ganhava uma porcentagem de 30% a 20%, o que acordavam no momento; que está fazendo esse serviço há 3 anos; que não lembra o quanto recebeu; que recebeu por volta de 10 ou 15 mil; que foi preso em 29/11/2019; que não sabia que o que fazia era potencialmente criminoso; que a função dele era só essa; que não conhecia nenhuma das pessoas; que conversou com MOZART 2 ou 3 vezes depois da prisão de ITAMAR; que não conhece FELIPE; que o MOZART que fez a delação falando que o depoente era braço direito de ITAMAR e o substituía quando não estava na frente da empreitada, sendo que isso não acontece; que depois que ITAMAR foi preso entrou em contato com MOZART para pedir ajuda para ele; que se fosse braço direito de ITAMAR não teria necessidade nenhuma de pedir ajuda ao MOZART (...). FELIPE: (...) que não integrava a organização criminosa; que não conhece ITAMAR pessoalmente; que já teve um contato com ITAMAR, pois comprou uma moto dele; que ITAMAR conhecia a sua exmulher; que o contato foi pela Internet e por telefone; que não conhece ISAAC e MOZART; que não fazia crime nenhum com eles na Internet; que trabalha com sites; que atualiza, organiza, faz manutenção de sites; que às vezes faz criação de sites; que já fez campanha de cliques, mas o lucro era baixo e não dava para conciliar com o comércio que tinha; que parou há mais de 2 anos; que sabia que ITAMAR trabalhava com campanha de cliques; que teve problema com a campanha de cliques e parou justamente por isso; que apareciam essas coisas, dá como vírus e perdia a campanha da pessoa; que às vezes tinha que pegar o dinheiro do lucro pra refazer a campanha de cliques e ficou inviável para ele; que não chegou a trabalhar com ITAMAR; que ITAMAR não o chamou para trabalhar com ele; que não tem nada de patrimônio, só o comércio que trabalha; que não tem imóvel; que tem carro financiado, casa alugada, comercio alugado; que não teve qualquer outra negociação com ITAMAR a não ser a compra da moto; que faz sites; que é permitido fazer sites; que não tem notícia que algum site que fez teria questões ilegais; que não pagou nenhum boleto em operações; que não fez operações irregulares na atividade; que não sabe dizer o porquê está nesse processo (...). De seu turno, o Delegado de Polícia Giancarlos Zuliani apresentou a dinâmica delituosa da seguintes forma (Id. 44123484): (...) que a investigação teve início em janeiro de 2018; que a investigação começou através de uma informação recebida do BRB; que o BRB passou para a DRCC - Delegacia de Crimes Cibernéticos ? um vídeo publicado na internet, em que uma pessoa desconhecida filmava uma tela do computador e descrevia como conseguia senhas dos bancos ITAÚ, BRADESCO, CITYBANC, Santander, Banco do Brasil e BRB; que o vídeo tinha aproximadamente 10 minutos; que a pessoa abria uma caixa de e-mail do Gmail, com diversas contas e senhas de clientes; que não dava para reconhecer a fisionomia da pessoa, pois o vídeo mostrava só a tela do banco e a voz estava distorcida; que analisaram o vídeo com muita paciência, frame a frame (tela a tela do vídeo) e perceberam que a pessoa encobria os dados importantes com uma faixa de distorção, mas em alguns segundos do vídeo ele se descuidou e apareceram informações importantes; que a primeira informação foi um outro e-mail que também estava recebendo as mensagens de contas e senhas; que esse e-mail foi identificado como brazilinfos@gmail.com; que identificaram também o e-mail que enviava como canacicateotv.com; que identificaram outras informações da conta de contatos daquela conta de e-mail relacionadas a um arquiteto e a outra pessoa de Salvador; que iniciaram uma investigação principalmente com base na conta brazilinfos@gmail.com; que foi feita uma representação judicial pedindo o espelhamento da conta, que consiste no acesso aos IPs do administrador da conta, aos dados cadastrais da conta e às mensagens que a conta recebeu e enviou; que a ordem judicial foi deferida e, depois de aproximadamente 1 mês, chegou a resposta; que, para surpresa dos investigadores, foram identificadas aproximadamente 23 mil mensagens recebidas contendo contas e senhas de diversos clientes do Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Citybanc e BRB; que também receberam os Ips de conexão na conta e os dados cadastrais; que, nos dados cadastrais, constava um telefone, posteriormente vinculado ao indiciado ITAMAR; que essa foi a primeira pista pela qual chegaram a ITAMAR, mas os IPs foram mais precisos; que todos os Ips de acesso da conta estavam vinculados à empresa ?Qnet de Umuarama?; que a Qnet foi oficiada e ela mandou o nome do usuário que seria ITAMAR SILVA PEREIRA; que, com relação ao conteúdo da conta, foram encontradas cerca de 23 mil mensagens com contas e senhas de diversos bancos; que foi feita uma separação por bancos e os bancos confirmaram as contas que tinham fraudes; que, devido à grande quantidade, trabalharam por amostragem com 5 contas do Distrito Federal; que seguiram todo o fluxo da fraude nessas 5 contas; que começaram uma investigação de forma paralela em relação a ITAMAR a partir das informações da Qnet; que a investigação foi feita através de fontes abertas da internet; que, através de redes sociais, perceberam que ITAMAR realmente morava em Umuarama e tinha uma vida social bastante intensa; que ele tinha lancha, jet ski , quadriciclo e vários objetos de luxo; que entraram em contato com a Polícia de Umuarama para pegar informações a respeito de ITAMAR; que eles informaram que ITAMAR tinha gastos altos na cidade e ele era visto como uma pessoa com nível de vida alto; que os policiais revelaram que não tinham informações do que ITAMAR fazia para justificar aquela renda toda; que ITAMAR tinha uma casa de campo muito luxuosa em uma cidade próxima à Umuarama; que o policial chegou a confidenciar ter recebido informações de que ITAMAR era envolvido com crimes de contrabando e pedofilia; que havia na Polícia de Umuarama uma nuvem de suspeita sobre ITAMAR, pois não sabiam bem de onde vinha aquele dinheiro; que, em ato contínuo, pediram a interceptação no telefone do ITAMAR, do telefone fixo e celular; que, durante os períodos de interceptação, perceberam que ele não usava o telefone para tratar diretamente de fraude bancária, com exceção de uma ligação que ele faz para o denunciado FELIPE, na qual conversam sobre uma dúvida de ITAMAR sobre a instalação de uma VPS, um computador virtual que fica em nuvem; que ITAMAR liga para FELIPE e FELIPE faz uma explicação técnica a respeito do funcionamento da VPS e como ele (FELIPE) conseguiu fazer essa VPS funcionar; que, a partir deste momento, surgiu a primeira pessoa que estaria associada a ITAMAR nesse grande esquema de fraude bancária; que, em paralelo, pediram o afastamento do sigilo bancário e fiscal de ITAMAR; que, no sigilo bancário, perceberam diversos depósitos feitos na conta de ITAMAR através de lotéricas do Rio de Janeiro, Pernambuco, Maranhão; que, através das informações da ponta da fraude, perceberam que havia outras pessoas envolvidas com ITAMAR, pois ITAMAR não poderia estar fazendo aquilo sozinho; que, até aquele ponto da investigação, somente tinham ITAMAR e FELIPE, já que FELIPE tinha sido identificado através daquela ligação telefônica; que, naquele momento, a conversa com FELIPE foi técnica e deu a impressão que se tratava de uma situação de emergência, pois ITAMAR não tratava desses assuntos por telefone, somente falava de festas, caminhão, lanchas; que, de repente, apareceu esse diálogo cujo conteúdo foi transcrito e encontra-se nos autos; que FELIPE estava assessorando ITAMAR na utilização da VPS, um computador virtual muito importante para o cometimento da fraude; que, em ato contínuo, pediram a prisão preventiva e a busca e apreensão na residência do ITAMAR, que foi cumprida em julho de 2018; que a equipe conseguiu adentrar na residência de ITAMAR no exato momento em que ele estava utilizando o computador; que a equipe pegou o computador aberto, inclusive com o e-mail brazilinfo aberto, recebendo senhas bancárias; que não participou dessa diligência; que quem participou foi o Agente Ulisses, o Perito Criminal Caldas e o agente Landim; que cada senha que ITAMAR recebia fazia um som alto, o que chamou a atenção da equipe; que o perito constatou isso numa informação pericial que se encontra nos autos; que foi apreendido o computador do ITAMAR aberto e isso possibilitou uma análise pericial muito rica, principalmente nas contas de Skype, o principal método de comunicação com os outros integrantes da quadrilha; que nessa

Figura representando 3 páginas da internet, com a principal contendo o logo do Jusbrasil

Crie uma conta para visualizar informações de diários oficiais

Criar conta

Já tem conta? Entrar